Militares se aproveitam da crise política para “extorquir” privilégios em prejuízo de servidores civis e trabalhadores privados 26

RAQUEL LANDIM

Militares se aproveitam da crise política para manter privilégios

09/12/2016 10h28

Eduardo Anizelli – 7.set.2009/Folhapress

Militares foram poupados das novas regras, e ainda poderão acumular benefícios, como aposentadoria e pensão por morte

O ministro da Defesa, Raul Jungmann, tentou nesta quinta-feira (8) convencer a opinião pública de que os militares —categoria excluída até agora da reforma da Previdência— estão dispostos a fazer sua parte para o ajuste das contas públicas.

Ele não detalhou o que isso significa, mas os dados que apresentou partem de uma premissa arcaica e equivocada e demonstram que a caserna não cogita abrir mão dos privilégios dos quais desfruta.

Hoje, os contribuintes são obrigados a pagar integralmente os salários dos militares por décadas depois que eles deixam o quartel, por causa dos “serviços que prestam ao país”.

É isso que Jungmann não diz claramente quando afirma que há um “equívoco” na contabilidade do deficit das Forças Armadas, porque as despesas com militares ativos e inativos são um “encargo da União”, custeado pelo orçamento do Ministério da Defesa.

REFORMA DA PREVIDÊNCIA
As mudanças propostas na aposentadoria

A lógica dos militares é que eles não se aposentam, mas entram para a “inatividade”. Hoje, um militar passa para a “reserva” após 30 anos de serviço. Em teoria, fica à disposição para ser convocado em caso de guerra, o que felizmente não acontece no Brasil há muito tempo. Após completar 65 anos, é definitivamente “reformado”.

Na prática, isso quer dizer que um militar que inicia a carreira aos 18 anos chega à reserva aos 48 anos —uma idade com plena capacidade de trabalho. Se viver até os 75 anos (média da expectativa de vida do brasileiro), os contribuintes pagarão sua remuneração integral durante 27 anos de “inatividade” —praticamente o mesmo tempo que o profissional esteve na ativa.

O ministro acredita que esse sistema é justo e, por isso, defende que os R$ 18,59 bilhões gastos com militares inativos não devem ser incluídos no deficit previdenciário. Ele diz que o rombo é de “apenas” R$ 13,85 bilhões, valor das pensões deixadas para viúvas e dependentes.

Se somarmos os dois números, chegaremos aos quase R$ 35 bilhões estimados pelo Ministério da Fazenda para o deficit previdenciário das Forças Armadas. Os militares são hoje responsáveis por metade do rombo de cerca de R$ 70 bilhões da Previdência dos servidores públicos.

É verdade que os militares recebem tratamento diferenciado em vários países do mundo por causa das especificidades da carreira, como a proibição de fazer greve, participar de sindicatos ou concorrer a cargo eletivo. Mas nem de longe os privilégios são parecidos com os que ocorrem no Brasil.

Um dos méritos da reforma proposta pelo governo Temer é não só aliviar a situação fiscal do país, mas também reduzir a vergonhosa desigualdade do sistema previdenciário.

Se não for desfigurada pelo Congresso, a reforma vai levar todos os brasileiros a se aposentarem após 65 anos, depois de contribuir por quase 50 anos. Nesse novo contexto, os privilégios das Forças Armadas são inaceitáveis.

Ao sugerir nos bastidores que a reforma da Previdência pode provocar a insatisfação da tropa em um momento delicado para o país, os militares se aproveitam da fragilidade política do governo Temer e do trauma provocado pela ditadura militar para manter seus privilégios.

raquel landim

É repórter especial da Folha. Escreve sobre economia, negócios e comércio exterior. Tem especialização em negociações internacionais. Escreve às sextas-feiras.

  1. Tanto o efetivo das forças armadas, que só contribuem com 8%, como das PM’s, como a de SP que contribui com 11%, deveriam de fato passar a contribuir com 14%.
    Mas apesar de 48 anos ser uma idade ativa, como disse a colunista, não é possível desenvolver exercícios militares e o Policiamento ostensivo muito depois dessa idade.
    Falta vigor físico.
    Essa realidade deveria ser levado em conta por quem critica a idade de passagem para reserva.

  2. A grande maioria dos militares, inclusive as PM, não se aposenta com 48 anos, uma pq os concursos da PM admirem pessoas com 30 anos de idade.

  3. QUEM TEM TEM MEDO!!!!! NÃO MEXERÃO COM OS MILICOS!!!! SE O BICHO PEGAR ELES TEM ESTES E AS PMs NAS MÃOS!!!!!!!!!

  4. Agora querem equiparação e isonomia com a PM? Que estranho. Até bem pouco tempo eu só via tira pedindo pra ser desvinculado de tudo com a PM. As coisas mudam né?

  5. Entendo que o ideal entre polícias civis e militares seria isonomia. Uma completa o serviço da outra, fechando o ciclo do policiamento (preventivo e judiciário). Só que realmente neste momento este discurso torna-se difícil de se defender depois de todo “aue” que os delegados fizeram para o fim da isonomia.

  6. A Previdência tem quer única e com no máximo oito faixas salariais; simples, quem quiser mais, paga a mais em uma complementar.

    Agora o que não pode é essa balbúrdia, essas diferenças enormes.

    Várias profissões têm risco, mas muitos profissionais de que deveriam atuar em risco não atuam.

    Olhem como esse sistema é falho e privilegia os militares:

    Uma pessoa que sempre contribuiu sobre o teto do inss; hoje não recebe 3000 cruzeiros de aposentadoria, sendo que em algumas épocas chegou a 20 salários mínimos.

    Um 1 sargento, que ingressou quando o salário era de 4 salários mínimos como soldado, hoje está aposentado ganhando mais de 5000 líquidos.

    Acham justo esta disparidade? Tenho certeza que não, e tem muitos aqui com familiares nessa situação; aposentados pelo inss ganhando cada vez menos, poder de compra indo embora a cada ano.

    Previdência única como vários países da \Europa, com poucas faixas salariais.

    Nada como este paiseco, onde tem pessoas que recebem 800 reais do governo, e outro que após 8 anos de mandato recebem 35 mil

  7. A idéia do que TODOS os policiais, após 50 anos poderiam fazer trabalho administrativo é, além de esdrúxula, sem ligação com o contexto da realidade.
    Mais de 2000 PM’s são contratados por ano…se isso acontecesse, chegaria o momento em que o efetivo seria maior daqueles com mais de 50 do que com idade para ser policiais de fato.
    Não há uma polícia no mundo que seja formafa por idosos …
    Polícia é profissão diferenciada e DEVE SIM, ser tratada de forma diferente.
    E quanto à ideia de que perigo tido cidadão corre… Ridículo.
    Nenhum peão de obra morre por ser peão de obra. Nenhum médico morre por ser médico.
    Nenhum bancário morre por ser bancário…
    Já Policial….

  8. o grande defeito e a falta de carreira unica, porque tem concurso para ser chefe e outro para ser peao,
    se fosse carreira unica, com a experiencia adquirida, este servidor apos 50 anos seria o chefe.

  9. Não sou militar, sou civil, mas não vejo de forma nenhuma, os militares como pessoas que se aproveitam de algo que já possuíam, seria o mesmo que dizer que o governo iria retirar um órgão qualquer, como por exemplo: Um dedo para todos se igualarem ao Lula, ora, os que ficassem com os dedos que já tinham seriam os privilegiados.

    Da mesma forma os policiais civis, se mantido os direitos que tem atualmente, seriam privilegiados? Claro que não, continuariam da mesma forma.
    As pessoas precisam aprender em melhorar suas condições de trabalho e não fazerem força para qualquer outro também não as ter.
    Coisa de néscio em.

  10. Como outro colega disse aqui, e eu me recordo muito bem, os PC só pediam que fosse extinto a isonomia entre as policias, quando aconteceu só tomaram no C…..,
    Auxílio alimentação e agora na previdência tudo pensado pelos delegados, quem será que é massa de manobra os praças ou os escrivães, tiras, carcereiros, aux….
    Só rindo mesmo, parabéns para vcs kkkkkk

  11. Reforma na previdência é! Já sabemos muito bem para pagar que conta e o por quê. Cambada de políticos FDPs, recebem grana das empresas para dar isenções fiscais entre outras, como concorrências e superfaturamentos e depois o POVÃO QUE TEM QUE PAGAR A CONTA DE ELEIÇÕES BILIONÁRIAS. A cambada de FDPs. Acordemmmmmmmmmmmmmmm!.

  12. A INVEJA MATA!!!
    SOU FILHO DE MILITAR, E VCS SÓ OLHA PRA PINGA QUE OS MILITARES BEBEM, MAS NÃO OLHAM PROS TOMBOS!
    A PC É UMA POLÍCIA JUDICIÁRIA, E SE FOR PRA APOSENTAR CEDO, O PESSOAL DO FÓRUM QUE TOCA O PROCESSO CRIME, TMB MERECE SE APOSENTAR CEDO, POIS CARTÓRIO CRIMINAL NÃO É FÁCIL!!!

  13. Jamiro disse:
    10/12/2016 ÀS 20:13
    Tanto o efetivo das forças armadas, que só contribuem com 8%, como das PM’s, como a de SP que contribui com 11%, deveriam de fato passar a contribuir com 14%.
    Mas apesar de 48 anos ser uma idade ativa, como disse a colunista, não é possível desenvolver exercícios militares e o Policiamento ostensivo muito depois dessa idade.
    Falta vigor físico.
    Essa realidade deveria ser levado em conta por quem critica a idade de passagem para reserva.

    Ok Jamiro,
    então nos responda pq cada vez que têm ataque da facção criminosa pcc, os policiais militares da reserva se colocam à disposição, através da imprensa, para retornarem temporariamente na ativa para combater os criminosos?

    Pq os policiais militares da reserva se juntaram a força nacional de segurança durante as olimpíadas do Rio de Janeiro e até ganharam um extra?

    os cansados que sempre se colocam à disposição em “prestarem os seus favores”, têm idade acima de 50 anos Jamiro!

  14. Começam a vir a tona as temidas delações da poderosa empreiteira brasileira. Não há qualquer dúvida que a condução política dos negócios públicos brasileiros há anos está nas mãos desse quadrilhão político que dilapidou o patrimônio público da nação e que agora se empenha para aprovar medidas que sacrificam ainda mais o povo brasileiro roubado de forma recorrente por essa desqualificada classe política

    É jucá, veddel, michel, padilha,renam, alckmin e seus codinomes no listão de propinas, “cajú”, “justiça”,”santo”, etc….Tudo rato.

    E o STF de joelhos dizendo amém. Decidindo para agradar gregos e troianos. A presidenta perde o cargo, mas não perde os direitos políticos. O presidente do senado não pode ser presidente da república mas pode continuar sendo do senado. Já o presidente da câmara não pode os dois. Casa da mãe joana.

    Vivemos a mais completa instabilidade econômica, política e jurídica.

    Reforma da previdência para todos menos para forças armadas e polícias militares. Sabe como é, quem tem…,tem medo. Se a casa virar, precisamos estar blindados. Vamos cooptar àqueles que nos farão isso.

    É provável que o governo inclua as FA e as PM para anunciar que em relação a eles a contribuição sará reduzida a 25 anos e a aposentadoria integral e com paridade se dará independente da idade.

    Quem vai pagar tudo isso é a sociedade civil, classes baixa, média e, principalmente, média alta.

    PEC do limite de gastos e da previdência, da forma como esta foi proposta, é para PHODER o povo brasileiro que não vai ficar calado.

  15. Funcionário Público a resposta é SIMPLES:
    PORQUE SÃO MILITARES.
    Diferente dos outros funcionários normais NÃO SE APOSENTAM, vão para a reserva.
    Em momentos como os dos ataques que vc citou, enquanto os outros funcionários estão com o cú na mão, escondidos e por vezes faltando ao serviço, eles se prontificam a servir, até, e muitas vezes de fato, com o sacrifício da própria VIDA!
    Podes dizer isso de algum outro tipo de trabalhador?
    E como vc fez questão de frisar, isso ocorre em situações ímpares e por um período determinado de tempo.
    É uma exceção à regra, do contrário, o que ocorreria com certeza seria a baixa médica de TODOS os que estivessem com mais de 50 anos e ainda escalados nas Ruas.
    E antes que algum imbecil diga, NÃO, NÃO existem tantas vagas assim no administração.

  16. Querem igualar os deveres sem igualar os direitos . A digna repórter comete o pior erro para alguém de sua profissão : a falta de informação .

  17. Jhon disse:
    10/12/2016 às 21:31

    Entendo que o ideal entre polícias civis e militares seria isonomia. Uma completa o serviço da outra, fechando o ciclo do policiamento (preventivo e judiciário). Só que realmente neste momento este discurso torna-se difícil de se defender depois de todo “aue” que os delegados fizeram para o fim da isonomia.

    =======================================

    Isonomia de direitos é diferente de equiparação salarial.

    O que havia era uma equiparação salarial que fazia um delegado ganhar como oficial e demais carreiras como praças. E essa equiparação prejudicou, e muito, todas as carreiras da PC!

    Por exemplo: Dois PMs, um cabo e um sargento, estão sob a mesma isonomia de direitos, mas têm salários diferentes.

  18. Eu tô aqui na maior dúvida,, sou pensionista reconhecida e transitada em julgado, e enho 18 anos e 9 meses na iniciativa privada, 18 anos e 5 meses de escravona de polícia Na regra 85/95 ( Lei Federal n} 13;183/2015) já preenchi os requisitos para requerer a aposentadoria nas regras atuais. Ou tô viajando na maioneses???????????????????. ////////quero preservar a minha pensão. Me ajudem aí ó !!!

  19. Nessa hora os militares se impõem e se unem, ao contrario da PC, sempre desunida e perdendo espaços, direitos, e se deixando levar a caos.

  20. DEPOIS

    APARECEM

    UNS CARETAS AÍ

    DIZENDO

    QUE A DITADURA ACABOU

    MEXAM COM OS MILICOS

    PARA VEREM

    SE A DITADURA ACABOU

    A GRANDE VERDADE É

    QUEM MANDA NO BRASIL,

    SÃO ELES !

    QUEM É O CORAJOSO

    QUE DIZ QUE VIVEMOS A DEMOCRACIA !

Os comentários estão desativados.