ADPESP prossegue com trabalho em Brasília pela retirada das Polícias Judiciárias da reforma previdenciária 133

comunicado

Na noite desta terça-feira, 13/12, a ADPESP esteve participando dos trabalhos na Câmara dos Deputados, em Brasília, visando a retirada das Polícias Judiciárias do texto da PEC da Reforma Previdenciária.

Após intenso debate, chegou-se a um histórico consenso entre todas as entidades representativas das diversas categorias policiais. Assim, o texto deverá ser apresentado ao Ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, para que possa servir de orientação ao conteúdo da PEC.

Comandante Geral da PM de São Paulo desmente suposto boletim diminuindo a figura do Delegado de Polícia enquanto autoridade policial legalmente instituída 50

“Cuidado com inverdades divulgadas em grupos do Whatsapp e redes sociais”.
Policial militar: alguns utilizam anonimamente os recursos- que a tecnologia hoje permite-para divulgar textos com assinatura de pessoas que não a escreveram ou não autorizaram o uso de seu nome em mensagens avulsas.
Por isso tome bastante cuidado e somente compartilhe mensagens oficiais da Polícia Militar em assuntos institucionais.
Lembre-se que a intranet PM é o canal oficial de comunicação do Comando Geral e policiais militares.
Também,para a comunicação oficial com o público em geral, são usadas redes sociais com perfis oficiais da instituição, em que as matérias podem ser confirmadas ( Facebook Twitter, blog,canal PMTV no Youtube e Instagram, somente nos perfis oficiais ).
Usemos esses recursos com responsabilidade, para o bem comum,sempre pela verdade e para a segurança de todos.

     RICARDO GAMBARONI
 Cel PM Comandante Geral

Presidente da ADPESP acompanha trâmite da reforma previdenciária na CCJ 52

comunicado

A presidente da ADPESP, Marilda Pansonato Pinheiro, iniciou os trabalhos desta semana em Brasília. Ela acompanhou, nesta segunda-feira, 12, os trâmites acerca da reforma previdenciária na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara, que discutiu hoje a constitucionalidade do projeto.

A discussão foi acalorada e contrapôs pontos favoráveis e contrários à proposta. A oposição reiterou que a celeridade do projeto não atende a importância da pauta, enquanto o governo seguiu em defesa da proposta. Após quase cinco horas de reunião, foi concedida vista coletiva à proposta e a leitura do parecer do relator, deputado Alceu Moreira (PMDB-RS) foi adiada, em função da notícia da morte da sogra do relator.

A presidente da Associação levou aos parlamentares a incongruência do projeto diante da realidade da atividade policial e os prejuízos que as normas de transição do projeto representam para os profissionais de Segurança Pública e, por consequência, para todo o povo brasileiro. Ela segue cumprindo agenda política junto ao Legislativo e se prepara para reunir-se com o Ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, na próxima quarta, 14, quando a proposta deve voltar à pauta da comissão.