CHINELAGEM DE CHINELÕES – Delegado divisionário da Corregedoria Geral tenta aplicar golpe no restaurante da ADPESP e dá exemplo de corrupção moral 55

quentinhaAtualizado as 23:32 de 5 / 12/ 2006.

Gostaria que todos os policiais civis deste estado tomassem conhecimento desta esdrúxula estória envolvendo delegados de polícia.

Não deveria escrever sobre o assunto, mas  a coisa é de matar de rir para não morrer de chorar de vergonha !

Revoltante!

Vamos lá: de uns tempos para cá, principalmente depois da campanha para eleições do sindicato dos delegados deste estado, candidatos e componentes do tal grupo NOVA POLÍCIA JUDICIÁRIA (  do qual faz parte aquele delegado que embriagado , vestindo camisa do Corinthians , fez disparos de calibre 12 em loja  posto de gasolina…Olha o nível!  ), se tornaram comensais do restaurante da ADPESP.

Nada de mais se fossem associados!

Ocorre que lá ingressam , comem , bebem e fazem política na condição de convidados de um ou outro membro da ADPESP – da oposição –  sem quaisquer responsabilidades para com a associação e seus consortes ( pagantes ) .

Que fique claro, a ADPESP não é instituição de caridade.

É uma entidade privada pertencente a delegados de polícia nela inscritos e  que pagam mensalmente as contribuições pertinentes.

Como convidados dos associados ( os pagantes )  são admitidos um ou outro amigo , um profissional de outra carreira , um familiar e até mesmo um delegado – não associado – morador em outra cidade de passagem pela Capital.

Mas não tem cabimento gente que se desfiliou ou que se nega a fazer parte dos quadros da entidade  ter a desfaçatez de lá comparecer como CONVIDADO HABITUAL  para comer e beber do melhor a preços subsidiados; às custas dos sócios pagantes.

Com efeito, delegado que prefere o SINDPESP à ADPESP, até   por afirmar que a associação só serve a uma elite da classe , não deve comparecer à sede da entidade, especialmente para encher a barriga.

Os sindicalizados devem procurar o BOM PRATO do governo do estado.

Como consequência dos abusos ( gente apresentando 10 , ate´ 15 convidados por vez ) ,  há pouco tempo , a diretoria da ADPESP , para conter a sangria no já deficitário restaurante , foi obrigada a impor novos preços e nova regulamentação, ou seja, por conta da desfaçatez de algumas pretensas autoridades policiais , a Diretoria decidiu que o valor para DELEGADO NÃO ASSOCIADO seria majorado ( frisando,  já que não se associa por não querer, embora utilizando serviços diariamente às custas dos demais ) .

O verdadeiro banquete lá servido passou de R$ 35,00 reais ( convidados em geral  ) , para ainda módicos R$ 50,00 ( delegados de polícia não associados ) .

Diga-se, preço bastante razoável pela quantidade e qualidade dos serviços .

Pois bem,  observem o que passaram a fazer os espertalhões desafetos da diretoria da ADPESP ?

Absurdamente, na recepção do restaurante apresentavam os seus convidados como advogados ou simples bacharéis em direito; omitindo-se , assim, a condição funcional de delegados com o objetivo de pagarem R$ 15,00 a menos.

Tem cabimento ?

Pior, na última terça-feira , lá ingressaram para tratar de seus assuntos pessoais  a presidenta eleita do SINDPESP com o seu vice; em seguida foram filar uma “quentinha da Marilda” , como alguns gostam de chamar pejorativamente o cardápio da ADPESP  .

josefonseca

Vejam o que fez o Dr. José Vicente Barreto Fonseca, delegado divisionário da Corregedoria Geral :

Apresentou-se como bacharel em direito , ou seja, graduado ainda sem profissão , para pagar os R$ 15,00 a menos.

Falta de vergonha ou total falta de respeito com a ADPESP e com os associados que não são obrigados a subsidiar esses espertalhões ?

As duas coisas, não é ?

Não sei se podemos considerá-lo uma espécie de mendigo ou uma espécie de estelionatário, mas seja lá o que for tal conduta: NADA DIGNA DE UM DELEGADO DE POLÍCIA.

Nem digo nada digna de um corregedor, pois há muito tempo pertencer à Corregedoria deixou de ser atestado de idoneidade . Abunda canalha na Corregedoria!

Não sem motivo  a ADPESP deixou de perfilar com o Sindicato dos Delegados..

Com efeito, não dá para se unir com fraudadores, né ?

É o típico exemplo de socialismo com o dinheiro alheio!

Ora, estamos cansados de  esconder as mazelas dessa classe ; de não mostrar a verdade sobre a conduta da média dos delegados de polícia para não expormos os corretos, éticos  e dignos.

Não dá mais!

De fato,  a carreira de delegados está infestada de grandes e pequenos corruptos…De gente sem berço !

Esse divisionário da Corregedoria – vice presidente da chapa eleita pelos delegados sindicalizados – dá um grande exemplo de corrupção moral.

Verdadeiramente, é possível confiar em quem dá um tombo de R$ 15,00 nos colegas  de carreira ?

O que farão depois de empossados no SINDPESP ?

( Respondo: o que os antecessores sempre fizeram: comeram, beberam e viajaram às custas de alguns ingênuos  que pagam um sindicato que não serve para nada que preste em favor da carreira e da Polícia Civil  em geral  ! )

por Roberto Conde Guerra – ex-delegado de polícia

bom-prato

Complementação com informações colhidas na ADPESP:

“O JOSÉ VICENTE , ACOMPANHADO DA RAQUEL PAGOU R$ 50,00 “PORQUE OS DIRETORES ESTAVAM NO RESTAURANTE NA HORA E A FUNCIONÁRIA DISSE QUE SABIA QUE ELE ERA DELEGADO E NÃO CONVIDADO. MAS FOI NA HORA DE PAGAR PORQUE A COMANDA ERA DE CONVIDADO”  ( “SIC” ) .

Segue a controle interno:

adpesp

Buscam-se sócios e colaboradores para a ” Banca do Bicho Legal do Litoral” 5

A nova empresa, em fase de constituição, busca sócios e colaboradores com experiência no ramo, com o objetivo de explorar dentro da legalidade o conhecido e confiável JOGO DO BICHO, mediante a associação formal daqueles que já operavam no mercado como agregados da antiga BANCA DAMASCO, extinta por ações do Ministério Público de São Paulo; especialmente os apontadores que , na verdade, são os verdadeiros proprietários dos pontos de apostas. Deles , também , é a clientela formada durante anos de confiança. Recebem as apostas e pagam os prêmios!

A empresa adotará os seguintes princípios básicos:

Não pagará ou destinará quaisquer valores ou vantagens a   funcionários públicos ;

Não pactuará com a corrupção ou extorsão , comunicando às autoridades e ao MP eventuais crimes de concussão ( exigência de dinheiro ) ou corrupção ativa ( solicitação de dinheiro ou benefícios ) , cometidos por funcionários públicos de quaisquer órgãos ou instituições.

Toda a movimentação financeira da associação será efetuada por meio do sistema bancário brasileiro; sendo totalmente informatizada, com o emprego das chamadas “maquininhas” Cielo ( “sic” ), inclusive! Buscando-se , assim, apostas e conferência em tempo real para maior garantia do apostador-consumidor.

Também, toda a movimentação financeira será legalmente contabilizada e declarada; recolhendo-se os devidos tributos municipais, estaduais e federais.

Os prêmios , conforme sorteios oficiais ou de abrangência estadual , serão pagos livres de tributos por parte dos ganhadores.

Cada captador de apostas ( apontador ou intermediário ) , receberá 35% do total das apostas captadas em sua área de trabalho ( ponto ) .

Todos os associados e colaboradores serão regularmente  registrados; garantindo-se seus direitos trabalhistas e previdenciários .

Parcela do lucro líquido anual será revertida para entidades filantrópicas localizadas na região.

Considerações legais:

novo-logo-legal-cap

É de conhecimento público que  autoridades legalizaram a exploração de apostas no modelo capitalização de títulos, os quais são vendidos a céu aberto em quaisquer esquinas sem o menor controle; não obstante ninguém saiba quem sejam seus exploradores e a origem  dos recursos para o empreendimento e prêmios.

Pairando  suspeitas de que as tais CAP , na verdade, façam lavagem de dinheiro para o tráfico e roubo de valores e cargas ou na melhor das hipóteses : NÃO HÁ TRANSPARÊNCIA NESSA MODALIDADE DE APOSTAS dissimulada como poupança . Em linhas gerais: FOI LIBERADA!

Enquanto que o JOGO DE BICHO – que também é uma modalidade de aposta mediante sorteiro de números – é definido como contravenção penal, infração de menor potencial ofensivo,  sujeita a pena de multa e detenção; sendo nos últimos tempos implacavelmente reprimido pelo MP como forma de acabar com a corrupção policial e a lavagem de dinheiro, ou seja, a perseguição não decorre da exploração do jogo, mas do enriquecimento de funcionários públicos e dos banqueiros.

Por outro aspecto, não há associação criminosa ( antiga formação de quadrilha ) ou organização criminosa ( grande empresa exploradora de múltiplos crimes ) para a  simples exploração do jogo de bicho, em sua forma pura, que nada mais é do que a premiação de loteria de números mediante pagamento em dinheiro aos apostadores.

Crimes graves que eventualmente podem ter sido cometidos por antigos bicheiros são aqueles definidos como:

CORRUPÇÃO ATIVA ( pagar as polícias e fiscais ) ;

LAVAGEM DE DINHEIRO ( formas fraudulentas de enganar o FISCO e a JUSTIÇA ,  obtendo ainda maiores lucros ) ;

POSSE OU PORTE ILEGAL DE ARMA DE FOGO ( contratação de seguranças armados, de regra: policiais  ) ;

AMEAÇAS ( intimidação de concorrentes  , ex-funcionários e devedores ).

Dito isto, a exploração do Jogo do Bicho – na sua forma pura – pode ser legalizada e transformada  em atividade geradora de riquezas e benefícios sociais: DIGNA !

Aguardamos contato dos interessados.

bicho