Presidenta do sindicato dos delegados de São Paulo desceu das sandálias e armou barraco em Bauru denegrindo ainda mais a combalida imagem dos delegados perante as demais carreiras e membros da OAB 205

Tivemos uma demonstração de mau-caratismo e oportunismo ímpar em Bauru no evento promovido pela Adpesp eSindicatos de Bauru, Santos e Prudente, protagonizado pela ” japinha tupiniquim” que demonstrou o que realmente é e quer,  na ocasião. Vocês não fazem ideia do que ela fez por lá.
Pra começar, não participou de nada. Nem organização nem custeio nem pauta. Absolutamente nada, mas no dia do evento, surgiu como se fosse a primeira ministra, já cobrando seu lugar na mesa, sua fala e uma reverência especial por ser delegada num evento promovido por entidades de “operacionais” junto com Adpesp.
Houve, a princípio, resistência dos organizadores porque o protocolo já estava pronto e para surpresa de todos a “representante dos delegados”, numa demonstração de clara subserviência, ligou para o celular do DGP, Dr. Youssef, para que interviesse junto aos organizadores e “determinasse” que ela fizesse parte da mesa, porém ninguém nem sequer atendeu a ligação do “chefe”.
Ainda assim, a presidente, após agredir um investigador do Sipol Bauru que coordenava a entrada para o palco onde estava a mesa, subiu e tomou para si a cadeira destinada ao presidente do SIPOL Bauru, anfitrião do evento, deixando-o em pé e todos atônitos pela falta de educação, urbanidade e respeito com aqueles que organizaram o evento que levou para Bauru, mais de 700 policiais civis de todas as carreiras e todo estado que se fez representar por suas seccionais.
Um dos presentes, tão atônito quanto os demais, com educação a interpelou mas antes que terminasse de formular a pergunta, foi interrompido pela delegada que, sem microfone, passou a gritar descontroladamente com ele. Mas ainda não estava bom pra ela. Não esperando sua vez de falar, iniciou um discurso inflamado, sem uso microfone, dirigindo-se ao púlpito onde havia um mestre cerimônias e ali fez seu discursinho próprio de pessoa despreparada, mostrando destempero e absoluta falta de educação e controle emocional.
Consigna-se que toda essa baixaria foi presenciada pelo presidente da OAB, Sub Seção Bauru, que cedeu às dependências da Ordem para o evento por deferência ao presidente SIPOL Bauru, além do delegado Olim e vereadores policiais civis.
Durante todo evento, manteve-se ao celular, informando o que acontecia no local e “pedindo” ajuda, até que uma de suas seguidoras, após ser orientada, levantou-se cobrando a fala da presidente, embora o evento não estivesse ainda se encerrado e nessa fala, a presidente dos delegados, carreira jurídica e dirigentes da PC deixou registrada sua marca. Destemperada, despreparada, desagregadora, infantil e mimada. Atacou os policiais civis e os representantes de classe anteriores aos seus QUATRO longos anos na Policia e aos seus DOIS meses à frente do Sindicato. Fez referencia a Dra. Marilda ao denegrir trabalho de representar que estaria há OITO anos na entidade de classe, mas felizmente a Dra. não fez seu jogo e permaneceu tranquila sem revidar ao destempero, assim como todos os integrantes da mesa.
Mesmo após o sucesso do evento e tendo os fatos fielmente narrados acima sido presenciados pelos 700 policiais presentes, para surpresa de todos, a presidente passou a se dizer atacada, ofendida e humilhada pelos “operacionais” como rotula o “resto” dia policiais, o que demonstra que, além do destempero e do oportunismo, também lhe falta humildade e compromisso com a verdade já que em nenhum momento foi desrespeitada, mas sim desrespeitou colegas que viajaram mais de 500 km para ali estar, além dos organizadores do evento que em nenhum momento contaram com a participação do sindicato dos delegados e para os quais foi uma surpresa a ilustre presença. Lamento pela Polícia Civil por ter a frente de uma de suas principais entidades de classe, representante que deixa muito a desejar nos quesitos respeito, educação, compromisso com a PC e com a verdade. O tempo mostrará sua verdadeira face. Ele sempre mostra.
Dr. Guerra, estamos editando fielmente as partes acima descritas porque gravamos tudo. Vamos passar para o Sr. assim que estiver pronto. Pensei já ter visto tudo. Acho que falta muito pra ver…
Vergonha porque presidente OAB estava presente. Muito barraqueira…. estamos perdidos!
Felizmente, ainda temos a Dra. Marilda, presidente da ADPESP, como liderença legítima ; sempre agregadora , muito preparada e digna do cargo que exerce. Mas dezembro logo chega e infelizmente a ADPESP pode ser tomada de assalto por arrivistas do jaez da sindicalista aqui mencionada.
Que Deus nos proteja!

  1. Não entendi muito, não ha 1 minuto de video, não deu PAra ter ideia do que aconteceu.
    Mas a principio pareceu muito nervosa e inapta pra conduzir uma reunião.
    Mas se a adpesp não participou da organização, não deveria ter espaço, a não ser com a aprovação da maioria que lá estivesse.

  2. Boa noite!

    Senhoras e Senhores.

    É nesta hora que temos que deixar de lado certas picuinhas e caminharmos juntos para o mesmo objetivo.

    É difícil! Mas é assim que tem que ser!

    O inimigo age de maneira ardilosa tendo sempre como intuído a desagregação. Não se pode perder o foco.

    Todos os Sindicatos das respectivas Categorias devem se unir para enfrentar essa humilhação e pouco caso da qual fomos colocados. De vítimas desta crise, querem nos transformar em vilões.

    Se estamos hoje nesta angústia, existe um culpado nesta história e, seguramente não são os Policiais Civis.

    Caronte

  3. Dia 02 de março foi realizado um mega evento na sede da OAB Bauru onde reuniram-se cerca de 1000 policiais civis que buscavam encontrar uma luz no fim do túnel diante de um governo reconhecidamente insensível com a Polícia Judiciária. Este evento foi trabalhado, organizado e custeado pela Associação dos Delegados de Policia do Estado de São Paulo e Sindicatos de Policiais Civis das regiões de Bauru, Presidente Prudente e Santos. A criação do evento teve o condão de unir todas as categorias profissionais e, desprovidos de vaidades, historicamente quatro representantes de entidades de classe conseguiram agregar, somar, multiplicar e apresentar propostas aceitas por todos os presentes. Até aí aplausos, porém (ah esse maldito porém), uma representante de um sindicato de delegados de São Paulo, Raquel Galinati, sem nunca ter participado de qualquer tratativa, nenhuma reunião, conversa, seja o que for, surgiu do nada, exigiu lugar ao sol, forçou a barra ao subir à mesa de trabalhos mesmo não tendo sido convidada, deixando um dos organizadores em pé e, tomando o microfone de assalto passou a relatar suas atividades sindicais que não guardavam qualquer relação com o evento. Foi humilhada, vaiada porém (ah o maldito porém), ela conseguiu seu intento: numa clara estratégia de lançar as categorias profissionais uma contra a outra conseguiu também colocar delegados contra delegados, dividindo ainda mais a Polícia Civil. Estamos de olho. Sua tática é bem conhecida e quem está por trás dela está sabendo te usar direitinho. Só que cuidado, ninguém é otário e o resultado disso será debitado em sua conta.

    Comentário do leitor Marcelo

  4. Estive presente no evento e não concordo com a íntegra do texto.
    Não conheço a Dra. Raquel e meu julgamento sobre o ocorrido baseia-se apenas naquilo que presenciei na reunião em Baurú.

    Desde o inicio do encontro, pregaram a união de forças. Se a Dra. Raquel não participou anteriormente da organização do evento, seria muito mais civilizado se esclarecessem tal fato e deixassem claro que a ouviriam e, sendo o caso, após o evento a mesma passaria a integrar a liderança do movimento.

    Recordo que, ao perceber que seria ignorada, pediu a palavra e responderam que aguardasse. Ao notar que a palavra não lhe seria dada, manifestou-se mesmo assim e enquanto discursava, um participante, inapropriadamente a interpelou rispidamente, a acusando de defender tão somente a classe dos Delegados, no que, de fato, não deixa de ter razão, porém, o momento foi inoportuno e agiu com rispidez desnecessária e constrangedora.

    Ao final, uma participante mostrou a contradição em pregar a união e ignorarem a Dra. Raquel, a qual, se ali esteve, presume-se que queria ajudar.

    Nesse momento, a Dra. Raquel passou novamente a se manifestar e, ao término da sua fala, foi ovacionada por todos que ali estavam, o que me causou a impressão de que estavam todos desconfortáveis com o tratamento a ela dispensado.

    Resumindo, gostei da reunião, porém, achei que faltou tato com a presença surpresa da Dra. Raquel e vi uma clara demonstração do motivo pelo qual estamos passando por essa situação tão complicada na Polícia Civil, ou seja, guerra de egos, enquanto nós precisamos justamente daquilo que tanto pediram desde o inicio a todos os participantes, ou seja, união de forças.

  5. Devemos conhecer o passado para entender o presente e planejar o futuro.

    Existe uma regra, infalível, muito utilizada pelos governantes ao longo da história “Dividir para conquistar”, enquanto uns se considerarem superiores aos outros não haverá união, princípio básico de toda reinvindicação vitoriosa.

    Depois que a verba destinada a valorização das carreiras de Investigador e Escrivão ter sido desviada para o GAT, verba esta que iria abrir a porta para as outras carreiras também serem valorizadas, não é possível aceitar a participação dos Delegados enquanto não assumirem um compromisso público de só aceitar uma solução que englobe todas as carreiras.

    Enquanto eles não se manifestarem, neste sentido, seremos apenas massa de manobra, novamente.

  6. pelo que entendi a delega foi la pra tumultuar a reunião.não foi la pra pregar a união , mas sim a desunião.
    essa foi a função dela , a serviço de quem ??????????????????????????

  7. talvez em 2018 ela se candidate a deputada pelo PSDB…
    ou eu estou errado ?????????????????????????????

  8. Nada muda, qualquer movimento é sempre para beneficiar delegados, os operacionais são apenas massa de manobra.

  9. Depois dessa alguém ainda acredita que estão brigando por todas as carreiras?
    Se a resposta for positiva deve acreditar também em papai noel e coelho da pascoa.

  10. É isso aí……..restopollllllllllll : estamos sózinhossssssssssssssssssss!!!!!!!!!!!!!!!!!! Aliás, como sempre estivémos!!!! A nobre carreira jurídica consegue aumento na surdina, GAT e outros, óbviamente nada farão por nós!!! A meu ver, além de um reajuste à eles na surdina, creio que ano retrasado, salvo engano e o tal do GAT ( a maior injustiça que ví em mais de 5 quinquenios de polícia), tais foram os maiores divisores entre eles e o resto, como assim denominam. A boca das cadeiras sempre foi bem calada e o GAT serviu para calar os plantonistas!! E digo mais, nao se iludam com mais ninguém, somente quem pode fazer algo é o Governador, ninguém vai se meter nisso!!!

  11. COLEGAS:

    ATÉ ACREDITO QUE, COMO DISSERAM ACIMA, A DOUTORA RAQUEL TENHA SIDO COLOCADA DE LADO, APESAR DE ESTAR ALI, QUEM SABE, PARA SOMAR.
    MAS, VAMOS E VENHAMOS, TAMBEM COMO JÁ FOI MASSIVAMENTE DITO NESTE FLIT, OS GRANDES CULPADOS POR ESTAR-MOS NESTA CALAMIDADE, SÃO OS SENHORES DELEGADOS DE PELÚCIA, DIGO, POLÍCIA… KKKK
    OUTRA COISA QUE JÁ FOI MASSIVAMENTE DEBATIDA NESTE FLIT, É A TAL FOGUEIRA DAS VAIDADES, ONDE, INVESTIGADOR NÃO SE MISTURA A NINGUEM, POIS SÓ TIRA…. ESCRIVÃO NA MAIORIA DAS VEZES, ATÉ SE MISTURA, MAS AO LEMBRAR DO N.U., OLHA PARA OS DEMAIS COM UM CERTO NOJINHO… KKKK
    AS DEMAIS CARREIRAS, O RESTO DO RESTO, SENTEM-SE MENOSPREZADAS POR TODOS, E COM RAZÃO.
    LEMBRO-ME COMO SE ONTEM FOSSE, DO QUE FOI-ME DITO NO MEU PRIMEIRO DIA DE AULA NA NOSSA ACADEPOL, “A POLÍCIA CIVIL É COMPOSTA POR 14 CARREIRAS ESPECÍFICAS, MAS, NA VERDADE, SÃO DUAS. DELEGADOS DE POLÍCIA E O RESTO!”
    BASEADO NESTE PUJANTE E MAJESTOSO PENSAR PELA MAIORIA DOS DELEGADOS, COMO SEQUER IMAGINAR UMA UNIÃO, SE MESMO DENTRE O RESTO, ELA NÃO EXISTE?
    COMO JÁ FOI ALERTADO NESTE FLIT, CUIDADO COMO O CANTO DA SEREIA.
    TIVE A FELICIDADE DE TRABALHAR COM VÁRIOS COLEGAS DE VÁRIAS CARREIRAS POLICIAS QUE OBTIVERAM EXITO EM ALÇAR À CARREIRA DE DELEGADO.
    ALIÁS, FIQUEI MUITO FELIZ, POIS O QUE IMPORTA NA VIDA, NÃO É VER COLEGAS DE TRABALHO SE FUDENDO, É SIM, VÊ-LOS ALÇAR VOOS MAIS E MAIS ALTOS, SE BEM QUE ALGUNS COLEGAS CEDERAM À LAVAGEM CEREBRAL NA ACADEMIA, E SE TRANSFORMARAM EM PESSOAS NOJENTAS, SE SENTIAM DEUSES DO OLIMPO, ACHO ATÉ QUE ALEM DA LAVAGEM CEREBRAL QUE NORMALMENTE É FEITA NA ACADEPOL, DEVEM FAZER TRANSFUSÃO DE SANGUE VERMELHO, PARA O AZUL…. KKKKKK
    POREM HÁ EXCEÇÕES, TENHO AMIZADE COM ALGUNS QUE NÃO SE DEIXARAM CONTAMINAR.
    BEM COLEGAS, MUDANDO DE PATO PARA JACARÉ….. PUTZ, JACARÉ NÃO, ESSE NOME NÃO É BOM, REMETE BATEÇÃO DE CASCOS, LUSTROS DE SAPATOS DOS SANGUE AZUIS DE LATINHA NO OMBRO….. KKKKKK
    LI QUE A REUNIÃO DE BAURU TEVE BONS E MAUS MOMENTOS.
    LI TAMBEM QUE O SR SECRETARIO CONVIDOU PARTICIPANTES DE SINDICATOS/ASSOCIAÇÕES, PARA FAZER PARTE DE UM TAL GRUPO DE TRABALHO E TAL…… ALGUEM JÁ OUVIU FALAR DE ALGUM GT QUE TIVESSE REALMENTE TRAZIDO À CLASSE POLICIAL CIVIL ALGO DE BOM?
    SINCERAMENTE, EU SÓ LAMENTO, MAS NÃO CONSIGO VISLUMBRAR MELHORAS.
    ORO TODOS OS DIAS PARA QUE DEUS ILUMINE A CABEÇA DE NOSSO GOVERNADOR, PARA QUE ELE NOS AJUDE, MAS TÁ OSSO COM SAL GROSSO.
    NO MAIS, TORÇO PARA QUE UM DIA HAJA A TAL UNIÃO DAS CARREIRAS; AO MENOS O RESTOPOL; EM PROL DE TODOS, E NÃO SÓ DE DELEGADOS, INVESTIGADORES E ESCRIVÃES. VIDE 2008.

    Salute per tutti, e buona cucina, a destra.

  12. DRA. RAQUEL !, MEUS PARABÉNS, ENDOSSO TODO O OCORRIDO COM A PARTICIPAÇÃO DE VOSSA EXCELÊNCIA. RAPAZ !, SERÁ QUE SE FOSSE O MARCOLA TERIA OCORRIDO TODO ESSE MOIDO. E, ME AJUDEM AÍ Ó !…

  13. Essa delegada presidenta do sindicato dos delegados , assim como seu antecessor , foi eleita com o apoio da delegacia geral e alguns direores de departamento; além da velha guarda bem corrupta que jamais fez nada pela própria carreira e pela Instituição em geral. Essa senhora quer o monopólio da representação dos delegados para NÃO MEXER EM NADA. O SINDPESP está totalmente falido graças a malversação da antiga diretoria que torrou o dinheiro dos sindicalizados fazendo turismo e dando emprego para a esposa e sogra de sindicalista. Lembrando que o delegado Melão foi aposentado a toque de caixa em 1a. classe com integralidade , paridade e ainda ganhou uma boquinha de assessor ESPECIAL de um deputado na ALESP. Os trouxas se quiserem aposentação devem esperar por anos pela certidão de tempo de serviço e depois impetrar mandado de segurança para receber o que é de direito.

  14. DRA. RAQUEL ! EU ESTAVA A MAIS DE 3000 KMS. DE DISTÂNCIA, MAIS RESUMINDO, MEUS PARABÉNS. E, ME AJUDEM AÍ Ó !…

  15. ESSES ” PULICINHAS” TEM QUE ENTENDER QUE A EXCELÊNCIA É PRESIDENTE DE UM SINDICATO, ONDE S.M.J., A REUNIÃO ERA DE TODAS AS CLASSES DA P.C., PORTANTO, ELA ESTÁ CORRETÍSSIMA. ATÉ PARECE QUE FOI O MARCOLA QUE INGRESSOU NO RECINTO. RAPAZ ! ME AJUDEM AÍ Ó !”…

  16. O que este monte de policial estão fazendo sentados??? Bora produzir pro chefe ficar feliz!!!

  17. Vai virar o racha igual da polícia federal! De um lado delegados e de outro agentes, escrivães e papiloscopistas.

    Se ela realmente estava em contato com o DGP, então foi mandada pelo governo para tentar segurar uma eventual união das carreiras para uma eventual greve, que ameaçaria a cadeira do próprio DGP e a imagem do governador!

    Espero que as reuniões de intensifiquem e mais colegas se juntem a causa. (GREVE)

  18. Ô INFILTRADA !, VAI COBRAR DO MELÃO !. CONSOANTE O SEU EXPOSTO ASNEIRO. EU, PARTICULARMENTE, SOU UM TRILHÃO DE VEZES MAIS ESSA DELEGADA, DO QUE A SENHORA MARILDA, E COM UM DETALHE SÓ A CONHEÇO DE NOME E NÃO TENHO NENHUMA PROCURAÇÃO. E, ME AJUDEM AÍ Ó !

  19. este monte de inuteis e desorganizados, vejam só PM, tiveram reunião direto com o XUXU, e lá sairam satisfeitos com o que foi prometido, principalmente referente a aposentadoria especial dos PM.
    este monte de inuteis inclusive os delpols presentes nem com o governador conseguem reunir.
    PC JÀ ERA>

  20. A formação em castas era o que se podia fazer num Brasil predominantemente analfabeto. Mas, nos dias de hoje, ter classes é um dos problemas fundamentais da PC.

    A Polícia deveria já ter NU para ingresso e formar para o inquérito policial (afinal é o “produto” da Polícia à sociedade).

    E isso seria apenas um dos passos necessários.

  21. Caro Blindado,

    Talvez você desconheça que o sindicato dos delegados desde que passou a enfrentar a concorrência dos sindicatos regionais: SIPOLs e SINPONSAN , os quais congregam todos as carreiras policiais ( delegados, inclusive ) , passou a fazer campanha ostensiva em todos os DEINTERs contra a afiliação dos delegados às entidades regionais; sendo que estas – em razão de uma série de beneficios e ações em prol dos filiados – se tornaram muito mais interessantes do que os sindicatos gerais ( Capital ). O SINDPESP se diz o único legitimado a representar os delegados deste estado; o que é uma mentira, especialmente depois que o STF sepultou com cal o direito a greve dos policiais civis; ainda obrigando ao desconto dos dias parados. Como continua a pretender monopolizar a representatividade dos delegados e por consequencia de toda a PC, muitos membros de outras entidades classistas não querem manter tratativas com a sua diretoria. Ademais, está falido! não possui dinheiro para nada, especialmente para a defesa jurídica de seus sindicalizados e dos delegados em geral. Outrossim, o sindicato dos delegados atualmente não passa de um instrumento para autopromoção de seus dirigentes.

  22. SR. ! exescravão” !,, O QUE ADIANTE A POLÍCIA TER N.U., SE ESCRIVÃES E INVESTIGADORES, LUTARAM BRAVAMENTE DURANTE DÉCADAS, LOGRANDO ÊXITO NA CONCESSÃO, MAIS ESSA SENHORA MARILDA CONIVENTE COM ESSE DESGOVERNO NOS DEIXARAM NA PINDAÍBA. E, ME AJUDEM AÍ Ó !…

  23. DR, BOA NOITE ! CONCORDO EM TERMOS COM O VOSSO EXPOSTO. PERGUNTO : O QUE A DRA. RAQUEL TEM A VÊ COM DESVIOS PERPETRADOS POR DIRIGENTES ANTERIORES, PRINCIPALMENTE, S.M.J., PELO DR. MELÃO AGORA QUERER CRUCIFICAR A ATUAL PRESIDENTE PELAS MAZELAS COMETIDAS ANTERIORMENTE, E NUMA REUNIÃO DE CLASSES DA P.C. CONFORME UM COLEGA QUE DISSE ESTAR PRESENTE, VIREM DESCONSIDERÁ-LA. E VOU MAIS ALEM, ESSE SINDICALISTA, NÃO ME RECORDO O NOME, TEM É QUE SER UM POUCO MAIS EDUCADO, POIS NEM NECESSITARIA A DRA. PEGAR A CADEIRA E SE SENTAR, E SIM ELE EDUCADAMENTE OFERTÁ-LA. UM GRANDE ABRAÇO…

  24. A melhor coisa a fazer é enviar propostas para os parlamentares incumbidos da reforma das Policias ( já postado aqui nesse blog) para CARREIRA ÚNICA em uma Policia Única.
    Outra forma de melhoria com essa briga de vaidades, esquece.
    Ou voces ainda acreditam que vai melhorar?

  25. ZÉ :

    Voce tá brincando né?

    Está claro que se houver alguma paralisação é para beneficio de delegados. Os operacionais serão massa de manobra.

  26. Infelizmente a Dra Raquel foi até lá para tumultuar, não se sabe a mando de quem, pode-se suspeitar, e também para se promover, já que começou e terminou falando de seu turismo sindical pelo interior. VERGONHA, VERGONHA VERGONHA!

  27. sera que nas eleições de 2018 teremos na politica uma nova candidata tucana ??
    uma policial civil ????

  28. Blindado,

    Foi o Melão quem a promoveu na midia eletrônica por meio de estratégias de marketing político , matéria que ele se diz especialista; proferindo palestras , cursos e literatura, inclusive. Além de tê-la escolhido como sucessora no melhor estilo Lula-Dilma. Lá está para dar continuidade aos trabalhos do antecessor: NIHIL! Quanto à reunião, se não tomou parte das tratativas para a sua realização e nem sequer foi convidada deveria ter ficado quietinha na Capital. Foi causar! Ridicula e palhaçada foi a sua intervenção e participação no evento para o qual não contribuiu nem ao menos na sua divulgação.

  29. Estorinha mal contada.

    Por muito tempo vemos os sindicalistas veteranos e “maçanetas” de todas as classes não fazendo absolutamente nada ou fazendo bulhufas, vivem até o exato momento fazendo isso pelos policiais civis, bulhufas mesmo.

    Quando levam o “público” a essas reuniões tão bem engendradas, tão bem arquitetadas, fazendo Maquiavel passar vergonha. Esperam que o espetáculo seja exatamente como tencionavam, da mesma forma apeteciam um fim intrínseco como até então sempre foi, por conseguinte afetavam demandar pelas classes, em reuniões e reuniões inclusive com o Áulico num horário propício da quatro horas da tarde, para molharem seus biscoitos em tisana aromática e por vim dar as novas sobre o famoso grupo de estudos de número 7.256.

    Aparecendo como devotados sindicalistas em prol dos auspícios dessas mesmas classes, mas nem tudo são glórias no caminho desse imbróglio, nem por toda a vida a onda dá certo, felizmente para os muitos que sustentam essa cambada de encostados, vagabundos que sugam o já tacanho, já caquético bolso dos contribuintes otários dessas entidades de classes espertas.

    Há uma voz que se insurge contra essa nefasta gente acomodada aos moldes dos ensinos Fabianos espúrios, nefastos, funestos. Uma voz que não estavam acostumados a ouvir, diferente, veraz, mudando a retórica do “script” que sempre estavam acostumados a predicar_nossa quem intenta, quem foi a impudica, vamos “melar” com isso já e no formato neo socialista/comunista, esbravejam, escoiceiam, revoltam-se e por fim conseguem seu intento, o de acabar com a paciência, infernizar, calar e expulsar quem teve tanta audácia em falar a verdade onde só o que estava na “peça” seria permitido.

    Em montagem midiática, “youtubesca” posta um vídeo de má qualidade e cheio de cortes com o fito de satanizar a petulante que ousou “roubar a cena”, lhes tirar os louros, acabar com a mamata, “chutar o balde e quebrar o banquinho” _ora que folgada, entrou ontem e já quer acabar com o nosso planeamento de ficarmos encostados enquanto os otários nos sustam.

    Estejam avisados que esses zombeteiros vêm disseminando essa discórdia desde sempre entre todas as classes incluindo os delegados de polícia, que sempre escutamos _não participam juntos com todos policiais, só querem para eles, não estão nem aí para os outros, entre milhares de mais do mesmo. Ora, quando alguém faz por onde, vemos logo os ataques esquerdistas, o discurso agressivo em represália violenta que cala o contraditório de qualquer maneira, isso é pernicioso, esse fel de sindicalistas profissionais ou não são? Há quanto tempo vemos os mesmos no mesmo lugar, alguns desses já embebidos em solução conservante, sabemos muito bem os que brigam para ficar grudados em certas cadeiras, da mesma forma esses sindicalistas por profissão, brigam por tudo para ter mais um tostão. Lastimável.

    Com a autoridade que o céu nos deu, com o mérito que nós conquistamos e que fez de nós policiais civis, inconteste é nosso lugar nessa instituição e devemos lutar por um só sindicato que represente todos com uma força nunca vista. Repito, a coesão, a união de todos nos torna impetuosos, intrépidos, portanto, não nos deixemo-nos esgarnar por aqueles que sempre nos parasitam e ainda se matam ou matam terceiros para continuar parasitar.

    Presidente Raquel, não esmoreça, não se subjugue, a essa escoria neo socialistas_comunistas Fabianos de sindicalista profissionais, de vagabundos encostados e parasitas.
    Presidente, tem o brio, a inteligência, a juventude e a vontade de melhorar a instituição e principalmente os policiais civis que todos nós somos.
    Não desista POLICIAL, NÃO DESISTA, se arme e mais imbuída do nunca da vontade de mudar para melhor.
    Combata os sindicalistas encostados, pelegos do governo, que vendem por tostões.
    Há muito não vejo alguém fazer o que fez, falar a verdade e quebrar a blindagem dos ineptos.
    Parabéns, me fez orgulhoso.
    Sucesso, esta apenas começando e espero que chegue muito mais longe do que imagina.
    Confio em você!

    Policial Miserável, Morrendo de fome.

  30. ESSE ANO PROMETE HEIN!!!!!!!!

    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

    DELEGADOS BRIGANDO ENTRE ELES PUBLICAMENTE, REALMENTE CHEGAMOS NO FIM, DESSE ANO NÃO PASSA!!!!

  31. A quem estão enganando com este teatro?,Acham mesmo que a policia esta preocupada com seu contigente? A verdade é que isso pouco importa pra maioria deles,la impera a LEI DO HORÁCIO, ou seja, o famoso braço curto, onde poucos trabalham sobrecarregados pois muitos são omissos e acomodados e querem ganhar sem fazer nada.
    Vejo alguns fazendo campanha pra ter mais policiais , mas a verdade é que a maioria da polícia civil não esta nem ai pra isso.Onde uma pessoa só com segundo grau arrumaria um emprego pra ganhar 4 mil por mês inicial e trabalhar um ou dois dias por semana ?Se de fato estivessem preocupados em desafogar a civil, colocariam todos pra trabalhar ao menos 5 vezes por semana, acabando inclusive com os policiais que recebem RETP pra fazer serviço administrativo apenas e colocando todos nos dps. Mas ao contrario disto , não estão nem ai com nada, chegam ao absurdo de reprovar uma serie de alunos na Acadepol, sem que tenha nada que os desabone, alguns por incríveis 0,02 abaixo da media em uma única disciplina.Isso te parece comportamento de quem realmente quer repor seu efetivo?Não culpem o governador apenas, culpem a própria policia civil.

  32. sergio disse:
    06/03/2017 ÀS 19:18
    É isso aí……..restopollllllllllll : estamos sózinhossssssssssssssssssss!!!!!!!!!!!!!!!!!! Aliás, como sempre estivémos!!!! A nobre carreira jurídica consegue aumento na surdina, GAT e outros, óbviamente nada farão por nós!!! A meu ver, além de um reajuste à eles na surdina, creio que ano retrasado, salvo engano e o tal do GAT ( a maior injustiça que ví em mais de 5 quinquenios de polícia), tais foram os maiores divisores entre eles e o resto, como assim denominam. A boca das cadeiras sempre foi bem calada e o GAT serviu para calar os plantonistas!! E digo mais, nao se iludam com mais ninguém, somente quem pode fazer algo é o Governador, ninguém vai se meter nisso!!!

    Falou tudo.

  33. O trabalho de uma Associação séria é sempre mais profícuo, comprometido e verdadeiramente profissional do que aquele realizado por sindicatos. Na associação, a receita depende do “serviço” bem prestado. Em sindicatos, o pagamento é compulsório, ainda que ele não faça nada para os seus representados.
    A ADPESP está muito adiantada, e tem “produto” para oferecer.

  34. é inadimissível que esta senhora queira participar, de última hora, da mesa de palestrantes……duvido que se ela promover um simpósio ou algo em seu sindicato algum presidente de sipol ,lá aparecer e forçadamente exigir se sentar a mesa , pedir a palavra , ela consentirá….foi destemperada e mostrou estar despreparada para o cargo…conseguiu dividir ainda mais a classe dos delegados……

  35. POR ESSAS E OUTRAS QUE NUMA VISÃO BASTANTE OTIMISTA… DESISTI! NADA VAI CHEGAR ATÉ NÓS (AUMENTO, REAJUSTE, OU BENEFÍCIO, POR EXEMPLO), TUDO VAI SER DESVIADO NO MEIO DO CAMINHO, ASSIM COMO FOI DESVIADO PARA OUTRA FINALIDADE O TAL DO NÍVEL SUPERIOR. ENTÃO, COMO EU TENHO TEMPO DE IR… VOU “PULAR FORA” DO BARCO. ME INCONFORMO QUANDO VEJO ESSE OU AQUELE COLEGA, RECLAMANDO QUE NÃO PODE SE APOSENTAR, PORQUE VAI RETROAGIR UMA CLASSE, QUE PRECISA PEGAR UM QUINQUENIO, SEXTA PARTE, ETC., E ASSIM, VÃO SERVIR DE ESCRAVOS PARA A CLASSE DOMINANTE, NO CASO, OS DELEGADOS. FORMOU-SE UM ABISMO INTRANSPONÍVEL ENTRE NÓS, NÃO HÁ MAIS VOLTA E PARA EVITAR CELEUMAS, SAIO, DE CABEÇA ERGUIDA, SEM GANHAR O QUE DEVERIA, SEM RECEBER O QUE SERIA JUSTO, ENGANADO, MAS, COM A CERTEZA DO DEVER CUMPRIDO! O ÚLTIMO, POR FAVOR, APAGUE A LUZ!

  36. Inteligente, “delegata” e bonita, vai longe…

  37. Manda ela pra Dise de Araraquara, será muito bem recebida… com todo respeito…

  38. POLICIA NISERAVEL,MORRENDO DE FOME……uma perguntinha só: se escrivães, numa operação padrão, ao verem que suas pretensões não são atendidas, resolverem devolver os ips e demais procedimentos aos delegados , mandar eles ditarem tudo, rubricarem folhas de ips, decidirem realmente dentro dos procedimentos lavrando pessoalmente os despachos interlocutórios , assumindo a pauta de intimações , (pois a maioria gritante hoje são delegados de fato) esse presidente vai defender escrivães…vai sair em defesa destes dizendo que estão certo, pois estão a cumprir a Lei, …fará com que represálias não ocorra, e que ameaças não se concretizem?

  39. O Falastrão pôs o dedo na ferida… eu acho engraçado funcionário público, tem certos folgados que batem o pé pelo dia sim dia não e ai do delegado que não deixar fazer a famosa semana gorda x magra… ainda querem gozar licença prêmio quando quiserem… ainda querem aposentar com integralidade e paridade com 25 anos de serviço administrativo na maciota…Quem não conhece vários casos assim?
    .
    E na PM mesma coisa, 40 % a vida toda em setores administrativos, mas querem todos os benefícios dos policiais de fato.
    .
    Para quem não percebeu o governador já deve estar bem irritado com a PC, viram a entrevista onde ele disse que os Deltas iam pescar??

  40. O delegado Olim, licenciado para cumprir seu mandato de deputado estadual, certamente viajou da capital para Bauru, este viajar me proporcionou uma duvida!

    Foi com carro próprio ou da assembleia legislativa?

  41. dedo na ferida:
    Como que é: ” ai do delegado????”
    Meu amigo se quer falar de quem está sobre carregado aqui, então fala do escrivão, que não ganha GAT ou ADPJ, temos todos os tipos de funcionários, inclusive vagabundos, mas isso não é um câncer só na policia, vários outros setores enfrentam esse problema .
    Ademais diria que a policia em relação a classe politica por exemplo, trabalha e muito e não chega a ganhar nem 10% do que eles ganham ( pelo menos os operacionais).
    Agora sistema de plantão sempre existiu na policia . Ou voce quer que os policiais trabalhem 24 horas 07 dias por semana?

  42. dedo na ferida:
    03 anos sem reposição da inflação desrespeitando a lei ( data base em março), estamos indo para o 04 ano voce vem cobrar o que????

  43. Aparecido Loureiro Jannone.

    Infelizmente nem tudo é como deve ser. Sabe muito bem que uma parte substanciosa dos E.P. tem um interesse enorme em fazer a vez, sabe muito bem o que estou dizendo.
    Quanto ao que é certo, nunca vai estar errado. Tenho certeza que se não fosse pelos que “gostam” de fazer a vez, certo seria todos dentro de sua competência dentro do possível. Digo sem nenhuma demagogia, o certo seria e deveria ser.

    Quem nunca fez a vez, não teria nenhuma dificuldade em ficar dentro de sua competência, mas aqueles que já se submeteram, complexo e muito.

    Tomemos por analogia _ quantos ex viciados conhece? Acredito que seria no mesmo grau e número de quem já se submeteu. Não é justo, mas é o que ocorreria.

    Diferente disso, se fosse em todo Estado e sem exceção, teriam a força de imposição nesse sentido, mas e você, acredita nessa coesão dos E.Polícia?

  44. carreira única…..eu sei mas queria que o indigitado se manifestasse mas, ao que parece, como gostam de dizer”calou-se inerte”…ou mais …..”silêncio sepulcral”………..

  45. DELEGADOS QUERENDO SE UNIR PARA JUNTOS RESOLVER AS MAZELAS DA POLICIA CIVIL. QUERENDO AJUDAR OS RESTOPOLS. KKKKKKKKKKK PARA ELES ESTÁ ÓTIMO DESSE JEITO. ELES QUEREM QUE O RESTOPOL SE EXPLODAM. QUANTA INGENUIDADE, PRA NÃO FALAR OUTRA COISA!!! MEU DEUS!!!

  46. Policial Miserável, Morrendo de Fome disse:
    06/03/2017 às 23:01

    Aparecido Loureiro Jannone (o indigitado)

    Infelizmente nem tudo é como deve ser. Sabe muito bem que uma parte substanciosa dos E.P. tem um interesse enorme em fazer a vez, sabe muito bem o que estou dizendo.
    Quanto ao que é certo, nunca vai estar errado. Tenho certeza que se não fosse pelos que “gostam” de fazer a vez, certo seria todos dentro de sua competência dentro do possível. Digo sem nenhuma demagogia, o certo seria e deveria ser.

    Quem nunca fez a vez, não teria nenhuma dificuldade em ficar dentro de sua competência, mas aqueles que já se submeteram, complexo e muito.

    Tomemos por analogia _ quantos ex viciados conhece? Acredito que seria no mesmo grau e número de quem já se submeteu. Não é justo, mas é o que ocorreria.

    Diferente disso, se fosse em todo Estado e sem exceção, teriam a força de imposição nesse sentido, mas e você, acredita nessa coesão dos E.Polícia?
    aparecido loureiro jannone disse:
    06/03/2017 às 23:01

    carreira única…..eu sei mas queria que o indigitado se manifestasse mas, ao que parece, como gostam de dizer”calou-se inerte”…ou mais …..”silêncio sepulcral”………..

  47. Por incrível que pareça Janone, olhe os horários das duas publicações acima. Coincidência tem hora e minuto exatos, entende o que digo.

  48. A PM só precisa de duas coisas para abocanhar toda a segurança pública estadual: Exigência de curso de bacharel em direito para curso de oficial (isso já ocorre em alguns estados) e incorporar os escrivães de polícia.

  49. Guerra, um palmo de xoxota destemperada! Eu ia!

  50. SOMOS TODOS IDIOTAS, SEUS CHEFES COBRAM PRODUÇÃO SEM LHE DAR CONDIÇÕES E VC A FAZ.
    O GOVERNO TE PAGA UMA MERDA TE ESCONDE SEUS DIREITOS QUE SÓ SÃO CONSEGUIDOS COM AÇÕES E VCS NADA FAZEM,
    NAS DELEGACIAS DOIS OU UM POLICIAL DA REVOLHA TEM AS MELHORES SALAS AS MELHORES VIATURAS AS MELHORES ESCALAS E AS MELHORES DATAS DE FÉRIAS ALÉM DE NÃO TRABALHAR E VC DO NADA E POR NADA SE MATA DE TRABALHAR POR ELE ENQUANTO PREVARICA E ELES FICAM RICOS.
    TE COLOCAM METAS DE PRODUÇÃO PORÉM VC NÃO PODE PRENDER O QUE ESTÁ ACERTADO COM OS RECOLHAS CHEFES E DELEGADOS TITULARES.
    VC É OFENDIDO E AMEACADO QUANDO PEDE VERBA PARA ARRUMAR SUA VIATURA E SUA ARMA, MESMO QUE ESSA ESTEJA COLOCANDO SUA VIDA EM RISCO, e você NADA FAZ.
    VC É AMEACADO E PARA TIRAR FÉRIAS TEM QUE SER NA DATA QUE ELES QUEIRAM E MUITAS VEZES TRABALHA DE FÉRIAS, OU SEJA GANHA UMA MERDA E AINDA SE MATA PELO ESTADO ESQUECE SUA FAMÍLIA PELO SEUS CHEFES.
    E OBRIGADO VER NA ÁREA CENTRAL POLICIAIS FICANDO MILIONÁRIOS COM AS RECOLHAS TOP E PASSA EM FRENTE À PAJE PREVARICA E NADA PODE
    FAZER NEM SEQUER UMA ORDEM DE SERVIÇO.

    TEMOS; que paga proprina:

    Feira da madrugada
    Shopping do bras
    Feira do cigarro
    Feira do parque dos Pedro
    Galeria Paje
    Shop 25 e 25 bras
    Shopping oriental MAIOR FORNECEDOR DE CELULAR ROUBADO DA AMÉRICA LATINA
    SANTA IFIGÉNIA
    RUA DAS MOTOS GUAIANASES
    CRACOLANDIA
    BIQUEIRAS
    BINGOS
    MÁQUINAS DE CAÇA NÍQUEL
    DESMANCHES
    LOJAS EM BAIRROS QUE VENDEM PIRATARIA
    FEIRA DO ROLO
    BOATES
    LIJAS QUE VENDEM ANABOLIZANTES
    CAMELOS DO CENTRO
    BARES MERCADOS NO DPPC
    EMPRESAS PÚBLICAS NA CRIMES CONTRA ADMINISTRAÇÃO DPPC
    EMPRESAS SONEGADORAS NA FAZENDÁRIA
    LADROES BONS DE CARGA DE BANCO

    ENFIM A LISTA VAI POR AÍ A FORA

    CADA UM DESSES AÍ EM CIMA PAGAM PROPRINA, AGORA PERGUNTO!

    Viu porque é bom ser chefe?
    Viu porque o cara está com câncer lepra aidis e quer continuar trabalhando?
    Viu porque alguns não ligam para salário?

    Estima-se em uma arrecadação mensal na polícia juntando departamentos estado todo
    A HUMILDE QUANTIA DE 80 milhões de reais INCLUINDO ESTADO TODO E ESSE CALOR PODE SER MUITO MAIOR POIS VÁRIOS CHEFES RECOLHAS E TIRULARES OMITEM

    DEIC 5
    Denarc 5
    Dppc 10
    Decap 4
    Corro 2
    Demarco 20
    Deinter 30
    Fora os que não foram listado

    Obs: esses relatos não tem conteúdo incrimainatorio, não foi citado nome de nenhum policial ou membros de carreiras públicas
    Fato é uma história onde qualquer semelhança com alguma pessoa será mera conhicidencia

    Se alguém do GAECO ler não leve a sério pois é história e não existe isso na polícia

  51. JUSTIÇA:
    ai do delegado sim, pois perde funcionário p outros, ameaça de aposentar, fama se zica e etc..
    Existe o regime de plantão sim 12x 36 dia sim dia não, mas concorrendo com sábados, domingos e feriados e perfazendo pelo menos as 12 horas diárias.
    a falta de reajuste salarial pela data base também me afeta, e já que é p exigir tratamento diferente temos que começar a ser diferentes tbm… OU se não enterramos a PC logo de uma vez…
    Não se enganem que há conluio entre PM e governo para acabar com a PC.
    Pq a PC vai ser enterrada pelas próprias maos, pelos proprios colegas, muitos folgados (para não dizer mais) e que fora um ou outro mais bobinho, os cabeças da PM não querem as nossas atribuições constitucionais… nosso trabalho, pelo menos do jeito que deve ser feito é fastiante.
    O governo também não quer acabar com a POlícia Civil, o governo acabaria com tudo se pudesse, só existim que está oos devido a obrigação constitucionalmente imposta (a PM inclusive)
    ENFIM, meu caro, é preciso primeiro por ordem na casa, isso aqui ser levado a sério, para depois podermos exigir… do jeito que está esses sabem que uma greve nossa ia afetar somente o atendimento de BO.

  52. É IMPORTANTE SALIENTAR QUE O RESTOPOL CONTINUA SENDO USADO COMO MASSA DE MANOBRA, PORQUE TODOS OS LIDERES CLASSISTAS TEM EM MENTE QUE A POLICIA CIVIL É CONSTITUIDA DE DELEGADOS INVESTIGADORES E ESCRIVÃES, OU SEJA O RESTOPOL CONTINUA ALIJADO DA VALORIZAÇÃO PRETENDIDA, NÃO VEJO UM LIDER CLASSISTA DEFENDER UMA LEI ORGANICA QUE ELEVE O NIVEL DE ESCOLARIDADE DE TODAS AS CARREIRAS(SUPERIOR), LÓGICO PARA REFORÇAR O MOVIMENTO O RESTOPOL SERVE, MAS NA HORA DA VALORIZAÇÃO NÃO.

    REESTRUTURAÇÃO DA POLICIA CIVIL SP

    DELEGADO DE POLICIA
    ESCRIVÃO DE POLICIA
    AGENTE DE POLICIA JUDICIARIA
    PERITO

    NÍVEL SUPERIOR PARA TODAS AS CARREIRAS !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    SINDICATO UNICO JÁ !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    .

  53. dedo na ferida:
    Desculpe discordo ,
    Primeiro se paga salario digno com estrutura de trabalho, para poder cobrar serviços e preciso fornecer os meios para obter resultados.
    Exemplo a PF, veja o que foi quando o salario era ruim e não possuíam estrutura, e depois de bons salários e estrutura o que é hoje? Ou seja o salario e condições de trabalho vem primeiro.
    Não se esqueça do que aconteceu em 1988 com a nova CF, os delegados primeiro abriram mão de uma parte suas prerrogativas para depois ganharem isonomia com o MP, bom muitas das prerrogativas se foram, pergunto ganharam a tão sonhada isonomia?
    A historia é muito importante para apreender com os erros do passado e não comete-los no futuro.

  54. Realmente chegamos ao fundo do poço. E continuamos cavando. Esta delegada, despreparada, melindrosa, débil e ridícula, demonstra o nível de nossas autoridades. Medíocres. Demais carreiras também devem fazer o mea culpa. Cada um vê o seu lado. Ninguém ajuda ninguém dentro da PC. Não existe corporativismo entre nós. Cada um quer mais é o o outro se lasque. Entidades de classe da PC no geral são feudos. Velharada despreparada, analfabeta muitas vezes, inculta e má intencionada. E tem idiota que paga mensalidade para que os traíras das classes policiais fiquem andando com carrinho da entidade (sempre zero km), viagem as expensas e suguem tudo que entidade proporciona. Realmente PC acabou e não sabe. Triste que a gloriosa um dia foi objeto de admiração e respeito. Culpa de todos nós.

  55. Policiais Civis logo serão tragados para outra instituição. Quem sobrar obviamente. E o enrustido chefe do executivo estadual ainda quer ser presidente da república. Derrocada começou no início dos anos 90. Um pseudo governador com fama de gestor deu início a nossa derrocada. Um belo tratante que começou com nosso sucateamento. Que esteja apodrecendo no colo do capeta.

  56. Concordo parcialmente com vc “AGENTE POLICIAL” .

    Querem usar os policiais como “massa de manobra”, o único interesse em pauta é a situação dos Delegados. Eu também não vou participar desse movimento. Pois quando eles alcançarem o objetivo, sairão do movimento e o resto ficará fraco.

    Não sou a favor de uma carreira única. Nunca houve união da polícia em benefício de carreiras. Delegados não querem benefícios para Escrivães e Investigadores e esses também não querem benefícios para às outras carreiras.

    O que aconteceu com os Carcereiros foi lamentável. Acho que TODOS OS CARCEREIROS da ativa e aposentados deveriam se manifestar defronte ao Palácio do Governo pleiteando algum benefício para a carreira deles.

  57. CONCORDO COM A DELEGADO QUANDO DIZ QUE TEM LIDER CLASSISTA QUE ESTA A MAIS DE 20 ANOS NA PRESIDENCIA DA ENTIDADE E OLHA ONDE VIEMOS PARAR, SÃO PESSOAS QUE SE PERPERTUARAM NO PODER E QUEREM ADOTAR UM DISCURSO DE LUTA PELAS CLASSES POLICIAIS ? SOMENTE NA HORA DE ENGROSSAR A FILA DAS MANIFESTAÇÕES DEPOIS , JÁ SABEMOS O QUE ACONTECE

    REESTRUTURAÇÃO DA POLICIA CIVIL SP

    DELEGADO DE POLICIA
    ESCRIVÃO DE POLICIA
    AGENTE DE POLICIA JUDICIARIA
    PERITO

    NÍVEL SUPERIOR PARA TODAS AS CARREIRAS !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    SINDICATO UNICO JÁ !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    .

  58. Ai que mora o problema colegas. Vocês acham mesmo que um pouco menos de 3 mil delegados fazem força pra alguma coisa ??? Se juntar a carreira de escrivão e tira é praticamente a PC inteira, com respeito as demais carreiras. Não adianta a gente so jogar culpa em cima dos deltas que conseguiram um aumento da ultima vez. Eles conseguiram, otimo, bom pra eles, mas os sindicatos de tira e escriba foram coniventes a época e não continuaram na manifestação. Se la atras esses que se reunirão agora batendo no peito e “tentando alguma coisa”, tivessem a coragem de falar: opa, so vai favorecer um lado ? então a nossa classe continua parada… os deltas que assinem, registrem bo, e vão para a rua investigar tambem. Fizeram isso ? claro que não, foram coniventes, ai pq hoje eles criticam tanto o sindicato dos deltas ??? Os deltas foram TRAÍRAS, claro que foram, ate pq eles não são ninguem sem IP e EP ao lado, mas os demais foram covardes e coniventes. Ai não adianta reclama o lei derramado ne ? basta tentar arrumar as coisas no futuro, mas não se movimentam muito, o unico sindicato que da dando a cara tapa ate agora, gostem ou não, é o sindicado dos deltas, os demais estão calados.

  59. Ao longo dos anos estando na polícia civil, eu vi que a polícia é propriedade dos delegados de polícia, todos os méritos das canas são dos delegados de polícia, todos os movimentos realizados até hoje resultam em aumento gordo para eles, 6 mil para eles e 200 reais pra gente

    Trabalhamos em condições desumanas, acumulamos área junto com eles e não ganhamos nada a mais por isso, passamos plantões acordados, enquanto eles dormem, acordam assinam o flagrante e vão embora, e com o passar dos anos nada foi feito para o nosso bem estar, esse movimento é para os delegados de polícia, como sempre, não querem o fim da civil, não por que estão preocupados com a instituição, mas sim com o pro labore$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$

    De tal forma que nunca mais vou participar de nenhum movimento.

  60. SEM CONTAR ESSE ABSURDO DE SOMENTE O DELEGADO RECEBER O GAT POR ACUMULO DE FUNÇÃO E AS OUTRAS CARREIRAS NÃO ACUMULAM O SERVIÇO TAMBEM ? INVESTIGADORES, ESCRIVÃES , AGENTES , CARCEREIROS , PAPIS, AGETEL ETC. NÃO TEM ESSE DIREITO ?
    JÁ COMEÇA POR AI NÃO VEJO UM REPRESENTANTE SE QUER COMENTANDO ESSE DESPROPOSITO , SEM CONTAR OUTROS ABSURDOS QUE ESTAMOS ACOSTUMADOS NO NOSSO DIA A DIA.

    REESTRUTURAÇÃO DA POLICIA CIVIL SP

    DELEGADO DE POLICIA
    ESCRIVÃO DE POLICIA
    AGENTE DE POLICIA JUDICIARIA
    PERITO

    NÍVEL SUPERIOR PARA TODAS AS CARREIRAS !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    SINDICATO UNICO JÁ !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    .

  61. porque o tesao pelo agente de policia judiciaria? nao poderia igual minas gerais, ou quer inovar para ficar diferente de outros estados da federação…..

  62. Para fazer o que os Delegados fazem, eles ganham bem sim. Não falta Delegado, é só ir há alguns setores, exemplo: ACADEPOL, DAP, e outros mais que constatarão a presença de vários Delegados(a) onde precisaria de apenas um. Porém,isso não se restringe apenas aos Delegados, ocorre em outras carreiras também, mas as outras carreiras ganham uma miséria perto dos Delegados.

  63. meu caro policial miseravel morrendo de fome….
    particularmente jamais acreditei que “correndo junto com a adpesp ou sindpesp” boa coisa conseguiremos.
    sou daqueles que foram radicais na policia e acredito que escrivão e investigador só conseguirá algo se cumprir item por item daquela velha e surrada cartilha confeccionada pelo sipesp e sepesp.
    ou se consegue o tão “malfadado” NU ou então ficam sómente em suas atribuições ganhando a merreca pelo que iráo fazer.
    mas, entendo e tenho a certeza de que a maioria gritante tem medo de cumprir a lei por medo de represálias da autoridade. temem em sair da zona de conforto.
    no quesito “operação padrão” acredito muito mais nos policiais do interior.
    é o que penso.
    agora, a bem da verdade, a perguntinha feita a respeito do ssindpesp defender escrivães e investigadores a resposta seria sim ou não. e, com certeza, não obtive nem o sim e nem o não. mass, óbivio é que seria o NÂO pois o sindpesp não tem LEGITIMIDADE para defender nem escrivão e nem investigsdor.
    o que se vê muito nos movimentos sindicais são o estrelismo e a hipocrisia. todo mundo diz defender todo mundo e sabem que isto é uma inverdade.
    depois, se delegado realmente quizesse mostrar seu valor no contexto de carreiras juurídica deveria assumir tudo o que é de suas atribuições. mas, aí, teria que ficar em cartórios o dia inteiro e os “da rua” correndo junto mcom os tiras e assumindo riscos.
    o que, com certeza, com raríssimas exceções, poucos fazem….
    é o que penso.
    boa sorte a voc~e e a todos.

  64. Fonte do Problema disse tudo.
    Só esqueceu um ponto…
    A classe dos tiras e escrivães foram traídas pelos Deltas que por sua vez traíram o resto.
    EP e IP são, no minimo, uns 60% da Instituição inteira, mas assim como os Deltas primeiramente olham para eles e não para a união (assim como os Deltas).

    Blindado.
    Vc esqueceu que os Papis brigam há décadas pelo mesmo direito e não foram contemplados? Pq isso? Se vcs são atividade fim (na boa grande m… até soldado é atividade fim se for ver pelo mesmo prisma) os Papis por sua vez assinam laudos. Além de que na P.F Papi é superior e tentaram, inclusive, ganhar igual a Perito, mas tomaram na naba… Pq IP e EP não ganha a mesma coisa que Perito na federal? Alguém sabe responder?

    Resumo: Deltas usam o resto.
    IP e EP tb usam o resto.
    Resto só sabe chorar e não tem nem para onde correr.

    Bom… Sempre mais do mesmo.

    Japa vai chorar na cama que é lugar quente, assim como a sofrida carreira jurídica dos Deltas que ganham muitoooo pouco pelo elementar e superior saber jurídico (L.O.L me rachando de rir,não têm 1/3 do conhecimento de um promotor, imagina do resto da magistratura).
    IP e EP olhem mais para vossos umbigos antes de apontar o dedo na cara dos outros (vcs tb fazem parte do câncer, principalmente quando se trata de cadeiras e correria).
    Resto larguem de ser chorões e vitimas. Façam por merecer. Mais atitudes e menos choro. Alguém do resto já teve a brilhante ideia de fazer o sindicato das carreiras meio ou algo equivalente?? Não vivem da afpcesp e genéricos. Só sabem ficar de mimimi.

    Podem chorar e xingar, não me importo. O escrito acima é a mais pura verdade. Todo mundo só olha o próprio lado. Queimem na fogueira de vaidades.

  65. Não é só a Delegada Raquel que deu piti, o Sipesp também:

    Nota de Esclarecimento
    3 de março de 2017 Notícias
    Recebemos a informação de que alguns policiais civis se reuniram no interior, para discutirem, dentre outros assuntos, possível paralisação de policiais civis.

    Esclarecemos inicialmente, que o SIPESP está e sempre esteve à disposição de toda classe policial civil, na luta por melhorias, dando o respaldo necessário para que os movimentos ocorram da melhor forma possível, inclusive trabalhando para evitar retaliações administrativas a policiais que estejam na luta, assim como ocorreu na greve de 2008.

    O respaldo e todo o amparo legal para que os movimentos ocorram, só é possível, quando a entidade classista que esteja a frente, exercer a representatividade em todo o Estado de São Paulo, como é o caso do SIPESP e de outras entidades com a mesma representatividade.

    Sendo assim, todo e quaisquer movimentos paredistas, sem a participação de entidades representativas, com legalidade para representar, além de fadados ao fracasso por falta condições legais, podem causar ainda mais prejuízos aos policiais civis, que como dito, podem sofrer retaliações e responderem disciplinarmente.

    A omissão destas informações aos policiais civis, presentes ou não na mencionada reunião, por si só demonstra a fragilidade do movimento e enfraquece a luta de todos os policiais civis em prol de melhorias.

    Sabemos que algumas entidades que estavam presentes na mencionada reunião, não possuem legitimidade para representar os nossos policiais civis e grande parte dos seus representantes pregam a desunião e o rompimento com outras entidades com representatividade, como se isso fosse resolver os nossos problemas. Muitos deles são aliados do Governo e outros se aliam com figuras políticas que declaradamente não gostam da polícia.

    Vivemos um momento delicado para movimentos paredistas, especialmente pela falta de regulamentação legal e por isso temos que agir de forma ordeira, demonstrando a nossa indignação e a nossa força, sem colocar em risco os nossos policiais, que por sinal já possuem muitos problemas.

    Sabemos das dificuldades e estamos trabalhando em conjunto com outras entidades, para que a situação atual da Polícia Civil seja amenizada, com uma reposição salarial adequada, com uma imediata reposição de pessoal e sem esquecer da preservação dos direitos à aposentadoria especial.

    Devemos permanecer mobilizados, para que possamos atingir o objetivo principal, que é o resgaste da dignidade dos nossos policiais e da nossa Polícia Civil.

    A Diretoria

  66. Jannone.

    Da mesma forma tenho certeza que a cartilha deva ser aplica urgentemente, mas voltamos ao grave problema dos que querem fazer a vez, o cachorro continua a correr atrás do rabo e isso é culpa sim dos que olham somente para o seu umbigo.Lamentável.

  67. Não estou entendendo: falam de “sucateamento da Polícia Civil”????? Mas qual seria a causa deste suposto “desmanche”. Só não vê quem não quer: o que falta na Polícia Civil é GESTÃO, algo que sobra na Polícia Militar. Quer tirar a dúvida faça uma divisão do orçamento global da Polícia Civil per capita (por quantidade de funcionários) e compare com o da Polícia Militar…vão concluir que o orçamento da PC é muito maior…o problema está no fato de que os Delegados de Polícia querem se postar de “otoridades”, de “juristas” e se esquecem de cuidar da administração da Instituição, simples assim…vejam o Grupamento Aéreo da PC: os helicópteros estão parados desde quando???? quanto foi gastou lá??? O que fazem os policiais civis que trabalham lá se as aeronaves não estão voando???? Amigos, a diferença de gestão entre uma Instituição e outra é gritante….esta campanha de sucateamento não vai colar!!! Em breve o Governo vai falar o que tem que ser dito: estão acabando por incompetência e por serem dirigidos por uma categoria que olha apenas o próprio umbigo! #prontofalei

  68. Rindo da situação… assino em baixo o que você disse. De fato existe esse corporativismo das carreiras de EP e IP mesmo, infelizmente… Falta a justiça e distribuição igualitária, sem contar a coragem dos dirigentes que parecem ter peito so para peitarem um ao outro, o governo que é bom enfiam o rabo entre as pernas.

  69. COLEGA ” Rindo da situação” ! CONCORDO COM O SEU EXPOSTO, MAIS EXISTE UMA RESSALVA. S.M.J., JAMAIS PROFERI UMA ÚNICA PALAVRA ACERCA DA FUNÇÃO DOS “PAPIS”. AGORA COM RELAÇÃO AOS OPTEIS., EU DIZIA QUE PARA MIM ERA UMA AFRONTA, UM OPTEL. AUFERIR UM SALÁRIO MAIOR DO QUE ESCRIVÃES E INVESTIGADORES N.Us., INCLUSIVE, QUANDO AINDA VIVO, POR DIVERSAS VEZES VISITEI O DR. WILKHIAS, QUESTIONANDO-O COM RELAÇÃO A TAL ABSURDO, NO QUE ELE SEMPRE DIZIA, ” CALMA UM DIA ESSA INJUSTIÇA SERÁ REPARADA”, O QUE DE FATO OCORREU. UM GRANDE ABRAÇO….

  70. Pacheco.
    Quero ler suas observações e “entrelinhas” sobre a dita pressentida dos sindicalistas encostados e a “dor” por suposto sucedâneo imputado à Presidente pelos “sindicalistas sevandijas” de acordo com a matéria em epigrafe. Veremos.

  71. Fonte do problema:
    Todo mundo sabe que o corporativismo e forte é na carreira de delegado, é so ver quem são os maiores beneficiados, não queira transferir a culpa, quem detém o poder de decisão e gestão na PC é delegado.

    Rodrigo Aércio:
    é a mais pura verdade, falou muito bem.

  72. AGENTEPOLICIAL. Boa tarde. Que eu saiba, em Bauru o Márcio Cunha está há 1 ano a frente do Sipol Bauru, o Fabio Morrone 4 anos no Sipol Prudente e o Marcio Pino 2 anos no SipolSan. E Marilda 5 anos na Adpesp. Os 8 anos para mais que a presidenta do Sindpesp se referiu , ou os 20 anos a que você se referiu deve ser de outra entidade. Ela e você que dêem nome aos bois agora. Com a palavra o senhor AGENTEPOLICIAL.

  73. Namira.
    Se nenhum desses estava à frente, pode ter certeza que estavam ao lado, portanto no mesmo lugar.

  74. Que barraco! Bem, sou formado em Física pelo IFUSP (USP) mas, ouvi dizer no meio acadêmico e através de advogados que conheço que um quesito excencial na formação de um Bacharel em Direito é a Ética e Educação. Pelo jeito “nossos” delegados devem ser bachareis noutras coisas, claro que há exceções. Concordo que se o representante da classe está assim, os demais devem estar pior. E eu conheço uns piores que o Lula.

  75. Quem tem mais força politica para brigar por algum beneficio, o sindicato ou as associações? Não precisam se preocupar, pois as associações PM estão lutando por algum reajuste; caso positivo, os senhores serão beneficiados, também.

  76. “Presidenta”, “agenta”, “estudanta”, “comercianta”, “complacenta”, “declaranta” etc.

  77. 130/31, vossa sapiência está coberto de razão. O governo está pouco se lixando pra PC. O máximo que podemos fazer é esperar que a filinha predileta consiga alguma coisa e, pra não dar má impressão, sobre algumas migalhas para nós.

  78. É TRISTE VER O AIPESP, SIPESP E OUTROS SINDICATOS PARADOS, SEM AO MENOS ESBOÇAR UMA LUTA POR NOS POLICIAIS.

  79. 12
    Nota de Esclarecimento
    3 de março de 2017 Notícias
    Recebemos a informação de que alguns policiais civis se reuniram no interior, para discutirem, dentre outros assuntos, possível paralisação de policiais civis.

    Esclarecemos inicialmente, que o SIPESP está e sempre esteve à disposição de toda classe policial civil, na luta por melhorias, dando o respaldo necessário para que os movimentos ocorram da melhor forma possível, inclusive trabalhando para evitar retaliações administrativas a policiais que estejam na luta, assim como ocorreu na greve de 2008.

    O respaldo e todo o amparo legal para que os movimentos ocorram, só é possível, quando a entidade classista que esteja a frente, exercer a representatividade em todo o Estado de São Paulo, como é o caso do SIPESP e de outras entidades com a mesma representatividade.

    Sendo assim, todo e quaisquer movimentos paredistas, sem a participação de entidades representativas, com legalidade para representar, além de fadados ao fracasso por falta condições legais, podem causar ainda mais prejuízos aos policiais civis, que como dito, podem sofrer retaliações e responderem disciplinarmente.

    A omissão destas informações aos policiais civis, presentes ou não na mencionada reunião, por si só demonstra a fragilidade do movimento e enfraquece a luta de todos os policiais civis em prol de melhorias.

    Sabemos que algumas entidades que estavam presentes na mencionada reunião, não possuem legitimidade para representar os nossos policiais civis e grande parte dos seus representantes pregam a desunião e o rompimento com outras entidades com representatividade, como se isso fosse resolver os nossos problemas. Muitos deles são aliados do Governo e outros se aliam com figuras políticas que declaradamente não gostam da polícia.

    Vivemos um momento delicado para movimentos paredistas, especialmente pela falta de regulamentação legal e por isso temos que agir de forma ordeira, demonstrando a nossa indignação e a nossa força, sem colocar em risco os nossos policiais, que por sinal já possuem muitos problemas.

    Sabemos das dificuldades e estamos trabalhando em conjunto com outras entidades, para que a situação atual da Polícia Civil seja amenizada, com uma reposição salarial adequada, com uma imediata reposição de pessoal e sem esquecer da preservação dos direitos à aposentadoria especial.

    Devemos permanecer mobilizados, para que possamos atingir o objetivo principal, que é o resgaste da dignidade dos nossos policiais e da nossa Polícia Civil.

    A Diretoria

  80. Quem sabe um dia: estou rezando para sair algum reajuste, não só para a PM, mas também para a PC, pois minha filha é escrivã e está sofrendo com esse salario ridiculo de 3600 reais liquido.

  81. Se unificasse, todos brigariam pelo mesmo ideal, não cada um pelo seu umbigo.

    O que mais me espanta não é nem a japa lá, mas sim um certo deputado amigo do PSDB que estava presente.

  82. O pior é ver o paquiderme que atende pela sigla DG, fez um “movimento”, abanou a orelha, para tentar “manter” a aposentadoria “especial” da polícia civil.
    O DG que também atende pela alcunha de nada absoluto se encontrou, com o não menos, paquidérmico do Arnaldo Faria de Sá, vejam bem vou repetir Arnaldo Faria de Sá, ele mesmo um dos mentores da PEC da bengala.
    Este dePUTAdo nunca conseguiu phorra nenhum em prol dos policiais civis do Brasil.
    Não é que este inútil, quando quis “ajudar” conseguir ferrar o que estava bom.
    A lei 144/14 previa a aposentadoria compulsória aos 65 anos, lei esta que nos livrou de uma montanha imensa de lixo, que além de não produzirem phorra nenhuma ainda atrasava o lado de muita gente.
    Pois bem, foi só colocar a lei em prática, este lixo de dePUTAdo em camarilha com outros iguais a ele consegui, em tempo recorder, aprovar a PEC da bengala, passando a expulsória para 75, inclusive as dos policiais civis.
    E foi justamente com este lixo que o nada absoluta/DG foi se reunir, só faltou o não menos lixo do Campos Machado, ai estaríamos diante da tempestade perfeita, 3 (três) inúteis agindo para ferrar, ainda mais, o que já está muito ruim.

  83. Não participei da reunião. Já votei duas vezes na Marilda devido a sua combatividade junto com os policiais da Região de Bauru. Mas até pouco tempo a Adpesp estava dormindo em berço esplendido, e agora que a Presidente do Sindpesp movimentou a grande mídia, ela marcou uma reunião conjunta com os demais policiais para a cidade de Bauru, um dia depois da reunião feita pelo Sindicato com o Secretário de Segurança. Pelo que eu sei é a Marilda que esta se esquivando da Presidenta do Sindicato. Puro orgulho dela que tem acesso livre ao Governador. Orgulho da Marilda. Essa reunião tinha que ser feita somente entre os policiais a fim de lavar a roupa suja.

  84. Será que tem no Bra$$$$$$$$$$$il algum otário além do POVO?

  85. comentário moderado, mas vou repetir:
    uma representante de sindicato que liga para DGP (que comunica SSP e Governador, óbvio) e um deputado presente aliado ao PSDB…..tirem suas conclusões.

  86. Pura mentira. A Dra Raquel pode ate nao ter sido convidada para a reunião, mas quem tem acompanhado ultimamente o Estadao, G1 e outros veiculos de comunicação sabe que ELA É A UNICA QUE VEM BATENDO DE FRENTE CCOMO GOVERNO DE SP. Ela constantemente vem batendo na tecla do sucateamento que o Sr. Alckimin vem patrocinando à Policia Civil.

    Agora vem uns e outros e falam da Delegada Marilda. Mostrem o dia que esta Sra ” peitou ” o Governador….

    Nunca falou da falta de efetivo, nunca falou dos anos sem reajuste salarial..

    Muito pelo contrario, so sabe sair em foto ao lado do Governador…

    Deputado Olim, Ouso alguém a dizer o que este politico fez em prol da categoria. É outro amigão do Alckimin.

    Doa a quem doer, mas a Delegada Raquel esta de Parabens. Volto a dizer: A unica que ” mata a cobra e mostra o pau”. Vai pra cima do Governo sem medo.

    O resto é so politicagem e falsidade, o que acaba resultando em NADA para os operacionais

  87. Dois santinhos fazendo o sinal do pentagrama! Jesus disse que o homem não pode ter dois senhores, mas naquele tempo o Brasil não existia.

  88. Sei lá, lendo todas as postagens, etc, só consigo ver uma luz no túnel da Polícia Civil se os Delegados, Escrivães e Investigadores, além de outros profissionais da polícia, pararem efetivamente de roubar. Dar um tempo, prometer a esposa, filhos etc que não vão mais roubar e todos se unirem para uma greve geral, acredito que o Governo poderia atender os reclamos mais que justos, Acho difícil, mas pelo que se vê, desde a algumas dezenas de anos, a roubalheira é grande, salvando-se, entretanto, muitos profissionais que são honestos e por isso vivem na miséria. Todos temos que passar o Brasil a limpo, dando exemplo aos filhos e netos.

  89. Sinceramente não acredito que esta Instituição ainda tenha salvação, mas o senhor Rodrigo Aércio colocou o dedo na ferida: em matéria de gestão a coirmã deu uma lavada nos Delegados, conquistaram benefícios para eles e seus subordinados enquanto aqui isto nunca ocorreu.

    Não participarei de nenhuma manifestação que envolva eles, e quem o fizer será usado como massa de manobra.

    A menos que suas lideranças assumam em público que só aceitaram uma solução que contemple todas as carreiras,( é mais fácil o Palmeiras ganhar um mundial).

  90. GENTE !, INDEPENDENTE DE TODOS ESSES QUESTIONAMENTOS, E MUDANDO UM POUQUINHO DE ASSUNTO, SE EVENTUALMENTE O CHUCHU SE ATREVER A CANDIDATAR-SE À PRESIDÊNCIA, MAIS UMA VEZ, EU O DIGO E O ACONSELHO QUE POR ESTAS BANDAS ELE, EM TERMOS DE ELEITOR, SÓ LOTA UMA LAMBRETA, OU SEJA, O PASSAGEIRO,QUE É ESSE ASSECLA DELE EX-GOVERNADOR C.C.L. ENQUANTO QUE O PILOTO SERÁ O MOLUSCO VERMELHO. E, ME AJUDEM AÍ Ó !..

  91. O negocio e todo Mundo pedir aposentadoria já era esta instituição.zEu trabalho sem a carga do estado a 5 anos e querem que eu fique no plantão digitando BEO e colocando preso na tranca ! Já era isto faliu só falta agora suspenderam o salsrio
    Eu culpo os delegados de polícia por estarmos nesta marca! Fui

  92. Este é o salario da injustiça! Quem for esperto sai fora desta fábrica de loucos

  93. Hoje a comissão da reforma da previdência recebeu novamente os representantes da policiais federal e civil. Sabe o que ouviram? Vão todos para o mesmo saco porque o drácula está irreversível e acha que policial não tem mesmo que ter aposentadoria especial. E muitos aí esperneando por contatação de pessoal e reposição da inflação. Vamos virar escravos com essa PEC da previdencia e ninguém está se atentando para isso enquanto a Pec caminha a passos largos! Acorda polícia!!!

  94. Eu tô fora de qq manifestação… quase “morri” de tanto apitar nas ruas… nao foi só delegado que traiu nao… Escrivães e Investigadores tb traíram o resto, com a elevação pra N.U., só que se fuderam

  95. E outra…pra PM abocanhar a PC de vez, é como disseram: só
    puxar os escrivães…. pq mesmo com formação em direito, BURRICE É INERENTE AO SUPER SER, O PM.

  96. Vejo muitos policiais aqui. Policiais Civis de todas as carreiras alias. Quando fala mal de delegado aparece 10 ofendidos defendendo a carreira; quando fala mal de Tira ou Escriba (me incluo ate) aparece 20 ofendidos defendendo, e assim por diante, todas as carreiras é do mesmo jeito. Se existe uma manifestação, sabe la que pedido for, exemplo: pedindo papel higiênico, e quem ta pedindo é seu la…. fotografo vai… Todas as demais cagam e andam, limpam a bunda com uma folha sulfite mas não entram no pedido porque foi outra carreira que pediu. Em vez de muita gente, principalmente os tiras e escribas, quero que se foda os sindicatos, se mobilizarem e aproveitar a oportunidade que a situação ruim ta na mídia, não… muitos dizem “ahhhhhh nãooooooo é delta que ta se mobilizando então não, PQQQQQ EM 2008 ELES TRAIRAM A GENTE”…. KKKK Nossa classe é uma vergonha, uma grande e imensa vergonha… Se todo mundo tivesse coragem de para mesmo, provocando os sindicatos a isso, porra, muita coisa ia melhorar. Mas não, nos preferimos delegar todo o serviço pra fora, e dani-se, aconteceu isso com detran, e com muitas outras coisas… Deixa o papel acumular pq não tem isso ou pq não tem aquilo e so desculpas. Não vo investigar por causa disso e daquilo e daquile outro. O problema da nossa instituição, E QUEM É HONESTO VAI CONCORDAR COMIGO, é que falta HONESTIDADEEEEEEE NA INSTITUIÇÃOOOOOO, FALTA SIM !!!!! Vamos ser honestos um com o outro. Queremos ganhar mais, é claro, mas não queremos levantar um dedo se quer para cobrar; se alguem falar vamo fazer, a gente vai arruma desculpas para não fazer…. Quero mais gente trabalhando para dar um alivio no monte de papel acumulado, blz, seria legal ate, mas não vamo levanta um dedo pra isso… queremos uma aposentadoria descente em um bom tempo kkkkk, mas a unica coisa que vamos fazer são reuniões que TODO MUNDO SABE, E TA CANSADO DE SABER QUE NÃO VAI DAR EM MERDA NENHUMA KKKKK… Quando entrei na PC eu era um iludido, hoje eu vejo uma instituição, velha, cansada, com a maioria a beira da aposentadoria e que não quer fazer NADA para levantar, e os poucos que gostariam de melhorar não sabem fazer isso, pq tem desculpa pra cacete nessa merda…. Não to afim de ofender ninguem com as minhas declarações, se alguem se sentir incomodado sinto muito… Respeito meus amigos de armas… Por fim, eu tenho vergonha dos sindicatos, vergonha de sustentar esses vagabundos que em vez de ajudar empurram ainda mais uns contra os outros… São sangues sugas e so isso. Em uma merda de um encontro desse, todos os sindicatos deveriam estar envolvidos, e todos deveriam conversar juntos para um bem maior, mas ai não… Sempre dizem que um fez isso outro fez aquilo, ai vem o outro e lança uma nota ridicula falando que os demais não possuem legitimidade… Chega vai, tem coisas belas de mais na Policia Civil, mas tem uma sujeira que entristece tambem.

  97. Eu li a vulgo Escrivã Decap escrever em fechar Delegacias pequenas e elogiar um débil mental que digitalizou um RDO; vi um débil mental escrever como se fosse um delegado e um demente escrever como um Escrivão aposentado na Paraíba: Estando na ativa e realmente vivenciando a POLICIA CIVIL, quero escrever que a P.M. no interior está com uma lista nas viaturas para achacar 1.000 assinaturas em cidades com menos de 10.000 habitantes; e 10.000 assinaturas para cidades com mais de 100.000 habitantes; assinaturas estas para formar o PARTIDO MILITAR BRASILEIRO.Podem olhar no Google.
    SERA QUE NINGUEM NOTOU QUE A P.M.ESTÁ QUIETA?Eles irão apoiar o Jair Bolsonaro e um militar P.M. da reserva para governador.Pelo movimento das PMs no Brasil com greves, e conseguindo mais adesões eles irão ferrar o SANTO.Ditado antigo: QUEM CUIDA DE COBRAS SERÁ PICADO.O FIM DA POLICIA CIVIL SERA O FIM DESTE GOVERNO ILUDIDO COM A P.M.
    RESPEITO E CORDIAIS LEMBRANÇAS PARA TODOS.PS: a P.M. está portando a lista de adesões na VTR.

  98. Todo profissional tem um dia de amador?

    Pré-candidato à Presidência da República, o deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ) sofreu uma dupla derrota no Supremo Tribunal Federal (STF) nesta terça-feira (7). Por unanimidade, os ministros da Primeira Turma rejeitaram recursos apresentados pela defesa do parlamentar contra a abertura de dois processos – por incitação ao crime de estupro e por uma queixa-crime por injúria, apresentada pela deputada Maria do Rosário (PT-RS). Os ministros confirmaram, assim, a decisão tomada em junho do ano passado de tornar o deputado réu nos dois processos.

    Bolsonaro responderá aos processos por ter dito, em discurso no plenário da Câmara, em dezembro de 2014, que Maria do Rosário “não merecia ser estuprada”. O deputado reiterou os ataques à colega em entrevista publicada no dia seguinte pelo jornal gaúcho Zero Hora. “É muito feia, não faz meu gênero, jamais a estupraria”, declarou.

    Nos embargos de declaração, Bolsonaro alegava “obscuridade” na decisão da Turma, sob o argumento de que a campanha da deputada [#eunãomerecoserestuprada] não teria se iniciado em razão da fala dele. Ele também questionava o não reconhecimento da incidência da imunidade parlamentar no caso.

    Relator dos recursos e dos processos, o ministro Luiz Fux concluiu pela “absoluta ausência dos vícios alegados” pelo deputado. Fux ressaltou que, para a análise da decisão do recebimento da denúncia, é insignificante verificar a data em que teve início a referida campanha. O acórdão cuidou unicamente de distinguir o lema da campanha, do sentido e da conotação que simbolicamente foram empregados pelo deputado, tendo o ato sido caracterizado, de início, como delituoso. “O embargante visa, pela via imprópria, rediscutir os temas que já foram objeto de análise quando da apreciação da matéria defensiva no momento do recebimento da denúncia pela Primeira Turma”, alegou o ministro, no que foi acompanhado pelos demais ministros.

    O Supremo aceitou a abertura das duas ações penais contra Bolsonaro em 21 de junho de 2016, por quatro votos a um. Em 2014, o deputado subiu à tribuna logo depois de um discurso feito por Maria do Rosário sobre os 50 anos do golpe militar de 1964. Com severas críticas ao regime de exceção, a deputada despertou a indignação do colega de Parlamento (veja no vídeo abaixo), capitão da reserva e ferrenho defensor do militarismo.

    “Não saia, não, Maria do Rosário, fique aí. Fique aí, Maria do Rosário. Há poucos dias você me chamou de estuprador no Salão Verde e eu falei que eu não a estuprava porque você não merece. Fique aqui para ouvir”, disse Bolsonaro em 9 de dezembro de 2014, logo após discurso da deputada sobre o Dia Internacional dos Direitos Humanos e a divulgação do relatório final da Comissão Nacional da Verdade.

    “A violência sexual é um processo consciente de intimidação pelo qual as mulheres são mantidas em estado de medo”, disse o ministro-relator, Luiz Fux, ao emitir o parecer pelo acolhimento das denúncias. Os ministros Edson Fachin, Rosa Weber e Luis Roberto Barroso acompanharam o voto do relator. “Imunidade não significa impunidade”, destacou Rosa Weber.

  99. É lamentável, e igualmente perigoso, constatar que nada menos do que 40% das cidades de São Paulo – 256 de 645 – não têm delegado titular, como mostra reportagem do Estado, com base em dados do Sindicato dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo (Sindpesp). O pior é que, como este problema – que compromete seriamente a segurança pública – é produto da falta de atenção do governo a esse setor de importância vital para a população durante muitos anos, não será possível resolvê-lo com a rapidez desejável. A sua solução demanda tempo.

    Há delegados que respondem por até quatro cidades no interior e, como não há também investigadores e escrivães em número suficiente, muitas delegacias mal conseguem dar andamento mínimo às ocorrências que ali chegam. Em Guaraçaí, por exemplo, quando lá esteve a reportagem encontrou apenas um auxiliar administrativo. Os outros funcionários estavam de licença ou ocupados com trabalhos externos, como escolta de preso para audiência.

    Situação semelhante foi constatada em Valparaíso. Em Lavínia, a delegacia estava vazia por volta das 14 horas e só apareceu um funcionário meia hora depois. Em Alumínio, a delegacia funciona em horário comercial e fecha aos fins de semana. A sorte – se se pode dizer assim, sem saber por quanto tempo ela vai durar – é que boa parte das cidades com essas graves deficiências na segurança são pequenas e com baixo índice de criminalidade.

    Mas o caso da capital – que perdeu 1.500 policiais civis desde 1993 – demonstra que, infelizmente, nem sempre é assim. Na maior cidade do País, menos de um terço (27) dos 93 distritos policiais funciona 24 horas. Em 2009 todos eles ficavam abertos dia e noite. Embora São Paulo tenha um índice de criminalidade bem menor que o das demais capitais, a cidade enfrenta ainda grandes e notórios problemas de segurança pública, que exigem do aparelho policial prestação constante de serviço à população.

  100. Policial Miserável, Morrendo de Fome: VOCÊ É P.M.! Vai assistir o jogo.

  101. Era isso, mais já foi aumentado e MUITO, MUITO MESMO. Chora mortal, espere a aposentadoria depois de 49 anos de contribuição e 65 anos de idade, isso se começou a trabalhar ininterruptamente aos 16 anos de idade.

  102. Eu só não choro frequentemente porque já aceitei a derrota. Sejamos adultos , inteligentes e equilibrados!!!
    Sinto-me , às vezes, fracassado pelo fato de ver a Polícia Civil do Estado de São Paulo nessa situação. A verdade é, a única aliás, que a nossa instituição de onde tiramos nosso sustento chegou num momento amargo , difícil. Muito semelhante aquele doente terminal, onde a cura só é possível por um milagre divino.
    Quando na ativa vi surgir muitos policiais sem qualquer vocação para tal mister, presenciei pai de delegada buscando-a no término do plantão, vi delegados se esconderem em suas salas com medo do crimijoso que era apresentado pela PM. Conheci investigadores e agentes policiais que nunca fizeram uma única investigação ou contribuíram para o enaltecimento da PC. Conheci delegados e tiras que passaram a vida toda se prostituindo para conquistarem a melhor cadeira, fosse à custa de puxar o saco ou puxar o tapete de alguém. A PC permitiu o ingresso de concurseiros descompromissados, permitiu a permanência de policiais omissos , preocupados com seus bicos ou empresas, obviamente sempre utilizando da estrutura da P.C., esses são tão responsáveis pela nossa desgraça, quanto os policiais civis traficantes, corruptos e vagabundos.
    Hoje se fizermos greve, muito provavelmente, não faremos falta, não venham com essa balela do r.d.o, pois numa canetada o governador manda a PM elaborá-lo. Quem vai sentir falta de GARRA e GOE, que só prestam para fazer rondas fajutas, promover delegados “badboys” ou os famosos bicos? Quem vai sentir falta do DPPC,preciso comentar? Denarc, Deic, Dhpp e Decade , departamentos mal administrados, cheios de maçanetas inúteis.Sem qualquer estratégia eficiente de atuação.
    Departamentos de Polícia especializada onde não se exige qualquer curso ou especialização de seus integrantes. Sera que faremos falta?
    O governador é,no meu humilde entendimento, um ser extremamente inteligente, um jogador do poder, que já percebeu que o nosso papel não é tão indispensável. Quem sabe se conseguíssemos esclarecer pelo menos dez po cento dos crimes, se não tivéssemos permitido o fortalecimento do crime organizado, ai sim seríamos respeitados. O problema é que nosso time é de terceira divisão e competimos com um time de primeiro divisão chamado PM. Perdoem me ,não estou babando ovo da PM, mas sei que o povo não quer saber quem faz inquérito, quem pede a prisão. O povo quer polícia na rua correndo atras e tirando bandido de circulação.
    Não é uma polícia que tem como presidentes de associação e sindicato pessoas que nada sabem de polícia , que se fiser greve vai abalar o espírito do cidadão.
    Amigos policiais de verdad3, ou nos reinventamos ou já acabamos.Deus tenha misericórdia dos bons e dos vocacionados!

  103. Segunda Geração ainda na ativa. A T I V A?

    “ATIVA”. Isso sim é coisa de PM, bem como, embirrações basbaques em tentativa de argumentação sem termo. Vá procurar sua turma seu bostinha e promova inconsonâncias por lá.

  104. jefão escrivão da dise de araraquara:
    Os delegados recebem o GAT para isso, os operacionais só recebem trabalho, sinto informar mas são os que menos podem reclamar.

  105. Jefão Escrivão.

    Se esqueceu que em pequenas cidades não há perícia e quando a PM aparece com um “nóia” e uma “baganinha de maconha”, escrivães, investigadores, agentes ou seja quem for, tem que levar essas joça para passear até a perícia, por muitas vezes por 200 quilômetros. Gasto astronômico de dinheiro, pessoal e tempo, onde atualmente esta faltando tudo, menos um monte de viaturas novinhas paradas, para serem entregues somente no ano que vem próximo as eleições como sempre. Lamentável

  106. POLÍCIA CIVIL DE SÃO PAULO

    Pauta: Sobrevivência da instituição

    A única forma de não se extinguir a Polícia Civil paulista é eliminar a velha Polícia e refundar uma nova Polícia por meio da tomada das seguintes ações:

    I REESTRUTURAÇÃO

    Existem 8 carreiras (Delegado, Escrivão, Investigador, Agente, Agente de Telecomunicações, Carcereiryo, Papiloscopista e Auxiliar de Papiloscopista) na Polícia Civil paulista.
    Sua distribuição não é homogênea, de forma que, enquanto faltam policiais de determinada carreira em uma unidade policial, sobram policiais de outra.
    A reestruturação reduziria a Polícia a 3 carreiras (Delegado, Escrivão, Agente) e, assim, se traria uma imediata redistribuição de trabalho, considerando-se, inclusive, as aptidões individuais, proporcionando mais mão de obra apta a ser usada nas atividades fim com maior déficit de pessoal.

    II CONTRATAÇÃO DE OFICIAIS ADMINISTRATIVOS

    Na Polícia Civil existem muitos policiais, preparados por curso específico para desempenhar a atividade fim da Polícia, atuando em funções administrativas, para as quais não há qualquer necessidade de formação policial.
    A contratação de oficiais administrativos permitiria que os policiais que não atuam na atividade fim, fossem remanejados para esta.
    Tal ajuste reduziria a carga de trabalho dos policiais que já atuam na atividade fim, refletindo em aumento de produtividade, qualidade de trabalho e, obviamente, em avaliação positiva do trabalho desempenhado pela instituição.
    O oficial administrativo recebe metade da remuneração de um policial de carreira, de forma que, sua contratação, desoneraria a folha de pagamento, possibilitando que este dinheiro que deixou de ser gasto para desempenho de atividade diferente da finalidade específica da Polícia, seja investido na elevação dos policiais que desempenham a atividade fim.

    III VINCULAÇÃO EM PROPORÇÃO COM SALÁRIO DE DELEGADO

    Na Polícia Civil paulista, o Delegado de Polícia, ocupando a mesma classe que servidor operacional, chega a receber 400% a mais de salário, ou seja, o quádruplo. Tal fato provoca evasão nas carreiras operacionais.
    Estabelecendo-se, legalmente, proporção salarial ao ocupante de carreira operacional (Escrivão, Agente) de no mínimo 50% da remuneração real alcançada pela carreira de Delegado de Polícia, observada a classe correspondente, chegar-se-ia à valorização efetiva das carreiras operacionais e se obteria maior unidade institucional.

    NÃO ADIANTA PEDIR REAJUSTE TODO ANO!

    SE NÃO SE REESTRUTURAR A VELHA POLÍCIA, A ÚNICA CERTEZA É A EXTINÇÃO!

  107. Jefão Escrivão.
    Se esqueceu que em pequenas cidades não há perícia e quando a PM aparece com um “nóia” e uma “baganinha de maconha”, escrivães, investigadores, agentes ou seja quem for, tem que levar essas joça para passear até a perícia, por muitas vezes por 200 quilômetros. Gasto astronômico de dinheiro, pessoal e tempo, onde atualmente esta faltando tudo, menos um monte de viaturas novinhas paradas, para serem entregues somente no ano que vem próximo as eleições como sempre. Lamentável

  108. RAPAZ !, TEVE UM LIXÃO AI ACIMA QUE VEIO COM ESSA DE ” SEGUNDA GERAÇÃO AINDA NA ATIVA” . Ô SEU ZÉ ROELA, DEMENTE SÓ PODE SER TU, POIS PRA MIM VOCÊ NÃO PASSA DE UM ” SEGUNDA GESTAÇÃO”. ATÉ TU CHEGAR PRÓXIMO DE MEUS MAIS DE 20 ANOS SÓ DE CLASSE ESPECIAL GALINHA IRÁ NASCER DENTES. E, POR DERRADEIRO, EM QUERO MAIS QUE VOCÊ VÁ PARA A PUTA QUE O PARIU. E, ME AJUDEM AÍ Ó !…

  109. Quem sois vós? Mais do mesmo, ninguém merece “comer mais lixo” nem no país mais rico do mundo, e de maioria miserável.

  110. Educação e equilíbrio são qualidades que dependem da origem social e da personalidade de cada um.
    Não é obtida por conclusão de curso “superior”, ingresso em carreira pública ou protagonismo circense.

  111. RAQUEL TO CONTIGO SUA LINDA. LA ERA MUITO BLA BLA BLA, METE A BOCA MESMO, O RESTO SO TEM PENSADORES, NA PRATICA SO PAPO FURADO.

  112. Freitas Charlie
    Só te lembrando que não existe Policia cientifica e na Civil existem 14 carreiras. Tá faltando auxiliar de necropsia tb…
    AAAhhh agora tem que ser outro tipo de Agente né??? Em Minas não foi assim. Se reestruturar vai ter que cortar e recolher corpo além, é claro de lavá-lo e pô-lo na geladeira.
    Eae resolve seu problema de restruturação? Agente é Agente. Na hora de reestruturar todo mundo fica com o cabelo em pé de saber que pode ter que desempenhar estas atividades. Lembrando que o pessoal do IC e IML tb ficam de cabelo em pé de saber que podem tb ter que fazer o trampo de Delegacia.

    Agente é Agente, sem essa de Judiciário ou cientifico. Faz tudo ou separa logo (o que é impossível conforme já foi estabelecido em decisões do STF).

    será que resolve o problema da Civil? Acho que não, só vai dar um folego no máximo.

  113. Vamos reestruturar assim:

    Criamos várias polícias:

    Uma para delegados, uma para escrivães, uma para investigadores, uma para agentes policiais, uma para carceireiro policial, uma para agente de telecomunicações policial, uma para auxiliar de necropsia, uma para fotógrafo policial, uma para papiloscopista, uma para auxiliar de papiloscopista(opa, ja´estava me esquecendo dos auxiliares de papi, desculpa aí, foi mal), enfim, vamos criar uma polícia para cada carreira, assim pára de vez essa celeuma infantil de quem é mais polícia do que o outro, pronto!!! uma polícia para cada carreira! Quando você não quer que os irmãozinhos briguem pelo brinquedo o que vocês faz? dá um para cada um, pronto! não haverá mais briga!

    E como diria um velho apresentador de previsão do tempo: “E piririm e pororóm”.

  114. Aí tem neguinho que vem com aquela máxima: – “Vamos desmilitarizar a PM e uní-la conosco”, aí eu dou risada porque como querem “unir” a PM com a Civil se dentro da Civil tem “guerrinhas” por carreiras?! Um tanto contraditório, não?! Vamos unir a PM mas dentro da nossa polícia vamos criar a “luta por carreiras”, estranho, contraditório, no mínimo engraçado! É a idéia que sai da boquinha sem antes ter sido processada pelo cérebro. Sem mais.

  115. Francamente. A delegada, ainda que um pouquinho fora do tom – voz esganiçada nunca ajuda – falou, de saída, a absoluta verdade: esses encontros, sem exceção, são de um ridicularia só. Uma palhaçada. Do contrário, são realizados há anos e nunca dão em absolutamente nada.
    Abandonar a mesa de debates. De fato, não é propriamente um primor de elegância. Mas sabe-se lá o que havia rolado antes.
    Na segunda parte, abespinhado e sem educação foi a conduta do policial que a interpelou.
    De qualquer sorte, há algo de pedagógico nisso tudo. Já passou da hora de os delegados nos separarmos dos operacionais, notadamente no que concerne aos pleitos distintos. Eles que se irmanem – só requer um pouquinho de civilidade – e propugnem por seus interesses: melhores vencimentos, carreira única etc e tal (Dou de lambuja a dica; açulem o seus sindicatos a se aliarem com as representações federais. São mais aguerridas.)
    Nós, doutro lado, pugnamos pelo que nos interessa.
    E já era. Sem mimimi, sem mumumu.

  116. Dr. Pacheco disse:
    08/03/2017 ÀS 12:13
    Francamente. A delegada, ainda que um pouquinho fora do tom – voz esganiçada nunca ajuda – falou, de saída, a absoluta verdade: esses encontros, sem exceção, são de um ridicularia só. Uma palhaçada. Do contrário, são realizados há anos e nunca dão em absolutamente nada.
    Abandonar a mesa de debates. De fato, não é propriamente um primor de elegância. Mas sabe-se lá o que havia rolado antes.
    Na segunda parte, abespinhado e sem educação foi a conduta do policial que a interpelou.
    De qualquer sorte, há algo de pedagógico nisso tudo. Já passou da hora de os delegados nos separarmos dos operacionais, notadamente no que concerne aos pleitos distintos. Eles que se irmanem – só requer um pouquinho de civilidade – e propugnem por seus interesses: melhores vencimentos, carreira única etc e tal (Dou de lambuja a dica; açulem o seus sindicatos a se aliarem com as representações federais. São mais aguerridas.)
    Nós, doutro lado, pugnamos pelo que nos interessa.
    E já era. Sem mimimi, sem mumumu.

    Ok! Quando tiver um coleguinha seu baleado pegue os seus pares (delegados e delegadas…hahahah) e vão atrás dar a “cana”. boa sorte para você!! Já que é assim, assim o seja!

  117. Prezados colegas OPERACIONAIS

    Arrumem bicos, cuidem de suas vidas, de suas famílias, tirem, gozem de todas as licenças que tiverem direito, férias, etc, priorizem os seus bicos e o resto, o resto, o resto que se FHODA!!!! UM FHODA-SE BEEEEM GRANDE!!!

  118. Ah, e quando estiverem no bico, vai a dica, desliga o celularzinho, ok?! Assim ninguém enche o saco de vocês, não mela o ganho. Tem muita gente invejosa que é saber que você te um ganhozinho fora que começa a perseguição! Abraços!!

  119. Irmãozinho, quer saber? Eu topo. Às vezes que demandei auxílio, tive-o da…ganha uma tubaína quem acertar.
    Ademais, a minha sugestão refere-se à postulações dos respectivos anseios. De uns tempos a esta parte, convenha, o interesse dos operacionais conflitam com os nossos. Ocioso enumerar.
    De resto, enquanto não se opera uma efetiva mudança legal, tudo como dantes no quartel de Abrantes.
    Acho que preciso ser ainda mais didático:
    Há reconhecidamente duas ambições em choque. Com efeito, cada qual se organize dentro de suas bases e milite nas searas próprias. Alguém há de se sagrar vitorioso.
    Infelizmente, penso eu, é a guerra de todos contra todos. Mas já que se é para travá-la, chega de hiprocrisia.

  120. Irmãozinho, respeitosamente, se vc acha essa a solução mais adequada, não serei eu a contrariá-lo.
    Mas ainda prefiro que lutem por aquilo em que acreditam.

  121. Dr. Pacheco disse:
    08/03/2017 ÀS 12:54
    Irmãozinho, quer saber? Eu topo. Às vezes que demandei auxílio, tive-o da…ganha uma tubaína quem acertar.
    Ademais, a minha sugestão refere-se à postulações dos respectivos anseios. De uns tempos a esta parte, convenha, o interesse dos operacionais conflitam com os nossos. Ocioso enumerar.
    De resto, enquanto não se opera uma efetiva mudança legal, tudo como dantes no quartel de Abrantes.
    Acho que preciso ser ainda mais didático:
    Há reconhecidamente duas ambições em choque. Com efeito, cada qual se organize dentro de suas bases e milite nas searas próprias. Alguém há de se sagrar vitorioso.
    Infelizmente, penso eu, é a guerra de todos contra todos. Mas já que se é para travá-la, chega de hiprocrisia.

    Por essas e outras eu voto sabe em quem?!! Ganha uma tubaína se acertar. Pensou que votei num de vocês?!! Nãaaooo, votei e continuarei votando no? no? no? MAJOR OLIMPIO!!!!!

    Passar bem!

  122. Realmente desta vez tenho concordar com o delegado, acima, nos operacionais temos que nos unir em torno das nossas carreiras, propostas e reinvindicações, nada de se argolar com os delegados.
    Temos que deixar que eles procurem o que é melhor para eles e eles idem.
    Cada um no seu quadrado, simples assim.
    Devemos brigar por nossos interesses, deixando eles com os deles.
    Pautas reinvindicatórias distintas.
    Só devemos executar e fazer o que a lei determina nada além, nada de fazer o trabalho do outro e vice versa.
    Tenho certeza absoluta que nos operacionais só teremos a ganhar.
    Recentemente o governador já deixou bem claro o quanto, ele governador, e portando dono da chave do cofre, acha da carreira dos delegados, e o quanto os prestigia, a estória da PESCARIA.
    E assim sendo alguém quer se perfilar junto a uma categoria que tem tal grau de apreço e simpatia, justamente de quem detém o poder?
    Eu não!
    Neste caso temos o dito popular, que bem se encaixa no caso da pescaria: “Diga-me com que tu andas e te direi quem és”
    Por uma simples dedução quem anda com pescador, pescador é, pensaria o governador?
    Depois podemos constatar o que eles os delegados conseguiram nos últimos anos para eles, dai mais uma vez constataremos o quanto ele são prestigiados, e nos operacionais por via indireta são “beneficiados” com tal prestigio.
    Poderia eu ficar citando exemplos e mais exemplos deste “prestigio”, e o quanto isto nos “beneficia”, mas vou ficar nos mais recentes e mais emblemático, no meu ponto de vista.
    Sem entrar no mérito da aposentadoria especial que os oficias da PM e por consequências os praças a têm, as diárias alimentação, as operações delegadas e afins, numa demonstração clara do que é bom para Chico também é bom para Francisco, no caso da PM, já na PC isto não ocorre, muito pelo contrário.
    Vamos ao que eles e somente eles, por conta única e exclusivamente das ações deles, conseguiram em prol da carreira deles.
    Conseguiram perder o IC/IML.
    Conseguiram perder o DETRAN, e todas as respectivas cadeira$
    Conseguiram perder a Corregedoria, sem comentários.
    Conseguiram que nossas VTRs sejam caraterizadas, impossibilitando muitas investigações, a essências da policia judiciária.
    Conseguiram deixar todas as nossas aeronaves serem “abatidas” por falta de planejamento.
    Conseguiram fazer de operacionais vigias de prensa, e vigia de prédio.
    Entre outros tantos outros “conseguiram” afirmo é muito melhor que eles corram pelos interesses deles e nos pelos nossos operacionais pelos nossos.
    Desejo boa sorte ao(s) delegado(a)(s).

  123. Tired. Sua hombridade me deixa esperanço.
    E vou além, se vc permitir.
    Vocês, operacionais, para além de pleitearam o que entendem por correto – nada mais justo e legítimo -, devem também buscar apoio nos amplos setores do MP que, a exemplo de vcs, acham a figura do delegado dispensável. Devem, ademais, emular os agentes federais nesse tocante. Desejo-lhes toda sorte do mundo. Eu, todavia, na qualidade de delegado, irmanado com meus pares, claro, lutarei para provar o quanto minha carreira é importante. E o farei sem ter qualquer preocupação com a classe dos operacionais. Simples assim. Sem hipocrisia. Com efeito, e doravante, o que vocês colherem para a categoria será mérito de vocês. Eventuais malogros tb ser-lhe-ão atribuídos.
    O mesmo no que toca a nós, delegados.
    E nem se argumente que vcs terão maior dificuldades em razão da hierarquia.
    Vcs têm sindicatos, têm acesso ao judiciário, são maioria e defendem teses que gozam da simpatia de muitos.
    Em sendo assim, à luta. Sem mimimi e sem mumumu.

  124. Em tempo: não me tomem por intriguista, semeador da discórdia ou algo que o valha.
    Trata-se apenas de ser pragmático: vcs pensam assim, nós, assado. O tempo revelou impossível a conciliação. O negócio então é ir à guerra – metaforicamente falando, claro.

  125. Discussão inutil essa de delegados e outros policiais. Ninguém quer e ninguém precisa de nenhum vocês, bando de celerados inuteis , sebosos . Só tem gente feia e porca nessa policinha de porcaria. Dá nojo entrar num DP e ter que falar com qualquer um de vocês. Temos o MP e a PM. Não vejo a hora do governo dar a descarga nessa privada cheia de merda!

  126. E ainda: não adianta me atacar, xingar etc. Isso só denota infantilidade. Tampouco é frutífero tentar me persuadir daquilo que vcs advogam. (Estou convencido de que os operacionais fazem jus a melhores salários. Estou convencido de que vcs devem gozar de um plano de carreira aprimorado. Mas é só. E dizer isso é mesmo uma platitude.)
    Redigo: vão à luta pelas próprias pernas e vejam no que dá.

  127. Escreveu bem irmãozinho.
    No mais, fazendo alusão a programa de TV, chirrion irmãozinho. (somente os fortes entenderão).
    Marcha soldado cabeça de papel quem não marchar direito vai ficar no Romão limpando o chão.
    Meia volta bater cascos!!!
    Ruminantes volver!!!

  128. Dr. Pacheco sábias palavras, realmente penso que nos operacionais temos que nos alinhar com quem detém o poder e força para tal, o exemplo do MP cai bem, visto o quanto ganha, em termos salariais, os “operacionais” do MP por conta do prestigio que emana dos promotores.
    Bem sei que a hierárquica é devida, bem como a urbanidade e o trato pessoal é uma via de mão dupla.
    Se só operacionais fizer o que a lei determina, não fazendo nada pra mais ou pra menos, não temos que temer punições por insubordinação.
    E no caso de uma eventual perseguição ou algo parecido o judiciário está ai para a correção de alguma ilegalidade.
    Também sei que as associações e sindicatos dos operacionais deixam muito a desejar, realamente são muito fraquinhas, mais há que existir um começo e este começo pode ser exatamente agora.
    E neste sentido e quem sabe aproveitando o espírito “reformador” do atual presidente, ex-promotor, diga-se de passagem, uma PEC contemplando o ciclo completo, pode ser uma boa sugestão, outra a carreira única, outra opção, como bem lembrado e referenciado, a extinção do inquérito policial, são boas alternativas para nos operacionais.
    Como visto podemos cada um com os seus argumentos colocar podemos colocar as coisas em bons termos, cada um combatendo o bom combate e agindo para o melhor para a sua carreira, simples assim.

  129. Tired,

    O atual presidente Michel Temer nunca foi membro do MP; ele foi procurador do estado nos tempos em que de tais funcionários não se exigia dedicação exclusiva ao Estado; assim ele podia advogar e ministrar aulas concomitantemente com a prestação de 20 horas semanais à PGE. Por outro lado, apesar de ganharem bem, o MP jamais estendeu aos seus servidores as conquistas de seus membros.

  130. OK Dr Guerra pode crer, em relação ao Michel Temer errei feio, mais em relação ao funcionários do MP, exemplo bem simplório, levando-se em conta as atribuições e o grau de risco.

    CONCURSO PÚBLICO Nº 01/2016 cargo de AUXILIAR DEPROMOTORIA III (Motorista) 40 (quarenta) horas semanais
    QUADRO II – DA REMUNERAÇÃO
    Remuneração* R$
    Vencimento básico – Base mensal 1.558,02
    Gratificação de Promotoria – Base mensal 2.082,37
    Gratificação de Representação 291,00
    Total 3.931,39
    Outros benefícios R$
    Auxílio-alimentação 710,00
    Auxílio-transporte** 11,84

    Agente Policial R$ 3.336,86 Nível Médio Completo

  131. Tired,

    Como falei, os servidores do MP ganham bem; especialmente os tais agentes de promotoria e seus quadros de peritos. Mas a eles nunca foram estendidos os mesmos benefícios dos promotores e procuradores de justiça, por exemplo: vinculação de vencimentos para fins de reajuste; além de outras vanntagens pessoais.

  132. Excelente, Tired. Em meio à tantas divergências, concordamos num ponto. Que travemos o bom combate, e nas searas para tanto. E, como vc bem disse, com urbanidade. Não sou seu inimigo, nem de qualquer outro operacional, pelo fato de sê-lo.
    Só reconheço que essa beligerância toda tornou a situação insustentável. Quanto aos promotores, permita-me uma ressalva: reconheço que atualmente são eles a bola da vez. Reconheço, ademais, que estrategicamente talvez convenha mesmo as vcs argolarem-se com os tais. Mas, já que nos propomos ao bom combate e para que vc não me considere apenas maquiavélico, penso que taticamente as coisas podem não dar tão certo. Eu pessoalmente não confio nem um pouco neles. (Notadamente quando a pauta versa sobre interesses classistas.)

  133. Dr. Guerra bem sei disto.
    Mais o senhor tem que reconhecer que mesmo não havendo a vinculação, visto os benefícios de ser consideradas carreiras jurídicas e tudo o que isto engloba e proporciona para os membros do MP, judiciário e defensoria, esta última mais recentemente, os “operacionais” do MP ganham mais que nos operacionais da PC.
    Sempre estamos nas piores posições vendo de qualquer ponto e vista.
    E mais recentemente com o reconhecimento da carreira jurídica para os delegados este reconhecimento não proporcionou qualquer ganho para os próprios e muito menos para nos.
    Bem sei que cada um no seu quadrado, se levarmos em conta o que faz o “operacional” do MP e o que faz um operacional da PC sempre estaremos ferrados e pior ainda sem representação e reconhecimento e sem força para pleitear o que quer que seja.
    Exemplo disto é GAT, e o melhor exemplo no pior sentido, fizeram um bem bolado para poucos e os que efetivamente continuam a trabalhar agora por três não ganha um centavo, e como o senhor bem disse esta vantagem pessoal “também” e mais uma vez não estendida aos operacionais.

  134. Tem uma pessoa aqui que se diz delegado e pede para que briguemos por aquilo que nos interessa, pois bem, perfeito, porém, gostaria de lembrá-lo do seguinte, por favor, quando nós restopols formos pleitear, reivindicar algo que seja do nosso interesse, peça para sua “classe” ficar bem quietinha no canto dela, que nos respeite e que não cresça os olhos em cima de nossas possíveis conquistas. É só.

  135. Combinado, Irmãozinho, espero que façam o mesmo.
    PS: como se fosse preciso pedir, né!

  136. Bom que você entendeu o recado. Agora, no que concerne à nós restopols nos metros na vida de vocês é de uma leviandade sem tamanho. Nunca nos metemos na vida de vocês, agora, vocês sim, fato é que veja no que deu com a presença da sua ilustríssima colega, indo á reunião de Bauru e até (Isso que consta no texto, não sou testemunha) agredindo policiais antigos. Quem será que se mete na vida dos outros, né? Hum?

  137. Blz, irmãozinho. Se vc acredita mesmo no que está falando, quem sou eu para o contrariar né.
    Mas não se esqueça, trato é trato: não evoquem mais o gat e outras nossas conquistas para justificar seus pleitos.

  138. Conseguiram ås nossas custas, não é mesmo? Como é de costume…

  139. Kkkkkkk. Eu já sabia a resposta, meu caro Irmãozinho. Mas não acredito nisso, não. Fomos contemplados e vocês não. Fazer o quê?
    Eu pessoalmente acho que, nas mesmas circunstâncias, os operacionais fazem jus a um GAT proporcional, notadamente os escrivães.
    Mas ainda que acreditasse que o benefício adveio à custa de vcs, dizer o quê? Guerra é guerra. Não me culpe se foram tão facilmente manobráveis.

  140. 7%??

    Repito o que já disse antes: hora de cuidar melhor de nossas vidas (principalmente, os que ainda não começaram).

    O Irmãozinho está certo. PC como segundo trabalho, a prioridade é o bem estar de cada um.

    E outra, tiras e os demais colegas experientes fazem o trabalho bem feito até quando não querem. Basta não estressar , ir na boa e mandar essa coisa de produção para aquele lugar.

    E assim, vai se perdendo aquilo que deveria ser mais valorizado: o policial vocacionado. Espécime cada vez mais raro, já que ninguém vive de vento.

  141. “Dr” Pacheco
    Vc é o exemplo claro do pq estamos nessa pindaiba..
    Não quer administrar, quer continuar ganhando o mesmo e ainda de quebra diz para q cada um corra atrás do seu.

    Me responde uma coisa “Dr” Pacheco…
    Pq em todo Iml e IC que eu passo tem recado, no mural das lamentações, que vc é ladrão de cesta básica??

    Só por curiosidade… Pq eu apenas ouço da boca dos outros e aqui vc pode falar sua versão agora.kkk
    Eu simplesmente me recusei a acreditar na versão dos seus subalternos.

    Parabéns!!! Quando realmente a Pc fechar as portas olha no espelho bate no peito e diga para vc mesmo “Eu CONSEGUI”!!!

    Pelo menos vc já deixou claro o q Delta pensa.
    Nem se quer disfarçou!!
    Deixou nas entrelinhas que Delta não quer administrar, quer ganhar, sempre, mais e quer os subalternos se fodend…

    Quando passar nos corredores do Dp dá uma espiada rápida para trás e veja como quem trabalha com vc te olha, pois o q falam de vc não vale a pena nem comentar.

    Ninguém precisa xinga-lo, basta deixar vc continuar escrevendo suas pérolas.

    Sempre gostei de suas pastagens, todas escritas com parcimônia e sensatez, mas depois de algumas que li ultimamente fico refletindo.
    Como vc administrador de uma Instituição desta Magnitude pode ter essa linha de pensamento totalmente parcial?

    Vc não só me decepcionou, vc decepcionou todo operacional e admnistrativo que lê o que o sr posta aqui no Flit. O que me dá esperança é saber que ainda existem pessoas comprometidas com a Instituição, diferentemente de vossa excelência.

    Não queria ser ofensivo no meu comentário, mas diante de suas últimas postagens não pude me manter em silêncio.
    Continuar passando bem.

  142. Dr. Guerra, Tired,

    Sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

    Associação questiona norma que regulamenta auxílio-moradia para membros do MP

    A Associação Nacional dos Servidores do Ministério Público (Ansemp) ajuizou no Supremo Tribunal Federal (STF) a Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) 5645, com pedido de liminar, contra a Resolução nº 117/2014, do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), que disciplina a concessão de auxílio-moradia aos membros do Ministério Público da União (MPU), a procuradores e a promotores de justiça. De acordo com a entidade, o tema só poderia ser regulamentado por lei, e não por norma do CNMP.

    Segundo a associação, a matéria foi regulamentada de forma tão abrangente que retirou do benefício “seu caráter indenizatório, transformando-o em nítido complemento salarial”. Assinala ainda que, além da abrangência, o valor fixado para o benefício desvirtua sua característica indenizatória, pois toma como base o valor que seria pago aos ministros do STF e não a realidade de cada unidade da federação.

    Aponta também que a forma de pagamento do auxílio-moradia do modo como foi regulamentado pelo CNMP representa violação da regra do subsídio. Segundo a entidade, ao permitir a concessão do benefício indistintamente, apenas pelo fato de serem membros do MP, sem qualquer exigência quanto ao efetivo dispêndio com moradia, a Resolução 117, do CNMP, teria conferido ao instituto um caráter remuneratório, vedado no regime de subsídio.

    Dessa forma, a associação sustenta na ADI que o auxílio-moradia em tais parâmetros afronta os princípios constitucionais da legalidade, da igualdade, da eficiência, da finalidade e da moralidade.

    Em caráter liminar, a Ansemp pede a suspensão dos efeitos da Resolução nº 117/2014, do CNMP. Alternativamente, pede que se dê interpretação conforme a Constituição Federal, estabelecendo que o auxílio-moradia só poderá ser pago nas hipóteses de desempenho de atividades funcionais fora do domicílio habitual ou quando houver comprovação de despesas com aluguel ou hospedagem em hotéis fora do domicílio. Requer, também, que o pagamento se limite às despesas comprovadas, mantendo como teto o valor fixado para ministros do STF. No mérito, pede a declaração de inconstitucionalidade da norma.

    O relator da ADI 5645 é o ministro Luiz Fux.

    Processo, link: http://www.stf.jus.br/portal/processo/verProcessoAndamento.asp?numero=5645&classe=ADI&origem=AP&recurso=0&tipoJulgamento=M

  143. Sério mesmo, a única parte do seu comentário que poderia se revelar ofensiva, note, não se refere a mim. Não sei o que o levou à confusão. Talvez o nick Pacheco.
    À exceção disso, lamento se o decepcionei. Todavia, redigo: o nível de beligerância e intransigência de parte a parte tornou a coisa insustentável.
    E acresço: seus colegas se notabilizam sim pela intransigência. Quanto à administração institucional, dizer o quê?
    Minha carreira se cinge ao plantão. Nessa esteira, sinto-me plenamente realizado se mantenho minha equipe coesa e com todos trabalhando satisfeitos – a despeito das dificuldades todas.
    Quanto a uma administração estrutural eu, pessoalmente, não tenho o menor interesse. Tampouco tenho o traquejo para tanto. Aliás, acho que tal mister deveria ser atribuído a quem melhor o fizesse, independentemente da carreira.

  144. Pelo o que entendi nesse vídeo, a delegada está reclamando dessa turma que está a mais trinta anos na policia e nada fazem. E também reclamou dos “presidentes” de sindicatos e associações que estão a quatro, oito anos na função e também nada fazem. Queria ver o vídeo na íntegra e não editado. Parece que ela chegou querendo mudanças, mas seus pares querem continuar na mesma.

  145. Olha os defensores da PM aí !!!!!!

    Cuidado gente.

    Corregedoria prende coronel acusado de desviar R$ 7 milhões da PM paulista
    Estadão Conteúdo 09/03/201712h07 > Atualizada 09/03/201713h31

    Comunicar erro

    m n o
    H

    Comente

    Bruno Ribeiro e Fabio Leite
    São Paulo

    A Corregedoria da Polícia Militar de São Paulo prendeu nesta quinta-feira, 9, o tenente coronel da PM Afonso Adriano Filho, acusado de liderar um esquema de desvios de verba do Quartel Geral da corporação estimados em R$ 7 milhões. A prisão é preventiva e havia sido autorizada pela Justiça.

    Há 21 inquéritos policiais militares instaurados para apurar as denúncias contra o esquema que teria sido montado pelo coronel. A suspeita é de que ele é outros policiais tenham fraudado várias licitações feitas pela PM.

    No inquérito que terminou com a prisão desta quinta, a Corregedoria apurou que o coronel fez 200 licitações que tiveram com vencedoras uma mesma empresa, a Construworld, que segundo a investigação pertencia ao próprio coronel Adriano.

    A reportagem ainda não conseguiu contato com os defensores do coronel.

    O processo corre em segredo de Justiça. A Corregedoria não quis se pronunciar. Os agentes dessa divisão da PM de São Paulo também cumpriram nesta quinta-feira mandados de busca e apreensão de dois sargentos suspeitos de participação no esquema.

  146. Pacheco.

    Interessante, gosto de ver você “irritando todo mundo” Pacheco. Como fala “da boca para fora” em. Sei muito bem que a maior parte do que disse não é o que sente, mas vamos lá_ a equipe com que trabalho estando bem…Sem comentários “né” Pacheco, disse antes e repito, realmente você é um Policial e como tal tenho certeza que quer uma Polícia Civil muita bem estruturada e com todos bem. Já disse anteriormente, promotor de justiça é o sujeito que não teve coragem para ser policial, egoísta, ganancioso entre outras coisas…o que não é o seu caso, mas quer sustentar que realmente não se importa.

    Ora, quem não se importa, NÃO SE IMPORTA MESMO, nem se dá ao trabalho de conjecturar o assunto, posso muito bem ver novamente, não é o seu caso, infelizmente talvez até queria ser assim, mas não é, então segura sua onda aí, é um miserável também. Então, vamos seguir a união que a PRESIDENTE QUE QUER PERPETRAR em detrimento dos sindicalistas profissionais, dos encostados e parasitas.

    Dizer o que mais, vou dormir. Abraço.

  147. Pacheco.

    Interessante, gosto de ver você “irritando todo mundo” Pacheco. Como fala “da boca para fora” em. Sei muito bem que a maior parte do que disse não é o que sente, mas vamos lá_ a equipe com que trabalho estando bem…Sem comentários “né” Pacheco, disse antes e repito, realmente você é um Policial e como tal tenho certeza que quer uma Polícia Civil muita bem estruturada e com todos bem. Já disse anteriormente, promotor de justiça é o sujeito que não teve coragem para ser policial, egoísta, ganancioso entre outras coisas…o que não é o seu caso, mas quer sustentar que realmente não se importa.

    Ora, quem não se importa, NÃO SE IMPORTA MESMO, nem se dá ao trabalho de conjecturar o assunto, posso muito bem ver novamente, não é o seu caso, infelizmente talvez até queria ser assim, mas não é, então segura sua onda aí, é um miserável também. Então, vamos seguir a união que a PRESIDENTE QUE QUER PERPETRAR em detrimento dos sindicalistas profissionais, dos encostados e parasitas.

    Dizer o que mais, vou dormir. Abraço.

  148. Distração em pequena leitura, diverta-se Pacheco.

    Investigação preliminar, polícia judiciária e autonomia – Luiz Flávio Gomes e Fábio Scliar

    Artigo escrito com base nas idéias desenvolvidas por ocasião da palestra proferida pelo Prof. Luís Flávio Gomes, no Colóquio sobre inquérito policial promovido em parceria pela Academia da Polícia Civil/SP e Academia Nacional de Polícia/PF.

    A preocupação com a ausência de autonomia da Polícia Judiciária é justificável em função da crescente importância que a investigação criminal vem assumindo em nossa ordem jurídica, seja por conta de uma necessária mudança de postura a seu respeito, para considerá-la como uma garantia do cidadão contra imputações levianas ou açodadas em juízo, seja pelo papel mais ativo que tem sido desempenhado nos últimos tempos pelos órgãos policiais.

    Esta ausência enfraquece a Polícia Judiciária e a torna mais suscetível às injunções dos detentores do poder político, e considerando a natureza e a gravidade da atribuição que exerce, bem como os bens jurídicos sobre os quais recai a sua atuação, o efeito pode ser desastroso em um Estado Democrático de Direito.

    Por outro lado, a leitura constitucional do tema indica que se a instituição Polícia Judiciária não tem autonomia orgânica, e dificilmente virá a tê-la, a função de Polícia Judiciária exercida pela autoridade policial na condução das investigações desfruta de autonomia como um imperativo decorrente de princípios constitucionais da maior envergadura. Esta atividade, entretanto não está protegida com garantias funcionais suficientes para que possa ser exercida com serenidade e isenção nos moldes em que o constituinte a confiou.

    O reconhecimento da autonomia funcional do delegado de polícia na investigação, verdadeiro escudo protetor contra intervenções políticas no exercício das suas funções, passa por um processo de filtragem constitucional do instituto investigação preliminar, uma mudança da postura interpretativa atual que deve ser feita à luz da Constituição e não baseada nas normas infraconstitucionais ou entendimentos anteriores a Carta de 1988.

    1 – Autonomia, discricionariedade e princípio da separação dos poderes:

    Investigação é atividade de busca da verdade acerca de determinado fato, é esforço para conhecimento de determinada coisa que está oculta. Segundo o léxico HOUAISS, investigação é “o conjunto de atividades e diligências tomadas com o objetivo de esclarecer fatos ou situações de direito”[ 1 ].

    A investigação criminal, portanto, é o conjunto de atividades e diligências tomadas com o objetivo de esclarecer fatos ou situações de direito relativos a supostos ilícitos criminais. Tal entendimento, com esta amplitude acaba por abarcar a própria instrução em juízo como uma espécie de investigação criminal, uma vez que é a busca da verdade processual [ 2 ] acerca de um ilícito. É neste sentido que se afirma que a persecução criminal é formada pela fase processual e pela fase pré-processual em que a investigação é a atividade cujo objetivo é o de verificar, sumariamente, através de um juízo de probabilidade, se há elementos mínimos a garantir que não seja leviana a instauração de processo criminal.

    Assim, a investigação preliminar cumpre a “função de filtro processual contra acusações infundadas[ 3 ]” [ 4 ], embora a sua própria existência já “configure um atentado ao chamado status dignitatis do investigado”[ 5 ] , e daí decorrem duas conclusões: a primeira é que a investigação prévia através do inquérito policial [ 6 ] é uma garantia constitucional do cidadão em face da intervenção do Estado na sua esfera privada[ 7 ], porque ela atua como salvaguarda do jus libertatis e do status dignitatis; a segunda é que a investigação prévia não é somente fase anterior do processo penal, porque mesmo quando não há processo a investigação terá cumprido um papel na ordem jurídica.

    A natureza do inquérito policial, entretanto, é dada por expressiva parcela da doutrina em função do que ele representa para o processo criminal ou para o órgão da acusação. Desta forma, costuma ser apresentado como procedimento administrativo pré-processual, “instrução provisória, preparatória e informativa” [ 8 ]; “conjunto de diligências realizadas pela polícia judiciária para a apuração de uma infração penal e de sua autoria, a fim de que o titular da ação penal possa ingressar em juízo”[ 9 ]; “É a inquisitio generalis destinada a ministrar elementos para que o titular da ação penal acuse o autor do crime” [ 10 ] e “procedimento de índole meramente administrativa, de caráter informativo, preparatório da ação penal”[ 11 ].

    Acreditamos que ao conceituar um instituto, devemos fazê-lo à luz da Constituição .

    A norma do art. 144 da Carta Magna deixa claro que o conceito jurídico-constitucional de segurança pública é o conjunto de atividades desempenhadas pelos órgãos enumerados naquele dispositivo, entre eles, a Polícia Federal e as Polícias Civis. Tal entendimento se dá porque ao abrir um capítulo denominado “Da Segurança Pública”, e composto de apenas um artigo, o texto constitucional está estabelecendo o que seja esta atividade, e por isto segurança pública para a Constituição de 1988 é a atividade desempenhada pelos órgãos que ficaram enumerados no art. 144 da Lei Maior.

    Ressalte-se que ao elaborar o art. 144 o constituinte de 1988 também estava definindo parcela do modelo constitucional da persecutio criminis no Estado brasileiro, fazendo atuar o princípio da separação de poderes destinando a fase da investigação criminal ao Poder Executivo, através das Polícias Civis e Federal.

    Ora, a mais intensa atividade de intervenção estatal em um Estado Democrático de Direito se realiza justamente através da persecução criminal, que pode resultar na restrição do jus libertatis do indivíduo, e mesmo quando não chega a tanto já atuou em outros âmbitos da sua esfera de direitos individuais, como o direito à intimidade e à vida privada.

    Por isso, é preciso que esta função seja exercida em conformidade com o princípio da separação dos poderes, cláusula pétrea que com o seu corolário sistema de freios e contra-pesos norteou o estabelecimento do Estado como o conhecemos hoje, tendo um elevado caráter democrático por se prestar a limitar e controlar o poder estatal que recai sobre os particulares, ao mesmo tempo em que é uma importante ferramenta organizacional na estrutura de qualquer país que o adote.

    Por outro turno pode-se dizer que o sistema de freios e contrapesos, não é apenas uma técnica a serviço do princípio da separação de poderes, mas o próprio princípio da separação de poderes visto de outro ângulo, na medida em que a divisão das funções do poder estatal em função legislativa, função executiva e função judiciária, estabelece, originariamente, um sistema de controles e contenções recíprocos, com o objetivo de evitar o abuso do poder.

    Assim, esta divisão originária do poder, até o mais inferior grau de controle entre os órgãos estatais, será decorrência da adoção do princípio da separação de poderes.

    No ponto, cabe destacar que este sistema de controles e contenções recíprocas, pode ser dar de forma implícita, quando determinada atividade é compartilhada entre órgãos estatais, sistema no qual, cada um exercendo um estágio da atividade, evita o monopólio da atuação do outro sobre toda ela, prevenindo o abuso do poder. Este é o caso da persecução criminal, dividida entre Poder Executivo, que realiza a investigação criminal; Ministério Público, como dominus litis; Poder Judiciário, que aplica a lei penal e Poder Legislativo, que elabora as leis processuais e materiais referentes à persecução criminal.

    O mesmo sistema pode se dar também de maneira explícita, sem que haja divisão da atividade de que se trata, mas estabelecendo o constituinte que determinado órgão fiscalizará o trabalho do outro. Esta forma se apresenta no controle externo realizado pelo Ministério Público sobre a atividade policial, previsto no artigo 129 , VII da Carta Magna .

    Sabemos que a persecução criminal, segundo Belling, citado por Frederico Marques, é “a atividade estatal de proteção penal” [ 12 ] e acontece em duas fases, uma preliminar, representada pela investigação criminal, e uma posterior, o processo criminal.

    Quanto à última fase, não há dúvida em afirmar: trata-se de exercício da jurisdição, isto é, poder de dizer o direito em um determinado caso concreto, com reflexos evidentes na segurança pública.

    Quanto à primeira, agora sabemos que trata de exercício de atividade de segurança pública, com reflexos também evidentes, embora eventuais, no exercício da jurisdição criminal.

    Portanto, a investigação criminal se autonomiza diante do processo, cabendo dizer ainda que em grande parte dos casos existe inquérito policial sem a fase processual posterior, quando há arquivamento dos autos sem oferecimento de denúncia. Por isso, o inquérito policial embora possa ser um procedimento pré-processual, nem sempre tem esta natureza, e mesmo sendo, esta função não terá sido a única, o que confirma a autonomia do inquérito policial em relação ao processo criminal e, por conseguinte a autonomia da Polícia Judiciária em relação àquela condição de mera auxiliar do Poder Judiciário.

    Outra decorrência do princípio da separação de poderes é a existência do poder discricionário do delegado de polícia na condução do inquérito. A discricionariedade, que é “a prática de atos administrativos com liberdade na escolha de sua conveniência, oportunidade e conteúdo” [ 13 ] , tem uma importante função política, que é a reserva de campo de atuação à Administração pelo legislador, sendo um princípio densificador da separação de poderes.

    A existência de atos administrativos discricionários, portanto se deve menos à impossibilidade de o legislador regular todas as situações com as quais a Administração tem de lidar, comumente citada pela doutrina como um dos motivos da discricionariedade, do que com a necessidade de preservar-se um espaço de mobilidade para que a Administração aja segundo o que achar mais oportuno e conveniente. Desta forma, ainda que a lei pudesse descer ao detalhe, não deveria fazê-lo.

    Ora, se hipoteticamente o legislador pudesse regular todos os aspectos da atividade da Administração, esta ficaria completamente vinculada à vontade do Poder Legislativo, e, por isso sem qualquer margem para aplicar as suas próprias diretrizes, com grave violação do princípio da separação de poderes, já que a Administração estaria coarctada na sua atividade.

    Por outro lado a discricionariedade é um imperativo do princípio da eficiência, que tem sede constitucional no artigo 37 da Lei Maior, uma vez que em cada caso concreto que se apresenta, para que seja solucionado da melhor forma possível, devem ser levados em consideração os seus aspectos peculiares, que exigem uma atuação estatal também peculiar.

    Além disso, a atividade investigativa tem como pressuposto a escolha da estratégia da investigação por quem a conduz, cuja decorrência é a escolha dos meios, formas, fins e oportunidades adequadas de desencadear as diligências investigativas ou deixar de realizá-las.

    Este poder é reconhecido à unanimidade pela doutrina do direito processual penal, o que demonstra que é um imperativo lógico na condução da investigação. Segundo Frederico Marques, a Polícia tem “atribuições discricionárias, visto que sua ação vária e multiforme, não pode ser prefixada em fórmulas rígidas e rigorosas” [ 14 ] e Mirabete afirma que “As atribuições concedidas à Polícia no inquérito policial são de caráter discricionário, ou seja, elas tem a faculdade de operar ou deixar de operar, dentro, porém, de um campo cujos limites são fixados estritamente pelo direito” [ 15 ] [ 16 ]

    Evidentemente a discricionariedade não é um poder ilimitado. O poder discricionário guarda inteira observância às normas legais, assim, onde houver previsão legal de forma ou qualquer outro elemento do ato administrativo a ser praticado, a autoridade policial deve cingir-se ao seu cumprimento. Como se costuma dizer, discricionariedade não é arbitrariedade.

    O poder discricionário está limitado também pela necessidade de motivação dos atos administrativos, decorrência do princípio do devido processo legal, que norteia o nosso ordenamento jurídico, e garantia política de controle dos atos estatais, na medida em que, apenas através da fundamentação é possível entender os motivos do ato para resolver sobre a sua eventual impugnação.

    Nesta mesma linha, mas manifestando-se especificamente acerca da investigação criminal, é a lição de Fausi Hassan Choukr: “Na investigação criminal, a motivação, além de servir como fonte controladora a nível interno, apresenta no aspecto de controle externo seu relevo de maior importância” [ 17 ].

    A motivação não é incompatível com a atividade investigativa, devendo o delegado de polícia expor os pressupostos de fato e de direito que orientam as suas decisões na escolha das diligências, e muito mais por ocasião de decisões que importam na mudança de status do investigado nos autos do inquérito policial, como no indiciamento.

    A autoridade policial, munida do poder discricionário na condução da investigação, só deve satisfações à lei. Não obstante a Polícia Judiciária seja órgão da Administração, sujeita ao princípio da hierarquia, esta não interfere no âmbito do inquérito criminal. Aqui, o delegado de policia age com ampla liberdade em função da natureza da atividade que realiza.

    A condição de autoridade que reveste o cargo de delegado, faz com que aja com completa independência na condução da investigação policial, desautorizando qualquer determinação que seja contrária à sua convicção. Desta forma, não pode o chefe da Delegacia determinar que o delegado instaure inquérito policial, indicie, prenda ou execute determinada diligência se com estas decisões a autoridade não concordar.

    Em parecer elucidativo sobre o conceito de autoridade policial no nosso ordenamento, Hélio Tornaghi, após concluir que apenas o delegado de polícia é autoridade policial, elencou, escudado em doutrina alemã, as seguintes características da autoridade: “a) é órgão do Estado; b) exerce o poder público; c) age motu próprio; d) guia-se por sua prudência, dentro dos limites da lei; e) pode ordenar e traçar normas; f) em sua atividade não visa apenas os meios, mas aos próprios fins do Estado”[ 18 ] .

    Como se vê, surge cristalina a conclusão de que o poder hierárquico da Administração não se aplica na condução do inquérito, estando o agente responsável pela ingerência indevida sujeito às penalidades administrativas, criminais e cíveis pertinentes.

    O mesmo raciocínio se aplica ao Ministério Público que no decorrer da investigação fica jungido a executar apenas o controle externo determinado pelo constituinte.

    2 – Princípio da isonomia

    Mas com relação à autonomia da Polícia Judiciária frente ao parquet há outro motivo ainda mais poderoso: o princípio da isonomia.

    Decorrência da filtragem constitucional do processo penal é a aplicação in totun do princípio da igualdade em todas as sua fases. Assim, o processo penal válido, consentâneo com a Constituição , é aquele que está pautado pela aplicação do princípio da isonomia, fornecendo ao órgão da acusação e à defesa as mesmas chances de produzir provas.

    Este é o Devido Processo Penal.

    Cláusula, de elevado teor democrático e universal, que ganhou impulso sob o signo das idéias do cristianismo tendo sido utilizada como salvaguarda contra as arbitrariedades do absolutismo [ 19 ] , a isonomia tem a prerrogativa decorrente de seu caráter de generalidade de ser uma espécie de princípio que informa todos os outros, sendo possível afirmar que até mesmo os princípios do contraditório e da ampla defesa só existem efetivamente se aplicados dentro de um contexto delineado pelo princípio da igualdade, afinal, de que vale a oportunidade de ter “ciência bilateral dos atos e termos processuais e possibilidade de contrariá-los” se a acusação está muito melhor aparelhada para produzi-los e a defesa não possui o instrumental adequado para contrariar a imputação?

    A doutrina [ 20 ] [ 21 ] distingue a igualdade em dois aspectos: igualdade formal (igualdade perante a lei) e igualdade material (igualdade na lei). O primeiro sentido é o que se contenta com que as pessoas recebam o mesmo tratamento estatal, desconsideradas as suas diferenças, isto é, todos seriam iguais perante a lei, que não discrimina, não distingue uns em relação a outros, ao passo em que a igualdade material é a que determina que o Estado deve considerar as diferenças entre as pessoas e procurar minorá-las, isto é, uma vez diante da lei, esta tem de considerar as diferenças existentes para realizar a isonomia.

    Assim, a fórmula enunciada pelo constituinte de 1988, se interpretada friamente traduz apenas a idéia de igualdade formal, devendo por isso ser entendida sob o prisma da isonomia material, porque uma ordem jurídica que busca um ideal de justiça material deve ter por escopo a realização da igualdade neste mesmo sentido, que é traduzida na já conhecida fórmula aristotélica de que todos devem ser tratados igualmente na medida de suas igualdades e desigualmente na medida em que se desigualam.

    A igualdade processual manifesta-se na “igualdade de armas no processo para as partes, ou a par conditio, na exigência de que se assegure às partes equilíbrio de forças; no processo penal, igualdade entre Ministério Público e acusado” [ 22 ] , como expressão de um processo justo no sentido de proporcionar ao sujeito atingido pela acusação estatal, as mesmas oportunidades de expor e ver analisados seus argumentos e suas teses.

    Em que pese muita vez ser esquecida como parte integrante do Direito Processual Penal, e por isso receber pouca atenção da doutrina [ 23 ] a investigação criminal tem papel relevante no desenrolar da instrução processual. Para firmar este raciocínio bastaria desfiar as críticas que, de uma forma geral, são feitas ao inquérito policial: a sua hipertrofia; o fato de que seu teor, tendo em conta sua presença nos autos informa decisivamente o espírito do julgador; ou ainda que os atos da instrução processual são meras reiterações do que já foi produzido na fase policial, entre outras acusações que vem apenas confirmar que a investigação criminal ocupa posição de subido relevo na seara processual penal em sentido amplo.

    Por tudo isto a investigação criminal deve estar orientada pelos princípios que animam a idéia de processo justo.

    Este entendimento é decorrente de que a investigação criminal não é um fim em si mesma, e tem como um de seus objetivos informar a instrução processual, carreando aos seus autos elementos que devem, então, ser debatidos à luz do contraditório e ampla defesa agora com a máxima intensidade.

    A existência de fase investigatória que vai determinar inclusive se haverá ou não processo, completamente desprovida da aplicação do princípio da isonomia é uma evidente burla ao mandamento constitucional, verdadeira fraude à Constituição . A isonomia no processo penal só será verdadeira se na fase imediatamente anterior ela tiver sido assegurada.

    O inquérito policial atende ao princípio da isonomia, na medida em que é presidido por autoridade desvinculada dos eventuais futuros órgãos da acusação e da defesa, com o único compromisso de investigar a verdade sobre o fato e sua autoria.

    O delegado de polícia não está a serviço do Ministério Público, mas do Estado, como autoridade investida de parcela do múnus público no escopo de esclarecer a existência de fatos ilícitos e sua autoria.

    A possibilidade de o membro do parquet requisitar diligências, é limitada pela necessidade de fundamentação de suas manifestações e pela ampla discricionariedade que tem o delegado de polícia na condução do apuratório, tendo plena autonomia técnica e tática na direção da investigação, podendo por isso mesmo rejeitar, sempre fundamentadamente, requisições impertinentes, desarrazoadas ou apresentadas a destempo.

    O indiciado também pode solicitar ao presidente do inquérito policial, na forma do artigo 14 do código de Processo Penal que realize diligencias, e, neste caso, a rejeição destas medidas também não pode ser atitude caprichosa do delegado, é preciso que a decisão de rejeição seja motivada em obediência ao mandamento constitucional da motivação dos atos administrativos .

    Seria justo entender que a requisição ministerial tem caráter vinculativo e assim pôr à disposição do Ministério Público e suas prerrogativas todo o aparato investigativo do Estado sem que o administrado também pudesse utilizar esta mesma ferramenta?

    De que valeriam os princípios da igualdade, contraditório e ampla defesa se a acusação já comparecesse hipertrofiada na fase judicial?

    Um processo criminal assim seria como uma luta marcada com dia e hora certos, arena iluminada, aberta ao público com regras absolutamente claras e justas, mas os lutadores, que finalmente sobem ao ringue são, de um lado um peso-pesado, e do outro, um peso-pena.

    Esta imagem deixa evidente que se a investigação pré-processual for deixada ao talante do Ministério Público, apenas a igualdade no sentido formal estará sendo aplicada quando for instaurado o processo criminal, tudo em detrimento da vontade do constituinte, expressada através dos princípios do devido processo legal e da isonomia, corolários da cláusula do Estado Democrático de Direito.

    Portanto a requisição ministerial de diligências no decorrer do inquérito policial não é vinculativa, tendo natureza de sugestão de diligência, com a mesma estatura do requerimento de diligências formulado pelo investigado, em função não apenas do princípio da separação de poderes, que confere a discricionariedade ao delegado de polícia, como também do princípio da isonomia material que deve nortear o eventual futuro processo.

    Neste passo, fica claro mais uma vez, e agora em função do princípio da isonomia, o descompromisso da autoridade policial com os interesses do futuro órgão da acusação ou dos investigados. O delegado de polícia, como autoridade do Poder Executivo que atua na persecução criminal, tem a missão constitucional de investigar a verdade sobre os fatos e sua autoria, de forma neutra, desvinculado de paixões que inevitavelmente contagiam aqueles que, em juízo, disputarão teses com a parte contrária.

    O princípio da isonomia só estará sendo respeitado no processo criminal se tiver sido observado também na investigação preliminar, e devem ser obstadas as pretensões de que o órgão da acusação se valha desta fase para robustecer a forma como se apresentará posteriormente em juízo, sob pena de termos apenas a igualdade formal no processo criminal, o que não atende a vontade da Carta Magna de 1988.

    3 – Conclusão

    Com base então nos princípios da separação de poderes e da igualdade fica certo que a função da Polícia Judiciária é revestida de autonomia em face do Poder Judiciário, do Ministério Público e até mesmo do poder hierárquico do Executivo, entretanto, é preciso reconhecer que há uma falha no sistema porque o legislador não dotou o delegado de polícia, condutor da investigação criminal, de garantias funcionais suficientes como fez com os membros da Magistratura e do parquet, a quem concedeu a vitaliciedade, a inamovibilidade e o foro por prerrogativa de função. Com tais prerrogativas, ingerências políticas na condução da investigação criminal, seriam menos frequentes. Esta é a posição adotada por Luigi Ferrajoli que, embora advogando que a “Polícia Judicial” deveria estar vinculada à Justiça e não ao Executivo, posição com a qual não concordamos, e que a mesma deveria estar completamente desvinculada das polícias com outras finalidades afirma: “En particular la policía judicial, encargada de la investigación de los delitos y de la ejecución de las decisiones judiciales, debería estar rigidamente separada de los demás cuerpos de polícia y dotada de las mismas garantias de independência frente al ejecutivo que el poder judicial, Del que debería depender em exclusiva”.

    Evidentemente a ausência destas garantias possibilita que os detentores do poder político, notadamente os vinculados ao Poder Executivo tenham ingerência maior do que a correta no âmbito da Polícia Judiciária, através da coação que podem exercer sobre as atividades do delegado de polícia, prejudicando desta forma o modelo investigativo definido pela Magna Carta.

    Verdade que a nova ordem constitucional melhorou em muito a situação dos agentes públicos como um todo porque não há mais mudança de lotação por motivo disciplinar que resista a um bem impetrado mandado de segurança, uma vez que constituiria evidente desvio de finalidade do ato administrativo.

    Da mesma forma a avocação ou redistribuição de inquérito policial pelo superior hierárquico, por tratar-se de ato administrativo, deve estar sempre motivado, de molde a demonstrar os pressupostos de fato e de direito que o justifiquem, permitindo o controle da legalidade e da razoabilidade da decisão, sob pena de o mesmo ser declarado nulo.

    Além disto é nesta seara que o Ministério Público deve atuar o controle externo da Polícia Judiciária prevenindo que a Administração manipule investigações através de atos administrativos viciados.

    Portanto, o nosso modelo de investigação criminal passado pelo filtro da Constituição revela que se o órgão Polícia Judiciária não é autônomo, a função de Polícia Judiciária exercida pelo delegado possui autonomia, embora não esteja garantida por prerrogativas funcionais, o que constitui a falha a ser sanada no sistema possibilitando que a autoridade policial exerça a função investigativa de forma serena, isenta, imparcial e com desassombro, imune a injunções políticas que desvirtuem o papel constitucional da fase investigativa.

    HOUAISS, Antônio; VILLAR, Mauro de Salles. Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa. Rio de Janeiro: Objetiva, 2001, p.1644.
    SUANNES, Adauto. Os Fundamentos Éticos do Devido Processo Penal. São Paulo: Revista dos Tribunais, 1999, p.130.
    LOPES JR, Aury. Sistemas de Investigação Preliminar no Processo Penal. 2ª ed. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2003, p.51.
    Neste sentido já dispunha a exposição de motivos do Código de Processo Penal : “Há em favor do inquérito policial, como instrução provisória antecedendo à propositura da ação penal, um argumento dificilmente contestável: é ele uma garantia contra apressados e errôneos juízos, formados ainda quando persiste a trepidação moral causada pelo crime, ou antes que seja possível uma exata visão de conjunto dos fatos, nas suas circunstâncias objetivas e subjetivas”.
    CHOUKR, Fausi Hassan. Garantias Constitucionais na Investigação Criminal. 2ª ed. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2001, p.7.
    A Constituição ao referir o inquérito policial nos artigos 109 , § 5º e 129 , VIII consagrou o instituto como forma de investigação criminal realizada pelas Polícias Judiciárias.
    SANTOS, Célio Jacinto dos. Ensaio ao Direito à Investigação. No prelo.
    MIRABETE, Júlio Fabbrini. Processo Penal. 10. ed. São Paulo: Atlas, 2000, p.76.
    CAPEZ, Fernando. Curso de Processo Penal. 5. ed. São Paulo: Saraiva, 2000, p.64.
    TORNAGHI, Helio. Instituições de Processo Penal, Vol. 2. 2. ed. São Paulo: Saraiva, 1977, p.249.
    RANGEL, Paulo. Direito Processual Penal. 4. ed. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2001, p.58.
    MARQUES, Frederico. Elementos de Direito Processual Penal. Rio de Janeiro e São Paulo: Forense, 1970, p.9.
    MEIRELES, Hely Lopes. Direito Administrativo Brasileiro. 21ª Ed. São Paulo: Malheiros, 1996. Op. cit. p.102.
    MARQUES, Frederico. Op. cit. p., 154.
    MIRABETE, Júlio Fabrini. Op. cit., p.77.
    No mesmo sentido ver respectivamente em: Noronha, E. Magalhães. Curso de Direito Processual Penal. 22ª ed. São Paulo: Saraiva, 1994, p.21; SALLES JUNIOR, Romeu de Almeida. Inquérito Policial e Ação Penal: Indagações, Doutrina, Jurisprudência e Prática. 7ª ed. São Paulo: saraiva, 1998, p.7 e, RANGEL, Paulo.Op. cit. p.74 e COSTA, José Armando da. Op. cit., p.4.
    CHOUKR, Fausi Hassan. Op. Cit. p.181.
    TORNAGHI, Helio Instituições de Processo Penal, vol. 2. 2ª ed. São Paulo: Saraiva, 1977, p.240.
    FARIA, Anacleto de Oliveira. Do Princípio da Igualdade Jurídica. São Paulo: Revista dos Tribunais, 1973, p.47.
    FERNANDES, Antônio Scarance. Processo Penal Contitucional. São Paulo: Revista dos Tribunais, 1999, p.46.
    BARROSO, Luís Roberto. Ob. Cit.p.66.
    FERNANDES, Antônio Scarance. Op. cit. p.46.
    FERRAJOLI, Luigi. Derecho y Razón 2ª Ed. Madrid: Editorial Trotta, 1997, p.767.
    Art. 14. O ofendido ou seu representante legal, e o indiciado poderão requerer qualquer diligência, que será realizada, ou não, a juízo da autoridade.
    CHOUKR, Fausi Hassan. Op. Cit. p.197.
    FERRAJOLI, Luigi. Op. Cit. p.768

  149. Policial Miserável, que bom tê-lo nesse nosso debate. Quer saber?, nem sequer o conheço, mas simpatizo contigo.
    Há verdade no que vc esgrimiu?
    Sim, há. Porém, não se trata de uma verdade integral.
    Minhas considerações são essencialmente provocativas, vc bem percebeu. E há sim muito de cálculo em tudo isso.
    Todavia, é claro que eu me importo com a polícia civil. Digo mais, ainda que possa parecer uma heterodoxia: eu amo essa porra. E, no geral, amo quem a integra.
    Agora a parte chata: não obstante tudo isso, penso mesmo que a situação atingiu um nível inaceitável. Penso mesmo que uma conciliação entre todos nós, a cada dia, a cada escaramuça, torna-se menos credível. Espero queimar a língua.

  150. Pacheco.

    Apesar de não nos conhecermos pessoalmente, nos conhecemos muito mais do que você possa imaginar. Não, não se surpreenda, é verdade, é uma questão de foro intimo, de personalidade, de “berço”, toda essa organização e constituição resulta nesse preparo, nessa fidelidade aos princípios intrínsecos dos quais não podemos nos furtar, infelizmente talvez, mas penso que não.

    Vejo o seu desapontamento diante do “falhanço” que parece existir, mas lembre-se, não esta só na situação. Tem a perspicácia de enxergar, ver as “entrelinhas”, essa qualidade só melhorará, irá verificar com o remédio do tempo que não apenas passa, mas faz com que melhoremos para melhor.

    É certo que há “pessoas” que vivem procurando tirar o granjeio dessas situações. Gosto muito de exemplificar com “a festa”: saímos animados e quando chegamos na “festa” onde todos estão encostados, cabisbaixos, acabrunhados, a tendencia é a animação desaparecer, quase que por “magia”, o antagônico ao exposto é veras.

    Gosta de “catucar” os irrefletidos para aguçar o brio, muitas vezes não dá certo, pois muitos não o tem, principalmente os “sindicalistas sevandijas” e seus asseclas que tentam se exprimir aqui.

    Melhor mostrarmos o lado benévolo aos que ainda não conseguiram (por motivos diversos) ver, pois não sabem a vereda e pouca “sorte” têm, portanto, vá com calma.

    Enfim, merda há em qualquer lugar, pois sempre tem alguém que caga no lugar errado. O importante é que não pisemos nela, e ainda façamos o filha da puta que cagou limpar, o local e adjacências, de uma forma ou de outra.

    Não esmoreça por causa do populacho néscio.

    Grande abraço.

  151. Á, a Aneel, cabada de filhas da puta, ano passado pegaram dinheiro a mais de todo mundo, incluindo os gastas de Angra III que não foi utilizada. Agora, em vez de indenizar o dinheiro que “roubou” dos consumidores com juros e correção monetária, dizem eles: _vamos “devolver” esse dinheiro em forma de AUMENTOS MENORES de energia. Aumentos menores, vão para as putas que os pariram seus pulhas. Só tem “esperto” nesse governo neo socialista_comunista desdes FHC até hoje.

  152. Pacheco.

    Apesar de não nos conhecermos pessoalmente, nos conhecemos muito mais do que você possa imaginar. Não, não se surpreenda, é verdade, é uma questão de foro intimo de personalidade, de “berço”, toda essa organização e constituição resulta nesse preparo, nessa fidelidade aos princípios intrínsecos dos quais não podemos nos furtar, infelizmente talvez, mas penso que não.

    Vejo o seu desapontamento diante do “falhanço” que parece existir, mas lembre-se, não esta só na situação. Tem a perspicácia de enxergar, ver as “entrelinhas”, essa qualidade só melhorará, irá verificar com o remédio do tempo que não apenas passa, mas faz com que melhoremos para melhor sermos.

    É certo que há “pessoas” que vivem procurando tirar o granjeio dessas situações. Gosto muito de exemplificar com “a festa”: saímos animados e quando chegamos na “festa” onde todos estão encostados, cabisbaixos, acabrunhados, a tendência é a animação desaparecer, quase que por “magia”, o antagônico ao exposto é veras.

    Gosta de “catucar” os irrefletidos para aguçar o brio, muitas vezes não dá certo, pois muitos não o tem, principalmente os “sindicalistas sevandijas” e seus asseclas que tentam se exprimir aqui.

    Melhor mostrarmos o lado benévolo aos que ainda não conseguiram (por motivos diversos) ver, pois não sabem a vereda e pouca “sorte” têm, portanto, vá com calma.

    Enfim, merda há em qualquer lugar, pois sempre tem alguém que caga no lugar errado. O importante é que não pisemos nela, e ainda façamos o filha da puta que cagou limpar, o local e adjacências, de uma forma ou de outra.

    Não esmoreça por causa do populacho néscio.

    Grande abraço.

  153. Senhor Pacheco

    Anseia-se dos que possuem maior facilidade de cognição, que possuem nivel de intelecto favorecido, que sejam os primeiros a estender a mão, chamar para a conversa, o conluio, insistir para que haja o acordo. Sobrando aos nécios e boçais o arremesso de detritos no já desgastado ventilador(nossa instituição), situação em que executam o mister com maestria!
    Sejamos sensatos, tanto a Autoridade Policial quanto o Policial Subordinado, são funcionários públicos, cujos vencimentos tem origem na mesma fonte, portanto, em nada nos ajuda a digladiação!
    Opinião que expresso com toda vênia!

    C.A.

  154. Grande Professor Olavo. Impossível mensurar a magnitude de sua contribuição para o pensamento ocidental contemporâneo. E não me circunscrevo, como se depreende, ao Brasil. É sim uma referência mundial.
    Digo mais: as suas considerações, plasmadas no artigo Bandidos e Letrados, são o que de há mais percuciente no trato a sério da criminalidade no e do Brasil.
    C.A. É notável sua boa-fé. E louvável seu pendor à contemporização. Falo-o com toda sinceridade.
    Mas me diga você agora, e com toda sinceridade possível: vc acha factível que todas facções de pensamento existentes na policia civil possam chegar a um consenso? Você vislumbra nelas inclinação para concessões?
    Você vislumbra que cada um, e cada qual, na profundeza de seu íntimo, se dispõem ao mea-culpa? Você considera, enfim, credível que todos abdiquem de um justiça retroativa (sempre tão suscetível a novas injustiças) e digam: doravante, nós, irmanados, queremos isso?

  155. Da minha parte, o mais próximo do ideal passa pelo seguinte:
    1- Delegado de polícia; profissional que de desincumbe da parte jurídica da coisa: lavratura de flagrantes, interlocução com o judiciário e o MP, concessão de medidas prementes ainda que com caráter judicial – mas, claro, sem se atentar contra a reserva de jurisdição – etc. (Não vejo qualquer óbice em mantê-lo nos quadros da polícia, mesmo que se transmude num ‘juiz de instrução’. Cada sistema e cada país têm suas peculiaridades. E elas não são consideradas heterodoxias. Como bem sabe o Miserável – leitor que é do Professor Olavo – essa padronização que muitos pleiteiam é só uma bobagem.
    2- Policiais civis – profissionais que levam a efeito a parte investigativa. Qualificados por cursos variados e ministrados por instituições várias. Não guardam qualquer subordinação em face dos delegados. Organizam-se da forma que melhor lhes aprouver e que for legalmente chancelada. Ascendem na hierarquia em razão de critérios meritórios e pela obtenção de certificação advinda de cursos. (O critério temporal não me parece científico por si só.)
    3- A administração estrutural pode ser delegada tanto a um policial civil, quanto a um delegado de polícia – devendo ser àquele que revelar especial traquejo e que tenha se submetido a cursos afetos à área.
    4- O cargo que hoje designamos Delegado Geral não mais ficaria circunscrito a delgados, mas sim ao policial, seja ele de qual carreira, que gozar de maior projeção institucional, aferida entre seus pares – mas não de um modo vinculante a ponto de cercear a discricionariedade do chefe do executivo.

    No tocante à dinâmica do serviço, não vejo qualquer óbice para a adoção dessa perspectiva. Se o delegado X requisitar uma diligência ao investigador Y, esse estará obrigado a cumpri-la, mas não pode ser subordinado ao delegado e sim por uma necessidade do serviço. Se a requisição for ilegal, ele não a cumpre.

    Sei que há muitas arestas, mas penso ser uma configuração possível e que culminaria numa distensão. E. acima de tudo, uma forma barata.
    Em síntese, seriam dois troncos distintos, mas imbricados.

  156. Pacheco.

    Essa eu não entendi, _que se desincumbe… Não seira melhor continuar se incumbindo?
    Sem demagogia nenhuma, é uma das melhores proposições que já li, salvo algumas poucas ressalvas:

    a)- Uma carreira única, viria a bom termo, pois não mudaria nada na hierarquia, sendo que a progressão na carreira se limitaria somente a policiais civis, mantendo-se a exigência de formação jurídica e seus conhecimentos;

    b)- Vejo muito mais o cargo de Delegado como dá instituição e não do Estado, dessa forma Delegado da Polícia, se submetendo à instituição e não ao Governo;

    c)- A forma da requisição é muito boa, há exemplo do que já ocorre com a perícia criminal, mas não se limitaria à requisição todas as investigações (mesmo sendo plantonista Pacheco, sabe muito bem o que digo, sobre “investigações direcionadas”) como ocorre agora.

    Subordinação à Lei tornaria todos “fiscais da hierarquia”, excelente Dr. Policial, finalmente o bom tom, parabéns! Agora Pacheco é sua obrigação por em prática o “impecável, o ideal”.

    Dessa vez “dou a mão à palmatoria” Rsrs . Grande abraço Pacheco.

  157. Á, como esperá “queimar a linguá” podemos ver notadamente o que almeja, não se preocupe Pacheco, desfruto do mesmo pensamento “bobo”, talvez alguns nos divisem dessa forma propriamente dito, mas sabemos muito bem que as coisas se alvorecem com o pensamento de ideais. Abjuro tempo em ajudá-lo.

    Mudando de assunto. Estou vendo diuturnamente os “repórteres” da rede, o “bobo news”, a boca torta, dizendo o que povão deve fazer com o dinheiro do FGTS, que o Drácula liberou “graciosamente”. Interessante, não para de dizer para pagarem as dividas com cartão de crédito e afins, aqueles mesmos dos juros de mais de 500%. Eles pagam e ficam duros novamente, e novamente usam o cartão se endividando novamente. Enfim, o Drácula liberou o dinheiro para ele mesmo, que ironia a Lei o impedia, mas a forma não. Rsrs

  158. Policial Miserável, felicita-me saber que viu com bons olhos o que alinhavei. Abraços

  159. Senhor Pacheco

    Considerando que nossa instituição é uma enorme fogueira de vaidades, “uma caçamba de interesses”, pouco provável que ocorra, mas mantenho o que disse, pois, na bestialidade da beligerãncia jamais conseguiremos nada além de mutilados e dor, por isso, permaneço na intenção do diálogo, é evidente que para o sucesso, todos devem ceder um pouco, reporto-me ao passado recente, onde uma categoria “deu risada” em detrimento de outras, resultando em mais uma fratura em uma ossada descalcificada.
    Teóricamente, sua concepção de Policia Civil é boa, mas inexequível, notadamente pois surgiria uma outra Policia, a dos Delegados, assim como desejaram a dos Peritos, digo com a experiência de mais de três décadas, nosso real problema de falta de efetivo, em grande parte é por conta dos “achegos”, (sujeito não tem perfil de policial, então o administrador o coloca com um carimbo na mão, mas ele conta como Policial, ganha RETP, insalubridade e aposentadoria especial), ocupando a vaga de um auxiliar administrativo, ressalto que nada tenho contra o auxiliar. A real função do “estágio probatório” ninguem leva em conta.
    Há várias carreiras, é notório, mas bulir com direito adquirido não é tarefa fácil, vide dito popular, arvore torta, vira tábua empenada, carvão curvo ou cinza arcada. Vejo como unica solução, tanto os Civis como Militares, de forma voluntária formarem uma nova Policia, de natureza Civil e de forma voluntariosa, como forma de evitar reclamos. Os não optantes, até a vacância do cargo, exerceriam alguma atividade mas fora da Policia. Gasta-se uma enormidade de recursos com setores administrativos dos dois lados, para o efeito final de proteger o cidadão, desta forma economizar-se-ia uma grande quantidade de verbas, se acabaria nesta nova Policia com os cargos conhecidos, em tese, poderia ser patrulheiro (com promoção vertical,) para almejar o setor investigativo, se levaria conta os cursos de especialização tanto na Academia de Policia como externos, e claro, a folha de serviços prestados do candidato.(evitaria os maçanetas), pois estes tem muito tempo para estudar, se aperfeiçoar e para certos afagos aos superiores. A exigência para a Autoridade Policial não seria mais apenas o bacharelado em direito, o candidato deverá possuir também habilitação em administração.
    Mas isto, caro senhor é uma utopia, pois vislumbre, uma Policia “fraca”, beneficia os criminosos que portam o “trezoitão” e a “MontBlanc”, me entende?

    é o que penso

    C.A.

  160. Muito bem explanado, C.A.
    As dificuldades são realmente ingentes.
    E nossos anseios são, no mais das vezes, utópicos.
    Fiz minhas proposições – mas as fiz não num modo perepmptório – não sou ingênuo a esse ponto. Vc decerto fala com muito mais propriedade (não só por ter mais tempo de casa, mas tb por isso).
    Quando eu faço minhas postagens, açulando os colegas, na verdade, eu não busco o confronto. Por paradoxal que possa parecer, busco em verdade o consenso.
    Você, o Policial Miserável, o próprio Dr. Guerra e tantos outros pensam numa polícia mais prestigiada, com menos arrivistas em seus quadros e acima de tudo mais eficiente.
    Todavia, não são nefelibatas, tendo plena consciência do quão percalçado é esse caminho. Vc, a propósito, destacou um daqueles percalços quase intransponível: a questão da seleção dos futuros policiais. O concurso público, conquanto seja a meu ver a metodologia menos suscetível a erros, ainda sim, notadamente na seara policial, demanda profundo aprimoramento .
    Na verdade, você destacou dois: a questão dos direitos adquiridos.
    Qualquer mudança estrutural nas nossas instituições – e isso em todas elas – fere suscetibilidades as mais variadas.
    Nesse nosso Brasil, ser abnegado, ou melhor: a própria compreensão do que é abnegação não é nem sequer tangenciada. Vivemos sob a égide dos vaidosos – e nos tornamos vaidosos também.
    Mas onde há vida, há esperança, não é?
    Nossos debates revelam-se cada vez mais profícuos – mesmo que entabulados por mero diletantismo. (E os considero profícuos num nível íntimo, pois aprendemos uns com os outros.)

  161. Policial Miserável, estou lavrando um flagrante da Lei Maria da Penha. Com efeito, fui elaborar aquela nova peça designada Termo de Concessão de Medidas Protetivas. Logo na primeira indagação, há um erro crasso de gramática. Nada que não ocorra em outras instituições, claro. De qualquer modo, se alguém puder, reporte o erro para que se o retifique.
    Lá esta escrito, mais ou mesmo, o seguinte : “A quanto tempo a vítima vive com o autor”. Sabidamente, o correto é “há quanto tempo”. Não é preciosismo, né.

  162. Pacheco.

    Não é tão simples a correção, pois a mudança é feita no sistema pelos analistas de sistema responsáveis. As mudanças em sua maior parte são feitas conjuntamente com outras, quer dizer, com uma somatória de erros “x”, pelo que vi até agora, isso demanda tempo após a comunicação do erro. Lembro que isso não é atribuído aos policiais, o sistema é manutenido por empresa terceirizada, salvo melhor melhor juízo. Já ligou para comunicar a “falha”?

    Entendo que usou essa nova prerrogativa por ser a madrugada de domingo, a eficácia de tal medida se justifica diante do tempo. Lembro que tal medida antes tomada pelo juiz demandava um maior tempo, geralmente mais de 48 horas (tempo que a norma concede ao juiz). Acredita que se justifica tal medida no plantão ao invés dê e se possível a “boa conversa” com o autor que na maioria das vezes entende muito melhor? Digo somente com relação ao “final de semana”, caso contrário, a medida poderá ser tomada pela especializada, discorda?

    Claro que não é preciosismo, como bem disse o erro é crasso, sendo assim, é uma necessidade pragmática.

  163. Pacheco.

    Como gosta de apurar a sua erudição, pelo que já pude ver, tomo a liberdade de sugerir a obra DESINFORMAÇÃO de Ion Mihai Pacepa Ten-Gal e Ronald J. Rychlak, podendo ser adquirido na livraria da Folha de São Paulo, já que não tem as benesses de promotor de justiça.
    Usa o “site” Le Livros?

  164. 13 de março de 2017, a manifestação do Brasil contra a bandalheira do congresso nacional.

  165. Chico (comunista) de Oliveira, fundador do PT diz: Lula é um mal caráter e…

    O PT nasceu na base, em escolas e universidades infiltradas pelos socialistas comunistas, onde estão até hoje infelizmente.

  166. Gostaria de ter sido titular de uma coletoria, digo delegacia, no Decap ou no Demacro, mas infelizmente, durante toda minha carreira, fui um delegado honesto, não ligado a nenhum “núcleo de poder” da instituição por conta disso nunca preenchi o perfil ideal para tamanha honraria.
    Cada “cadeirinha” dessas no Decap ou no Demacro, pela remuneração paralela em espécie que oferece, é disputada a preço de ouro. Motivo pelo qual alguns se perpetuam no cargo se tornando vitalícios no exercício de titularidades de DP’s.
    Acorda aí MP. Ou sejamos honestos ou roubemos todos juntos.

  167. Será que entendi bem? Governadores ficam com integralidade e paridade dos subsídios, deputados e senadores também e recebem R$ 35.000,00 mais R$125.000,00 de passagens aéreas e gasolina e etc. e você se aposenta com R$ 900,00 conto.

  168. Juiz diz que polícia molesta traficantes armados e com drogas e relaxa a prisão colocando os traficantes novamente na rua. Absurdo, confira.

  169. Vão mudar o cálculo até para quem já tem direito adquirido e mais de cinquenta anos, SACANAGEM QUE NINGUÉM VIU AINDA. Caia fora logo.

  170. Vão mudar o cálculo até para quem já tem direito adquirido e mais de cinquenta anos, SACANAGEM QUE NINGUÉM VIU AINDA. Caia fora logo.

    E ele fala, preste atenção 20 EEEE…. E MUDA O QUE IRIA DIZER. DEVE TER TRABALHADO VINTE E POUCOS ANOS E APOSENTADO. CABRA SAFADO DA MULÉSTIA

  171. Ementa:
    Altera os arts. 21, 22, 42 e 144 da Constituição e o Ato das Disposições Constitucionais Transitórias (ADCT) para federalizar os órgãos de segurança pública.

    Explicação da Ementa:
    Federaliza a segurança pública, incorporando as polícias civis à Polícia Federal, unificando as polícias militares em uma Polícia Militar da União e unificando os corpos de bombeiros militares em um Corpo de Bombeiros Militares da União.

    PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO nº 6, de 2017 VOTE NO LINK, SIM ou não.

    http://www25.senado.leg.br/web/atividade/materias/-/materia/128200

  172. Podemos ver claramente que a Presidente não fala somente a favor dos Delegados de Polícia, é nítido o seu interesse em prestigiar toda a Polícia Civil, incluindo aí a Científica. Muito diferente dos que estão há anos só arrecadando dienhiro e bem encostados. Parabéns Presidente.

  173. O sociedade já não aguenta mais, não adianta medidas paliativas, mudanças são necessárias, uma nova Polícia precisa nascer, ÚNICA COM CARREIRA ÚNICA, ciclo completo e de cunho civil.
    O sistema atual é arcaico e ineficiente e tanto as imagens da PC quanto a PM estão ruins, os cidadãos as vê como inimigas, corruptas e violentas, perderam totalmente a credibilidade é irrecuperável.
    Ora a policia existe para servir e proteger a sociedade se não esta fazendo seu papel deve ser reestruturado todo o sistema de segurança Pública, não adianta mais os projetos mirabolantes como: integração, premio incentivo, bônus, dentre outros.
    Esses projetos não funcionam e nem vão funcionar, porque não alteram a estrutura, como analogia podemos exemplificar uma pintura nova em um edifício com suas colunas estruturais condenadas.
    A CARREIRA ÚNICA proporciona uma motivação real para os policiais se aperfeiçoarem visando progredir na profissão, além de aproveitar a experiência profissional em graus hierárquicos mais elevados, pois expertise não se adquire em sala de aula, sem falar na economia em cursos de formação e aproveitamento de pessoal.
    A Polícia Única teria um comando centralizado, podendo gerenciar muito melhor as operações, coordenar as investigações em conjunto com o policiamento preventivo, coisa que hoje não acontece e nesse modelo nunca irá acontecer, também os recursos seriam otimizados gerando uma enorme economia ao erário.
    essa Polícia deve ser civil, para possuir autonomia nas investigações e se integrar com a comunidade.
    Esse modelo já existe em países com EUA, Canadá, Alemanha e no Brasil temos a PRF que mais se assemelha a esse modelo

O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do comentarista que venha a ofender, perturbar a tranquilidade alheia, perseguir, ameaçar ou, de qualquer outra forma, violar direitos de terceiros.O autor do comentário deve ter um comentário aprovado anteriormente. Em caso de abuso o IP do comentarista poderá ser fornecido ao ofendido!...Comentários impertinentes ou FORA DO CONTEXTO SERÃO EXCLUÍDOS. Contato: dipolflitparalisante@gmail.com

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s