Delegados da PF ameaçam entregar armas em protesto contra a reforma da Previdência 16

São contrários à intenção do Planalto de excluir artigo que classifica atividade policial como de risco

BÁRBARA LOBATO
05/04/2017 – 10h53 – Atualizado 05/04/2017 11h08

Delegados da Polícia Federal, que são sindicalizados, ameaçam entregar suas armas caso o parecer do relator da reforma da Previdência, o deputado Arthur Maia (PPS-BA), exclua da Constituição itens que os policiais consideram fundamentais para a categoria. Entre eles o que classifica a atividade dos policiais como “de risco”. Se esse artigo da Constituição for excluído, os policiais terão de se aposentar mais tarde, igual ao que acontecerá com as demais categorias de trabalhadores.

Várias entidades de policiais federais estão reunidas, na manhã desta quarta-feira (5), em frente a superintendências estaduais do órgão em “estado de alerta” para observar o teor do relatório de Maia.

Policiais federais envolvidos na Operação Eficiência chegam com documentos à sede da PF (Foto: Gabriel de Paiva/ Ag. O Globo)Policiais federais durante a Operação Eficiência (Foto: Gabriel de Paiva/ Ag. O Globo)

  1. A DPF está com a faca e o queijo na mão, quem está por traz desta reforma são os “mega” devedores da previdência em sua maioria grandes instituições, ligadas a previdência privada, basta uma investigação bem-feita e torcer para que o caso pare nas mãos de um Juiz honesto e competente.

  2. ESSA CORJA DE ROUBADORES DO ERÁRIO QUE ASSOLA O PLANALTO CENTRAL, QUEREM MAIS É ENFRAQUECER A P.F., A FIM DE SE PERPETUAREM NO PODER E ENGENDRAREM SUAS FALCATRUAS..

  3. EU PARTICULARMENTE, JÁ FIZ UM JURAMENTO DE JAMAIS VOTAR EM QUALQUER POLÍTICO F.D.P..

  4. Esses além de ganhar muito bem, ainda têm colhões. Infelizmente nós somos um bando de covardes.

  5. Se classe policial civil depender dos nossos sindicatos e associações, recheados de antas analfabetas, estamos na roça. Gentalha mal intencionada. Dos delegados idem, não esperem absolutamente nada. Sugiro aos colegas da ativa que prestem concurso para o TJ. Salário inicial de lá é muito superior ao nosso em final de carreira. E a chateação é menor. Saiam da SSP enquanto é tempo. Graças ao bom Deus já puxei o carro. Fujam enquanto é tempo. Boa sorte a todos.

  6. Policiais não podem fazer greve, decide Supremo

    Em sessão plenária nesta quarta, 5, em julgamento de recurso do Sindicato dos Policiais Civis de Goiás, ministros da Corte máxima, por maioria de votos, rejeitaram possibilidade de agentes cruzarem os braços

    0
    

    Plenário do STF. Foto: Rosinei Coutinho/SCO/STF

    Plenário do STF. Foto: Rosinei Coutinho/SCO/STF

    O Supremo Tribunal Federal decidiu nesta quarta-feira, 5, que policial civil não tem direito de greve. Por maioria de votos, em julgamento recurso do Sindicato dos Policiais Civis de Goiás, os ministros rejeitaram a possibilidade de os agentes cruzarem os braços.

    A maioria da Corte decretou que é vedado aos policiais civis o exercício do direito de greve – como também a todos os servidores públicos que atuem diretamente na atividade-fim da segurança pública.

    Foram vencidos os ministros Edson Luiz Fachin, Rosa Weber e Marco Aurélio Mello, votos divergentes da maioria. O placar ficou em 7 a 3.

    O ministro Alexandre de Moraes considerou que é obrigatória a participação do poder público em mediação instaurada pelos órgãos classistas das carreiras da segurança pública.

  7. http://g1.globo.com/politica/noticia/maioria-do-stf-vota-para-proibir-greve-para-todas-as-carreiras-policiais.ghtml

    Supremo Tribunal Federal proíbe greves para todas as carreiras policiais

    Ao julgarem direito de greve para policiais civis, ministros declararam inconstitucionais paralisações de todos servidores de órgãos de segurança. Caso terá repercussão geral no Judiciário.

    Por Fabiano Costa, G1, Brasília
    05/04/2017 12h09 Atualizado há 5 minutos

    Por 7 votos a 3, os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) declararam nesta quarta-feira (5) inconstitucional o direito de greve de servidores públicos de órgãos de segurança e decidiram proibir qualquer forma de paralisação nas carreiras policiais.
    A decisão da Suprema Corte terá a chamada repercussão geral, ou seja, deverá ser seguida, a partir de agora, por todas as instâncias da Justiça.
    A inconstitucionalidade das greves de policiais foi declarada no julgamento de um recurso apresentado pelo governo de Goiás contra uma decisão do Tribunal de Justiça do estado que havia considerado legal uma paralisação feita, em 2012, por policiais civis goianos.
    No processo, diversas entidades se manifestaram contra a possibilidade de greve por agentes de segurança, com base no artigo 142 da Constituição, que proíbe sindicalização e greve de integrantes das Forças Armadas.
    Desde 2009, diversas decisões de ministros do STF consideraram ilegais as greves de policiais militares, civis e federais, sob o argumento de que representam risco para a segurança pública e para a manutenção da ordem.
    No julgamento desta quarta-feira, votaram para proibir as greves de policiais os ministros Alexandre de Moraes, Luis Roberto Barroso, Luiz Fux, Dias Toffoli, Ricardo Lewandowski, Gilmar Mendes e Cármen Lúcia.
    Por outro lado, o relator do caso, ministro Edson Fachin, e os ministros Rosa Weber e Marco Aurélio Mello se manifestaram pela constitucionalidade das paralisações de policiais, desde que fossem impostos limites às greves. O ministro Celso de Mello não participou do julgamento.

  8. Isonomia com a mulher de Cabral? Não sé Adriana Ancelmo tem “direito”?

    INTERESSE DA CRIANÇA
    Celso de Mello autoriza prisão domiciliar a mãe pobre com filha de um ano

    5 de abril de 2017, 11h22
    O ministro do Supremo Tribunal Federal Celso de Mello permitiu que uma condenada fique em prisão domiciliar para cuidar de sua filha de 1 ano. Ao converter a prisão preventiva em prisão domiciliar, o ministro enfatizou, contudo, que a conversão em domiciliar é uma faculdade do juiz, não bastando apenas a condição de maternidade. É preciso demonstrar que a concessão da prisão domiciliar atende ao melhor interesse da criança.

    Ao conceder o Habeas Corpus, o ministro lembrou que o artigo 318 do Código de Processo Penal (que permite a prisão domiciliar da mulher gestante ou mãe de filhos com até 12 anos incompletos) foi instituído para adequar a legislação brasileira a um compromisso assumido internacionalmente pelo Brasil nas Regras de Bangkok. Essa alteração no CPP foi dada pelo Estatuto da Primeira Infância (Lei 13.257/2016).

    Porém, o fato de ser mãe, por si só, não basta para a conversão da prisão preventiva em domiciliar. Em seu voto, Celso de Mello advertiu que é preciso analisar também a conduta e a personalidade da presa e, sobretudo, a conveniência e o atendimento ao superior interesse do menor.

    “Todas essas circunstâncias devem constituir objeto de adequada ponderação, em ordem a que a adoção da medida excepcional da prisão domiciliar efetivamente satisfaça o princípio da proporcionalidade e respeite o interesse maior da criança. Esses vetores, por isso mesmo, hão de orientar o magistrado na concessão da prisão domiciliar”, explicou o ministro.

    Celso de Mello afirmou também que a 2ª Turma do Supremo Tribunal Federal tem concedido medidas cautelares e deferido Habeas Corpus em favor de mulheres presas que sejam gestantes, que estejam amamentando, mães com filhos de até 12 anos incompletos ou, ainda, consideradas imprescindíveis aos cuidados especiais de pessoa menor de 6 anos ou com deficiência.

    Clique aqui para ler a decisão.
    HC 134.734

  9. O MINISTRO CELSO DE MELO APENAS FEZ CUMPRIR O QUE A LEI OBRIGA, A AQUELES QUE SAO CONTRA QUE MUDEM AS LEIS, RESUMINDO, VOTEM DIREITO.

  10. Se a atividade policial não for classificada como De Risco… então o que seria atividade de risco?

  11. Que o INSS cobre o devedores da previdência e que a lei que prevê a DRU – Desvinculação da Receita da União seja revogada proibindo a União desfalcar a a receita da Previdência.
    Compartilhe.

  12. Boa noite!

    Senhoras e Senhores

    É triste dizer mas a Polícia acabou!

    Seja ela Militar, Federal ou Civil!

    Colocar imposições, restrições, salários ruins e proibir o profissional de exigir seus direitos bem como a de exercer seu ofício a contento é colocar a Sociedade à mercê de infortúnios e da bandidagem!

    Já está difícil ver Policiais na rua de dia, que dirá à noite! Com essa falta de efetivo e descaso bem como desvalorização, daqui a pouco o povo não vai poder sair mais à rua nem para trabalhar!

    Polícia ao que parece vai virar artigo de luxo e de lixo, pois sem garantias e salário muitos preferição partir para outras esferas mais vantajosas e ai meus queridos, os políticos terão que contratarem cangaceiros para fazer o serviço pois não restará uma viva alma intrligente e honesta nesta terra que se sujeitará a essa palhaçada!

    Estão acabando com o país literalmente e, fazendo do povo uma nação de escravos brancos!

    Caronte

  13. É um bom motivo para pagar nossos direitos em dia, assim tipo reposição salarial de 2014 a 2017, ou será que só temos obrigações? ???
    Ademais, falta agora exigirmos que esté Reajuste seja AUTOMÁTICO na data base, que os desiguais sejam tratados de forma desigual, inclusive na aposentadoria! !!!

O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do comentarista que venha a ofender, perturbar a tranquilidade alheia, perseguir, ameaçar ou, de qualquer outra forma, violar direitos de terceiros.O autor do comentário deve ter um comentário aprovado anteriormente. Em caso de abuso o IP do comentarista poderá ser fornecido ao ofendido!...Comentários impertinentes ou FORA DO CONTEXTO SERÃO EXCLUÍDOS. Contato: dipolflitparalisante@gmail.com

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s