Palocci é coagido pela força-tarefa a afastar o advogado José Roberto Batochio, insinua jornalista da Folha de São Paulo 12

Palocci decide fazer delação e afasta advogado contrário ao acordo

Danilo Verpa – 26.set.2016/Folhapress
SAO PAULO - SP - 26.09.2016 - Veiculo chega a sede da PF em Sao Paulo. O ex-ministro da Casa Civil e da Fazenda Antonio Palocci (PT) foi preso temporariamente na manhã desta segunda-feira (26) na 35ª fase da Operação Lava Jato, em São Paulo. A nova fase da operação, intitulada Omertà, investiga indícios de uma relação criminosa entre o ex-ministro e a empreiteira Odebrecht... (Foto: Danilo Verpa/Folhapress, PODER) ORG XMIT: LAVA JATO
O ex-ministro Antonio Palocci, durante fase da Lava Jato em 2016

MARIO CESAR CARVALHO
DE SÃO PAULO

12/05/2017 17h49 – Atualizado às 18h15

O ex-ministro Antonio Palocci decidiu negociar um acordo de delação premiada com os procuradores da Operação Lava Jato. Na tarde desta sexta (12), ele avisou seu advogado de defesa, o criminalista José Roberto Batochio, que ele terá de se afastar do caso, o que deve ocorrer ainda hoje.

A negociação do acordo será feita por dois advogados de Curitiba, Adriano Bretas e Tracy Reinaldet. Os dois já haviam sido contratados por Palocci, mas, sem maiores explicações, o ex-ministro rompeu o acerto inicial. Nesta semana Palocci retomou as conversas com Bretas e Reinaldeti e decidiu que partiria para a delação. Réu em dois processos em Curitiba, Palocci teme que suas condenações possam ultrapassar os 30 anos de prisão.

A Folha apurou que o afastamento de Batochio foi uma exigência da força-tarefa da Lava Jato porque o criminalista é contrário a esse tipo de acordo.

A colunista Mônica Bergamo havia antecipado nesta sexta (12) que o ex-ministro tinha retomado as negociações com o advogado Adriano Bretas sobre delação.

O próximo passo para Palocci será desistir do pedido de habeas corpus que está para ser julgado pelo STF (Supremo Tribunal Federal). O ministro Edson Fachin decidiu que o pedido não será julgado pela segunda turma do Supremo, que soltou quatro investigados da Lava Jato em menos de uma semana: o ex-ministro José Dirceu, os empresários Eike Batista e José Carlos Bumlai e o ex-tesoureiro do PP João Cláudio Genu. A decisão de Fachin foi vista pela defesa de Palocci como uma manobra para evitar mais uma derrota.

Pesou na decisão de Palocci a operação que a Polícia Federal deflagrou nesta sexta (12), em torno de repasses do BNDES para o grupo JBS, num total de R$ 8,1 bilhões. Palocci é apontado nas investigações como um dos intermediários dos financiamentos que geraram supostas propinas para o PT. Uma das hipóteses investigadas pela PF e pelos procuradores é que o partido ficava com parte dos repasses do BNDES.

Outra influência na decisão de Palocci foi a delação da Odebrecht. Documentos apreendidos pela Polícia Federal, depois incluídos no acordo da Odebrecht, apontam que o ex-ministro foi responsável por administrar repasses no valor de R$ 128 milhões entre 2008 e 2013.

Palocci era chamado de “Italiano” nos comunicados internos da Obebrecht sobre repasses para o PT. O ex-ministro ficou negando por meses que era o “Italiano”, mas o codinome foi confirmado por Marcelo Odebrecht, ex-presidente do grupo que leva o seu sobrenome.

Ex-ministro da Fazenda de Lula e chefe da Casa Civil de Dilma, Palocci foi preso em setembro do ano passado numa fase da Lava Jato chamada Omertà, que quer dizer “lei do silêncio” no linguajar dos mafiosos italianos e era, ao mesmo tempo, uma referência ao apelido que o ex-ministro tinha nos registros da Odebrecht.

A delação de Palocci é vista com potencial explosivo para atingir o sistema financeiro porque ele era o principal interlocutor do PT junto aos bancos. Ele deve também citar alguns dos maiores empresários do país, como Joesley Batista, da JBS, e Abílio Diniz.

Uma auditoria interna do Pão de Açúcar apontou que uma empresa de Palocci recebeu R$ 5,5 milhões do grupo entre 2009 e 2010 sem comprovação de que os serviços de consultoria que justificavam o pagamento fossem comprovados. Procuradores suspeitam que o pagamento possa ter alguma relação com a campanha de Dilma Rousseff (PT), de 2010, na qual foi eleita presidente pela primeira vez.

Procurado pela Folha, o grupo JBS informou que não iria se manifestar.

Abílio Diniz afirma em nota que a auditoria que apontou a inexistência prestados por Palocci foi realizada pelo grupo Casino e no período analisado (2009-10) ele não exercia função executiva na empresa. Ocupava o conselho de administração junto com o francês Jean Charles Naouri. Segundo a nota, a relação do Pão de Açúcar “sempre foi com o escritório de Márcio Thomaz Bastos, nunca com Antonio Palocci”.

Diniz diz que “o contrato da Projeto Consultoria, de Antonio Palocci,com o escritório de Márcio Thomaz Bastos, inclusive, já foi objeto de investigação, tendo sido encerrado por não apresentar indícios de irregularidades”.

  1. Vamos ver o que vai dar. O único cara que aguentou firme cadeia até agora sem delatar ninguém foi o Zé Dircceu.

  2. Senhores

    Coagido que nada, o próprio texto já diz claramente que trocou de defensor, pelo motivo do atual não concordar com “delações”, pois notadamente, só delata quem tem participação no delito, caso contrário seria informante, inicia-se assim com o acusado admitindo sua participação. Não passa de mero sensacionalismo para render dividendos por parte da imprensa.
    O senhor Palocci não é nenhuma “virgem inocente e pura”, sabe muito bem o que fez e o que pode sofrer se apenado for.
    Portanto, diferente do colega de partido “Dirceu”, que segundo a lenda, fez uns cursinhos fora do Pais, tem receio de uma cana pesada, portanto, vislumbra com um refrigério nas penas presente e futura!

    é o que penso

    C.A.

  3. TODOS NÓS SABEMOS QUE O ITALIANO A TEMPOS É O BRAÇO DIREITO DO SAPÃO REF AS $$$$$$$$$$$

    ELE SABE DE TUDO… E COMO FUNCIONA DESDE A MUITO TEMPO..

  4. O ADVO QUE ELE DESTITUIU É CONTRA A DELAÇÃO DELE…

    É QUE O MESMO TAMBEM É ADVO DO PODEROSO CHEFÃO ….

    E JAMAIS PERMITIRIA UMA DELAÇÃO CONTRA O PODEROSO SAPÃO…

  5. MAS O ITALIANO PENSANDO NOS BENEFICIOS DE UMA DELAÇÃO NÃO PENSOU 02 VEZES;;

    E COM CERTEZA SERA UM DOS PRÓXIMOS A USAR TORNOZELEIRA ELETRONICA…

    EM UMA LUXUOSA MANSÃO PRÓPRIA…

    É PEGAR OU LARGAR…

  6. ENGRAÇADO FOI O DEPOIMENTO DO SAPÃO ..

    O HOMEM NÃO SABIA DE NADA…..

    SE O JUIZ PERGUNTASSE A ELE SE CONHECIA A DONA MARIZA,,, SERIA CAPAS DE FALAR QUE NUNCA VIU
    AQUELA SENHORA………

    O SAPÃO EXAGEROU , NOS N]AO SEI … NÃO VI…

  7. AOS petralhas DEFENSORES DO INDEFENSAVEL … SE PREPAREM…..

    o bixo começou a pegar para a dilmalandra..

  8. estão dizendo por ai que a JBS esta estudando uma delação premiada…

    pelo andar da carruagem a JBS sera um repeteco da empreiteira ODEBRECH

  9. qual sera o motivo de uma empresa doar 360 milhoes de reais a uma campanha politica?????

O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do comentarista que venha a ofender, perturbar a tranquilidade alheia, perseguir, ameaçar ou, de qualquer outra forma, violar direitos de terceiros.O autor do comentário deve ter um comentário aprovado anteriormente. Em caso de abuso o IP do comentarista poderá ser fornecido ao ofendido!...Comentários impertinentes ou FORA DO CONTEXTO SERÃO EXCLUÍDOS. Contato: dipolflitparalisante@gmail.com

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s