Sem Alckmin e com Doria, PSB ‘lança’ França ao governo 13

Sem Alckmin e com Doria, PSB ‘lança’ França ao governo

Governador não foi a congresso do partido do vice; sigla decidiu adiar convenção nacional até PSDB definir candidatura presidencial 

Pedro Venceslau, O Estado de S.Paulo

16 Setembro 2017 | 23h04

O vice-governador de São Paulo, Márcio França, foi “lançado” neste sábado, 16, candidato a governador nas eleições de 2018 durante um congresso do PSB, com a presença do prefeito João Doria e ausência do governador Geraldo Alckmin, ambos do PSDB. Já a convenção nacional do PSB foi adiada de outubro para março. Segundo França, o partido decidiu esperar a definição do PSDB sobre seu candidato a presidente antes de eleger sua nova direção.

ctv-l7x-doria-e-frana
O prefeito João Doria (PSDB) discursa ao lado do vice-governador Márcio França durante congresso do PSB Foto: PEDRO VENCESLAU/ESTADÃO

O vice-governador paulista, que deve assumir o Palácio dos Bandeirantes em abril do ano que vem se Alckmin deixar o cargo para disputar a Presidência da República, tenta atrair o apoio dos tucanos para disputar a reeleição.

No plano nacional, o PSB está afinado com o projeto de Alckmin e sinaliza que acolheria a candidatura presidencial do aliado caso ela não se viabilize no PSDB. O problema é que os tucanos paulistas não aceitam abrir mão de ter um nome próprio na disputa ao Palácio dos Bandeirantes após 22 anos à frente do governo.

Doria foi o único tucano que discursou no auditório da Assembleia Legislativa onde ocorreu o 11.º Congresso Estadual do PSB-SP, no qual França foi reeleito presidente do partido no Estado.

Antes de sua fala, Doria foi recebido por palavras de ordens como “São Paulo avança, governador é Márcio França”. Ao discursar, o prefeito exaltou o papel de França e do PSB na sua campanha à Prefeitura no ano passado. “Márcio França é uma liderança extraordinária. Estamos juntos e continuaremos juntos”, disse.

Ao Estado, Doria afirmou que dificilmente PSDB e PSB estarão no mesmo palanque em São Paulo em 2018. “França tem todo o direito de ser candidato. Ele é de um partido aliado, mas será muito difícil o PSDB não lançar candidato próprio em São Paulo.”

Dois palanques. Para o ex-senador José Aníbal (PSDB), presidente do Instituto Teotônio Vilela, a base de Alckmin deve ter duas candidaturas no primeiro turno. “O PSDB foi criado em 1988 e desde 1990 tem candidato a governador. Com exceção de 1990, todas as outras ganhamos. O PSDB não tem do que se envergonhar em São Paulo. A tendência é ter dois candidatos”, disse Aníbal.

França reconheceu que dificilmente terá o apoio dos tucanos. “Vou tentar (uma aliança) até o fim, mas não quero criar expectativas porque o PSDB tem muitos nomes. O mais provável é que a candidatura de Alckmin à Presidência tenha dois palanques em São Paulo em 2018”, afirmou o vice-governador.

Questionado sobre a ausência do governador no 11.º Congresso do PSB, França disse que ele mesmo representa Alckmin. O tucano ontem cumpriu agenda em São Carlos, no interior de paulista.

“Não convidamos outros partidos. Doria estava aqui (na Assembleia) para participar de um congresso da juventude do PSDB. Como ele tem muito senso de oportunidade, aproveitou e passou no nosso congresso”, afirmou França.

A avaliação do vice-governador é de que a eleição presidencial de 2018 terá três polos: um candidato competitivo no campo da esquerda, um nome governista do PMDB ou apoiado pelo partido e um candidato tucano.

Reeleição. Para impedir uma eventual aproximação dos tucanos com França para a disputa estadual de 2018, um grupo de prefeitos do PSDB liderado por Orlando Morando, de São Bernardo, decidiu lançar a candidatura do deputado estadual Pedro Tobias, presidente do PSDB-SP, à reeleição na sigla.

Esse grupo teme que a nova direção da sigla, que será escolhida em novembro, aceite a tese de apoiar o PSB em troca de apoio à candidatura presidencial de Alckmin.

O PSDB já tem pelo menos dois nomes abertamente disputando a vaga de candidato ao governo paulista: o cientista político Luiz Felipe d’Avila e o secretário de Desenvolvimento Social, Floriano Pesaro.

Mas outros nomes também são apontados pelos dirigentes tucanos como opções. São eles o secretário de Saúde, David Uip, o prefeito de São Bernardo, Orlando Morando, e o senador José Serra.

  1. Só votarei para num cara: BOLSONAARO PRESIDENTE! Arrumar a casa de cima para baixo! Partiu breja gelada!

  2. Humildemente venho novamente a solicitar ao Dr “Guerra” que comente o ocorrido ontem em São Carlos. O excelentíssimo governador, perdeu a compostura, e prometeu reajuste a todo funcionalismo. Cobrança feita pelo deputado Maj Olímpio. Pergunto eu: Cadê o deputado Olim que na hora de bater em cobra verde” coronel Vicente”, é macho pra caralho. Cadê vc Delegado/deputado pra nos defender desse governo nefasto. Comente aí Guerra pra não parecer que vc defende o PSDB!!

  3. Chega de PSDB. Pelo amor de Deus.
    A mudança é salutar. Chega do mais do mesmo.

  4. Nunca mais votarei no psdbosta. Nem se o papa fosse candidato pelo partido. Partido de frangos e covardes. Vendilhões.

  5. E as opões citadas são de dar ânsia de vômito. A começar pelo Serra…..lixo

  6. Costumo dizer o seguinte: Não tenho medo da ditadura militar, tenho medo é da ditadura política do PSDB. É uma vergonha o que acontece com esse Estado. Esse PSDB nunca soube governar e o povo paulista cai nessa conversa mole. Quer um exemplo, pois bem, ai vai ele.

    Esse prefeito de São Paulo vive dizendo que o município está quebrado, que não tem dinheiro para nada, que a arrecadação caiu, que vai procurar a iniciativa privara (na verdade vai continuar o entreguismo aos apadrinhados). Bom, vejam só o que eu descobri. Entrem no sítio da transparência da cidade de São Paulo. A Prefeitura, até a data de 14-09-2017, teve realizado como RECEITA, os valores de R$ 32,447 bilhões de reais. Nesse mesmo período teve empenhado (despesas) na ordem de R$ 28,790 Bilhões de reais.

    A simples conta matemática nos leva a crer que existe um superávit de R$ 3,657 bilhões de reais, os quais podem ser utilizados para o atendimento de justas e necessárias prioridades sociais.

    Outro ponto importante é que as projeções indicam que encerraremos o ano com receitas realizadas da ordem de 42 bilhões de reais, valores esses superiores àqueles obtidos em anos anteriores a 2015. Essas projeções se aplicadas às despesas dão conta de que os valores estarão em um patamar de R$ 37 bilhões de reais – superávit de R$ 5 bilhões no ano.

    Infelizmente, a política sórdida dos nossos governantes não leva em consideração as premissas básicas traçadas como objetivos do nosso país – construir uma sociedade livre, justa e solidária; garantir o desenvolvimento nacional; erradicar a pobreza e a marginalização e reduzir as desigualdades sociais e regionais; e, finalmente, promover o bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação.

    Urge os governantes entenderem que o Estado não pode ser administrado como uma fábrica, um comércio, ou, simplesmente, “um negócio”. O Estado NÃO FOI FEITO PARA GERAR LUCRO e sim para ser assistencialista para os necessitados, justo para aqueles que dele não necessita e, finalmente, correto com os seus funcionários.

    E o pior de tudo é que o povo paulista continua caindo nesse conto do vigário – verdadeiro estelionato.

  7. Alckmin, França, Doria, Serra, Olim e tantou outros ligados a dinastia tucana jamais terão meu voto!!

    Bolsonaro e Major Olimpio pra mim são meus candidatos naquilo que se candidatarem. A Dra. Raquel em eventual cargo eletivo também tem meu voto. Ela só perdeu pontos comigo após sair em fotos na página do Sindicato ao lado do Olim.

    Se for amiga do Olim, eu não voto. Esperava que esse sujeito fosse fazer algo em prol da PC, mas não mexeu 1 agulha!!

  8. Quem vota no Bolsonaro quer mais é ver o Brasil se foder..
    Kkkkkk
    Bosta naro..
    Ou tontonaro..
    Só existe por que existe os viadao.. bicha loca..
    Ele tem que agradecer essa mídia.. kit gay ..Jean Willys.. e toada viadada..
    Pegando firme um…mkk

    Vai borsominto…

O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do comentarista que venha a ofender, perturbar a tranquilidade alheia, perseguir, ameaçar ou, de qualquer outra forma, violar direitos de terceiros.O autor do comentário deve ter um comentário aprovado anteriormente. Em caso de abuso o IP do comentarista poderá ser fornecido ao ofendido!...Comentários impertinentes ou FORA DO CONTEXTO SERÃO EXCLUÍDOS. Contato: dipolflitparalisante@gmail.com

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s