Denúncias de abusos praticados por policiais contra pretos e pobres crescem cerca de 80% em SP; segundo Ouvidoria a Corregedoria da PM encaminha os casos à “Cesta Seção” 29

Denúncias de abusos praticados por policiais crescem 78% em SP

Dados da ouvidoria das polícias mostram também que apenas 3% dos casos são solucionados.

Por G1 São Paulo

Denúncias de abusos de policiais aumentam quase 80% em SP em 2016

Denúncias de abusos cometidos por policiais civis ou militares aumentaram 78% no ano passado em São Paulo na comparação com 2015. O dado é de um relatório anual da ouvidoria das polícias paulista. O documento mostrou ainda que, em contrapartida, apenas 3% dos casos do tipo são solucionados.

Em 2016, foram registradas 947 queixas de abuso praticados por policiais. Um ano antes, haviam sido 531.

Segundo a ouvidoria, uma das queixas que mais cresceram foi a de constrangimento ilegal, que é quando alguém é ameaçado e obrigado a fazer algo contra a própria vontade. As denúncias deste abuso subiram 132%.

Os relatos de invasão de domicílio e de agressão também dispararam, aumentando 75% e 25%, respectivamente, no intervalo de um ano.

Para o ouvidor da polícia de São Paulo, Júlio César Fernandes Neves, o crescimento das queixas mostra que a população está perdendo o medo de denunciar. Ele cobra, agora, que os abusos não fiquem sem punição.

“Com certeza a impunidade contribui para que se eleve não só o número de denúncias, como do ato ilícito do policial. Ele está aí para a prevenção. Não para cometer um delito e sim para não deixar que o cidadão cometa um delito”, afirmou Neves em entrevista ao Bom Dia Brasil.

Atualmente, a ouvidoria tem quase 10 mil casos de abuso em andamento e, se por um lado as denúncias cresceram substancialmente, o mesmo não se pode dizer do solucionamento delas: somente 2,28% das investigações chegam ao fim.

O especialista e pesquisador David Marques, do Fórum Brasileiro de Segurança, questiona as medidas que são tomadas para diminuir os índices de violência policial. “Um relatório como esse, ele consegue de alguma forma impactar a atuação da polícia? Ele traz essas mudanças ? Qual o papel do Ministério Público nisso ? Ele consegue efetivamente induzir mudanças? Me parece que não”, pontuou.

Em nota, a Secretaria de Segurança Pública disse que as polícias de São Paulo têm rígidos processos de apuração interna que garantem a fiscalização dos policiais que tenham cometido alguma irregularidade. De acordo com a pasta, só no ano passado foram presos 251 PMs e 68 policiais civis.

  1. Pingback: Denúncias de abusos praticados por policiais contra pretos e pobres crescem cerca de 80% em SP; segundo Ouvidoria a Corregedoria da PM encaminha os casos à “Cesta Seção” | Blog do Luciano Cesar Pereira

  2. Apenas 3% são solucionados porque as denúncias são falsas. É a herança maldita dos terroristas que tentaram impor a ditadura do proletariado (toda a esquerda) no período do regime militar, que mesmo que nada ocorresse deveriam afirmar que foram torturados e mortos, e muitos propagam inconscientemente.

  3. Eu nem assisti o vídeo, NÃO PRECISA!
    É o que eu digo: Vai chegar o dia em que o policial terá que chamar o marginal, digo, (DESASSISTIDO) de vossa excelência.

  4. MP-SP paga até R$ 60 mil por ano por viagem curta
    Como os servidores “comuns” do MP seguem a regra geral do Estado, os deslocamentos curtos saem em média 14 vezes mais caros para promotores
    DA ESTADÃO CONTEÚDO 26/03/2017 – 10:10 – Atualizado em 26/03/2017 – 10:10

    A cada dia, 115 mil pessoas se deslocam entre São Paulo e Osasco mas poucas são tão bem recompensadas quanto o promotor de Justiça Marcelo Alexandre de Oliveira. Partindo da capital, ele fez o trajeto nove vezes no ano passado, enquanto investigava a chacina que matou 19 pessoas na cidade vizinha em 2015. Cada deslocamento lhe rendeu R$ 870 extras no holerite – o que, ao fim do ano, representou R$ 7,8 mil a mais só por trabalhar em uma causa fora do município em que está lotado.

    Levantamento feito pelo Estadão Dados nas planilhas do Ministério Público de SP revela que o caso de Marcelo não é exceção. Em 2016, promotores e procuradores receberam 889 diárias de quase R$ 1 mil para viajar entre cidades a menos de 60 km de distância. Como o valor é fixo – refere-se a 1/30 do valor do salário de um promotor de Justiça substituto (cerca de R$ 25 mil) – e não há limites mensais, os valores acumulados por viagens curtas chegam a atingir mais de R$ 60 mil em um ano.

    Para chegar a esses números, a reportagem separou os trechos viajados, geolocalizou as cidades e calculou a distância em linha reta entre elas. Como não é possível identificar o ponto exato de partida e chegada de cada deslocamento, a distância em linha reta entre o centro geográfico dos municípios é, portanto, uma aproximação – em alguns, a distância percorrida pode ser maior que a calculada, e em outros poderá ser ainda menor.

    O recordista de viagens curtas, de acordo com esse cálculo, foi o promotor Jeronymo Crepaldi Jr., responsável pela Vara de Execuções Penais em Bauru e que, por isso, vai frequentemente a presídios na comarca de Pirajuí, cidade que fica a 50 km de distância do centro da sede. Ele recebeu R$ 65,3 mil extras ao longo do ano para viagens como essas, o que representa uma média de R$ 5 mil mensais a mais em cada holerite.

    Motivo similar fez com que o promotor José Hebert Teixeira Mendes, de Campinas, somasse R$ 24,4 mil à remuneração anual por fazer visitas penitenciárias em Sumaré, a 17 km dali. Mas o trajeto mais curto foi de Taubaté a Tremembé, cujos pontos centrais estão a 6 km de distância. O promotor Luiz Marcelo Negrini de Oliveira Mattos recebeu R$ 9,6 mil a mais no ano para se deslocar de uma cidade a outra.

    Dois pesos. Os servidores estaduais de São Paulo têm regras rígidas para a concessão de diárias. O funcionário que viaja a serviço recebe no máximo 50% da diária se não tiver de pagar hotel, e ainda menos a depender do tempo de viagem – se ficar menos de 6 horas fora da sede, por exemplo, não recebe nada. E, ao retornar, é obrigado a apresentar notas de todos os gastos e devolver a diferença se tiver recebido a mais.

    Nada disso, no entanto, vale para promotores. Eles recebem o valor cheio de R$ 870 por dia em que saírem do município sede, não importa a distância ou se houver ou não pernoite. E o valor é recebido integralmente, sem necessidade de apresentar recibo do que de fato foi gasto. Essa regra especial passou a valer em 2014, após o Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) julgar inválida uma regra editada pelo MP em 1994 que cortava pela metade o valor das diárias para deslocamentos menores que 60 km.

    O argumento da Associação Paulista do Ministério Público, que propôs a ação, era de que a Lei Orgânica do MP que prevê os pagamentos integrais tem hierarquia superior ao ato que previa regras mais restritas, explicação que foi acatada pela primeira e segunda instâncias do TJ.

    Como os servidores “comuns” do MP seguem a regra geral do Estado, os deslocamentos curtos saem em média 14 vezes mais caros para promotores do que para funcionários como oficiais e auxiliares: cada servidor comum recebeu pouco mais de R$ 62 por dia.

  5. DRA. SATO DEFENDE INVESTIGAÇÃO…

    Assim é que deve ser! Independente. Sempre.

    Delegada rebate críticas de promotor sobre inquérito da morte de menino de 10 anos por policiais
    Diretora do DHPP, Elisabete Sato, disse que promotora acompanhou investigação, reconstituição do crime e depoimentos de policiais militares.

    A Diretora do Departamento Estadual de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP), Elisabete Sato, rebatou as críticas feitas pelo promotor Fernando Cesar Bolque, que pediu que a Polícia Civil refaça parte da investigação da morte de um menino de 10 anos por policiais militares. A criança foi baleada na cabeça em junho do ano passado após furtar, com a ajuda de um amigo de 11 anos, um veículo e fugir por ruas do Morumbi, Zona Sul da capital.

    O promotor devolveu o inquérito policial ao DHPP requerendo 23 novas diligências. As investigações de policiais civis e da Corregedoria da Polícia Militar (PM) concluíram que a ação de seis agentes que participaram foi legítima, mas Bolque não concordou com a conclusão do DHPP, que não indiciou nenhum dos agentes da PM.

    “Todos os depoimentos dos policiais militares que foram tomados aqui no DHPP foram acompanhados por promotor de Justiça. Então, se o promotor está dizendo que houve falha, então vamos compartilhar a falha, porque uma promotora acompanhou tudo, a doutora Maria Gabriela [Ahualli Steinberg]. Ela acompanhou todos os depoimentos dos policiais militares e também acompanhou a reconstituição que foi feita. Se ele [Bolque] está falando que a falha é do DHPP, então nós estamos devolvendo, compartilhando as falhas, se elas ocorreram, com o Ministério Público, porque a promotora estava aqui”, disse Elisabete Sato.

    A delegada disse que o DHPP recebeu o inquérito na tarde desta quinta-feira. “Vamos fazer as cotas e vamos devolver o inquérito, parte já está feita e está no inquérito”, disse Sato. Ela afirmou ainda que o promotor desconsiderou trâmites administrativos do judiciário ao requerer as novas diligências.

    “Outra coisa que é praxe aqui, tanto os promotores e a Justiça têm conhecimento, é que os inquéritos, quando nós encerramos e cobramos a vinda dos laudos que são realizados pela Superintendência [de Polícia Científica] e eles não chegam, nós relatamos e protestamos pelo encaminhamento posterior dos laudos. Há 20 anos é desse jeito”, disse ela.

    Sato explicou que parte dos pedidos feitos pelo promotor já seriam anexados ao inquérito posteriormente. “Como o fórum já sabe disso, os juízes oficiam, mandam o cartório oficiar a Superintendência cobrando os laudos, isso é normal acontecer. Só queria fazer esse esclarecimento.”

    A diretora do DHPP disse que não vai atender ao pedido do promotor para que outra equipe participe das novas diligências. “A doutora Ana Paula [Rodrigues] vai cumprir essa cota, não tem essa de designar outra equipe para fazer isso, não há motivo algum para eu suspeitar de algum erro com relação à delegada. Ele coloca uma certa suspeição dizendo que seria bom colocar outras equipes de investigação. O que ele quis dizer com isso? Ele está suspeitando dos nossos delegados? Eu falo em nome do meu departamento, a Polícia Civil que se manifeste à parte. Agora, se ele está com suspeição com o nosso departamento, aí já começa a complicar.”

    Sato afirmou ainda que se o promotor levanta suspeita sobre o trabalho policial realizado ele também estaria suspeitando da promotora que acompanhou o caso. “O que ele está suspeitando? Da equipe que investigou o caso? Ele também está suspeitando da colega dele. A doutora Maria Gabriela [Ahualli Steinberg] acompanhou todo os depoimentos, inclusive foi dada a palavra para ela aqui e ela não perguntou nada. Ela participou da reconstituição, ela poderia ter perguntado o que ela quisesse. Ela fez alguma pergunta? Ela não fez nenhuma pergunta.”

    A Secretaria da Segurança Pública informou, por meio de nota, que a Corregedoria da PM relatou o IPM à Justiça Militar e que os policiais envolvidos seguem no trabalho administrativo até o fim do processo.”

  6. Ouvidor que é mais falador. O especialista de óculos e ar condicionado entende tanto de polícia que se ver um ladrão no xis vai se borrar. E os abusos que nós sofremos quem vai investigar? Falta de respeito com a polícia. Vergonha é a globinho fazer uma matéria dessas.

  7. Policiais também são pobres e a maioria no Norte e Nordeste são pretos.

  8. Sem reajuste, sem pagamentos de diárias e sem bônus e os impostos, produtos e serviços só subindo os preços.

  9. A muito tempo um “majura” plantonista ao ficar sabendo que havia uma biqueira, recém-inaugurada próxima do DP mandou seus policiais fecharem, para nossa surpresa o traficante reclamou com o recolha e recebeu como orientação que mandasse seu pessoal na casinha reclamar de abuso de autoridade.

    Resumindo:

    O crime organizado descobriu como afastar os policiais que não fazem vista grossa, agora tem biqueira em todo lugar, infelizmente.

  10. Denúncia de abuso policial nos órgãos de controle interno tem destino certo - LIXO. disse:

    Mesmo destino dado na Polícia Civil. Vai para a Corregedoria, despacho para a Divisão de Apurações Preliminares e lixo.

  11. O respeito deve ser mútuo tanto de quem é abordado quanto de quem aborda. Quem não deve não teme.

  12. essa é uma prova de que a população brasileira esta muito desordeira e mal educada…
    estão se transformando em homens e mulheres das cavernas…

    não respeitam mais nada e ninguem……

    começa desde criança.

    1-são mal educados pelos pais.= não respeitam os pais
    2- vão as escolas e batem nos professores…= não respeitam os frofessores.

    ai chegam na adolecência pensando que podem fazer tudo , e não aceitam a palavra NÃO…

  13. SAEM AS RUAS PENSANDO QUE NÃO EXISTEM NORMAS E LEIS , PARA RESPEITAR…

    AI CHEGA OS QUE SÃO PAGOS PARA IMPOR A LEI E A ORDEM ( POLICIAIS )..
    ELES AFRONTAM , EMFRENTAM. DESOBEDECEM.

    AI NO FINAL É MAIS UM BÓ NA ESTATISTICA POLICIAL…

    é só ir no parque do ibirapuera nos domingos de rolezinho, que irão ver com os proprios olhos…

    UMA POPULAÇÃO DESORDEIRA MERECE SER TRATADA COM RIGIDEZ……………
    NÃO PODEM SER TRATADOS COM FLORES……

  14. IMAGINEM SE O GOVERNO MANDASSE DESCER A BORRACHA NOS FOLGADOS ????????????

    AI SIM OS DIREITOS DOS MANOS IAM DAR A LUZ…………..

  15. quem quiser ser bem tratado e respeitado , sejam preto ou branco… tem que respeitar os outros ..

    tem que ter direitos e deveres…….

    não pode pensar em cobrar só os direitos… mas tambem cumprir os deveres…

    vivendo assim não terão problemas algum …

  16. O certo do tema seria: apenas 3% dos casos que são verdadeiros, a investigação é feita, porem a maioria das “notitia criminis” são inverídicas.

    Será que os autores das falsas comunicações de crimes são processados ou ao menos indiciados por falsa comunicação de crime ou denunciação caluniosa? Se a resposta for negativa esta ocorrendo o crime de prevaricação.

  17. Ah tá! O ADEVOGADO dos direitos humanos de são paulo já foi solto? Aquele que o PCC pagava para inflar esses dados aí da reportagem??? Tem que ser muito desinformado para acreditar nessa notícia ou estar envolvido com as ditas “causas sociais”.

  18. Denuncias contra policiais sempre existirão, ainda mais vinda de um povo que não respeita seu próximo, as leis e o que dirá o infeliz que tenta cumpri-las…..o policial!!!!! Vinda de um povo que simpatiza com o crime e ain da se prevalece da cor e condição social para se tornar vítimas, e como o policial é mais fácil, vai ele mesmo.

  19. O melhor exemplo que o povo tem um malandro adormecido dentro dele foi a greve dos PMS no Espírito Santo. O povão aproveitou que não havia policiçamento e saiu arrombando lojas e matando os inimigos a torto e a direito. Sou da política do cacete e bala. Cacete para os malandros e balas para as crianças.

  20. Quanto ganha o ouvidor? Ele tem que mostrar serviço e se promover às custas da policia, para justificar o salario. Quando houve a morte de um PM num posto de combustiveis em Campinas, logo depois apareceram alguns individuos mortos; foi designada uma força tarefa para investigar; estiveram em Campinas toda a cupula de São Paulo, inclusive o proprio. Cinco ou seis PM foram presos acusados pelos crimes. O ouvidor voltou a Campinas e foi numa reunião no bairro vida nova, onde a maioria dos mortos moravam; ele se reunião com as pessoas e fez a sua media, inclusive orientando as pessoas a fazer denuncias contra a policia. Na casa do PM ninguem foi até hoje. O bairro vida nova é uma invasão, onde a bandidagem prosperou, inclusive com cobrança de pedagio para se entrar no bairro; então o nosso grande defensor dos direitos humanos veio justificar o seu salario.

  21. Em 22 de março, policial civil de piracicaba foi preso na rodovia castelo branco, em avare, com anabolizantes no carro, juntamente com outro rapaz. Conduzidos delegacia da policia federal em bauru, onde foram tomadas providencias. Não foi divulgado o nome do policial. 1000 capsulas de melatonin; 20 frascos jintropim e mais produtos; alegou que era para uso pessoal.

  22. O Estado não está enviando dinheiro nem para pagar diárias, imagina repor a inflação dos últimos 3 anos.

  23. Com relação a essa matéria com vai aquele representante dos direitos Humanos de Cotia, que nem sei se era ou não advogado, pago pelo PCC e encanado pelo DEIC??? Acredito que muitas das “denuncias” que encorpam essa mateira forma feitas por ele.

  24. VERGONHA É O QUE PAGA A PC DE SP!!!!! ABRIU CONCURSO PRA PC DO ACRE, SALARIO DO AGENTE POLICIAL R$ 5.000 E DELTA 15.300! SERÁ QUE O ESTADO DE SP NÃO TEM VERGONHA DE SER O MAIS RICO DA AMERICA LATINA E UM DOS MAIS RICOS DO MUNDO E PAGAR R$ 2.700 PRA UM AGENTE E R$ 7.500 DELEGADO? SERÁ QUE NÃO TEM NADA ERRADO AI? SERÁ QUE OS POLICIAIS VÃO CONTINUAR BATENTO PALMA PRA LOUCO? O ESTADO DE SP ERA PRA TER O MELHOR SALARIO DO PAÍS, OU NO MINIMO SER O SEGUNDO MELHOR, FICANDO ATRAS APENAS DO DF!!! VAMOS TOMAR CONSCIENCIA MEU POVO!!! SEM GREVE NADA MUDA
    FONTE: https://jcconcursos.uol.com.br/portal/noticia/concursos/concurso-policia-civil-ac-67798.html

  25. VERGONHA MESMO É O QUE PAGA A PC DE SP!!!!! ABRIU CONCURSO PRA PC DO ACRE, SALARIO DO AGENTE POLICIAL R$ 5.000 E DELTA 15.300! SERÁ QUE O ESTADO DE SP NÃO TEM VERGONHA DE SER O MAIS RICO DA AMERICA LATINA E UM DOS MAIS RICOS DO MUNDO E PAGAR R$ 2.700 PRA UM AGENTE E R$ 7.500 DELEGADO? SERÁ QUE NÃO TEM NADA ERRADO AI? SERÁ QUE OS POLICIAIS VÃO CONTINUAR BATENTO PALMA PRA LOUCO? O ESTADO DE SP ERA PRA TER O MELHOR SALARIO DO PAÍS, OU NO MINIMO SER O SEGUNDO MELHOR, FICANDO ATRAS APENAS DO DF!!! VAMOS TOMAR CONSCIENCIA MEU POVO!!! SEM GREVE NADA MUDA
    FONTE: https://jcconcursos.uol.com.br/portal/noticia/concursos/concurso-policia-civil-ac-67798.html

  26. SEM GREVE NADA MUDA:

    Corrigindo um delegado inicial na PC/SP ganha aproximadamente 10,500,00 de vencimento e mais 4.800,00 de GAT no grau máximo, agora quanto as outras carreiras realmente estão com seus vencimentos bem defasados.
    O problema é que quando há grave só os delegados são beneficiados é só lembrar do GAT e do ADPJ, por isso não aconselho as outras carreiras aderirem a qualquer movimento de paralisação.

O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do comentarista que venha a ofender, perturbar a tranquilidade alheia, perseguir, ameaçar ou, de qualquer outra forma, violar direitos de terceiros.O autor do comentário deve ter um comentário aprovado anteriormente. Em caso de abuso o IP do comentarista poderá ser fornecido ao ofendido!...Comentários impertinentes ou FORA DO CONTEXTO SERÃO EXCLUÍDOS. Contato: dipolflitparalisante@gmail.com

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s