A PM não quer mais ser PM, descobriram que polícia que é polícia não usa farda nem presta continência a ninguém 136

delegadopm

A PM não quer mais ser PM

*Miguel Lucena

A greve aquartelada da Polícia Militar do Espírito Santo é um ensaio para a execução mais ousada de uma estratégia que vem sendo posta em prática a conta gotas, muitas vezes com o beneplácito do Ministério Público.
O Ministério Público foi acometido da mesma ilusão vivida pelos governadores brasileiros: a de poder contar com uma milícia para chamar de sua, o que não conseguem com as Polícias Civis e Federal, legal e culturalmente mais vinculadas ao Poder Judiciário.

Foi, então, posta em marcha a estratégia de enfraquecer e sucatear a Polícia Civil, garrotear a PF e fortalecer a Polícia Militar, robustecida com grandes efetivos (maior que as Forças Armadas), armas e viaturas.
Oficiais passaram a dominar o mercado de segurança privada – toda festa tem PM de folga trabalhando, muitas vezes ajudados pelos colegas de serviço, que ficam passando coma viatura em frente ao estabelecimento para qualquer eventualidade, contratados por empresas que têm seus superiores como sócios e parentes mais chegados como gerentes.
Como no campo de guerra, a PM passou a avançar no território do adversário, cumprindo mandado de busca e passando a lavrar Termo Circunstanciado. Além disso, deslocou uma quantidade enorme de policiais para o que chamam de serviço velado, que nada mais é do que investigação policial, com o agravante de que, no caso dos militares, ela se dá sem nenhum dos controles a que estão submetidos os policiais civis por meio do Inquérito Policial.
Todas as diligências realizadas pela Polícia Civil são inseridas no Inquérito Policial, que passa pelo controle do delegado, do promotor e do juiz, enquanto a investigação do serviço velado é feita no tempo e na hora que mais lhes aprouver, sem necessidade de relatar a ação para ninguém. Quem pode assegurar que eles estão investigando ou trabalhando em empresas de segurança privada?
Há notícias de que policiais do serviço velado têm ingressado em domicílios sem ordem judicial, ao arrepio da Constituição e das leis, e ainda deixam a mensagem de que são civis, para confundir as pessoas e queimar a instituição congênere.
Um dos termos do acordo firmado entre os grevistas e o governo do Espírito Santo prevê o envio pelo Executivo de projeto de lei à Assembleia Legislativa, no prazo de 90 dias, exigindo bacharelado em Direito para os oficiais da PM, para que façam as vezes de delegados. Enquanto isso, as ruas vão ficando às moscas.

*Miguel Lucena é jornalista e delegado da Polícia Civil do Distrito Federal.

  1. Por isso que não unificam as polícias!
    Os governantes precisam de um exército para defendê-los e que não possa se rebelar, sob pena de serem presos e expulsos da corporação!
    Veja o que aconteceu em SP em 2008, quando a PM foi colocada contra a PC que tentava fazer uma greve!
    Veja agora o que aconteceu no ES, onde policiais militares estão sendo presos, expulsos e indiciados por fazerem greve!
    Vocês acham mesmo que acabariam com as policiais militares? Jamais! Se isso acontecesse e os governantes não valorizassem os policiais, quem eles iriam colocar para combater os policiais em greve?

  2. depois dizem que o regime militar é a salvação para todos os problemas kkkkkkkkkkkkk

  3. A CF/88 JÁ DEU!!! NÃO SERVE MAIS. O STF FAZ O QUE BEM ENTENDE. SE NÃO ESTA ESCRITO NA CF, O STF PASSA A “INTERPRETAR” O QUE O CONSTITUINTE “GOSTARIA” QUE FOSSE FEITO(??????). AS POLICIAIS NÃO FUNCIONAM MAIS. AQUI EM SP ATÉ TEM UMA CERTA ORGANIZAÇÃO, MAS EM OUTROS ESTADOS DÁ MEDO.O MINISTÉRIO PUBLICO E OFICIAIS DA PM TEM APARELHOS DE ESCUTA TELEFÔNICA. O MP DÁ CANA, JUNTO COM PM. DELEGADO É DELEGADO EM MAIS DE UMA DELEGACIA. QUER DIZER, NÃO FAZ DIREITO EM UMA, QUEM DIRÁ EM DUAS, OU TRÊS. O IMPORTANTE É RECEBER A GRATIFICAÇÃO, DEIXANDO O REAL E NECESSÁRIO SERVIÇO DE DELEGADO PRA LÁ.A IMPRENSA RECLAMA QUE A CIVIL NÃO ESCLARECE CRIMES. (???) PORRA!! COMO SERÁ QUE ESCLARECERÁ CRIME SE NÃO TEM QUEM INVESTIGUE? NÃO SEI ONDE O BRASIL VAI PARAR.

  4. Antes de desmilitarizar, nem dá para pensar em unificação.

    E acho mais fácil o Ministério Público assumir o Inquérito Policial, do que a PM.

    Se a questão fosse ser bacharel em Direito, na PC tem aos quilos de bacharéis em todas as carreiras. O que não se tem é tempo e paz de espírito para estudar para o concurso de delegado.

  5. O Governador,ao mandar o projeto lei complementar, em regime de urgencia, admitia a integralidade(ultimo vencimento)? E para os policiais civis?

    Artigo 17 – A transferência para a reserva a pedido poderá ser concedida ao militar que contar, no mínimo, 30 (trinta) anos de serviço, sendo 20 (vinte) anos de exercício em cargo de natureza estritamente policial, “com vencimentos e vantagens integrais do posto ou graduação”.

  6. Projeto de Lei Complementar 4/2017, de 17/02/2017
    Altera dispositivos do Decreto-lei nº 260, de 1970, que dispõe sobre a inatividade dos componentes da Polícia Militar do Estado.

    O Governador,ao mandar o projeto lei complementar, em regime de urgencia, admitia a integralidade(ultimo vencimento)? E para os policiais civis?

    Artigo 17 – A transferência para a reserva a pedido poderá ser concedida ao militar que contar, no mínimo, 30 (trinta) anos de serviço, sendo 20 (vinte) anos de exercício em cargo de natureza estritamente policial, “com vencimentos e vantagens integrais do posto ou graduação”.

  7. Prezado Dr.Guerra , gostaria que fosse comentado o Projeto acima(Projeto de Lei Complementar 4/2017, de 17/02/2017
    Altera dispositivos do Decreto-lei nº 260, de 1970, que dispõe sobre a inatividade dos componentes da Polícia Militar do Estado)., principalmente o referido artigo 17.

    Desde já, agradeço.

  8. E daí????
    A culpa é minha? Um “carteira preta passa fome”, honesto e que não manda nada?
    Ou a culpa é dos cabeças pensantes?

  9. Caro jefão escrivão da dise de araraquara disse:20/02/2017 ÀS 19:04.
    Fique tranquilo aquela nulidade que atende pela sigla DG já está se movimentando, como um bicho preguiça mas com um tamanho de paquiderme, diga-se passagem, para a criação de grupo de estudo.
    Que visa montar uma comissão que vai licitar uma caravana para condizi-lo, e este NADA absoluto, vai solicitar audiência com o secretário da segurança.
    Para que o secretário interceda junto as outras secretárias, em especial a do planejamento e da fazenda, para otimizar estudos para serem apresentado ao governador, para quem sabe em 2030, obter um parecer da PGE reconhecendo a paridade e integralidade.

  10. Investigar sempre foi a joia da coroa.

    Todos querem, desde o MP até a gansaiada (PM inclusa).

    E a cúpula da PC deixando isso ir esgoto adentro junto com sua mentalidade apodrecida.

  11. Sr. jefão escrivão da dise de araraquara

    Atente para o detalhe o Projeto de Lei Complementar 4/2017, de 17/02/2017, foi enviado em regime de urgência, quando uma Lei que beneficiasse a Polícia Civil teria tanta rapidez?
    Resposta: NUNCA.

    Parabéns aos senhores Oficiais da REALMENTE gloriosa pela excelente estratégia, buscando benefícios para seus subordinados superaram todas as expectativas, acabando por levar sua Instituição a modernidade, assegurando um futuro prospero.

  12. Sr. jefão escrivão da dise de araraquara

    Atente para o detalhe o Projeto de Lei Complementar 4/2017, de 17/02/2017, foi enviado em regime de urgência, quando uma Lei que beneficiasse a Polícia Civil teria tanta rapidez?
    Resposta: NUNCA.

  13. Sr. jefão escrivão da dise de araraquara

    Atente para o detalhe o Projeto de Lei Complementar 4/2017, de 17/02/2017, foi enviado em regime de urgência.

  14. Referente ao PLC 4/17 de 17/02/2017

    Parabéns aos senhores Oficiais da REALMENTE gloriosa pela excelente estratégia, buscando benefícios para seus subordinados superaram todas as expectativas, acabando por levar sua Instituição a modernidade, assegurando um futuro prospero.

  15. Sr. jefão escrivão da dise de araraquara

    Cuidado con el detalle del proyecto de ley suplementario 4/2017 de 17/02/2017, fue enviado con carácter de urgencia, cuando una ley que beneficia a la policía civil se perderían pronto?
    Respuesta: Nunca.

    Não consigo entender do porquê da censura em textos que não trazem ofensas, injurias ou qualquer desrespeito, apenas opiniões; fico triste em imaginar que o senhor tenha se rendido ao canto das $ereia$.

  16. LOGO AS AUTORIDADES POLICIAIS NÃO TERÃO POLÍCIA PARA COMANDAR, ESTÁ ACABANDO.

  17. agripino (20/02/2017 às 20:01)

    Pq em SP a PC fez greve de 2 meses e ninguém notou?

    =========================

    A população e os jornais notaram.

    E, mesmo em greve, foram mantidos os serviços “urgentes” em funcionamento e, mesmo os serviços meramente burocráticos foram apenas parcialmente interrompidos.

    Não se pode fazer a população pagar por erros do governador.

    Além disso, patrulhamento e investigação são atividades distintas, uma é explícita e a outra é necessariamente velada, sem falar na natureza judiciária policial.

    Ou seja,
    A PM é para a população ver nas ruas, para evitar que os crimes aconteçam.
    A PC é para a população encontrar nas delegacias quando precisar, para reprimir os crimes acontecidos.

    Se bem que, em vez de brigar por Detran, que não é atividade policial, os delegados deveriam brigar para atender ao 190. Só isso já seria uma mudança de paradigmas significativa.

  18. “O Amor por princípio e a Ordem por base; o Progresso por fim“

    O Brasil passa por um momento ÚNICO com o advento da Lei da Deleção Premiada surgiu a oportunidade de iniciarmos a transformação desta nação, sem a necessidade de grandes derramamentos de sangue como ocorrera na maioria dos países desenvolvidos; felizmente a internet, principalmente através dos blogs, vem levando não só a informação, antes filtrada pela Mídia de acordo com os interesses dos poderosos, mas também a troca de conhecimento.

    A instituição Policial Civil teria um grande papel nesta mudança caso houvesse evoluído, pois teria a função de levar aos órgãos competentes as pessoas que: lesam os cofres públicos e destroem nossa juventude, infelizmente a falta de comprometimento de seus dirigentes, levou-a uma situação falimentar onde seus integrantes, inclusive os novos, apresentam um índice de abatimento difícil de ser revertido, visto que temos uma concorrente que como os Alemães na Copa do Mundo, fizeram seu dever de casa.

    Um dia, não muito longe, os Delegados vão se arrepender de não terem valorizado seus subordinados, nem modernizado esta Instituição, acreditando que serão acolhidos nesta nova estrutura que está se formando. É muita ingenuidade acreditarem que continuarão a manter seus direitos e privilégios.

    Senhores Delegados não se iludam o fim da PC será creditado a sua atuação, não acreditem no canto das sereias nesta nova estrutura todos nós seremos prejudicados, inclusive os senhores, tanto em remuneração quanto em benefícios.

    Exemplificando:

    Hoje os senhores podem pagar convênios, mas com o passar do tempo a política salarial do Governo certamente haverá diminuição dos vencimentos. E hoje em dia já está muito difícil ser atendido no servidor, imaginem daqui alguns anos.

    Parem de olhar para seus próprios umbigos, tragam seu nível de egoísmo para um patamar aceitável, modernizem esta Instituição enquanto ela existe, depois não vai adiantar lamentar.

  19. Não fôssemos nós, os cabeças pensantes – na feliz expressão do dr. Melão -, a polícia civil já teria ido à completa bancarrota.
    Felizmente, os delegados fazemos a parte jurídica da coisa toda. Secundados por uma gama de diligentes escrivães.
    Infelizmente, a parte investigativa foi, gradualmente, sendo exercida por outras instituições. Convenham, reconhecendo: a tiragem pisou na bola.

  20. Está correto, exescravão!!!! Ambas as corporações possuem funções distintas, mas a PM avança sobre as nossas funções. Já cansei de ver os tais serviços velados, com viaturas descaracterizadas iguais as nossas, fazendo levantamentos e bicos, sim bicos, eu mesmo fui abordado ( pensei que ia ser vítima de roubo, quase deu merda) por dois deles com distintivos genéricos dourados, escritos somente polícia, pois me acharam suspeito num local de grande comércio em area nobre. Voltei lá após uns dias e observei que ambos auxiliam os seguranças internos desse comércio. Tudo educadamente, sem excessos, mas depois disse à eles: se eu fosse um PM pouco graduado, voces estariam fudidos!!!!! Bom, resumindo, além de estarmos órfãos, tudo leva a jogarem uma polícia contra a outra!!!

  21. Exescravão nem tenta explicar, tem gente que acha que a gloria do mundo é a PM comandar tudo. Ainda afirmo, PM é ultrapassada, é uma instituição armada que não tem HUMILDADE nem de aceitar criticas… todos que criticam a PM de qualquer forma são considerados “bandidos” …. falta inteligencia nessa instituição, e deixar eles usurparem a função da PC não vai trazer benefício pra ninguem; alias, existe sim Um unico beneficiado, o governo, é o unico beneficiado, pois comanda uma força armada que aceita ordem e bate continência sem pensar em suas ações… prendem tudo e todos, e se dizem vitimizados quando há criticas sobre sua instituição, AMEAÇANDO OS CRITICOS E OS DESQUALIFICANDO… é certo que em muitos casos a PM tem razão, mas infelizmente não aprenderam a argumentar com a honra devida a um agente de segurança publica… Por fim, não são todos, conheço PMs incríveis, mas conheço alguns que a funcional simplesmente subiu a cabeça.

  22. Dr. Pacheco disse:
    20/02/2017 ÀS 21:19
    .
    .
    Depois Vossa Excelência (cabeça pensante) não gosta quando eu pergunto se o (bagulho tava estragado) né?…

  23. Em respeito ao Dr. Pacheco, mas convenha colega, até mesmo a atuação do delegado encontra-se destruída: O que o delegado de fato faz hoje ? De longe são notados pela população, até mesmo a PM deixou de considera-los autoridades (uma “X” portaria de um alto comandante bundão que se desmentiu após a atitude metida de falar que Delta não era mais autoridade, pois deveriam glorificar a PM). Quem sabe com essa nova lider sindical na classe Delta as coisas melhorem ne… se metade dos deltas tiverem a mesma coragem dela, acho que a coisa melhora um pouco sim. Se não é um EP e um IP em um DP aquilo não gira… Pois delegado não se faz presente, assina o documento pronto que o EP faz, e se faz presente nas ruas com os mínimos IPs que sobraram… Ao final, pouca diferença faz tambem, estão no mesmo barco.

  24. Que medo que vcs tem da PM , hein . mas não adianta chorar , as PMs vão alcançar o ciclo completo de polícia e dar o tiro de misericórdia nas já desfalecidas e inúteis Polícia Civis do Brasil . Essa morte institucional das polícias civis é resultado da omissão e preguiça dos policiais , pois uma instituição policial que não investiga , não prende e menos ainda atende o cidadão -pobre , é claro , pois com pessoas abastadas é diferente – está fadada ao fracasso . AQUI no RJ a polícia civil está em greve e ninguém notou , isso, por si só , já demonstra a “importância” dessa instituição para o povo .
    Ten bacharel Gustavo

  25. subtenente, os governos ja perceberam que a existencia da pm nao democratica e as forçar armadas querem cair fora de voces. Um grande elefante branco, o circo completo acabou sendo um tiro da pm, porque agora o governo quer unificar as policias.

  26. tambem nenhum governo quer ser mais refem, ate o mp esta sob ataque, nao coaduna um professor ganhar 2 mil reais, enquanto um promotor ganha 40 mil reais…

  27. a ultima dos oficiais foi colocar a idade de 60 anos de serviço para reforma ou 65 expulsoria, reconhecendo que o pm pode trabalhar ate esta idade, portanto estamos todos fudidos.

  28. Rs. Pode perguntar se o bagulho estava estragado. Não me ofendo, não. Mas tampouco posso dizê-lo, pois não fumei, rs.
    Turma. Às vezes, fico entendiado por ter de dizer o óbvio. Mas, ok. É claro que os investigadores da polícia civil de São Paulo, e de qualquer outra, têm mais expertise, mais tarimba e mais qualificação do que um qualquer policial militar. Estou na polícia civil há oito anos – um tempo ínfimo, eu sei – e posso afiançar: o nível intelectivo da nossa tiragem é muito bom. Sem falar na capilaridade que ela/tiragem alcança em cada território de atuação.
    Em contrapartida, essa mesma categoria, no que toca à disciplina de estratégia política, é um rematado desastre. Ou não?
    E não adianta se dizer tolhido pelos majuras, pelo governo de turno, pelo sistema de casta supostamente vigente etc, etc, etc.
    Basta ver as representações todas, sindicais ou não. Elas existem, mas são, sem querer ser ofensivo, uma piada. Ora, o fino da bossa, a atividade por todos ambicionada, a rigor e por direito, era imanente à atribuição que vocês, investigadores enfeixam. Ela devia ter sido defendida com mais esmero.
    O caldo entornou faz tempo. Verdadeiramente, todo agente estatal com atribuição de segurança, em maior ou menor grau, acaba investigando. Isso açambarca um leque que vai desde o praça até o magistrado de grau mais elevado. Todavia, são os investigadores policiais civis que deviam se notabilizar como investigadores de e por excelência. Afinal, redigo: eles gozam sim da expertise e da qualificação demandada e depurada nos anos de profissão. E mais: atuam em circunscrições mais ou menos limitadas, o que termina por conferir um amplo espectro de informações pertinentes à localidade.
    Por que isso não ocorreu?
    Bom, as respostas são as mais variadas possível e encontram os mais diversificados fundamentos.
    O fato é que não ocorreu.
    Os delegados temos culpa?
    Decerto que sim. Mas não integral.
    A mantença de um sem-número de carreiras tem culpa?
    Decerto que sim. Mas não integral.
    O gigantismo da PM tem culpa. Sim, mas…não integral.
    A desorganização de uma carreira notoriamente importante tem culpa? Respondam vocês.
    No tocante ao afirmado pelo tal subtenente não sei da quantas, dizer o quê?
    Formação jurídica acadêmica qualquer alimária obtém. Notadamente num país como o nosso, onde as graduações, não raro, só contribuem para deixar o vivente mais e presunçoso e ainda mais burro.
    Tanto é assim que, na específica seara do direito, há um contigente enorme que nem sequer consegue aprovação na OAB.
    O difícil mesmo é, uma vez formado, obter aprovação num certame para essa ou aquela carreira – e, por corolário, exercer a atribuição que lhe é típica.

  29. Rs. Pode perguntar se o bagulho estava estragado. Não me ofendo, não. Mas tampouco posso dizê-lo, pois não fumei, rs.
    Turma. Às vezes, fico entendiado por ter de dizer o óbvio. Mas, ok. É claro que os investigadores da polícia civil de São Paulo, e de qualquer outra, têm mais expertise, mais tarimba e mais qualificação do que um qualquer policial militar. Estou na polícia civil há oito anos – um tempo ínfimo, eu sei – e posso afiançar: o nível intelectivo da nossa tiragem é muito bom. Sem falar na capilaridade que ela/tiragem alcança em cada território de atuação.
    Em contrapartida, essa mesma categoria, no que toca à disciplina de estratégia política, é um rematado desastre. Ou não?
    E não adianta se dizer tolhido pelos majuras, pelo governo de turno, pelo sistema de casta supostamente vigente etc, etc, etc.
    Basta ver as representações todas, sindicais ou não. Elas existem, mas são, sem querer ser ofensivo, uma piada. Ora, o fino da bossa, a atividade por todos ambicionada, a rigor e por direito, era imanente à atribuição que vocês, investigadores enfeixam. Ela devia ter sido defendida com mais esmero.
    O caldo entornou faz tempo. Verdadeiramente, todo agente estatal com atribuição de segurança, em maior ou menor grau, acaba investigando. Isso açambarca um leque que vai desde o praça até o magistrado de grau mais elevado. Todavia, são os investigadores policiais civis que deviam se notabilizar como investigadores de e por excelência. Afinal, redigo: eles gozam sim da expertise e da qualificação demandada e depurada nos anos de profissão. E mais: atuam em circunscrições mais ou menos limitadas, o que termina por conferir um amplo espectro de informações pertinentes à localidade.
    Por que isso não ocorreu?
    Bom, as respostas são as mais variadas possível e encontram os mais diversificados fundamentos.
    O fato é que não ocorreu.
    Os delegados temos culpa?
    Decerto que sim. Mas não integral.
    A mantença de um sem-número de carreiras tem culpa?
    Decerto que sim. Mas não integral.
    O gigantismo da PM tem culpa. Sim, mas…não integral.
    A desorganização de uma carreira notoriamente importante tem culpa? Respondam vocês.
    No tocante ao afirmado pelo tal subtenente não sei da quantas, dizer o quê?
    Formação jurídica acadêmica qualquer alimária obtém. Notadamente num país como o nosso, onde as graduações, não raro, só contribuem para deixar o vivente mais e presunçoso e ainda mais burro.
    Tanto é assim que, na específica seara do direito, há um contigente enorme que nem sequer consegue aprovação na OAB.
    O difícil mesmo é, uma vez formado, obter aprovação num certame para essa ou aquela carreira – e, por corolário, exercer a atribuição que lhe é típica.

  30. Dr Pacheco:
    Ai não, pois quem administra e tem o poder de mando e decisão na PC é o delegado se esta bom ou ruim o mérito é só dele.
    Se em uma empresa a parte operacional não funciona bem que é responsabilizados os operários ou o executivo responsável?

  31. Só para reforçar : a investigação é conduzida através do Inquérito Policial presidido por um Delegado de Policia conforme elenca o CPP.
    Acredito que a Policia Civil não foi ainda a bancarrota devido exclusivamente ao fator de ainda constar no art 144 da CF.
    Nada que uma emenda constitucional não resolva.

  32. Um breve relato de algumas policias do mundo:
    Na Alemanha : há Policia Federal e Estaduais.
    Polícia Federal: Tem Competência Federal, não militar, com carreira única e ciclo completo
    Polícia da Baviera: É um espécie de Policia Regional, não militar, com carreira única e ciclo completo, que cuida da região da Baviera.
    Polícia de Berlim: É um espécie de Policia Regional, não militar, com carreira única e ciclo completo, que cuida da capital da Alemanha
    Landeskriminalamt: E uma agencia de investigação responsável para coordenar a integração entre policias de Estados diferentes dentro da Alemanha , não militar e integrada por policiais das policias Estaduais.
    OBS: Na Alemanha: o ingresso em todas as policias é na forma de carreira única, exige-se nível médio, porém os alunos cursam a academia de policia por 03 anos.
    Na Itália: há Policias judiciárias e militares
    Polizia di Stato ou PdS: é uma espécie de policia judiciária.
    Guardia di Finanza : é uma policia financeira,
    Carabinieri: espécie de policia militar
    Há também guardas municipais
    Essas policias , não são carreira única, embora admitam concurso interno de acesso.
    Na França: há Policias Civis e Militares.
    Atuam em esferas distintas:
    POLÍCIA NACIONAL “Police National”: é uma espécie de Polícia Judiciária seus quadros são:
    Policiais, Administrativos, Científicos, Técnicos, possui carreira única dentro destes quadros, e admite concurso de acesso por qualquer servidor público, com nível superior.
    GENDARMERIE NATIONALE : é uma espécie de policia militar, há quadro de oficiais e praças, porem admitem o concurso de acesso até mesmo por militares das forças armadas.
    No Canadá: É uma Policia Única com carreira única:
    Royal Canadian Mounted Police : é única, civil, com ciclo completo, requisito para ingresso, dentre outros, nível médio, conhecida como a melhor policia do mundo a mais respeitada e bem remunerada.
    No EUA: Há policias Federais, Estaduais, Municipais e de Condados
    As policias Estaduais e Municipais, são civis, com carreira única e ciclo completo, e possuem atribuições exclusivas dentro de sua competência, ou seja, não atuam 02 policias no mesmo município, não há duas força fazendo a mesma coisa.
    Isto posto, pode-se concluir que os países que possuem a forma Federativa de Estado, assim como o Brasil, adotam uma policia única, civil, com carreira única dentro de uma esfera de competência.
    Acredito que para melhorar devemos utilizar um modelo que já foi consagrado e deu certo mundialmente atendendo nossos fundamentos constitucionais ressaltando os princípios da Eficiência e Economicidade visando o bem estar da sociedade. Os modelos que mais se aproximam a nossos objetivos são dos países: Alemanha, Canadá e EUA, que a grosso modo podemos comparar com a PRF daqui que tem cunho civil e possui carreira única.

  33. Zé Ninguém, respeito suas considerações, mas delas divirjo frontalmente.
    Os delegados presidimos mesmo os inquéritos. Mas note: nossa função, no geral, é exclusivamente jurídica. Com efeito, todo o trabalho de um delegado é feito com esse viés.
    Ilustro: se num crime de homicídio, eu vislumbro a possibilidade de incidir uma qualificadora, no bojo da investigação, elaboro uma ordem de serviço para que vc, investigador, traga a lume elementos materiais que comprovem a incidência daquela qualificadora. Percebe que são domínios distintos? Um promotor poderia exercer esse meu mister? Claro. Um juiz de instrução? Claro. Ocorre que no Brasil há a figura do delegado. Um peculiaridade. Assim como cada país tem as suas peculiaridades. Existe razão objetiva para os delegados sermos chefes da instituição policial civil? Claro que não. Isso é só um contingência histórica e que pode sim ser superada. Do mesmo modo que um promotor requesita-me algo e eu sou obrigado a cumprir – desde que a requisição tenha conteúdo legal, o mesmo se operaria nessa relação entre investigadores e delegados.
    No tocante à carreira única, já expus em outros posts minhas razões para não considerá-la adequada. Acho, insisto, que a parte operacional deveria ficar a cargo dos investigadores. A parte administrativa, com gestores. Não sei bem como selecioná-los. A parte jurídica, com os delegados.
    No tocante ao ciclo completo, acho uma acachapante e vertiginosa bobagem.
    Por fim, numa empresa ou num instituição, a debacle pode advir de um sem-número de fatores. Desde a má gestão até a inépcia do corpo de funcionário ao rés-do-chão. Geralmente, o que a derruba mesmo é uma conjugação de fatores.

  34. Dr. Pacheco :
    Foi o que eu disse “pois quem administra e tem o poder de mando e decisão na PC é o delegado” na PC além da parte jurídica os Delegados também são os gestores como esta disposto no § 4 º do art 144 CF ” As Policias Civis, DIRIGIDAS por Delegados de Policia de carreira…………”, ou seja, se a instituição não esta funcionando bem a culpa é de quem?

  35. Em relação ao ciclo completo só há relevância técnica se for implantado com a carreira única em uma policia única, caso contrario realmente não vai funcionar.
    Ao contrario será um ônus ao erário, um afronto a eficiência, 02 forças policias fazendo a mesma coisa no mesmo território.
    Não me parece algo muito inteligente.

  36. Zé Ninguém, entendi o que quis dizer.
    Acho a demais que essa condição de administrador só nos onera.
    De qualquer modo, reconheça: se somos uma instituição estratificada, a cada qual compete o lobby e a estratégia de cada carreira. Tanto é assim que nossos entes representativos são distintos.

  37. Dr. Pacheco:
    Tanto reconheci que só enxergo uma solução para segurança pública:
    CARREIRA ÚNICA EM UMA POLICIA ÚNICA, como já postei.
    Pois a criminalidade há muito vem usando a velha estrategia que esta dando muito certo ” dividir para conquistar” e infelizmente que sai perdendo é a sociedade e o próprio Estado.
    Não há de se olvidar que a policia é a exteriorização da força do Estado e uma policia fraca faz um Estado fraco e a criminalidade forte.

  38. Dr. Pacheco
    “cada qual compete o lobby e a estratégia de cada carreira”
    Ou seja, manter carreira distinta realmente é apenas o lobby não é técnico.

  39. Basta o escudeiro do PSDB postar alguma coisa para os galhos de brigas começarem a se matar e se esquecerem dos nossos salários defasados, de tudo que tínhamos de bom ir para o ralo, fiquem achando que os problemas de vcs são PM x PC, estão todos no mesmo barco e afundando. Comprem a ideia desse Guerra

  40. E Zé Ninguém, vc é mais inteligente que isso, né.
    A polícia civil é centenária. Desde sempre com essa conformação. Décadas atras, não se ouvia esse alarido dos operacionais. A realidade está posta não é de hoje. Cada um, insisto, trabalha no seu próprio interesse. Não tem essa de dividir para conquistar numa instituição que, desde sempre, foi estruturado dessa forma. Para mim, redigo: os delegados deviam ser um corpo distintivo. Sem atribuições de chefia. Vocês que se organizassem como quisessem: em carreira única ou não.

  41. Dr. Pacheco:
    como disse : a segurança pública tem que evoluir para melhor.
    A sociedade evoluiu, como é de conhecimento as leis também e apolicia deve evoluir para atender a sociedade, ou está tudo certo? A segurança é satisfatória?
    Pergunte a qualquer pessoa o que acha do sistema policial atual? ( não vale perguntar para quem tem interesse).
    E quanto há décadas atrás se ouvia e muito dos operacionais.

  42. Penso que o modelo ideal exige aporte de recursos, policiais bem preparados e motivados e cobrança efetiva por parte dos que não governam. Pouco importa o modelo adotado.

  43. Penso que carreira única é só um fetiche, um modismo. Penso que a sua adoção, sem uma mudança efetiva de mentalidade, não redundará em nada. E pode até agravar as coisas.

  44. Em primeiro lugar, um aspecto muito simples e que não demanda maiores alterações: se numa determinada circunscrição, o número crescente de crimes – pouco importa quais – não fosse contido, os responsáveis por ela deveriam ser exonerados. Não do cargo, mas sim da profissão. O que acha?

  45. Outra sugestão: todo policial devia periodicamente ser submetido a provas e atingir determinada nota. Do contrário, rua.
    Ademais, periodicamente, dever-se-ia mensurar sua produtividade, seu número de canas, os crimes que solucionou etc.
    Se a meta não fosse atingida, rua.

  46. Acho que os policiais com bom desempenho aferido nessas avaliações periódicas deviam ser promovidos e receber aumentos proporcionais. Pouco importa se delegado, tira, escrivão etc.
    Osnque ficassem aquém, rua.
    Essa polícia sim seria interessante à sociedade.

  47. Epifania: um dos motivos de nossa degradação institucional é justamente esse.
    Os funcionários públicos por aqui gozam de garantiam em excesso, o que nos incluí, claro.
    Que tal um modo de gerenciamento mais similar ao da iniciativa privada?
    Pouco importa se a carreira seria única ou não.

  48. Gozam de garantias em excesso?

    Não temos FGTS;
    Temos os riscos inerentes a nossa vida;
    Não temos seguro desemprego;
    Não temos um piso salarial;
    Não temos plano de saúde decente;
    Não temos plano de moradia decente;
    Não temos direitos trabalhistas;

    Afinal o único direito que temos é a efetividade, porque fora isso não temos nada.

  49. Tiradecap, com todo respeito, sugiro: faça um cotejo com o grosso dos trabalhadores da iniciativa privada. Verá que somos sim privilegiados em vários aspectos. Não em todos, claro. Mas em muitos.

  50. Ademais, muitos dos direitos trabalhistas a viger por aqui são eles também excessivos.
    Em países infinitamente mais civilizados, tais direitos não se replicam, o que confere maior dinamismo às contratações em todos os setores.

  51. Concordo como esse sistema de avaliação, premiação e punição, contudo só daria certo com uma carreira única com uma policia única.
    Explico;
    a melhor forma de premiar que se destaca é com uma carreira úncia exemplo das policias citadas em post anterior ( Canadá, EUA, Alemanha e a PRF no Brasil) logicamente utilizando-se de um critério técnico vinculado e não discricionário
    Quanto a apurar a responsabilidade do crescimento da criminalidade se você tem 02 policias uma vai culpar a outra dizendo ” houve falha no preventivo e a outra policia : houve falha no repressivo”, fica esse circulo viciosos e não dá em nada, mas com uma policia unica com certeza funciona, dessa forma quem irão culpar?
    Porem discordo quanto a degradação do sistema de segurança, ao meu ver 02 policias com carreiras distintas é notoriamente ineficaz e oneroso ao Estado isso causa essa corrosão há muito tempo em nosso sistema.
    Ocorre que antes de 1964 a criminalidade era muito e muito menor que hoje e depois de 1964 o pais passou por uma ditadura, convenhamos que em ditadura qualquer sistema policial é eficiente, já com a promulgação da CF de 1988 a policia tem que ser eficiente atendendo os preceitos constitucionais respeitando os direitos fundamentais e ao principio da economicidade não vislumbro outra forma se não a carreira única com policia única.

  52. Não sou a favor da retirada da estabilidade porque isso advem do cargo não da pessoa .
    Sem a estabilidade os policias ficariam ainda mais a merce de políticos corruptos

  53. O MP e a Magistratura possuem vitaliciedade para manter a imparcialidade, por esse motivo deveríamos fortalecer a estabilidade.
    Por isso a premiação ou punição de um policial seria em relação a sua promoção, dai a importância da carreira única, pois o chefe seria merecedor do cargo.

  54. Carreira e polícia únicas, sem que mudanças muito mais estruturais e importantes sejam levada a efeito, não mudarão nada.
    Ademais, não se ficará à mercê de político nenhum, pois a aferição será objetiva.
    Mas como disse, toda essa discussão é bizantina. Pois o Brasil é o país do espírito de corpo. Promotores, juizes, delegados, tiras e todo o resto só pensam em seus mesquinhos interesses. Com efeito, nada mudará. Abraços.

  55. O que é melhor:
    Tentar um sistema novo que já deu certo em vários países ou ficar com esse sistema arcaico que não funciona?
    Bom, depende da politica, mas se quiserem resolver a segurança estão indo no caminho certo com relação a CARREIRA UNICA EM UMA POLICIA UNICA.
    Time que esta perdendo tem que ser mexido.

  56. Tá falando merda delegado! Fazem 31 anos que as polícias estão nas mãos de delegados e coronéis! Delegados e coronéis parlamentares jamais permitirão alterações no modelo falido. A comissão de segurança pública da câmara está repleta de coronéis e delegados justamente para isso, ou seja, não permitir mudanças no modelo. Delegado não passa de um filtro governamental entre a informação e o ministério público. Coronel só serve para disputar campeonato de peteca no interior dos quartéis! Precisamos de um novo modelo estrutural de polícia. Vejam a PRF, carreira única com cargo único, salários entre 10 e 19 mil, todos vivem bem e se respeitam, será que esse modelo é interessante para coronéis e delegados, duvido!

  57. Todos já sabem há muito tempo que a solução para a segurança pública começa com a unificação das polícias civil e militar, e é exatamente por esse motivo que o problema jamais será solucionado. Talvez, algum dia, num futuro distante, surja um governante forte o suficiente, para passar por cima das vaidades existentes nas duas instituições, como um rolo compressor, e unifica-las na marra.

  58. Quem sabe um dia… não não, a solução não é unificar as policias, a unificação, diferente do que quem não ta no meio pensa, so destruiria ainda mais a segurança publica. Hoje existe uma balança, em que existe uma policia ostensiva, e uma preventiva, e uma olha para a outra apontando os erros… Caso haja unificação isso não acontece, os crimes praticados por PMs ou por PC serão mascarados de forma AINDA MAIS FACIL na cena do crime; teremos uma policia que em vez de passar segurança para a população passa ainda mais medo… Hoje é o que a Policia Militar passa a população, passa medo. Não venha me dizer que passa medo so para o bandido, isso é MENTIRA, cidadão que trabalha todo dia tem medo de ser abordado sim por um policia militar, pois infelizmente existe vermes infiltrados na policia militar que usam o poder para se beneficiar… Infelizmente os OTIMOS PMs que existem são criminalizados pela população graças a esses lixos que entram na corporação graças a uma provinha nível primário que a PM insiste em fazer… muito dessa criminalização da policia militar é obvio em razão do sucateamento da policia civil, pois a militar prende, mas não tem o minimo de inteligencia para trazer as provas necessarias para a condenação, o que acontece, solta o bandido logo em seguida, e ainda condenam o magistrado que infelizmente teve que fazer o seu trabalho com imparcialidade (sem provas não se prende cacete). A forma mais simples de se fazer bem as coisas é cada um no seu quadrado; trabalhando com eficiencia; um lider legitimo para a policia civil, isso não tem hoje; a militar soubesse guardar seu ego e trabalhasse junto com a policia civil seria melhor tambem (os caras prendem so o traficante pequeno, nunca o grande, esse ultimo precisa INVESTIGAR, precisa existir essa comunicação livre entre ambas… PARA PENSAR NAS AÇÕES E NÃO AGIR SEM PENSAR)…. Inteligencia sempre deveria ser a razão, mas aqui em SP os musculos predominam.

  59. Ciclo completo da PM. Nunca ocorrerá. Mudanças no atual modelo de segurança pública serão inevitáveis e acontecerão mais cedo ou mais tarde.

    É mais fácil passar o policiamento ostensivo para a polícia civil do que a investigação para a Pm. Estou me referindo a facilidade em sua forma de simplicidade. O que é necessário para fazer o policiamento ostensivo e o atendimento do 190 (que só passou para a PM na ditadura militar e era feito até então pela polícia civil). Basta viatura caracterizada, policiais uniformizados e uma central de telefonia. A central poderia funcionar na própria delegacia da cidade ou na seccional, dependendo da cidade, sem necessidade de copom. O policial da investigação pode trabalhar no policiamento ostensivo sem problemas, já o inverso não ocorre.

    Agora na hipótese da Pm passar a investigar, teriam que criar cartórios para autuação dos procedimentos e custódia dos objetos apreendido. Pelo menos trinta por cento do efetivo remanejado para a investigação e plantões. Criação de carceragens. Criação de núcleos de perícias. Controle dos institutos de identificacão.

    A maioria das atividades de investigação são naturalmente civis e não podem ser exercidas da forma que as coisas funcionam no meio militar. No militarismo tudo aparenta funcionar bem porque é uma tirania verticalizada. O cabo manda o soldado fazer e se não fizer é crime militar e pode ser preso em flagrante, da mesma forma o sargento manda no cabo, o tenente no sargento e sucessivamente. Isso aparenta ser eficiente, mas não é,mfunciona, enquanto a estrutura e as atribuições forem simples.

    A investigação é uma atividade que demanda autonomia, totalmente incompatível com militarismo. Pegue-se o exemplo do ipm (inquérito policial militar), é designado quem vai presidir pelo comandante, ou seja, o comandante preside por interposta pessoa. Ao final, o “presidente” submete seu relatório, ou seja suas convicções, ao comandante, que pode ou não concordar com elas e não concordando elas não servirão pra nada. Qual a chance de um relatório de ipm presidido por um tenente sair em desacordo com a convicção do coronel? Zero por cento.

    Ciclo completo é sinônimo de polícia civil e não militar. A Pm quando busca modelos de polícias militares de ciclo completo busca inspiração nos carabineiros da França, com quem aprenderam técnicas de torturas durante a ditadura e nos carabineiros do Chile a polícia do general pinochet.

  60. Concordo com voce JClaudio referente ao militarismo ser oposto a uma investigação autônoma, lembrem que quem criou a PM foi a ditadura, por isso os modelos de policias de Estados federativos democráticos é Policia Única com carreira única, civil e com ciclo completo.

  61. Dr. Pacheco

    Aos Delegados cabem a direção e administração da Instituição.
    Se não o fossem quem iria nos dirigir?
    Os próprios Delegados pediram e pressionaram por isto e agora tá parecendo que não querem mais…
    É demasiadamente fácil querer largar mão da administração.
    Então vejamos…
    Se Delta não for mais administrador (o que deveria já ter dado improbidade administrativa em muitos, o que tb na observação de um Delta os onera), então não existirá mais:
    Delegado Geral e demais Delegados de Departamentos.
    Delegado Seccional
    Delegado Titular
    Conselho da Policia Civil
    Etc.
    Ou seja, qualquer cargo que seja de direção e administração deveriam ser retirados dos mesmos. Desta maneira só haveria Delegados de plantão/chefia e de quebra (já que não administra nada e tampouco dirige) deveriam ter uma significativa redução em seus vencimentos.
    Em suma Delegados apenas fariam o que atualmente estão querendo fazer… Fazer flagrante e nas chefias tocar IP com escriba e mais algumas coisinhas.
    Assim fica justo com os Deltas? Não quer administrar (já que onera)… Blza… Reduz os vencimentos (o que na teoria é proibido), coloca administradores e dirigentes que ”são mais capazes” para elaborar o mister.
    Delegado luta por si só e adora pular do barco. Aliás…Qualquer carreira luta por si só nesta PC. Quer incentivo do governo peça ao seu sindicato inoperante e cagão (já que não faz greve com medo de multa e falir o sindicato, acabando com a teta). Quem dirige e administra só pensa nisto e pouco importa com o que seu subalterno está pensando e muito menos passando, afinal ele só que fazer o serviço dele. Se estás passando fome reclame com o Governo e sindicatos, afinal os administradores e dirigentes não têm nada a ver com sua saúde, mas apenas ”a ver” com suas funções desempenhadas.
    Realmente…
    A culpa não é dos Delegados. Porém que os mesmos não estão nem aí para os operacionais (apenas olhando para o próprio umbigo) é verdade. O famoso cada um com os seus problemas.
    Operacional desestimulado = Serviço de m…
    = Corrupção
    = Doente
    = Despreparado
    = parei se não vou botar um monte de igual.

    Só uma observação…. Quem é que administra e dirige os promotores e magistrados? Eles abriram mão da administração e direção?
    Se os Deltas não se importam com os operacionais (cada um por si) e isto faz com que o operacional não desempenhe um mister de qualidade (desestimulado com o Governo e sindicatos) para a população, fica no entrelinhas que Delegado não liga para os problemas de seus subalternos (cada um que corra atrás do seu) e consequentemente não liga para o serviço que seus subalternos prestam a população (não liga para o povo, já que não é problema do Delta, ao menos, tentar ajudar os operacionais que trabalham, quase que diretamente, a estes – É o famoso a culpa não é minha… É do Governo).
    É o que penso. Delegado pode não ser culpado, mas não tá nem aí para o estimulo de quem corre junto com o mesmo, fazendo com que o conjunto da obra recaia sobre as costas do operacionais que, literalmente fazem a carroça rodar e deixando a culpa para o Governo. Quando bem sabemos que se a categoria lutasse junto dos operacionais as coisas seriam bem diferentes. Mas já sabemos do velho jargão… Se a farinha é pouca meu pirão primeiro (assim como todas as carreiras fazem entre si).

    Ex: Se vc é gerente de uma grande empresa (ou seja, não pode dar aumento, mas apenas gerenciar) e vê que os funcionários que estão sob sua égide estão desestimulados e fazendo apenas aquilo que lhes convém ( o minimo do minimo) fazendo com que a empresa não obtenha os lucros desejados (qual seria sua função nesta empresa, além de administrar e dirigir), o que vc faria? Puniria os maus funcionários ou tentaria os estimular a trabalhar em conjunto (procurar junto ao empregador coisas que estimulem o funcionário a desempenhar um bom serviço)?
    Ao meu ver se a culpa não é concorrente, no minimo à omissão nos levou a essa falência.
    Desculpa a extensão do texto com português lamentável e xucro.

  62. eu acho que delegado deve ganhar igual a juiz, entretanto sem administrar a policia, sem chefiar gurpos operacionais, sem pilotar helicoptero (que por sinal na pc so delpol), delegao e carreira juridica portanto e presidencia de inquerito e auto de prisao em flagrante. Assim oficial nao podera fazer comparação com delegado.

  63. Delegado ganhar igual a juiz para somente assinar papéis? hehehe

    Em tempos de crise( leia-se: corrupção desenfreada dos governos), voce sugere aumento (absurdo, por sinal) de salário a uma classe ?

    Aliás, não sei o porquê deste blog crucificar tanto a PM. Na hora do “vamo vê”, tipo num plantão da madruga, se voce precisar de apoio e ligar para um delegado, vai passar apuros.

  64. De um certo tempo pra cá quase todas as publicações é falando mal da PM. Não seria um ex-delegado o dono disso? Ou a PC não tem quase problemas?

  65. Cada papinho idiota. Delegado não sabe administrar (e não sabe mesmo). Investigador é isso e aquilo, PM é não sei o quê. Só bestialidade. A PM nunca vai conseguir o ciclo completo, por vários e vários e vários motivos. A Civil continuará essa merda que está, não investiga nada, só faz papel, pois o “status quo” é de interesse dos governos e não precisa ser muito inteligente pra saber os motivos disso. A PM é enorme, mas é massa de manobra, por isso será mantida militarizada. Afinal, uma caneta bem usada valeu mais que os 200 mil coturnos. E finalizando, a polícia como um todo continuará ganhando essa bosta que ganha hoje. O que se paga a um promotor dá pra bancar uma equipe com dez policiais ou mais. Num Brasil continental, é negócio, não é? Quer ganhar mais? O jeito é vazar daqui e arriscar na área privada ou estudar e passar em coisa melhor. Não tem outro jeito. Esse papinho furado de que a Polícia Civil vai acabar vem desde os idos dos anos 80. Mudem o disco.

  66. Em 1970 eu estava na escola de sargentos, fazendo curso de 01 ano, quando houve a unificação, entre a Guarda Civil e a FP. A unificação foi feita para ter apenas uma policia fardada. Passado algum tempo, conversando com um oficial ele me disse que houve uma consulta do governo federal, não sei com a IGPM ou com os Cmt das PM, que eram oficiais do Exercito, porem foram contrários em unificar também as PC, passando para a PM. Tempos passados foi feito um projeto, onde os delegados e escrivães passariam para o judiciario, ou coisa parecida, enquanto que os demais componentes da PC passariam para a PM. Uma unificação só acarreta descontentamentos, pois sempre alguem sai perdendo, como aconteceu entre GC e PM; o pessoal da GC passou para a PM de acordo com salario, sendo que um guarda sem curso, passou a ser sargento, devido ganhar igual a um sgt da FP. O pessoal da FP não teve direito a opção, enquanto que os da GC tiveram esse direito. Muitos que optaram foram para a PC na função de investigador ou escrivão ou mesmo carcereiro, porem não eram reconhecidos como policial civil. Somente foram aceitos, quando o secretário Erasmo Dias acertou de vez a situação. Na PM levaram mais de 20 anos para acomodar a situação. O pessoal da GC, em sua maioria, passou para a PM como graduados ( cabos, sargentos e subtenentes) e Oficiais; bem poucos passaram como soldados, ja que muitos optaram para a PC. Houve um grande numero de graduados e poucos soldados para os serviços de rua, causando problemas nas escalas de serviço. Portanto, uma unificação seja como for, sempre causará descontentamentos, bem como prejuizos para a segurança publica. Um exemplo é a Força Nacional que vai para determinado estado ganhando diarias e salario bem acima dos policiais (civis e militares) que são do estado e ganham um salario ridiculo e tão carregados de problemas de todas as naturezas. Será que eles ficam contentes com a presença dessas tropas? O governo gasta muito mais deslocando Força Nacional e Forças Armadas para os estados, enquanto as policias estaduais e agentes penitenciarios lutam por um salario mais digno.

  67. SR. ” KKKKKK” !, MEUS PARABÉNS´PELO SEU EXCELENTE EXPOSTO. MAIS SÓ QUE OCORREU UM PEQUENO PROBLEMA, OU SEJA, COM RELAÇÃO À ADMINISTRAÇÃO POR PARTE DESSA TURMA DE ” MAJURENGOS”. HÁ QUASE UMA DÉCADA, QUANDO APOSENTEI, A ÚNICA COISA QUE ESSES INEXISTENTE FAZIAM ERA ADMINISTRAR A ” RECOLHA”, ÓBVIO QUE COM RARÍSSIMA EXCEÇÃO. LEMBRO MUITO BEM QUE EM CERTAS DEL.POLS. ONDE O ” J ” ERA ELEVADO, ELE MESMO DE FÉRIAS, COMPARECIA NO MÍNIMO TRÊS VEZES NA DEL.POL. DURANTE O MÊS. RAPAZ. ME AJUDEM AÍ Ó !…

  68. Quer saber?

    Que todos investiguem, então.

    Até que esse dia chegue, a tiragem está aí, mandado ver.

    Portaria DGP-30. Não foi por falta de aviso. Ali se concretizou o desmonte da PC.

    Só que tira nenhum é idiota e a maioria resolveu cuidar melhor da própria vida, já que mimimi não paga as contas de ninguém

    E o pessoal achando que a briga dos investigadores era por privilégios e não por prerrogativas.

    O resultado está aí. Mais do que previsível.

    PC é investigação, o resto é papelada.

  69. Sr. JClaudio,
    Pare de repetir discurso propalado por nossos professores de escolas públicas (setenta por cento imprestáveis há muito tempo, diga-se de passagem), “martelado” diariamente na consciência dos alunos, então seus reféns. Agora, se professor não der aula, não souber passar a matéria basta o aluno estudar assistindo o YouTube. Acabou a escravidão!
    Posso estar enganado, mas em 1985 você (e eu!) éramos crianças…
    Sugiro-lhe um filme “Paula: a história de uma subversiva”.
    Diga-nos depois quantas viaturas da PM, quantos uniformizados você viu na película.
    PM puxa o saco de MP. PC quer puxar o saco de Juiz, mas tem o(a) Secretário(a) na porta: o Promotor(a).
    Assumir-se como “polícia judiciária” é uma tremenda incongruência ao tratar de um órgão do Poder Executivo.
    Deveriam buscar a plena independência, não?!

    As dificuldades que o Sr. aponta para que a PM assuma a investigação podem ser superadas. Havendo instrumento legal e ambiente político favorável, basta repassar os bens estatais vinculados à PC para a PM. Os bens públicos não pertencem à PC nem à PM. São do Estado.

    Acabo de ler algo muito interessante, apesar de incidir no vício de nomear a atividade como “polícia judiciária”:
    “Em outras palavras, inquérito policial consiste no processo administrativo apuratório levado a efeito pela polícia judiciária, sob presidência do delegado de polícia natural; em que se busca a produção de elementos informativos e probatórios acerca da materialidade e autoria de infração penal, admitindo que o investigado tenha ciência dos atos investigativos após sua conclusão e se defenda da imputação; indispensável para evitar acusações infundadas, servindo como filtro processual; e que tem a finalidade de buscar a verdade, amparando a acusação ao fornecer substrato mínimo para a ação penal ou auxiliando a própria defesa ao documentar elementos em favor do investigado que possibilitem o arquivamento, sempre resguardando direitos fundamentais dos envolvidos.” Fonte: http://www.conjur.com.br/2017-fev-21/academia-policia-inquerito-policial-sido-conceituado-forma-equivocada

  70. oficial da pm faz o que e ganha igual delegado………so assinar papeis e ver numeros.

  71. joao, delegado e oficial só mudam o nome.
    É muito injusto um delegado ganhar 10 mil inicial e um oficial ganhar 7 mil inicial para apenas mandar e coçar.

    Enquanto praças e restopol ganham 4 mil para fazer a mão de obra e correr os riscos. (campana, ir às ruas, patrulhar, ronda, cumprir mandado etc).

    Quem quer mandar, tem que “amassar o barro” antes.

  72. enquanto tiver delegado querendo ser PM (GOE) ou juiz (necrim)….é isso que vamos ver…quem quer cobrir a cabeça com camisa curta, descobre o ânus….

  73. FP 67:
    A pólica deve mudar para beneficiar a sociedade, o que ocorreu em 1970 foi uma mudança para beneficiar uma ditadura era interessante criar uma policia militar subordinado ao Exercíto mas mantendo 02 policias para total controle.
    Com a carreira única é lógico que alguns cargos perderão benefícios, como disse a POLICIA ÚNICA COM CARREIRA ÚNICA será mais eficiente dessa forma alguns cargos que estão em zona de conforto terão que produzir para progredir, isso vai incomodar, mas vai melhorar a segurança.

  74. Vai melhorar também para os policias que vão ter perspectiva de carreira, promoção de verdade.
    Logico como disse para quem está no conforto ficará ruim.

  75. João :
    Concordo plenamente com você se hoje o delegado é carreira jurídica o que estão fazendo no GARRA, GOE e no Helicóptero .

  76. Grupo Operacional tem Inquérito?
    Grupo Operacional faz flagrante?
    Então para que Delegado?
    Será que é preciso contratar mais Delegados para PC/SP? Ou só realocar os que estão nesses grupos operacionais?

  77. sergio disse (20/02/2017 às 21:21) e

    …PM avança sobre as nossas funções… Bom, resumindo, além de estarmos órfãos, tudo leva a jogarem uma polícia contra a outra!!!

    Fundo do abismo (20/02/2017 às 21:22)

    Exescravão nem tenta explicar, tem gente que acha que a gloria do mundo é a PM comandar tudo…Ainda afirmo, PM é ultrapassada…existe sim Um unico beneficiado, o governo…

    JClaudio (21/02/2017 às 10:26)

    …na hipótese da Pm passar a investigar, teriam que criar cartórios para autuação dos procedimentos e custódia dos objetos apreendido. Pelo menos trinta por cento do efetivo remanejado para a investigação e plantões…

    A investigação é uma atividade que demanda autonomia…é designado quem vai presidir pelo comandante, ou seja, o comandante preside por interposta pessoa. Ao final, o “presidente” submete seu relatório, ou seja suas convicções, ao comandante, que pode ou não concordar com elas e não concordando elas não servirão pra nada…

    Concordo com vocês, realmente Polícia precisa ser uma Instituição civil, mas os políticos, parece, não pensam assim.

    Com CARREIRA ÚNICA, porque as castas, apropriando-me de uma expressão do Dr Pacheco, é um fetiche, que nem a Índia quer mais. A Carreira é POLICIAL, com seus vários níveis e especializações necessários em qualquer Polícia no mundo.

    Só para colocar mais lenha na fogueira, além da ideia de dar a presidência do Inquérito ao Ministério Público, o que seria mais provável, há outra ideia, ainda da época do Covas, que parece que “ressuscitou” nos últimos meses, que é da PM “adotar” o escrivanato, com todos os cartórios e toda a expertise dos escravões, e não haveria mais escravão fazendo BO, seriam dedicados exclusivamente aos Inquérito Policiais. Assim nada pararia de funcionar.

    E por que um escravão aceitaria ser PM? Também já pensaram nisso. Salário e patente INICIAIS de CAPITÃO, chegando a major ou coronel, dependendo dos cursos que fizer. E parece que já tem até planilha de custo mostrando que o impacto no orçamento da PM pronta.

    Para o escravão, sinceramente, a grande mudança seria usar o uniforme? Ou seguir o Código Militar? Depois da Via Rápida, qualquer código militar é inofensivo a um policial civil.

    Estranho é que tanto políticos como os altos escalões nada falam da VIA RÁPIDA (demitir por crime ANTES do julgamento criminal – ou seja, quem atrapalha a corrupção) e RESÍDUO ADMINISTRATIVO (não reintegrar quem é absolvido, ou seja, ninguém quer na Instituição alguém que não respeita os esquemas de corrupção)

  78. Só agora vi essa pérola: “Ten bacharel” é de cair a dentadura.

    PM já costuma ser comédia, graduado, então, não tem pra ninguém.

  79. O nível do debate está realmente muito bom. Sem ofensas e o mais técnico possível.
    Conquanto discorde de alguns postulações, não posso deixar de destacar isso.
    No tocante à hipotese aventada pelo colega kkkk, que se refere à diminuição dos vencimentos dos delegados, só algumas considerações.
    O próprio KKKK deixou claro que só a ventilou por amor ao debate. De qualquer modo, é sim uma questão pertinente. Com efeito, uma vez desvencilhados da incumbência de administrar, os delegados deveriam contar com um decréscimo nos seus salários. Entendi, mas divirjo. E explico: se doravante não fôssemos mais administradores, dedicar-no-íamos integralmente a parte jurídica da coisa. Nessa toada, seria ainda mais lícito a cobrança no que toca à qualidade do trabalho. Afinal, por mais que se diga ao contrário, delegados exercemos uma tarefa que, a rigor, é afeta ao judiciário, ou seja: restringir a liberdade alheia. Promotores afetam descontentamento, mas não querem esse mister – preferem ficar encerrados nos seus gabinetes, pagando de intelectuais. Ou juizes, por seu turno, já contam conosco para fazê-lo. Maliciosamente, esses últimos sabem: se o MP enfeixasse mais essa competência, a hipertrofia desse órgão atingiria um patamar insano. Aliás, em nenhum país decente, o MP conta com tantas e diversificadas atribuições.

  80. Dr. Pacheco;
    Uma das inúmeras formulas para UNIFICAÇÃO DAS POLICIAS é passar os Delegados de Policia para o Poder Judiciário e unificar as policias Estaduais que seriam civis com ciclo completo e CARREIRA ÚNICA.
    Ao meu ver a melhor opção para sociedade, Estado, Policias e inclusive Delegados.

  81. Ze ninguem: policial nenhum está em conforto e nem vai ficar com policia unica, pois todos que trabalham na segurança sofrem com falta de apoio, falta de retaguarda, falta de leis que protejam os policiais. Nos anos 70, a gente andava fardado e sem arma. A policia não tinha arma suficiente, então um policial portava arma e o outro não. Bandido respeitava a policia; veja hoje a situação do policial que precisa se esconder de medo de bandido, não que seja covarde, mas para preservar sua familia. Hoje so existe gente defendendo bandido, ganhando dinheiro nas custas do policial. Não existe defensoria para os policiais, não existe ONGS para defender o policial, porem para os bandidos, não faltam defensores. Talvez voce não trabalhou naquela epoca, para poder comparar com a situação atual. A policia sempre trabalhou com salarios ridiculos; a Policia MIlitar não podia ganhar mais que o Exercito; como o salario do Exercito era baixo, o nosso era bem menos, entre as correspondencias dos postos e graduações. Somente cabo e soldado da PM podia ganhar mais que os do exercito. Quando morre um policial não aparece ninguem dos direitos humanos para ajudar a familia, mas ser for bandido todo apoio será dado. Nos anos 70 na epoca do regime militar, o policial não era humilhado por badidos, como esta sendo hoje. Então sr zé ninguem, não unificando a policia e se tornando civil que a coisa vai mudar; antes de uma policia unica, precisa mudar outras coisas. Não é só a policia que precisa mudar no pais. A policia é apenas o bode expiatorio, onde tudo é descarregado.

  82. Esse governo lixo passar um policial civil que hoje ganha 4 mil e transformá-lo em capitão, que hoje ganha no mínimo 12 mil? Não custa sonhar…kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  83. Ze ninguem: policial nenhum está em conforto e nem vai ficar com policia unica, pois todos que trabalham na segurança sofrem com falta de apoio, falta de retaguarda, falta de leis que protejam os policiais. Nos anos 70, a gente andava
    fardado e sem arma. A policia não tinha arma suficiente, então um policial portava arma e o outro não. Bandido respeitava a policia; veja hoje a situação do policial que precisa se esconder de medo de bandido, não que seja covarde, mas para
    preservar sua familia. Hoje so existe gente defendendo bandido, ganhando dinheiro nas custas do policial. Não existe defensoria para os policiais, não existe ONGS para defender o policial, porem para os bandidos, não faltam defensores. Talvez voce não trabalhou naquela epoca, para poder comparar com a situação atual. A policia sempre trabalhou com salarios ridiculos; a Policia MIlitar não podia ganhar mais que o Exercito; como o salario do Exercito era baixo, o nosso era bem menos, entre as correspondencias dos postos e graduações. Somente cabo e soldado da PM podia ganhar mais que os do exercito. Quando morre um policial não aparece ninguem dos direitos humanos para ajudar a familia, mas ser for bandido todo apoio será dado. Nos anos 70 na epoca do regime militar, o policial não era humilhado por badidos, como esta sendo hoje. Então sr zé ninguem, não é unificando a policia e se tornando civil que a coisa vai mudar; antes de uma policia unica, precisa mudar outras coisas. Não é só a policia que precisa mudar no pais. A policia é apenas o bode expiatorio onde tudo é descarregado.

  84. Ze ninguem: policial nenhum está em conforto e nem vai ficar com policia unica, pois todos que trabalham na segurança sofrem com falta de apoio, falta de retaguarda, falta de leis que protejam os policiais. Nos anos 70, a gente andava
    fardado e sem arma. A policia não tinha arma suficiente, então um policial portava arma e o outro não. Bandido respeitava
    a policia; veja hoje a situação do policial que precisa se esconder de medo de bandido, não que seja covarde, mas para
    preservar sua familia. Hoje so existe gente defendendo bandido, ganhando dinheiro nas custas do policial. Não existe defensoria para os policiais, não existe ONGS para defender o policial, porem para os bandidos, não faltam defensores. Talvez voce não trabalhou naquela epoca, para poder comparar com a situação atual. A policia sempre trabalhou com salarios ridiculos; a Policia MIlitar não podia ganhar mais que o Exercito; como o salario do Exercito era baixo, o nosso era bem menos, entre as correspondencias dos postos e graduações. Somente cabo e soldado da PM podia ganhar mais que os do exercito. Quando morre um policial não aparece ninguem dos direitos humanos para ajudar a familia, mas ser for bandido todo apoio será dado. Nos anos 70 na epoca do regime militar, o policial não era humilhado por badidos, como esta sendo hoje. Então sr zé ninguem, não é unificando a policia e se tornando civil que a coisa vai mudar; antes de uma policia unica, precisam mudar outras coisas. Não é só a policia que precisa mudar no pais. A policia é apenas o bode expiatorio onde tudo é descarregado.

  85. Qual o motivo da não publicação do meu comentario? houve abuso ou está fora de contexto?

  86. Interessante o debate. Muito se fala em unificação das policias, carreira única, remanejar determinado cargo para outro poder, mas, o que realmente nos importa é a reestruturação da policia civil, quadro defasado de servidores, nomenclaturas e cargos demasiados para empenho de uma mesma função e assim por diante. Falta-nos representação parlamentar. Falta-nos interesse interclasse e principalmente sindical para o tema. O que não falta são infindáveis grupos de estudos.

  87. o que manda e o dinheiro, a unificação seria uma excelente ideia, entretanto, temos uma pm no estado de sao paulo, com 89 mil ativos e 94 mil inativos.
    Fica mais barato, manter a pm pequena, manter a pcesp com o quadro completo e as guardas fazendo o policiamento ostensivo ou preventivo, porque não tem verba para manter o “status quo”,
    Porque na epoca que de antes do erasmo e que serve ate hoje, para saber a eficiencia do policiamento, e dividir o efetivo pelo numero de distritos policiais, igual ocorre no eua ou franca.
    Na capital divida o nr de pms pelo numero de distritos, tera a eficiencia.
    A pm e tão importante, que desde que sairam das muralhas dos presidios ou deixaram de fazer as escoltas da grande sao paulo, ninguem sentiu falta.

  88. Bando de babaca vocês são!! O governo ferrando com amabas as instituições e esse acéfalo escreve esse monte de asneiras contra a PM. Enquanto ambas não se juntarem num unico propósito vamos continuar sendo massacrados.

  89. MUito obrigado por ter censurado o meu comentario. Cai na real, pois não preciso me desgastar com comentarios.

  90. Caríssimo Ze Ninguém, gosto de debater contigo. Tem-se revelado ponderado, articulado e perspicaz.
    Nosso debate se alongou e, de parte a parte, seguimos, com muita urbanidade, nas nossas proposições. É claro que eu, na qualidade de delegado, tenho muito orgulho de tê-lo como colega (assim como tenho em alta conta os tiras, os majuras, e todos os demais policiais civis, os quais, de um modo despretensioso, tanto me ensinaram). Não digo isso para incensar ninguém. É apenas a real. Sou filho de um promotor de justiça. Prestei concurso para o MP. Cheguei à reta final do certame, e fiquei na última fase. Concomitantemente, estava no certame de delegado. Nesse, eu logrei aprovação. Nunca aspirei ao cargo de delegado. Tampouco, ao de promotor. Apenas fui pragmático. Vi que meu pai gozava de razoável conforto e aquilo me convinha. Concurso, pois. Tanto fazia a carreira – bastava ser jurídica, de acordo com minha formação.
    Mas então. Já na Acadepol, fui-me apercebendo de qualidades institucionais. Qualidades tais que me cativaram.
    Note: a minha turma era realmente irmanada. Todos os policiais civis eram atenciosos conosco. Todos graciosamente se predispunham a nos ajudar. Não havia – pelo menos eu não vislumbrava – aquela soberba intelectual, aquele ar enfatuado. Aspectos tais tão amiúdes aprendidos numa magistratura, num MP.
    Em suma, amei a polícia, amei as pessoas que a integram. Assim, malgrado meu pai ainda apelasse para que eu prosseguisse nos estudos, visando ao cargo de promotor, abdiquei. (Ele não se abespinhou, mas tentou persuadir-me: -” O MP paga mais. Lá vc vai ter mais prestígio” etc.)
    Fiz ouvido de mercador e fiquei na PC.
    Lá se vão oito anos.
    Não me arrependi – alguém pode malandramente dizer-me que ainda é muito cedo. Pode ser. Veremos.
    De qualquer modo, é o seguinte:
    A solução que você ventilou, segundo a qual deveríamos integrar o judiciário, com a devida vênia, parece-me simples, e equivocada, para um problema complexo.
    Primeiro: não se afiguraria justo: eu sei que, no frigir dos ovos, minha função se coaduna com a função de um juiz de instrução. Mas, note, prestamos concurso para carreira X, com o vencimento Y. Não seria lícito nem sequer constitucional nos passar para o judiciário – com implicâncias várias, inclusive com o aumento de salário etc. Abriria ademais um perigoso precedente. E, por outra: a constituição veda tal expediente.
    Segundo: em muitos países do mundo, de modos os mais variados, há um corpo jurídico nas polícias. Um tronco diverso dos operacionais. Apartado. Tal corpo é jurídico, e não administrador. Acho essa possibilidade, a separação, é a mais fácil e adequada de se implementar.
    Terceiro: eu e todos os meus colegas somos policiais. Aprendemos a sê-lo. Do mesmo modo que vcs aprenderam. E aprendemos com vcs tb – refiro-me aos que nos antecederam. Eu sinceramente não quero me ver alocado no judiciário, às voltas com juízes os mais pedantes – e uma soberba sem lastro. Basta ver o nível das sentenças exararas de uns tempos a esta parte.

  91. FP67 (21/02/2017 às 16:41)

    MUito obrigado por ter censurado o meu comentario. Cai na real, pois não preciso me desgastar com comentarios.

    =================================

    Calma! Muitas vezes os comentários ficam retidos pelo sistema, é só aguardar o Guerra liberar pessoalmente.

  92. PCSP (21/02/2017 às 15:49)

    Esse governo lixo passar um policial civil que hoje ganha 4 mil e transformá-lo em capitão, que hoje ganha no mínimo 12 mil? Não custa sonhar…kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    =====================================

    Aproveitando ou não o escrivanato da PC, a PM pretende colocar apenas oficiais para tocar Inquéritos. E, segundo o que eu ouvi há pouco, seriam oficiais tocando o IP e talvez com o MP presidindo.

    Eu não não sei se haverá alguma mudança ou quais serão as mudanças. Mas a PM parece estar bem mais disposta a assumir as funções da PC do que eu imaginava.

  93. O MP consegui derrubar a PEC 37, e agora com a PM sendo “Tiras” do MP, caminhamos para o fim da PC.
    Quadro defasado de policiais, e o governador já disse, concursos só depois de 2018…

  94. NA BOA, PAREM COM ESSE PAPINHO DE DELEGADO PARAR DE ADMINISTRAR!!! ONDE TEM DELEGADO ADMINISTRANDO???? QUEM ADMINISTRA SÃO OS OPERARIOS DOS DEPARTAMENTOS ADMINISTRATIVOS, QUE POR SINAL SÃO MUITOS, TUDO MONTADO PARA QUE O DELEGADO NÃO COLOQUE A MÃO EM NADA, APENAS ASSINE O PAPEL QUE O OPERACIONAL FEZ, ISSO EM TODO LUGAR. DR. PACHECO, DESCULPE-ME, O SR É UMA PESSOA NOTAVELMENTE INTELIGENTE, ENTRETANTO, UM DEMAGOGO HIPÓCRITA!!! DELEGADO NÃO FAZ NADA NADA, ABSOLUTAMENTE NADA! FICA DORMINDO NA SALINHA QUANDO TA NO PLANTÃO, QUANDO RESPONDE POR DUAS UNIDADES EM CIDADES DIFERENTES FICA EM CASA PARA NÃO TER DUVIDA DE ONDE FICAR, ENQUANTO O OPERACIONAL FAZ O TRABALHO E LEVA PARA VOSSAS EXCELÊNCIAS ASSINAREM!! TO MENTINDO?? SEM PUXAR A SARDINHA, TO MENTINDO!!! TODOS OS DELEGADOS QUE TRABALHEI NUNCA, NUNCA SEQUER LERAM UM OFICIO QUE LEVO PARA ASSINAREM, NUNCA FAZEM UMA OITIVA, NUNCA EMITEM UMA ORDEM DE SERVIÇO, NUNCA TOCARAM O PLANTÃO TIPIFICANDO CRIMES, NUNCA FIZERAM QUALQUER ATO ADMINISTRATIVO!!! SEMPRE, APENAS ASSINATURA!! PRECISAMOS MESMO DE DELEGADOS? COM TODA SINCERIDADE??

  95. Dr. Pacheco:
    A ideia que explanei não é minha apenas reproduzi o que ouvi em uma antevista, embora concorde com ela.
    Explico: a unificação das policias com carreira única tem o objetivo de criar um sistema de segurança pública eficiente e menos oneroso, dessa forma acredito que será extinto o Inquérito Policial e no caso de flagrante haverá a apreciação direto pela autoridade judiciaria, como podemos observar o inicio desse modelo nas audiências de custodia criadas em São Paulo.
    Tais audiências são realizadas hoje apenas em horários comerciais, mas como não é segredo nenhum há projeto para amplia-las diuturnamente e para todos os Estados alterando o CPP.
    Com isso será criada a necessidade de contratar novos operadores do direito no Poder Judiciário para presidir essa audiências, não vejo ninguém mais qualificado que os Delegados.
    Em relação a vedação constitucional da mudança de cargo é resolvido por uma simples emenda na constituição, assim como a CARREIRA ÚNICA NA PÓLICA ÚNICA , lembre que não é clausula pétrea.
    E a proposito a função que poderá ser exercida no judiciário é bem semelhante a que exerce hoje, e ainda não haverá o ônus da gestão administrativa.

  96. MAIS UMA OBSERVAÇÃO… O SR DEFENDE QUE NÃO SÃO CULPADOS POR ESSA MERDA QUE ESTÁ, CONCORDO COM ALGUMAS COISAS QUE VC DIZ SOBRE A REPRESENTAÇÃO DAS CLASSES!!! AGORA, MAIS UMA VEZ, RESPONDA-ME COM TODA SINCERIDADE, QUEM É QUE MANDA O APERACIONAL PRA CORREGEDORIA SE ELE FAZ GREVE PARA BUSCAR SEUS DIREITOS? QUEM É QUE PÕE O OPERACIONAL NO PAPEL QUANDO ELE SE RECUSA A TRABALHAR 100 HORAS SEMANAIS EM REGIME QUASE ESCRAVO? QUEM NÃO DEIXA O OPERACIONAL FAZER UMA ESCALA DECENTE? VAMOS PARAR COM TODA ESSA HIPOCRISIA!!!! OS DELTAS NÃO PRECISAM LUTAR POR NÓS, MAS POR FAVOR NÃO VENHAM NOS ATRAPALHAR…

  97. Então, Sem Greve, Nada Muda. Eu entendo realmente seu descontentamento. Mas penso estar sendo generalista. Eu sou um delegado que senta à máquina e trabalha lado a lado com o escriba e com o tira. A exemplo de mim, conheço vários.
    Assim como conheço vários que são vagabundos. Assim como há torás vagabunfos tb. O único, na pc, que não pode ser ocioso é o escrivão. Ademais, não pense que no MP e no judiciário é muito diferente. Ambas as autoridades de lá contam com um staff enorme para auxiliá-los e, não raro, fazer o trabalho deles. De qualquer modo, penso que a solução passa por cobrança séria. Ou seja, todo o policial tem que ser cobrado.
    Em tempo: obrigado pelos elogios. Já as ofensas debito na conta de tantos anos que você amargou vendo as coisas feitas de um modo errado

  98. Como é que é? “(…) ilusão vivida pelos governadores brasileiros: a de poder contar com uma milícia para chamar de sua, o que não conseguem com as Polícias Civis e Federal, legal e culturalmente mais vinculadas ao Poder Judiciário.”
    Ah sim, a Polícia Civil é muito independente dos governadores, tanto que o pessoal do DHPP ficou quatro dias sem dormir e tomar banho pra achar o cativeiro da sogra do inglês Bernie Ecclestone, chefão da Fórmula 1. Sem contar a do delegado que ficou “pianinho” na CPI da Merenda do Fernando Capez.
    Com relação ao poder judiciário, este está vendido a muito tempo. É só ter poder político ou QSJ.
    Quem engana quem?

  99. DESCULPE-ME NÃO QUIS OFENDE-LO!! O SENHOR DEVE SER UMA RARA EXCEÇÃO NESTA CARREIRA, CONCORDO COM VC QUE TEM MUITO TIRA E DEMAIS CARREIRAS VADIOS, ENTRETANTO, MAIS UMA COISA QUE NUNCA VI FOI DELEGADO IR PRO PAPEL POR CONTA DISSO. OCORRE QUE, INEGAVELMENTE, SALVO RARAS EXCEÇÕES, OS DELTAS ESTRUTURAM MODELOS DE TRABALHO QUE SÓ OS BENEFICIAM, SERIA LINDO VER OS DELEGADOS EXERCEREM AS FUNÇÕES DE QUE SE ORGULHAM TANTO E DESAFOGAR OS ESCRIBAS. COMO JÁ DISSE EM OUTROS POSTS, A UNICA FORMA DE OS OPERACIONAIS SEREM VALORIZADOS É PARAR DE FAZER O TRABALHO DA AUTORIDADE, POIS ESSA, JAMAIS VAI DAR VALOR AO TRABALHO QUE NUNCA TEVE QUE FAZER, QUEM SABE ASSIM, QUANDO OS OPERACIONAIS TENTASSEM ORGANIZAR-SE PARA UMA POSSIVEL GREVE, RECEBESSEM APOIO, NO MININO, NO INTUITO DE NÃO SEREM PREJUDICADOS, POIS VERIAM O QUANTO É TRABALHOSO SER ESCRIVÃO. DEFENDO QUE, ATÉ QUE SEJAMOS VALORIZADOS, OS ESCRIVÃES FAÇAM APENAS O QUE LHES COMPETE, OU SEJA, ESCREVA O QUE A AUTORIDADE DITAR, PERGUNTAR OU RELATAR, FORA ISSO, FICA MUITO COMODO PARA OS DELTAS LUTAREM POR SI ENQUANTO OS OPERACIONAIS SE MATAM DE TRABALHAR E SE CAGAM DE MEDO DE IR PARA CORREGEDORIA POR NÃO FAZER UMA FUNÇÃO QUE NÃO LHES CABE.

  100. Lendo as opiniões do Pacheco – concordando com algumas, discordando da maioria- , me deparei com algo que realmente deveria interessar: “eu e todos os meus colegas somos policiais”.

    Ora, Pacheco, sendo assim por que tanta ênfase na “carreira jurídica” ? Até entendo que é uma valorização da classe, mas por que não pautar também a sua especificidade principal que é ser uma polícia investigativa?

    Como você mesmo diz, ninguém tem essa expertise, essa operacionalidade. Essa é a real relevância da PC. Esse é o ponto a ser constantemente aprimorado.

    Bom saber que existem majuras que ainda se consideram policiais, porque do lado de cá, todos somos.

    O problema é que a maioria prefere brincar de administrador – ok, quem resiste ao status de um bom cargo? – , enquanto outros se acomodam em meio à burocracia jurídica – também ok, já que não tem como não se submeter a ela.

    Mas, nessa maçaroca, sobram quantos para serem verdadeiramente policiais?

    Não acredito em ciclo completo da PM, nem em fantasias do gênero. O que não altera em nada os privilégios que ela vem acumulando ao longo dos anos, enquanto a PC segue ladeira abaixo, pela simples razão de não ser adequadamente representada e defendida por aqueles que a dirigem.

  101. Realmente a grande dos delegados não ouve, não relata, não faz flagrante, não isso e nem aquilo, por vezes nem assina e até nisso o escravão se arrisca assinando para cumprir prazos e não levar bonde.

    Mas eu preciso dizer que é impossível seguir o rito do Inquérito Policial.

    A conta é simples. O número de delegados, para seguir o procedimento, deveria ser, no mínimo, maior que o número de escrivães e isso apenas para atender ao número atual de inquéritos policiais.

    Por isso eu defendo a CARREIRA ÚNICA, com cada escravão sendo reconhecido pelo trabalho que já faz: o inquérito policial. E o delegado como Juiz de Instrução, decidindo por indiciamento ou pedindo novas diligências, provavelmente com poderes para pedir busca e apreensão etc.

    O que não dá é uma Instituição republicana ainda viver baseada numa ilusão tão fantasiosa sobre quem faz o quê.

  102. Vc tem razão, Tiragosto. Há um desequilíbrio nessa dicotomia. Muito delegados enfatizam apenas o caráter jurídico do cargo, esquecendo-se do caráter policial que lhe é inerente. Isso decerto decorre do seu caráter híbrido: policial e jurídico – o que, a meu ver, é salutar. O aspecto digamos insalubre é a exigência de sermos nós os chefes de toda a polícia. Esse aspecto, penso, enseja todas as distorções possíveis. No meu entendimento, de duas, uma: ou se separa os dois domínios, com delegados de um lado, fazendo o que lhes compete, e os operacionais de outro, da mesma forma (os operacionais se estruturariam da forma que lhes aprouvesse. E responderiam a um chefe operacional, guindado ao cargo de uma forma meritória, a ser estudada). Os delegados, do mesmo modo. Sem que houvesse subordinação de parte a parte. O chefe da instituição séria escolhido em qualquer dos domínios pelo chefe do executivo.
    Ou: os delegados assumem de vez a qualidade de juízes de instrução. Ficando no executivo, mas não necessariamente atrelados a polícia.
    O que vc acha?

  103. Dr. Pacheco:
    Concordo até um certo ponto.
    Esta correto em separar os Delegados da Policia, porém se continuarem pertencendo ao Poder Executivo será um 2º Policia Judiciária, e acredito que a intenção e otimizar recursos e enaltecer a eficiência, por este motivo os Delegados integrariam o Poder Judiciário provavelmente para uma função de ” juízes de instrução e de custodia” e a Policia seria Unificada com CARREIRA ÚNICA.
    E para autonímia funcional o chefe de policia deve ser escolhido pelo chefe do Poder Executivo através de uma lista tríplice, dentre os 03 mais votados pela classe.

  104. Zé Ninguém e todos os demais colegas, foi muito profícuo o debate – ao menos para mim e para o fim de dar uma arejada.
    Infelizmente, as coisas demorarão muito para mudar, se é que um dia mudarão.
    O novo quase ministro do STF acabou de ser sabatinado. Não fizeram nenhuma menção a esses nossos problemas estruturais. Alguém poderia argumentar que, ali, não era a seara própria. Tudo bem. Mas se fosse realmente um tema agudo para eles, decerto seria suscitado.
    Uma pena

  105. Quantos vivem no país de Alice. Os políticos do Brasil, o Povo, ambos não quer uma polícia que seja eficiente, que cumpra a Lei, que aplique a Lei para todos. O que os políticos querem e tem é uma polícia que sirva somente ao Estado, o que Povo quer é uma polícia que puna “os outros”.

    Mudanças profundas na polícia, também não creio, pois para termos tal mudança seria necessário antes, uma mudança profunda no sistema político contaminado, isso o congresso atual e seus “filhos” não querem. Sem essa mudança, nada muda, todos irão continuar no tártaro.

    Todos sabemos, outros modelos de polícia que funcionam muito melhor e concordo fielmente com o Pacheco quando diz que a figura do delegado, não combina com a de polícia, mas veste indumentária certa quando olhamos para o oficio de um juiz de instrução.

    Pacheco vai se transformar em policial, mas vai levar um tempo, ainda esta usando cueiro. Vontade não falta, vai sofrer, pois é um juiz de fato, mas um delegado, policial de direito, que sevícia.

    Enquanto isso, todos ficam procurando uma “formula mágica” para ortotanásia, sabemos todos que não há.
    Aos miseráveis (digo todos das polícias) cabe tão somente o pensamento de saciar a fome.

  106. E quem disse que a PM já não esta faz tempo no “ciclo completo”?

  107. Enquanto somos uma polícia ineficaz, inepta e corrupta a cena que vamos continuar a verno dia a dia é a do Povo MORRENDO na frente de nossos olhos. O POVO DESARMADO PELOS POLÍTICOS continuará sem a mínima proteção. Lastimável, reina a selvageria em pleno ano 2017.

  108. Por favor, leiam o que está escrito. Não o que queriam que estivesse.

  109. Pacheco, o Pacheco! Só de termos a vontade, a de que possamos melhorar para todos, já é uma grande coisa. Seja bem vindo ao tártaro. Está no meio que quer, digo mais, a pertinácia, a não desistência, por si só já é uma palma,
    Não podemos negar que você faz por onde. Então POLICIAL, arregace as mangas e “vamos para o pau”, já temos inimigo definido e ele é imenso.

  110. Então. Já nos indispusemos. Realmente, foi uma infantilidade: chega a ser risível esse expediente de pincelar erros gramaticais.
    De qualquer sorte, Policial Miserável, lanço-me no combate intelectual de boa-fé.
    Mas note: luto, manifesto-me, insurjo-me por aquilo em que acredito.
    Dou de ombros se a maioria encampa ou não minhas posições.
    Ademais, na minha concepção, mudanças na nossa polícia, mesmo que benfazejas, não terão o condão de incrementar muita coisa. Nosso país é uma imensa zona – a reformulação precisaria ser geral. De tudo. Francamente, não sou dos mais esperançosos.
    Acredito verdadeiramente que estamos fadados a viver sob o manto das distorções mais cabulosas. Em suma: um país da piada pronta.

  111. Não entendo esta de que carreira única melhoraria. Outra coisa, França, Itália e Bélgica não tem carreira única. Vide o próprio site deste órgãos. São três carreiras distintas neste três países. ( Guardião da paz, investigador e comissário de polícia). Em que pese ter 10% em média para ascensão na França e Bélgica e concurso interno ( aberto a todos os servidores públicos).

    Quanto a carreira única no Brasil, isto não satisfaz a sociedade e nem vai diminuir a criminalidade. Satisfaz a alguns servidores que não passaram no concurso. Esta história de carreira única me faz lembrar a teoria dos jogos. Para carreira única resolver o problema da criminalidade é necessário informar, primeiramente, os outros jogadores, ou seja, “os bandidos”. Você vai chegar no ladrão e dizer: ” Meu irmão, é melhor não roubar mais, pois agora é carreira única”.

    Sem fundamento.

  112. Pois é! Enquanto muitos ainda tem esse sentimento de expectação, como disse antes _você faz por onde. Realmente essa palavra há muito não faz parte do nosso léxico, nada de esperar, de crer. Está onde deseja, é POLICIAL, nasceu com esse psique _ confesso que o seria por mil vezes e vezes.. gosto muito da investigação em todas suas formas e técnicas… Quanto ao país da frita, “faz parte a figura do delegado” infelizmente denegrida por muitos colegas encostados, há exemplo de muitos membros do MP e PJ. Tem razão, é a intelecção correta, há que se fazer reformulação completa, a caixa de maças esta toda contaminada e os frutos podres, como bem frisou em seu benfazejo comentário.
    Se dependermos de esperança, vai ficar como esta, quiça piorar. Não podemos nos resignar diante da bandalheira do país da piada pronta, melhor sorte, fazermos parte dos que querem melhorar e fazer por onde, vamos “rasgar o manto…”
    Muitos dos assuntos discutidos aqui, estão muito distantes do truste que fizemos ao entrar nessa casa, voltemos ao âmago, não podemos abdicar do que somos, muito menos nos resignarmos ao sistema falido.

  113. Policial Consistente.

    Quanta baboseira junta em. Quanto a similaridade do oficio de Delegado de Polícia, nos países citados, no Brasil há singularidade do cargo, é uma carreira eminentemente jurídica, dependendo portanto de formação especifica, bem diferente do que há na França, Argentina, Itália, Espanha e etc. No Brasil e comparativamente aos outros países o Delgado de Polícia esta em um patamar superior aos demais, mas não tem a contraprestação devida pelo Estado, diante das tantas exigências feitas para o oficio. Como bem lembrou o Pacheco, as exigências são realmente as do oficio de um Juiz de Instrução de fato, mas não de direito. É portanto a figura do Delegado de Polícia uma unicidade sim.
    Estamos em um país que exalta a figura do Juiz, do Procurador, sendo que, quem esta realmente investigando, são os policiais, graças a eles existe a operação ” lava-jato” entre outras. A classe policial não é valorizada em todas as formas como deveria. Periquito come o milho e o papagaio leva a fama.
    Os moldes do F.B.I, ou ainda, da P.R.F., podem tornar mais harmônico, mais funcional a gestão das policias no Brasil.
    Ciclo completo não, mas carreira única com a devida contraprestação dos trabalhos sim, melhoraria muito a policia e apagaria a “fogueira das vaidades”, o que deveras, atrapalha muito.

  114. Policial Consciente:
    Quanto a melhorar com a CARREIRA ÚNICA já explanei anteriormente , mas vou repetir:
    A experiência e expertise não são adquiridas em curso de formação ou qualquer faculdade, um chefe que possui a bagagem das ruas com certeza administraria muito melhor, sem falar na enorme economia que geraria ao erário diminuindo o período de cursos de formação, a exemplo com esta sendo realizado hoje na ACADEPOL/SP, que alunos que já pertenciam a carreira policial cursam um período menor que os iniciantes. Já parou para pensa quanto custa a formação de um policial?
    Por este motivo a CARREIRA ÚNICA atende de pronto aos Princípios Constitucionais da : Eficiência e da Economicidade, se isso ainda não for suficiente para justificar essa mudança, pergunto o modelo atual é eficiente? A sociedade está satisfeita com a Segurança Pública? A quem agrada esse modelo?
    Com relação a outros países postei acima um breve relato das policias do mundo, ressalto os modelos da ALEMANHA, EUA e CANADÁ, este ultimo tem uma policia conhecida com a melhor e mais bem paga do mundo, todos essas países citados possuem carreira única, alem de adotarem a forma de Estado Federativa, assim como o BRASIL, enquanto a FRANÇA E ITÁLIA, adotam a forma de Estado Unitário, ou seja o modelo de segurança que mais se aproxima de nos é com CARREIRA ÚNICA.
    Lembro que a forma Federativa de Estado é cláusula pétrea, como disposto no art 60 da CF/88, e o art 144 CF não.
    Deixo 02 perguntas para você:
    1. Se o modelo atual não funcionam por que não mudar? Só para agradar vaidades de quem esta em zona de conforto?
    2. A quem interessa o sistema de segurança do jeito que está?

  115. Policial Consciente:
    Com relação ao efeito na criminalidade implantando a CARREIRA ÚNICA, você sabe muito bem o que iria acontecer, isto é, um chefe com experiencia iria desenvolver sua função muito melhor, produzindo mais com menos erros. Ou o famoso “tirocínio policial” voce aprendeu em alguma aula ou filme de Hollywood?

  116. Bom dia!

    Senhoras e Senhores.

    Cobiçar o quintal do outro não é novidade tampouco PMs à paisana se apresentarem ou se dizendo que são PCs para efetuar “canas quadradas” e ainda denegrir a imagem da Civil!

    O que realmente esta só faltando neste palco dos horrores é o Governador abaixar de vez a cabeça para a gloriosa e acatar todos os ditames da conveniência velada.

    Isso pode ficar pior do que a encomenda e digo mais: Depois que crescer de vez, ninguém vai segurar!

    o MP que me perdoe mas esse filho irá crescer cheio de razão e insubordinado.

    Caronte

  117. Oficiais são tão boçais que, eles podem invadir as atribuições alheias, mas ficam de mimimi se fazem o contrário.

    REJEITADA ADI DA FENEME CONTRA ATRIBUIÇÕES DOS DELEGADOS FLUMINENSES..
    21/02/2017
    Fonte:STF e ADEPOL/RJ

    …por ser entidade de classe que não representa a totalidade da categoria dos militares da PMERJ.

    O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), negou seguimento à Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) 4751, proposta pela Federação das Entidades dos Oficiais Militares Estaduais (Feneme) contra dispositivo da Lei estadual 3.586/2012, do Rio de Janeiro, que regulamenta as atribuições dos delegados de Polícia Civil. Segundo o relator, a entidade não tem legitimidade para propor a ADI.
    Na ação, a Feneme alegava que a norma invade competência constitucionalmente atribuída à Polícia Militar ao prever de forma “genérica” que os delegados da Polícia Civil devem “zelar pela segurança do Estado e de sua população”. Para a federação, o texto apresenta, ainda, expressão inconstitucional ao atribuir ao delegado a atribuição de “promover a prevenção, a apuração e a repressão das infrações penais”, quando a prevenção é competência expressa da Polícia Militar, por meio do policiamento ostensivo.
    Na decisão, o ministro Fachin explicou que a jurisprudência do STF tem entendido que entidades integradas apenas por um segmento da classe que representam não têm legitimidade para ajuizar ação direta de inconstitucionalidade, e que seu caráter nacional não decorre de mera declaração formal constante em estatuto ou atos constitutivos. No caso específico da Feneme, o relator salientou que o Tribunal tem afastado sua legitimidade em outros precedentes. “A categoria de policiais militares é formada pelos oficiais e pelos praças, e a Feneme representa apenas aqueles, estando a sua representatividade limitada a uma parcela de toda a categoria”.

    JA/AD

    Processos relacionados
    ADI 4751

    http://www.adepolrj.com.br/New/Noticia.asp?id=19917#.WK2gMtQrI_4

  118. No Brasil “bacharelesco”, os policiais lutam para serem juristas, “atividade jurídica”, ao invés de lutarem para serem policiais, e isso, graças à valorização do judiciário “esquerdista” que vive em um mundo de faz de conta há muito tempo.

  119. Há de se fazer a reformulação completa do sistema falido do Brasil. Do jeito que está, não dá para ficar. Paizinho da fruita.

  120. Policial Consciente:

    “Esta história de carreira única me faz lembrar a teoria dos jogos. Para carreira única resolver o problema da criminalidade é necessário informar, primeiramente, os outros jogadores, ou seja, “os bandidos”. Você vai chegar no ladrão e dizer: ” Meu irmão, é melhor não roubar mais, pois agora é carreira única”.

    Apenas por este comentário dá para ver porque é necessário a carreira única para ter uma policia eficiente.

  121. Todos querem investigar………A PM mal faz o trabalho dela (ostensivo preventivo) e quer fazer as vezes da PC. Na verdade a PM tem uma dor de cotovelo da PC, por isto que esta deveria se valorizar MAIS. Mas não admitem, os oficiais da PM adoram denegrir a PC, mas tem muita inveja dos Delegados, os praças…….compoem as filas do concursos p/ cargos da PC. Muitas carreiras querem virar Investigadores NA CANETADA (PAPI, Carcepol, agentes, gansos, PMs, etc…), e vem com esse papo de carreira unica.

O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do comentarista que venha a ofender, perturbar a tranquilidade alheia, perseguir, ameaçar ou, de qualquer outra forma, violar direitos de terceiros.O autor do comentário deve ter um comentário aprovado anteriormente. Em caso de abuso o IP do comentarista poderá ser fornecido ao ofendido!...Comentários impertinentes ou FORA DO CONTEXTO SERÃO EXCLUÍDOS. Contato: dipolflitparalisante@gmail.com

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s