Exigir torcida única nos estádios é decretar a falência do Estado 50

OPINIÃO

CONJUR

Por Maurício de Figueiredo Corrêa da Veiga

Os episódios de violência nos estádios de futebol provocam consequências inusitadas. Infelizmente, a violência é uma característica do ser humano e que pode se manifestar de forma exagerada quando há uma reunião de pessoas.

Todavia, a medida que impõe a proibição de comparecimento de uma das torcidas em jogos de alto grau de rivalidade, além de pouco inteligente, demonstra a falência do Estado no tocante ao cumprimento de um de seus deveres: a segurança pública.

Os atos selvagens praticados por determinadas torcidas organizadas não podem prejudicar os torcedores que queiram comparecer ao estádio com crianças e idosos para assistir a um espetáculo, devendo ser ressaltado que lei federal, no caso o Estatuto do Torcedor, afirma que “o torcedor tem direito a segurança nos locais onde são realizados os eventos desportivos antes, durante e após as realizações das partidas”.

Isso sem falar da própria Carta Magna que prevê, no artigo 217, parágrafo 3º, que o lazer deve ser incentivado pelo poder público, como forma de promoção social, fazendo com que o desporto seja uma importante ferramenta de inclusão social, e não de segregação social.

Não é justo que uma pequena horda de vândalos a arruaceiros prejudique milhares de pessoas que querem apenas se divertir.

No intuito de se evitar essa manifesta injustiça, é necessária a punição severa desses agressores, bem como a adoção de práticas eficazes no intuito de proibir que tais atos se repitam.

Inicialmente, deve ser destacado que a segurança desses espetáculos é de responsabilidade de entidade privada. Contudo, em razão da grande concentração popular, também é responsabilidade do Estado, razão pela qual trata-se de uma cooperação mista entre ente público e privado com o objetivo de assegurar a segurança e integridade física da população.

É necessário que a polícia esteja devidamente preparada para impedir e evitar esses atos. Por outro lado, a identificação dos agressores permite a adoção das penas mais severas. Caso isso não seja possível, o clube mandante também tem que ser penalizado, pois assim consta do Código Brasileiro de Justiça Desportiva, mas especificamente no artigo 213, que pune o clube que deixar de tomar providências para prevenir e reprimir desordens em sua praça de desporto.

Contudo, estudos demonstram que a violência praticada por torcedores de clubes, na maioria das vezes, acontece longe dos estádios de futebol, o que afasta a responsabilidade dos clubes e atrai a responsabilidade do Ministério Público para fiscalizar e denunciar os membros de torcidas organizadas.

Com efeito, a responsabilidade pela segurança do torcedor em evento desportivo é da entidade de prática desportiva detentora do mando de jogo e de seus dirigentes. As penas aplicadas aos clubes que tenham integrantes de suas torcidas como participantes de atos de violência são de competência do STJD, cabendo ao Ministério Público denunciar os infratores que deverão responder criminalmente pelos atos de vandalismo e violência.

Insta salientar que as entidades responsáveis pela organização da competição, o detentor do mando do jogo e os dirigentes são solidariamente responsáveis, de forma objetiva — ou seja, independentemente da existência de culpa — pelos prejuízos causados a torcedor que decorram de faltas de segurança nos estádios.

Talvez o grande problema seja a sensação de impunidade de bandidos travestidos de torcedores, que espantam o cidadão de bem que vai ao estádio torcer para a realização de um belo espetáculo, mesmo quando o seu time não está entre os protagonistas.

É de fundamental importância que o artigo 39-A do Estatuto do Torcedor (Lei 10.671 de 15/5/2003) seja rigorosamente cumprido, pois se trata de medida que poderá inibir a prática de violência, na medida em que sua disposição prevê que “a torcida organizada que, em evento desportivo, promover tumulto; praticar ou incitar a violência; ou invadir local restrito aos competidores, árbitros, fiscais, dirigentes, organizadores ou jornalistas será impedida, assim como seus associados ou membros, de comparecer a eventos esportivos pelo prazo de até 3 (três) anos”.

Outra atitude manifestamente equivocada é a criminalização das torcidas organizadas. Com efeito, são elas as grandes responsáveis pelo espetáculo nas arenas desportivas. Infelizmente, algumas pessoas infiltradas podem praticar atos criminosos, razão pela qual essa conduta é que deve ser reprimida, sendo injusta a generalização, ou tentativa de banimento das torcidas organizadas, tendo em vista que todos os órgãos da sociedade estão passíveis de serem infiltrados de criminosos. Prevenir é mais eficiente do que remediar.

Chega a ser ingênuo o comportamento daqueles que pregam a extinção das torcidas organizadas. Tal ato pode ser comparado ao ato do marido que flagra a mulher o traindo com uma pessoa no sofá de sua sala e sua atitude é a de se livrar do sofá.

Certamente que os criminosos que estavam infiltrados naquelas organizações atuarão em outra frente, e o problema continuará.

De acordo com o sociólogo Maurício Murad, o banimento das torcidas organizadas não é o caminho certo, pois, de acordo com pesquisa por ele elaborada nas últimas décadas, apenas 5% a 7% dos membros das torcidas organizadas são “bandidos” que cometem delitos e, por isso, não seria justo punir a maioria por causa dos atos de uma minoria.

Com efeito, não seria justo postular a extinção do Ministério Público diante de eventual conduta criminosa praticada por um ou dois de seus membros.

Tal situação não é exclusividade do Brasil. Nas décadas de 1970 e 1980, o futebol inglês experimentou dias difíceis com a violência de torcedores conhecidos como hooligans.

Pelo menos duas tragédias envolvendo times britânicos fizeram o país tomar medidas drásticas para combater o problema. A primeira delas ocorreu durante a final da Copa dos Campeões em 1985, em Heysel, quando 35 torcedores da Juventus morreram em uma briga com torcedores do Liverpool.

A segunda ficou conhecida como a tragédia de Hillsborough, quando 96 torcedores do Liverpool morreram na cidade de Sheffield, durante a final da Copa da Inglaterra, esmagados contra as grades por causa da superlotação do estádio no ano de 1989.

Este último incidente inspirou a elaboração do relatório Taylor, apresentado no Reino Unido, tendo sido comprovado, naquela ocasião, que a tragédia não foi provocada por venda de bebidas alcoólicas ou por violência praticada por torcidas organizadas, mas em razão de desorganização, despreparo e superlotação.

Coube a então primeira-ministra, Margareth Thatcher, adotar medidas drásticas, na década de 1990, para acabar com os hooligans e a violência no futebol inglês. A primeira medida anunciada foi a reforma nos estádios. Em vez das tradicionais arquibancadas de cimento e alambrados, foram introduzidas as cadeiras. A segunda medida (de eficácia comprovada) foi a punição severa a torcedores envolvidos em confusões e ingressos mais caros.

Por fim, cumpre reiterar que, de acordo com o Estatuto do Torcedor, é dever do Estado, das entidades desportivas e dos seus dirigentes garantir e implementar planos de ação sobre a segurança aos torcedores,

Com efeito, a adoção de “torcida única” em clássicos é o mesmo que assumir a incapacidade de praticar um ato inerente à própria atividade. É como um atacante dizer que não consegue chutar a bola em direção ao gol.

 é sócio do Corrêa da Veiga Advogados, presidente da Comissão de Direito Desportivo da OAB-DF, membro da Academia Nacional de Direito Desportivo (ANDD) e secretário da Comissão de Direito Desportivo da OAB Federal.

Revista Consultor Jurídico, 27 de fevereiro de 2017, 6h16

  1. É um evento particular com fins lucrativos, qual a justificativa legal para a utilização de forças policiais no local e não de segurança privada?

  2. É a mais pura verdade, em evento particular não deve ser usado o aparato da segurança pública.
    Também é um absurdo usar financiamentos públicos em futebol e carnaval.

  3. Assunto que abordava segurança em estádios de futebol outrora foi feito neste espaço. O meu ponto de vista é nesta mesma linha dos colegas acima.

    Clubes pagam fortunas para jogadores, técnicos, etc. As Federações e Confederações deveriam bancar a SEGURANÇA PARTICULAR nos Estádios.

    Cade um Deputado Estadual macho para propor uMa LEI que retira as forças de Segurança de eventos desta natureza??

    Por fim, nos dias atuais o sujeito que busca diversão indo ver jogo de futebol, faça-me o favor. Não tem coisa melhor para fazer? Tá pedindo pra levar na cabeça…

  4. GENTE !, ENTENDO QUE, ” CHUMBO TROCADO NÃO DOÍ “. NO ANO DE 1983, NA FINAL DO CAMPEONATO BRASILEIRO ENTRE SANTOS E FLAMENGO, ONDE O TÍTULO FOI DECIDIDO EM DUAS PARTIDAS, A PRIMEIRA NO MORUMBI E A SEGUNDA NO MARACANÃ. EU, UM COLEGA ESCRIVÃO, HOJE DELEGADO E OUTROS DOIS AMIGOS, VALE LEMBRAR QUE ANTES DE VIREM FALAR CERTAS ASNEIRAS, TODOS GRAÇAS A DEUS ESTÃO VIVOS. FOMOS AO JOGO COM A CAMISA DO SANTOS. QUANDO DO TÉRMINO DA -PARTIDA, ONDE O SANTOS VENCEU POR 2 X 1, UMA TROPA DE SAFADOS E ARRUACEIROS DA TORCIDA DO FLA, PORTANDO BANDEIRAS COM MASTROS DE BAMBU, INVESTIRAM CONTRA O MEU CARRO, QUANDO UM DOS INDIGITADOS QUEBROU O BAMBU NO TETO DO VEÍCULO. RAPAZ !, NÃO TITUBEEI EM PEGAR O “TRÊS OITÃO” QUE ESTAVA SOB O BANCO DO MOTORISTA E SENTAR O AÇO PARA TODOS OS LADOS, INFELIZMENTE NENHUM DAQUELES SAFADOS FOI ATINGIDO. E, ME AJUDEM AÍ Ó !…

  5. Kkkk legal blindado e isso ai pena que hoje nem portar arma do estado posso mais o DPME junto a corregedoria proibiu kkk

  6. Carcereiro13 e demais colegas…

    Querendo, achando, ou não,

    Em razão da grande concentração popular, “também é responsabilidade do Estado”, razão pela qual trata-se de uma cooperação mista entre ente público e privado, portanto, isso não vai acabar.

  7. Sr. TIRA VÉIO

    “também é responsabilidade do Estado”

    É responsabilidade do Estado utilizar verba pública em serviços de interesse público, os milicianos que são direcionados para estes eventos, são retirados do patrulhamento, portando deixando de cumprir sus obrigação de proteger o cidadão.

    (… portanto, isso não vai acabar…)

    Acabara no dia que a Sociedade descobrir o que significa “ quinzena”.

    CORRUPÇÃO UM CÂNCER QUE ESTÁ DESTRUINDO ESTA NAÇÃO

  8. Caro TIRA VÉIO disse: 28/02/2017 ÀS 11:13, se me permitir, mas universidades públicas e particulares, escolas públicas e particulares, nas linhas do Metro e CPTM também temos uma grande concentração popular, e nestes casos não vemos as forças policiais do Estado fazendo patrulhamento no corredores, estacionamento e no interior destes estabelecimentos.
    Nestes casos também temos a cooperação público privado.
    O fato é que se o governador quisesse ele conseguiria obter da PGE um parecer desobrigando a PM de fazer policiamento no interior do estádio, vide copa do mundo, onde as forças policiais ficaram do lado de fora.
    A muito tempo estádio de futebol deixou de ser lazer para família e de gente honesta, quem vai, já sabe de ante mão, o que pode esperar e assume o risco. Simples assim.
    Ficar chorando e comparando com o passado é coisa de saudosista, que não leva a lugar nenhum, esta situação de briga de torcidas só vai pior. E sendo bem sincero quero que eles morram.
    O Estado brasileiro está falido em diversas áreas saúde, educação e segurança pública são as mais visíveis.
    É muito difícil você ver um “especialista” em transporte público, fazendo um editorial, apontado às falhas a (in)responsabilidade e a falências do Estado em relação as nossas rodovias, que mata muito mais que as guerras de torcidas, por que será¿
    Deve ser porque falar de futebol dá muito mais IBOPE.

  9. Quero que se fo.da o futebol, o carnaval!!!
    Quero que se fo.da quem frequenta, financia, estimula e consome toda essa mer.da.
    Bando de lixo!!!!!!

  10. Tem infinitas coisas mais importântes além de jogatina, futebol e carnaval. Quanto lixo junto disse:

    “Esporte de arena” aos moldes dos espetáculos grotescos feitos na Roma antiga, do tipo que diverte a gentalha. Como já foi dito por diversos colegas aqui, “espetáculo privado com fins lucrativos”, dentro das arenas quem deveria fazer a segurança é a organização do evento através de quem queira contratar.
    De resto, postagem nada haver, uma grande merda de somenos importância diante da situação político-social do país, LIXO.

  11. Tem infinitas coisas mais importântes além de jogatina, futebol e carnaval. Quanto lixo junto disse:

    Fazer segurança com o dinheiro público em evento particular (internamente) é uma grande sacanagem. Fácil resolver os problemas das brigas animalescas e sem sentido. Todo mundo torce para quem esta ganhado. FIM.

    De resto nada justifica gastar dinheiro público com segurança publica dentro de arenas dissimuladas de esporte, puro “circo”, mas sem pão o que é pior.

  12. Só vermos onde foi nosso dinheiro com construções de arenas pelo Brasil todo, arenas que levaram bilhões e bilhões em obras super faturadas, agora caem aos pedaços sem retorno nenhum, só serviu para enriquecer os mesmos expertos de sempre, Puta que o pariu. Sacanagem de sempre e ninguém faz nada. Povo burro, semovente deve continuar a pastar mesmo.

  13. Todo tópico o Blindado direto de João Pessoa nos brinda com uma de suas histórias hilarias. Deve ser o Forest Gump do DECAP. Enquanto alguns se ofendem para ver quem come menos merda nessa Polícia que está a deriva. Você nos oferece, mesmo que por alguns poucos segundos, um pouco de humor através dos seus “causos” de quando estava na ativa.

  14. “7% dos membros das torcidas organizadas são meliantes”
    O vagabundo que faz uma afirmação falaciosa dessas só pode estar levando um qsj….
    NÃO HÁ TORCIDA ORGANIZADA QUE PRESTE…
    TODOS…TODOS…ABSOLUTAMENTE TODOS OS MEMBROS SÃO VAGABUNDOS.
    Qualquer coisa diferente disso…é piada…

  15. Minha namorada estava chupando meu pau na sala, de repente minha sogra aparece do nada e quer entrar na brincadeira. O que fazer numa hora dessa?

  16. Tuthucao

    Se for boa deixa ela participar.

    Se for derrubada faz q nem o Blindado…pega o 3OITAO e atira p todos os lados.

    Boa sorte

  17. O Estado de São Paulo começou a ruir em 1994. Isso nem importa mais porque os presídios e favelas paulistas são de organização criminosa única, isto é PCC. Torcida é o de menos.

  18. Prezados Colegas.

    Apenas quis ser econômico em minha postagem, portanto repeti apenas parte do que foi publicado pelo Conjur

    “Inicialmente, deve ser destacado que a segurança desses espetáculos é de responsabilidade de entidade privada. Contudo, em razão da grande concentração popular, também é responsabilidade do Estado, razão pela qual trata-se de uma cooperação mista entre ente público e privado com o objetivo de assegurar a segurança e integridade física da população”.

    Não que eu esteja de acordo, mas, esses são os argumentos para que possam destacar os policiais para esses eventos em detrimento

  19. …….em detrimento de policiamento.

    Percebem que isso não vai acabar?

    Uma pena.

    Abraços

  20. Torcidas que se fodam…..Bando de arruaceiro, psicopata e bandido, utilizam-se disso para extravasar suas neuroses e recalques, investindo contra o próximo, muitas vezes mortalmente!!! Quando não dentro, fora dos estádios também!!! O que falta aqui são leis severas que punam rigorosamente essas atitudes, assim como os crimes, hoje banalizados, pois seus cometedores sabem da inércia das leis vigentes e que o governo quer esvaziar as cadeias. Hoje bandido manda dentro e fora delas, nem policial é respeitado mais, pelo contrário, são mais vítimas que as próprias vítimas!!! Esse policiamento do Choque deveria ser utilizado no patrulhamento normal, dividido por áreas em que são mais necessários. Hoje o que mais se ve é o policiamento de área, do transito e até da GCM para autuar veículos à torto e à direito, armam bloqueios ” pega trouxa” , gente honesta que as vezes é só problema de documentação atrasada, uma besteira no veículo e acabam deixando o cara cheio de multa e a pé ainda. Domingo passado, meu irmao, que é comerciante, esteve na residencia de nossa tia, na zona leste, e ao estacionar seu carro na porta da casa foi cercado por tres indivíduos armados, os quais indagaram a ele o que fazia alí e se era policial….revistaram-o , bem como seu veículo….após não acharem nem arma nem funcional com ele tais indivíduos foram embora, nada disseram ou subtraíram dele. E se fosse um de nós que estivesse lá????

  21. SR; “Tuthucao” ! CONVIDA ESSE TAL DE ” fernandinhogoe”, PARA DAR UMA AJUDA PARA A MOÇOILA, pois ele é useiro e vezeiro numa chupetinha. E, ME AJUDEM AÍ Ó !…

  22. O problema é de educação, cultura de um povo, estado não tem nada com isso, se o povo ainda não tem amadurecimento, tem que ser tratado igual boi.

  23. GENTE PELO AMOR DE DEUS, NO DECAP ESTÁ FALTANDO COPO CAFÉ CARTUCHO IMPRESSORA COMPUTADOR PASTA DE INQUÉRITO ELÁSTICO VIATURA FUNCIONÁRIO, o que estão querendo fazer com a Polícia Civil? Será que esses delegados não estão vendo isso?
    Pelo amor de Deus qhe vergonha

  24. TRÊS LONGOS ANOS SEM AUMENTO

    Quem não cumpre uma Lei, provavelmente, não cumpre outras.

    Art. 37. A administração pública direta e indireta de qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios obedecerá aos princípios de legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência e, também, ao seguinte: (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19, de 1998)

    X – a remuneração dos servidores públicos e o subsídio de que trata o § 4º do art. 39 somente poderão ser fixados ou alterados por lei específica, observada a iniciativa privativa em cada caso, assegurada revisão geral anual, sempre na mesma data e sem distinção de índices; (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19, de 1998) (Regulamento)

  25. A PC está corroendo o racional de todo mundo.

    Tem até colega com fetiche na língua da sogra.

    Aí, é de fechar a instituição.

  26. Ano que vem tem eleição. Talvez venha uns 15 % pagos em 3 parcelas anuais de 5% até 2020. Nossos governantes e suas atitudes são mais previsíveis do que diarreia pós lacto purga.

  27. A blindada de arma na mão e uma bixa feroz , sem ela anda rebolando e até muda de voz.

  28. POLÍTICA

    DA BASE
    ‘Como está, é óbvio que a reforma da Previdência não passa’, diz Onyx Lorenzoni
    Deputado do DEM critica regra dos 65 anos para idade mínima para aposentadoria e avisa: “se o relator do governo insistir no texto apresentado, esse texto não vai ser aceito, porque é irracional”
    por Eduardo Maretti, da RBA publicado 01/03/2017 20h02
    ZECA RIBEIRO/CÂMARA DOS DEPUTADOS
    Onyx Lorenzoni
    “O governo embola tudo, fazendo terrorismo demográfico”, diz deputado do DEM do Rio Grande do Sul
    São Paulo – “Eu sou a favor da reforma da Previdência, mas ela tem de ser modificada. Não pode ser do jeito que está proposta. Do jeito que está, é um estímulo para a desestruturação do sistema de contribuição.” A opinião não é de deputado de oposição a Michel Temer na Câmara dos Deputados, mas de Onyx Lorenzoni (RS), do DEM, partido da base do presidente da República. Ele afirma que é “independente”.

    Para o parlamentar, sem que sejam feitas modificações, a proposta não passa pelos deputados. “Como ela foi (para a Câmara), é óbvio que não passa. Vai ter que ter muitas modificações para ter alguma chance de aprovação”, diz. O deputado alega que, quanto ao regime geral da Previdência, suas principais discordâncias no texto que o governo Temer quer aprovar “a toque de caixa” são a regra dos 65 anos, as regras de transição e a “atratividade do sistema”. “A proposta vai ter de ser adequada. Como ela veio, se o relator do governo (Arthur Maia – PPS-BA) insistir no texto apresentado, esse texto não vai ser aceito, porque ele é irracional.”

    A reforma da Proposta de Emenda à Constitucional (PEC) 287 fixa a aposentadoria por idade, que deverá ser no mínimo de 65 anos, para ambos os sexos. Além disso, exige um tempo mínimo de 25 anos de contribuição.

    “O que também precisa fazer é separar da discussão a Previdência da assistência social, que são coisas diferentes, financiadas diferentemente. O governo embola tudo, fazendo terrorismo demográfico”, diz Lorenzoni. “O governo diz que daqui a tantos anos vai ter mais brasileiro aposentado do que trabalhando, que as pessoas vivem mais, como se em outros países não resolvessem esse problema por meio da produtividade”, diz. “Falta sustentação técnica para fazer do jeito que estão fazendo, então fazem terrorismo, aí todo mundo vota na hipótese de que tem de votar para resolver o problema. O que é um erro é fazer a reforma a toque de caixa.”

    Há dez dias, o deputado afirmou que “bem ou mal, o sistema (da Previdência) funciona”. “A minha discordância, apesar de meu partido ser da base, é porque sempre tive uma atuação independente, sempre procurei responder primeiramente aos meus 149 mil eleitores, e depois vamos ver como a gente vai trabalhar e caminhar nas questões que envolvem governo, ou as questões de partidos”, disse à RBA.

    Segundo ele, a classe média é a principal prejudicada com a reforma de Temer. “Quem usa a Previdência pública é a classe média, média baixa, do pequeno artesão ao empresário de porte médio. O muito rico não está nem um pouco preocupado com a Previdência e o muito pobre tem a Loas (Lei Orgânica da Assistência Social), que lhe dá total suporte. Nas duas pontas, bem ou mal, o Estado brasileiro já resolveu o problema, a sociedade já resolveu o problema. Por isso me preocupo muito com a classe média.”

    Segundo ele, dizer que a intenção oculta da reforma seria, em última instância, acabar com a previdência pública para a previdência privada ocupar seu espaço “já é viagem”. “Ninguém no Congresso vai abrir mão de ter a disponibilidade de uma previdência pública e ter o sistema eficaz. O próprio governo federal não pode prescindir disso. Tem muito fantasma. O que precisa é racionalidade e seriedade no trato da questão.”

    Leia mais:

    Deputado prevê que ‘união poucas vezes vista’ derrotará reforma da Previdência

  29. Manifestação em Bauru hoje, quem tiver notícias repasse por gentileza.

  30. E então, estamos no dia 02 de março! Cadê a surpresa anunciada no vídeo ameaçador?

  31. Tamu fazeno mobilização pros delegado ganha mais e cobra mais di nóis! Nóis ama us delegado!!!

  32. Se tiver algum reajuste em 2017, talvez seja somente no 2º semestre; vejam nos sites das associações da PM, a resposta do governador, quando da reunião havida no palacio dos bandeirantes; o governo está empurrando com a barriga, com a alegação da lei de responsabilidade e queda da arrecadação; um bom motivo para se esquivar de reajuste. Alguns delegados e oficiais superiores da PM não precisam de reajuste, pois estão acima do teto, inclusive com desconto no valor acima do teto. O governo precisa dar um aumento escalonado, beneficiando quem está na situação de penuria, pois são a maioria e os que mais trabalham.

  33. sem reajuste
    sem contratação
    sem direção
    portanto vamos rezar para tentar ficar bom,
    porque sem o chefe (delegado) estão fudidos imagina os peões

  34. Três anos sem reajuste é um suplício, e ainda nos forçando ao Trabalho Análogo a Escravidão é pior ainda.

  35. Delegacias deviam ser regionalizadas, com grandes equipes de investigação, como a polícia federal, cidades com 10 mil habitantes ter e manter um delegacia é coisa do passado, é costume de faroeste onde o xerife colocava ordem no condado, Polícia Civil deve ter equipes grande de investigação, grampo, equipes preparadas, não adianta manter um delegacia aberta em pequenas cidades com um investigador e um escrivão para fazer graça para sociedade e prefeito, isso é uma inutilidade, em Minas Gerais e Paraná só tem delegacia em cidades com 30 mil habitantes pra cima.

  36. TAMBEM MEREÇO O TAL DE GAT…..

    ooo louco meu , é cada uma , que é dificil de engolir.

    lendo o diario oficial do estado pag da pc , constatei que quando um delpol sai de ferias em uma dp, nestas EPJs
    os outros acumulam a função ao cobri lo. mas ganham a tal de GAT.

    e eu e os meus colegas do restopol , que quando somos em 05 equipes sai um de ferias , os outros terão que cobri lo
    sem ganhar nenhum centavinho a mais… esta justo isto.

    eu mesmo desde meados de agosto de 2016 , estou tirando 16 plantões de 12 horas cada por mes…. pois um esta de ferias , e estamos trabalhando em 04 equipes , na delegacia.

    e sem ganhar um realzinho a mais…………………

    porque esta diferença de funcionario , uns ganham , outros não..

  37. fora o papel higienico que eu tenho que levar da minha casa. pois na minha delegacia não existe isso de graça.

    isso é uma vergonha,

  38. Meu sonho era ter ao menor 11% de reposição da inflação, para pagar minhas contas.

  39. O sujeito chega em casa e pega a mulher dele pelada com o Ricardo no sofá. O corno vai e joga o sofá fora.

O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do comentarista que venha a ofender, perturbar a tranquilidade alheia, perseguir, ameaçar ou, de qualquer outra forma, violar direitos de terceiros.O autor do comentário deve ter um comentário aprovado anteriormente. Em caso de abuso o IP do comentarista poderá ser fornecido ao ofendido!...Comentários impertinentes ou FORA DO CONTEXTO SERÃO EXCLUÍDOS. Contato: dipolflitparalisante@gmail.com

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s