General José Eduardo Leal de Oliveira faz prova de que os militares continuam debochando das instituições civis…Arrogância, ignorância , cinismo e prepotência 76

Áudio mostra discussão entre general e juiz barrado durante operação em presídio no AC

Associação Nacional dos Magistrados Estaduais disse que vai tomar medidas ‘cabíveis’. Operação fez varredura em presídio de Cruzeiro do Sul.

Um áudio divulgado pela Associação Nacional dos Magistrados Estaduais (Anamages) mostra o diálogo, em tom alterado, entre o general José Eduardo Leal de Oliveira, comandante da 17ª Brigada de infantaria de Selva, e o juiz titular da Vara de Execuções Penais de Cruzeiro do Sul, Hugo Torquato. O juiz foi impedido de acompanhar a Operação Thaumaturgo, que fez uma varredura no presídio Manoel Neri, na última terça-feira (11).

O áudio começa no momento em que o juiz vai ao encontro do general questionar o motivo de ter sido barrado por um dos militares do Exército e recebe uma resposta atravessada. Ao G1, a assessoria do Exército informou que “tem o caso como encerrado”.

“Essa é uma operação federal, o senhor esteve aqui, eu fui educado com o senhor e expliquei que essa é uma atividade federal, uma operação de GLO [Garantia da Lei e da Ordem] aonde eu devo zelar pela tropa que está aqui dentro. O senhor solicitou a mim para acompanhar e eu disse que o senhor não poderia acompanhar. O senhor se dirigiu ao local da operação com ordem de quem?”, questiona o general.

Diante da pergunta do general, o juiz responde: “Com ordem de ninguém, eu sou juiz. E o senhor impediu a minha entrada”.

O general, que está acompanhado de outras pessoas, continua afirmando que por se tratar de uma operação federal, o juiz não tem permissão para participar da ação.

“É uma atividade federal, cujo responsável sou eu. A partir do momento que eu piso no presídio, sou responsável por essa área até que eu devolva ao Estado. Isso é uma solicitação do governo do estado amparado em um decreto presidencial”, diz o general.

Um outro militar que acompanha a discussão, interrompe os dois e diz: “Essa operação não tem nada a ver com lei de execução penal. Entendo que o senhor está afastado dessa jurisdição. Há uma intervenção militar aqui. O senhor quer acompanhar o quê?”.

Juiz Hugo Torquato (à esquerda) e general tiveram discussão durante operação em Cruzeiro do Sul  (Foto: G1 e Reprodução/Rede Amazônica Acre )Juiz Hugo Torquato (à esquerda) e general tiveram discussão durante operação em Cruzeiro do Sul  (Foto: G1 e Reprodução/Rede Amazônica Acre )

Juiz Hugo Torquato (à esquerda) e general tiveram discussão durante operação em Cruzeiro do Sul (Foto: G1 e Reprodução/Rede Amazônica Acre )

  1. Pingback: General José Eduardo Leal de Oliveira faz prova de que os militares continuam debochando das instituições civis…Arrogância, ignorância , cinismo e prepotência | Blog do Luciano Cesar Pereira

  2. Arrogante, ignorante, cínico e prepotente onde?

  3. É Bom saber que ainda existem pessoas capazes de provar para esses juízes que não são DEUSES e que não podem tudo.Parecia um garoto mimado que pela primeira vez alguém teve a coragem de negar alguma de suas vontades.O general tá de Parabéns.

  4. Vai querer ganhar de um general com sua tropa no grito??? kkkkk. Tem mais ê que se foder. Foi tirado pra nada

  5. O Sr. está dizendo que o judiciário não é nada?…………..
    Puro ego, aliás é o que mais tem por esses lado chamado terra brasilis, só perde para a corrupção.

  6. Juiz não pode tudo, mas o Juiz da Vara das Execuções e Corregedor de Presídios pode ingressar no estabelecimento prisional quando entender oportuno e conveniente, especialmente quando da realização de uma operação militar .

    Mas , obviamente, um homem sozinho apenas com a voz da lei nada pode contra um bando de celerados armados que se dizem cumpridores das leis e da constituição.

    Vale a máxima: argumentar com militar é o mesmo que jogar xadrez com pombos. Estufam o peito , derrubam as peças e cagam no tabuleiro.

    O pior é que há brasileiro que aplaude !

    Do Juízo da Execução

    Art. 65. A execução penal competirá ao Juiz indicado na lei local de organização judiciária e, na sua ausência, ao da sentença.

    Art. 66. Compete ao Juiz da execução:

    I – aplicar aos casos julgados lei posterior que de qualquer modo favorecer o condenado;

    II – declarar extinta a punibilidade;

    III – decidir sobre:

    a) soma ou unificação de penas;

    b) progressão ou regressão nos regimes;

    c) detração e remição da pena;

    d) suspensão condicional da pena;

    e) livramento condicional;

    f) incidentes da execução.

    IV – autorizar saídas temporárias;

    V – determinar:

    a) a forma de cumprimento da pena restritiva de direitos e fiscalizar sua execução;

    b) a conversão da pena restritiva de direitos e de multa em privativa de liberdade;

    c) a conversão da pena privativa de liberdade em restritiva de direitos;

    d) a aplicação da medida de segurança, bem como a substituição da pena por medida de segurança;

    e) a revogação da medida de segurança;

    f) a desinternação e o restabelecimento da situação anterior;

    g) o cumprimento de pena ou medida de segurança em outra comarca;

    h) a remoção do condenado na hipótese prevista no § 1º, do artigo 86, desta Lei.

    i) (VETADO); (Incluído pela Lei nº 12.258, de 2010)

    VI – zelar pelo correto cumprimento da pena e da medida de segurança;

    VII – inspecionar, mensalmente, os estabelecimentos penais, tomando providências para o adequado funcionamento e promovendo, quando for o caso, a apuração de responsabilidade;

    VIII – interditar, no todo ou em parte, estabelecimento penal que estiver funcionando em condições inadequadas ou com infringência aos dispositivos desta Lei;

    IX – compor e instalar o Conselho da Comunidade.

    X – emitir anualmente atestado de pena a cumprir. (Incluído pela Lei nº 10.713, de 2003)

  7. Fico impressionado com essas discussões que nos interessam. Temos que manter o foco em nossa instituição, buscando unir forças contra esse governo responsável pelo desmonte da polícia investigativa, seja pela falta de pessoal, seja pela falta de material, ou então pela remuneração aviltante. Minha parte diariamente faço, manifestando-me em todos os canais e locais possível, tanto pela internet, como pessoalmente quando falo com familiares, amigos e conhecidos. Por vezes me pego pensando se todos nós assim agirmos. Não peço palavras de baixo calão em face do mandatário, mas sim demonstração lógica e técnica do quão prejudicial são suas ações. Meu foco é que pessoas responsáveis pela Administração, que o façam da mesma forma que ele, nunca consigam ocupar cargos de chefia no executivo. Senhores vamos combater, juntos, na mesma frente. Abraço e bom domingo a todos.

  8. É por isso q os delegados acabaram c a PC, aprendam com o General. Juiz manda no processo !

  9. Mas se fosse um repórter da globo… ahh dai sim não haveria impedimento por parte do militar.
    Juizes, sem dúvida, vira e mexe abusam do poder que possuem, porém, isso justifica que outros profissionais também abusem?

  10. Só para ilustrar… basta ir a qualquer plantão policial e será visto o abuso de poder que também ocorre no local.
    O grande problema é que o funcionário, possuidor de algum “poder” dado pela sociedade para exercer um cargo público, se acha o dono do poder, dono do cargo, dono da instituição, e passa a achar que está fazendo algum favor, quando na realidade é uma obrigação.
    É o famoso “sabe com quem está falando”

  11. Parabéns ao General do Exército Brasileiro! Certíssima a conduta. O Magistrado não tinha que xeretar nada lá, os juízes só fazem passar a mão na cabeça de ladrão e não entram em cadeia a não ser pra atrapalhar. Instituição civil é pra defender o cidadão de bem. Pergunto: por que que a bandidagem não virou o presídio?

  12. Legalidade à parte, não se olvida que o Poder Judiciário é quem deve dar a ultima palavra em matéria submetida a sua análise. Vige entre nós por norma constitucional o princípio da jurisdição única, onde se entende que quem deve dar a palavra final e conclusiva é sim o Poder Judiciário. Entrementes creio que no caso faltou sim tato ao Juiz e melhor compreensão da situação fática. O Militar está sujeito a Justiça Militar nestes casos e não se pode esquecer que foram acionados para garantia da lei e da ordem. Como o General entendeu que a presença do Magistrado dentro do presídio colocaria sua segurança em perigo, impediu o ingresso do mesmo. Isso nada tem a ver como autoritarismo pois quem entende de segurança naquele caso é sim o General. E se fosse uma cadeia de Distrito? Estando em transito uma rebelião grave. Caso o Magistrado comparecesse e desse ordem ao Delegado para que entrasse? Caso o Delegado entendesse da mesma forma teria sim o mesmo direito e atribuição para impedi-lo caso entendesse que a segurança do Magistrado estivesse em risco. Agora as consequências certamente seriam retaliação calcada na palavra fria da lei. Entretanto quem decide ali no momento sob o enfoque da segurança é sim o General. Não se pode confundir jurisdição com segurança pública. Não existe hierarquia entre um Juiz de Direito e um General do Exercito. Confunde-se no caso conflitos de jurisdição com atribuição. Dentro desses parâmetros caberá ao General, se instado a isso (e o será) responder ao mesmo judiciário o porquê de ter agido daquela forma e creio que a resposta do General não será muito diferente do que acima falamos. Não é o Magistrado que delimita nesses casos a forma de se garantir segurança. E de acordo com o inc. VIII do art. 66 da LEP, caberia ao mesmo Magistrado determinar se assim entendesse a interdição do estabelecimento penal ou outra medida que entendesse necessária para o restabelecimento da lei e da ordem. Uma coisa é determinar o que fazer, outra coisa é querer fazer e aplicar pessoalmente o que determinou. É por isso que existem dentro do Sistema de Segurança Institucional do estado o aparato de segurança para garantir esta mesma lei. As autoridades, máxime como um Magistrado e um General devem ter o necessário equilíbrio para saber conduzir estas questões capitais de forma a assegurar o cumprimento da lei sim, mas com respeito à segurança de todos.

  13. Senhores

    Apenas algumas duvidas…
    A Digna Excelência cumpre ao pé da letra?

    (VII – inspecionar, mensalmente, os estabelecimentos penais, tomando providências para o adequado funcionamento e promovendo, quando for o caso, a apuração de responsabilidade;

    VIII – interditar, no todo ou em parte, estabelecimento penal que estiver funcionando em condições inadequadas ou com infringência aos dispositivos desta Lei;)

    Todos os meses promove inspeção nos estabelecimentos?
    Será que ele foi para “garantir os direitos humanos”?

    Uma coisa senhores, eu aprendi no decorrer de mais de cinco décadas de vida, “cachorro morto qualquer um chuta”, agora paira uma duvida maior ainda. “Por qual motivo os Militares Estaduais não executaram a tarefa”? Vou mais além, se os presos ali, cumprem medida Judicial, onde está do Corpo de Agentes Penitenciarios?
    A noticia deixa várias lacunas…

    é o que penso

    C.A.

  14. Me esqueci, casualmente o Estado do Acre, faz divisa com o Peru e a Bolivia (locais que muitas folhas de chá), um local tranquilo e aprazível para se morar!

  15. PARABÉNS AO GENERAL COLOCOU ESTE JUÍZECO DE MERDA NO SEU DEVIDO LUGAR, ATÉ QUE ENFIM ALGUM MOSTROU PARA ESSES PROJETOS DE SEMIDEUSES QUE ELES NÃO PODEM TUDO, E POR MAIS QUE VC SE ACHA FODA SEMPRE HAVERÁ ALGUÉM MAIS FODA QUE VC.
    O ENGRAÇADO É QUE ELE FICOU QUIETINHO, POR QUÊ NÃO TEVE CORAGEM DE DAR VOZ DE PRISÃO ?? AH ESQUECI DIANTE DA DITADURA DA TOCA, SEMPRE HAVERÁ SOMBRA DOS HOMENS DO BOTÃOZINHO DOURADO, COMO MUITOS DIZEM QUEM TÊM C** TEM MEDO. HAHAHA

  16. Parabéns General Leal! A Associação dos Magistrados pediu retratação ao Comandante do Exército, ele enviou a “retratação” via twitter: General Villas Boas‏ @Gen_VillasBoas
    “Gen Leal, seus elevados valores morais e sua irrefutável ética pessoal e profissional são referências no @exercitooficial. #ObrigadoSoldado!”

    E o Comandante Militar da Amazônia endossou: General Miotto‏ @geraldomiotto
    “Operação no Presídio em Cruzeiro do Sul-AC concluída com pleno êxito. Parabéns Gen Leal pela firmeza e serenidade. Missão cumprida. #Selva!”

    Para um bom entendedor, pingo é letra!

  17. Sandro disse:
    15/07/2017 às 18:39

    Parabéns ao General do Exército Brasileiro! Certíssima a conduta. O Magistrado não tinha que xeretar nada lá, os juízes só fazem passar a mão na cabeça de ladrão e não entram em cadeia a não ser pra atrapalhar. Instituição civil é pra defender o cidadão de bem. Pergunto: por que que a bandidagem não virou o presídio?

    “Cidadão de bem”, conversinha furada…pior é ouvir que “magistrado não tinha que xeretar nada lá”, e vamos rasgar as leis infraconstitucionais e a própria constituição…

  18. Papo Furado Guerra.
    O Juiz pode entrar à vontade depois da Operação. Nunca durante.
    o Magistrado se FODEU!!KKKKKK
    Sabe o que vai dar pro General….NADA!
    Sabe o que significa a posição da Associação dos Magistrados…NADA!
    KKKKKK
    O JUIZ TOMOU NO TOBA!
    KKKKK

  19. Parabéns ao General, juiz arrogante passa a mão na cabeça de ladrão, O juiz quiz apelar para PM e o general disse q a PM não apita nada sem autorização dele, juizes e promotores vivem em outro mundo tem verba e poder ilimitado, mas nem sempre a caneta é mais forte que armas, enquanto têm centenas de órgãos para defender ladrão os policiais estão cada vez mais oprimidos.

  20. Jamiro,

    PMs são lambedores de saco de militares do Exercito; assim não seria de se esperar outra argumentação de sua parte.
    Aliás, a PM continua subordinada ao EB ?
    Mas saiba o que diz a LeiLEI Nº 4.898, DE 9 DE DEZEMBRO DE 1965.
    Art. 3º. Constitui abuso de autoridade qualquer atentado:
    j) aos direitos e garantias legais assegurados ao exercício profissional.
    O juiz tem o dever de representar contra esse General e , também, de ajuizar uma ação de reparação de danos.
    O General, certamente, irá pleitear justiça gratuita, pois não ganha para arcar com despesas processuais em demanda tendo Juiz como autor.
    No Brasil real precedência se faz comparando os holerites.
    Lembrando que quando se trata de corporativismo ninguém ganha da magistratura .

  21. Que Bom!!!!! EXCELENTE!!! Militares estão começando tomar “conta” do Brasil. QUE ASSIM SEJA!!! Militares no Poder, URGENTE para colocar ordem nessa baderna!

  22. PARABÉNS AO GLORIOSO EXÉRCITO BRASILEIRO! NOSSA ÚNICA SALVAÇÃO.

  23. ZICA,

    Inicialmente, até onde foi noticiado não havia nenhuma rebelião no estabelecimento prisional em questão.
    O general se mostrou ignorante e vaidoso.
    Impedir o ingresso do Juiz Corregedor naquele local equivale a negar cumprimento a mandado de busca domiciliar, obviamente Juiz não expede mandado para ele próprio.
    Artigo 330. Desobedecer a ordem legal de funcionário público:
    Pena – detenção, de 15 (quinze) dias a 6 (seis) meses, e multa.

  24. Irmãozinho ,

    Dê uma olhada nos indicadores do PIB deste país, sem muito esforço dá para perceber que é muito melhor políticos ladrões do que militares “falso honestos”.

  25. Sr. FLIT cada um pensa de um jeito. Talvez o senhor acredite e vote em Cunha, Geddel, Feghali e muitos outros que “construirao” um grande país (na sua cabeça..rs!)

  26. Brasileiro é assim: democracia a qualquer preço, mesmo que paguemos fortunas para mantê-la… Fazer o quê?! O pessoalzinho da Globo conseguiu convencer alguns, alguns, não todos…

  27. Eu escolho o melhor possível, os demais eleitores deveriam fazer o mesmo. E vivemos num grande país construído por bons cidadãos, independentemente de políticos e milicos. É certo que temos uma grande quantidade de seres que não prestam nem sequer como esterco. Mas, militares espero que nunca mais governem. Pra mim são os culpados, historicamente, pela cultural corrupção política neste país.

  28. A corrupção maciça iniciou-se pós 1984. Redemocratizaram e as aves de rapina deitaram o cabelo (como se diz por aí). Esperaram o poder chegar às suas mãos para enriqueceram, somente isso, ficar rico, compromisso, nenhum. Não digo que antes não havia uma maracutaiazinha aqui ou ali, mas nem se compara com o que vemos e pior, tudo isso regado á incompetência, burrice, estupidez, caçoadas, risos, a custa do pobre povo brasileiro. É isso.

  29. FLIT, sou civil e povo. Não faço parte de nada. Sou um coitado, porém esclarecido.

  30. Está provado que o Judiciário só exerce seu poder com favelados, pobres e furtadires de galinhas, aí o Judiciário vira um leão! Quando trata-se de general, membro do MP e políticos ( de partidos selecionados claro) e grandes empresários e detentores de grandes fortunas aí o Judiciário mostra sua verdadeira face se apequenando e virando um gatinho.
    O Judiciário brasileiro é assim, dois pesos e duas medidas!
    A decisão é sempre ao go$$$to do cliente, se tem dinheiro o tratamento é diferenciado, se não tem, senta e chora!

  31. Falta de bom senso de ambos os envolvidos. O juiz pode, sim, entrar a hora que quiser dentro do estabelecimento prisional, mormente o juízo das execuções penais da localidade, que é o corregedor do local por expressa previsão legal. Ocorre que, obviamente, em razão da situação extraordinária que ocorria naquele momento, deveria o juiz, ao vislumbrar a situação, fazer sua visita mensal num outro dia e retornar aos seus afazeres. Mas não, tentou ir lá se impor e passou um carão. Talvez tenha aprendido como é lidar com militares. Eles “têm a força”, então não adianta perder tempo com isso.
    Faltou-lhe talvez o mais básico das qualidades que deveria recair sobre um magistrado, bom senso.

    Já o general, ao notar que o magistrado lá estava, não poderia tê-lo impedido de entrar e acompanhar a situação. Ninguém está acima da lei, mas no Brasil parece que ninguém entende isso. Por isso essa bagunça generalizada. Como publicou o New York Time há algum tempo: “Brasil, o país dos foras-da-lei. A jurisdição não foi afastada pela presença militar no local, que fique claro. Por isso, além de bom senso, agiu contrariamente ao ordenamento jurídico e cometeu, sem dúvida alguma, crime de abuso de autoridade, nos termos do art.3º, alínea j, da Lei 4.898/65 ( constitui abuso de autoridade qualquer atentado:aos direitos e garantias legais assegurados ao exercício profissional).

    E só para lembrar os desavisados aí que escreveram que o militar está sujeito apenas à justiça militar, crime de abuso de autoridade é considerado crime comum, entendimento este sumulado no âmbito dos tribunais superiores, que foge, portanto, à esfera da justiça castrense. Logo, do general ao soldado, todos eles, se infringirem esta lei, são submetidos à justiça comum. Podem anotar, do jeito que os magistrados são unidos, haverá responsabilização por esse crime.

    Resumindo tudo: briga de egos. Dois grandes bobos. Um teve autoridade diminuída em rede nacional sem a necessidade. O outro agiu de maneira criminosa e certamente vai responder por isso. “Parabéns” para ambos!!!!!!!

    Concluindo: agora o estranho ver o “orgasmo” de alguns ao presenciar esse tipo de coisa e se deleitar, conforme se percebe em muitos comentários. Vindo de um polícia que se diz judiciária, é de se estranhar e lamentar.

  32. O corporativismo de ambas as partes são fortes, pena que não veremos o desfecho desta história.
    Só sei de uma coisa se fosse um Delegado – Autoridade Policial – ao invés de um General – Militar – já estaria exonerado e o Juiz ganhado promoção para Desembargador.
    Não precisamos ir longe na história, no Post anterior de um Tenente que era torturador hoje é Capitão e nada aconteceu com ele.
    Lembram de um magistrado que chegou causando no D.P, ele ganhou promoção e o delegado foi exonerado.
    Por que algumas coisas acontecem na Polícia Civil e na Polícia Militar não acontece?

  33. Do mesmo jeito que os magistrados são intocáveis os militares também são.
    Militar é outro mundo é outra lei.
    Como eles conseguem eu não sei, porém deveríamos aprender com eles.

  34. tinha que ter dado um pé no rabo de juiz fdp aliás todos deviam tomar um pe no rabo

  35. Militar não toma o Mel, come a abelha! Foi muito educado e explicou: Estou aqui a pedido do Governador amparado por um Decreto Presidencial. Trata-se de uma intervenção, resolverem e devolverei para o Estado quando tudo estiver solucionado. Pronto! O problema é que brasileiro ODEIA, sim, ODEIA receber ordens! Eu sou a prova disso, cansei de ver se povinho meter o dedo na minha cara me empeitando. Eu de viatura, distintivo, bom…que é da casa sabe muito bem

  36. Ahhh para Guerra…isso é requalque.
    Esse ranço todo é sem motivo….não sei que motivo tem para ter tanta raiva de militares, no entanto deve os ter ….
    Agora, em relação ao que vc postou é requalque. Enquanto o exército estiver exercendo missão quem manda é o Comandante. Nem juiz, nem ninguém pode querer se sobrepor, do contrário não mande os caras lá poh.
    O que houve foi que o mimado tomou um chá de banco do tipo ( pode falar à vontade….pode ofender, xingar a mãe, fazer a birra que quiser…mais daqui vc não passa). E não passou.
    De resto, com todos os benefícios ridículos como auxílio moradia e outras escrotisses o juiz deve mesmo ganhar mais.
    No entanto um Oficial General não recebe menos do que 30 mil (também penduricalhos)
    Então. .se está é a questão de justiça….INJUSTIÇADOS SOMOS NÓS!

  37. O capa-preta achou que estava lidando com quem, com delpol??? Kkkkkkkkkkk
    Outra coisa: esse negócio de mentir sobre a época dos militares já era. Professor marxista de história tá passando sufoco em sala de aula.

  38. Muito Bom! Generais são assim mesmo. Não abaixam cabeça para ninguém. Como é bom poder andar com a cabeça erguida e não mijar para ninguém. Esse é o crédito de ser honesto, estar ao lado da LEGALIDADE e da Justiça. Esse crédito só cabe aos decentes. General, pode dormir tranquilo, pois nada acontecerá. Fez o que fez com respaldo de um Decreto, assim sendo, tranqtranquilidade total.

  39. No recinto foram apŕeendidos 400 objetos cortantes, dentre outras coisas, o presídio é no Acre, local em que os presos cortam a cabeça alheia, pra mim foi pura arrogância do juiz, que deveria usar essa super AUTORIDADE, para meter fumo nos bandidos, mas é engraçado, o Judiciário se transformou em um super poder, e isso sempre é perigoso pois não tem mais limites

    Eu me sentiria agredecido pelo Exército fazer essa trabalho sujo, e por estar zelando pela segurança de todos, mas deu juizite aguda, sindrome de vaidade, e o General a todo o tempo foi respeitoso, mas o desespero em lamber bandido é monstruoso, é da mesma forma que somos tratados pelo judiciário, eles nos odeiam, mas amam o marginal

    Parabéns ao General, e ao Exército Brasileiro, foi humilde desde o começo, e estava lá cumprindo decreto presidencial, e não por que queria, o mínimo que a Autoridade, o Deus, deveria ter feito, é ter agradecido, perdeu uma grande oportunidade em ser superior com a humildade.

  40. Prezado José Dantas

    O GENERAL foi aplaudido por todo Exercito Brasileiro, que enalteceu e agradeceu pela excelente missão que fora cumprida. Renderam-se muitos elogios e, claro, não poderia ter sido diferente. Onde o Exército Brasileiro coloca as mãos as coisas fluem com perfeição e excelência. Temos vários exemplos, tais como a construção de rodovias feitas em concreto no norte do país que são referenciais em engenharia, com custo baixíssimo, temos outro exemplo de uma escola que foi referência em educação gerida por um Militar. Esses são os exemplos dos homens dos botões dourados: cidadania, ORDEM, respeito, civismo, nacionalismo, honestidade e compromisso. GLÓRIAS ÀS FFAA.

  41. Foi aplaudido merecidamente, faço minhas as suas palavras, o General mostrou ser superior com educação, no meu ponto de vista, ficou feio para o Juiz, teve uma parte que o Juiz disse: “você está determinando?”, depois disse algo do tipo: ninguém determina as coisas para um juiz

    O Brasil está esse lixo, graças a órgãos que adquiriram super poderes, e nada fazem pela sociedade, cometem um verdadeiro saque nos cofres públicos, nas Forças Armadas temos pessoas honradas, tiro o meu chapéu para eles.

    O que se vê hoje em dia, é uma tentativa deliberada de queimar o filme das forças armadas, haja visto a possibilidade do Bolsonaro ser eleito, e implantar uma seriedade nesse país, a verdadeira ditadura está na atitude do juiz, e dos políticos do Brasil, que querem impor a sua vontade e atropelar todo mundo, com a sua enorme soberba e centenas de imunidades, e roubalheira, hoje somos reféns de gente assim, e nada podemos fazer, como já disse, é perigoso quando uma instituição detém muito PODER, como ocorre com o Poder Judiciário e Ministério Público

  42. Excelente. Isso sim é oficial militar, não essa farsa de oficiais das pms (principalmente a Paulista) que se auto-intitulam gestores e lambem um caminhão de saco dos juízes e promotores. Isso é comandante, exército tem comando. Aqui em SP, de capitão pra cima, são um bando de paisanos fardados, “gestores”. Quer ser gestor? Pode baixa e vai ser gerente de empresa de paisano. Mas não, querem sugar, fazer o nome às custas das praças, e a PM sendo massacrada por todos os lados. A PM Paulista está largada, sem comando, se não fossem as praças levantar viaturas, acompanhar caráter, prender o ladrão, a segurança pública estaria mais falida do que já está. Quem carrega nas costas o fardo da segurança são as praças e oficiais até Tenente. O resto, são tudo inúteis que ficam onerando oEstado.

  43. General está certíssimo , se esse juiz tivesse resolvido o problema não era preciso chamar o exército .

  44. Apenas um longo comentário Parabéns ao Exercito Brasileiro a ultima fronteira neste Pais sem rédeas.

  45. FLIT PARALISANTE disse:
    15/07/2017 ÀS 16:39
    Juiz não pode tudo, mas o Juiz da Vara das Execuções e Corregedor de Presídios pode ingressar no estabelecimento prisional quando entender oportuno e conveniente, especialmente quando da realização de uma operação militar .

    Mas , obviamente, um homem sozinho apenas com a voz da lei nada pode contra um bando de celerados armados que se dizem cumpridores das leis e da constituição.

    Vale a máxima: argumentar com militar é o mesmo que jogar xadrez com pombos. Estufam o peito , derrubam as peças e cagam no tabuleiro.

    O pior é que há brasileiro que aplaude !

    Do Juízo da Execução

    Art. 65. A execução penal competirá ao Juiz indicado na lei local de organização judiciária e, na sua ausência, ao da sentença.

    Art. 66. Compete ao Juiz da execução:

    I – aplicar aos casos julgados lei posterior que de qualquer modo favorecer o condenado;

    II – declarar extinta a punibilidade;

    III – decidir sobre:

    a) soma ou unificação de penas;

    b) progressão ou regressão nos regimes;

    c) detração e remição da pena;

    d) suspensão condicional da pena;

    e) livramento condicional;

    f) incidentes da execução.

    IV – autorizar saídas temporárias;

    V – determinar:

    a) a forma de cumprimento da pena restritiva de direitos e fiscalizar sua execução;

    b) a conversão da pena restritiva de direitos e de multa em privativa de liberdade;

    c) a conversão da pena privativa de liberdade em restritiva de direitos;

    d) a aplicação da medida de segurança, bem como a substituição da pena por medida de segurança;

    e) a revogação da medida de segurança;

    f) a desinternação e o restabelecimento da situação anterior;

    g) o cumprimento de pena ou medida de segurança em outra comarca;

    h) a remoção do condenado na hipótese prevista no § 1º, do artigo 86, desta Lei.

    i) (VETADO); (Incluído pela Lei nº 12.258, de 2010)

    VI – zelar pelo correto cumprimento da pena e da medida de segurança;

    VII – inspecionar, mensalmente, os estabelecimentos penais, tomando providências para o adequado funcionamento e promovendo, quando for o caso, a apuração de responsabilidade;

    VIII – interditar, no todo ou em parte, estabelecimento penal que estiver funcionando em condições inadequadas ou com infringência aos dispositivos desta Lei;

    IX – compor e instalar o Conselho da Comunidade.

    X – emitir anualmente atestado de pena a cumprir. (Incluído pela Lei nº 10.713, de 2003)

    Guerra, mas em que lugar está escrito acima, que quando um presidio estiver sobre uma intervenção militar, o Juiz ou qualquer outra pessoa poder[a interferir, cara quando há uma intervenção militar, deve se desconsiderar ate mesmo o que está na Carta Magna meu caro. Prova disso o cala boca que o General deu no semi deus, colocando ele no lugar dele e pronto, como informou assunto encerrado, e quero ver alguém de saco roxo a mexer . kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  46. Tiburcio disse:
    16/07/2017 ÀS 12:29
    Excelente. Isso sim é oficial militar, não essa farsa de oficiais das pms (principalmente a Paulista) que se auto-intitulam gestores e lambem um caminhão de saco dos juízes e promotores. Isso é comandante, exército tem comando. Aqui em SP, de capitão pra cima, são um bando de paisanos fardados, “gestores”. Quer ser gestor? Pode baixa e vai ser gerente de empresa de paisano. Mas não, querem sugar, fazer o nome às custas das praças, e a PM sendo massacrada por todos os lados. A PM Paulista está largada, sem comando, se não fossem as praças levantar viaturas, acompanhar caráter, prender o ladrão, a segurança pública estaria mais falida do que já está. Quem carrega nas costas o fardo da segurança são as praças e oficiais até Tenente. O resto, são tudo inúteis que ficam onerando oEstado

    PARABÉNS PELO COMENTÁRIO, CONCORDO PLENAMENTE

  47. OU ADM, VAI LIBERAR O MEU COMENTÁRIO NÃO, SÓ PORQUE NÃO CONCORDEI COM A CHULA E RIDÍCULO COMENTÁRIO SEU, FICA NA SUA CARA, VC É O ADMINISTRADOR, E NÃO O DONO DA VERDADE.

  48. É nesta hora que a gente sabe quem manda no espaço.

    kkkkk

  49. Juiz zombou do conhecimento do general sobre uma sigla.

    O que tem de bobalhão no mundo,… É triste.

  50. Juiz vagabundo, nunca apareceu no presídio para ver a situação carcerária, quando soube que o EB iria realizar uma revista ficou preocupado. O EB retirou quase meia tonelada de materiais que não deveria estar nas celas. Juiz vacilão! Quero saber quando ele vai aparecer no presídio novamente! Parabéns general!

  51. kkakakakaka
    Não vai dar nada para O General. Ele nem irá responder essa no Judiciário (provavelmente). São esferas diferentes não são?
    Concordo com o Flit que EB só vence na força. Porém convenhamos que o Juiz só vence na canetada também.
    Em briga de egos vence quem tem mais ”bala na agulha”. kkkk
    O Juiz pode ser inteligentíssimo e gozar de autonomia… Mas o General tem a força bruta… Eae? Quem vencerá?

  52. O juiz em questão, segundo consta, é titular da Vara das Execuções Penais, à qual está afeta a situação processual de todos os presos ali recolhidos em cumprimento de pena.
    Nessa condição, ele pode sim e deve sim fazer inspeções pessoais e regulares no local, em qualquer dia e hora, desde que em situação de normalidade no presídio.
    E essas inspeções não envolvem “comando” de operações, nem mesmo o “acompanhamento” de operações, salvo, neste último caso, se o “comandante” da operação “permitir”.
    E nada importa que se tratavam de militares federais; a regra vale também para as operações de militares estaduais.
    Eu, no lugar do general, “convidaria” o juiz e o promotor das Execuções, bem como o diretor do presídio, para “acompanhar” os trabalhos, inclusive como forma de transparência dos serviços. Entretanto, não se poderia esperar de um “cabeção” daqueles uma atitude dessas.
    E eu, no lugar do juiz, ficaria onde o juiz tem sua força concentrada, que é o seu gabinete. Mas o que se poderia esperar de jovem daqueles, com a vaidade aflorada?
    Então, em outras palavras, o juiz, que não havia sido “convidado”, poderia realizar sua normal inspeção pessoal mas não naquele dia de operação militar federal, ou mesmo que fosse estadual.
    Encontraram-se ali, publicamente a ignorância de dois destacados servidores públicos, em uma disputa incontrolável pelo “pequeno poder”. Perdemos todos nós!

  53. Exėrcito Brasileiro: A única instituição decente deste país, porque o resto…bom, deixa prá lá

  54. General está correto. Juiz aparece fora de hora. Situação carcerária é medieval há séculos e nenhuma autoridade aparece para intervir. General agiu bem.

  55. Militares no Poder deste país seria maravilhoso. Veríamos educação de qualidade, segurança, hospitais públicos funcionando, construções de novas estradas, ferrovias, ordem , discrição, geração de empregos e alçaríamos grandes vôos, crivando nosso país como um dos mais modernos e respeitáveis. Drogado, VaGabhundo, pingão, maconheiro, pichador, funkeiro, corruptos, inimigos da pátria, aguardem!!! Sua hora chegará!!!! GLÓRIAS as FFAA!!

  56. Enquanto isso na minha pastelaria…

    um promotor com menos de 30 anos e idade, recém formado e aprovado no concurso, no estágio probatório, fazendo delegado cabeça branca classe especial falar fininho e manso.

  57. País de discórdias por meras vaidades, basta ver nossa falida instituição policial civil, ninguem quer juntar carreiras numa só.
    O Juiz tudo pode perante a Lei, mas, na hora do vamos ver, quem deve mandar neste país, são os penas verdes.
    Quanto ao assunto em tela, se fosse oficial coxinha ou delegado de pelúcia, o Douto cagaria neles.

  58. O QUE É ENGRAÇADO NISSO TUDO, JÁ QUE O JUIZ TEM PODER PARA TUDO, POR QUÊ NO ADENTROU NO PRESIDIO COM SUA ESCOLTA CERCADO PELOS DIREITOS HUMANOS, PRA QUE, CHAMAR AS FORÇAS ARMADAS, JÁ QUE ALEGAM QUE A MESMA E TRUCULENTA. PORQUE NÃO RESOLVERAM TUDO ISSO, SEM A PRESENÇA DAS FORÇAS ARMADAS, POR QUE NÃO VEJO JUIZES CUMPRIREM O QUE DETERMINA A LEI, NA VERDADE O QUE VEJO SÃO PRESIDIOS SUPERLOTADOS, O QUE REALMENTE DEVERIA FAZER O JUIZ ERA ZELAR PARA QUE NESSES PRESIDIOS NÃO HOUVESSEM ISSO, ONDE SE ESCUTA DIZER QUE JUIZES FAZEM VISTORIA EM PRESIDIOS, NO PAPEL É MUITO FACIL MAS NA PRATICA E BEM DIFERENTE.

  59. É por essas e outras que não se deve utilizar militares das Forças Armadas para ações policiais.Não possuem preparo para tanto.Entendo e respeito as colocações do Guerra, mas, uma vez utilizado o aparato militar,a meu ver sem necessidade, é preciso seguir o script militar.Errado foi quem os requisitou.

  60. O problema da PC é que ela não tem juiz policial civil, diferente da Pm que tem juízes militares que estão em pé de igualdade com magistrados civis ou seja se o judiciário tem juízes e desembargadores os militares também tem ou seja estão tudo em casa, não vai dar nada.

  61. olha me desculpe alguem pelo meu comentario pois quero me dirigir somente quem fez esse texto deprimente: pois bem o general teve uma educação enorme de dar explicações ao juiz pois não era da alçada do juiz explicações do general. Parabenizo o general de brigada pela paciência para com essa situação. selva!

  62. O General está cumprindo ordens do maior mandatário o Presidente da República e Decreto do Planalto.

  63. Esta de Parabéns o General, só assim dão conta que manda no país e as Forças Armada,
    Amparada pelo dispositivo que está no Art. 142 da Constituição Federal.
    A esse desinformado da Lei, mero Juiz de NADA.
    Deveria ler esse dispositivo da Lei Suprema, não ficar falando em prerrogativa de Juiz ou do Poder Judiciário ( grandes merdas no Brasil). JUSTIÇA VENAL E POLÍTICA

  64. Espero que os homens dos Botões de Ouro não demorem para colocarem as coisas nos seus devidos lugares, eles já estão nas ruas, abrangendo cada parte desse imenso Brasil em prontidão ao clamor do povo.

    “Pois muito, os que desejaram o fim do Regime Militar, não visaram o bem do povo, chegará um tempo que o povo sentiram falta do Regime”.

    General Ernesto Geisel

O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do comentarista que venha a ofender, perturbar a tranquilidade alheia, perseguir, ameaçar ou, de qualquer outra forma, violar direitos de terceiros.O autor do comentário deve ter um comentário aprovado anteriormente. Em caso de abuso o IP do comentarista poderá ser fornecido ao ofendido!...Comentários impertinentes ou FORA DO CONTEXTO SERÃO EXCLUÍDOS. Contato: dipolflitparalisante@gmail.com

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s