1. HEI !, LEMBRO COMO SE FOSSE HOJE, NO INÍCIO DA DÉCADA DE 90, NESSE MESMO 6º D.P. CAMBUCI, ESSE SIGNATÁRIO TRABALHAVA NA CHEFIA DO REFERIDO D.P., QUANDO POSSUÍA UM VW/GOL, OCORRE QUE TINHA UM CARCEREIRO ALCUNHADO DE “CARIOCA”, CONTUMAZ LADRÃO, VEIO ME QUESTIONAR SE O VEÍCULO TINHA SEGURO E SE EU NÃO QUERIA ” CORTÁ-LO. RAPAZ ! ” SE GRITAR PEGA LADRÃO, NÃO FICA UM MEU IRMÃO E SE GRITAR PEGA LADRÃO NÃO FICA UM “. E, ME AJUDEM AÍ Ó !..

  2. Ta vendo foi graças aos 4% do chuchu já esta andando de camaro, por isso e o ilustre desgovernador não da um aumento maior, já pensou, seria de Ferrari

  3. Porra, qual o problema do policial ter um camaro? Alguém sabe da vida do cara? Se a mulher trampa? Se a familia tem grana? Etc…..pensamento de invejoso esse. Arruma um bico bom, quem sabe você tira uns 10 mil no mês com ele….Agora, quem quer insistir em fazer bico em padaria, porta de mercado, bingo, etc, vaí ganhar mal mesmo. Se especializem na vida fora da meganha e usem ele como cartão de visita. Ficar só chorando não dá. Parabéns pro tira que comprou o camaro, pena que se envolveu em merda ou está passando um pano pro filho.

  4. É possível que esse carro tenha sido comprado com dinheiro da família ou outra fonte de renda, mas com o salário de policial…

    No Estado, dois pesos e infinitas medidas infelizmente se tornou comum, tanto que já existe até lei para punir quem atrapalha a corrupção e/ou constrange a administração LC 922/02.

    Não é só o policial que perde, mas, principalmente, a sociedade.

  5. Revolta,

    A princípio não há qualquer problema no fato de um investigador ser dono de um Camaro, desde que esteja devidamente registrado em seu nome e desde que comprove a origem dos recursos, pois tal bem é incompatível com os rendimentos do cargo.
    Por outro aspecto, alegar que dirigia o Camaro pertencente ao filho revela eventual lavagem de dinheiro por meio de um laranja. Aliás, salvo melhor entendimento, cabe a ele e ao filho a prova da origem lícita dos recursos. Pensamos que um moço de 43 anos não deve ser pai de nenhum jovenzinho magnata. Mas o filho até pode ser jogador , atleta profissional, músico , etc.
    Mas ainda não deve ser advogado, engenheiro, médico, construtor e outras profissões cuja independência financeira se dá no mínimo aos 30 anos.
    E vamos à realidade cotidiana, de regra, só policiais bastante corruptos podem se dar ao luxo de presentear o filho com um Camaro, né?
    Meu caro, com bico de R$ 10.000,00 você não compra nem um Camaro 2010, que em média custa R$ 120.000,00. Salvo quem não possui outras despesas e possa encarar um carnê. Por fim , carro de luxo não é para quem necessita de transporte, de regra, compra quem possui um patrimônio no mínimo 10 vezes maior, salvo for um burro!

  6. Camaro do filho, aham acredite se quiser…

    Parece a estória dos dois tiras do 80 dando cana em uma quadrilha de roubo a banco, acredite se quiser.

  7. Independente de ser de herança ou do outras fontes, um carro de 120 mil reais sendo de um investigador é no mínimo anti ético! Lembro que em 2005 surgiu um bizu de que baixariam uma portaria limitando o valor máximo de um carro a 10x o valor do salário bruto! Achei um caminho legal, mas parece que essa portaria nunca entrou em vigor!

  8. camaro é do filho que não tem CNH ???? hummmmmmmmmmmm deixe eu pensar ……………
    e se perguntarem ao filho , como é que ele comprou este carrão ????????? hummmmmmmmmmmmm

  9. http://m.folha.uol.com.br/cotidiano/2018/01/1949717-policial-que-dirigia-camaro-em-suposto-racha-ja-foi-preso-em-caso-de-extorsao.shtml

    Policial que dirigia Camaro em suposto racha já foi preso em caso de extorsão

    uol.com.br | 11/01/2018 18h28

    O policial suspeito de participação em acidente que deixou dois mortos e seis feridos na rodovia Imigrantes, o investigador Ariovaldo Soares Grubl já foi preso pela Corregedoria da Polícia Civil, em 2001, sob suspeita de extorsão (concussão). Na última terça-feira (9), ele dirigia um veículo Chevrolet Camaro e, segundo testemunhas, estaria disputando um racha com a Mercedes que bateu na traseira de um Ford EcoSport. O carro está registrado no nome de um filho do policial.

    Grubl, que negou à polícia que participasse de um racha na rodovia, foi preso em flagrante em 2001 quando recebia dinheiro de familiares de criminosos presos com veículos e mercadorias roubadas na região na zona oeste da capital. Na época, Grubl e outros dois colegas exigiram R$ 100 mil para alterar a acusação de roubo para recepção da carga –que livraria os criminosos da prisão. A Folha ainda não localizou o advogado dele.

    Nesta quinta-feira (11), por envolver um policial, a cúpula da Polícia Civil transferiu as investigações do acidente de São Bernardo, onde houve a colisão, para a Corregedoria, na capital. A polícia também quer saber se o veículo pertence ao policial (embora registrado no nome do filho) e como ele conseguiu recursos para isso –um Camaro zero km tem preço médio de R$ 266 mil.

    Procurada, a Secretaria da Segurança não informou ainda o que ocorrerá com o policial, se ele será afastado das funções e porque ainda continua na instituição mesmo após o flagrante de extorsão.

  10. ESPERO NÃO SER CENSURADO NOVAMENTE.

    Parece estar passando um pano pro filho que estava rachando, sabe como é, papai segura a piça pra você filhão.
    Agora concordo que se fosse um golzinho, a treta seria diferente.
    Precisa questionar de onde vem os recursos pra comprar este “carrinho” pro filhão.
    Desculpe, mas nós que vivemos do que nos pagam, fica difícil comprar um carrinho médio, quem dirá um camaro.
    E pra cidadão que disse “arrume um bico de 10 mil”, amigão, você é muito inocente, ou és calça branca.
    Todos nós sabemos que bico bom, só pra amiguinho, pros demais, nada.

  11. Se comprou o camaro à prestação, como muitos acreditam, agora terá de vendê-lo pra garantir um bom defensor.

  12. O TEMPO REVELA O HOMEM?

    Bolsonaro emprega servidora fantasma que vende açaí em Angra
    Folhapress

    Mulheres fecham às pressas loja de açaí da secretária parlamentar de Bolsonaro, na vila de Mambucaba
    CAMILA MATTOSO
    ITALO NOGUEIRA
    ENVIADOS ESPECIAIS A ANGRA DOS REIS
    RANIER BRAGON
    DE BRASÍLIA

    11/01/2018 18h34

    s

    O presidenciável Jair Bolsonaro (PSC-RJ) usa verba da Câmara dos Deputados para empregar uma vizinha dele em um distrito a 50 km do centro de Angra Dos Reis (RJ).

    A servidora trabalha em um comércio de açaí na mesma rua onde fica a casa de veraneio do deputado, na pequena Vila Histórica de Mambucaba.

    Segundo moradores da região, Wal, como é conhecida, também presta serviços particulares na casa de Bolsonaro, mas tem como principal atividade um comércio, chamado “Wal Açaí”.

    Walderice Santos da Conceição, 49, figura desde 2003 como uma dos 14 funcionários do gabinete parlamentar de Bolsonaro, em Brasília, recebendo atualmente salário bruto de R$ 1.351,46.

    Segundo moradores da região, o marido dela, Edenilson, presta serviços de caseiro para Bolsonaro.

    O deputado federal mora na Barra Tijuca, zona oeste do Rio de Janeiro, e tem desde o final dos anos 90 uma casa de veraneio em Mambucaba.

    A Folha falou com moradores da vila, que tem cerca de 1.200 habitantes, segundo a Prefeitura de Angra.

    Foram colhidos quatro relatos gravados de moradores confirmando que o marido de Walderice é o caseiro do imóvel de veraneio de Bolsonaro.

    As portas do estabelecimento “Wal Açaí”, na mesma rua, foram fechadas às pressas nesta quinta-feira (11) assim que se espalhou a informação sobre a presença de repórteres na região.

    MUDANÇA DE CARGOS

    Os registros oficiais da Câmara dos Deputados mostram que a secretária parlamentar de Bolsonaro passou nesses 15 anos por uma intensa mudança de cargos no gabinete, foram mais de 30.

    Em 2011 e 2012 ela alcançou alguns dos melhores cargos –são 25 gradações–, chegando ao topo, SP-25, no segundo semestre de 2012. A função, com salário que pode chegar a R$ 14,3 mil, é normalmente reservada a chefes de gabinete.

    A reportagem da Folha esteve em Mambucaba na manhã desta quinta-feira para procurar a funcionária de Bolsonaro.

    No caminho para a casa de Walderice, a reportagem a viu saindo da casa do deputado. Ela foi chamada, mas pediu “um minutinho” e entrou de volta no local.

    Minutos depois, um outro vizinho de Bolsonaro abriu a porta convidando a Folha para entrar. “Venham conhecer o homem”. O presidenciável apareceu em seguida, com um outro auxiliar, que estava com o celular gravando a situação.

    Quem estava com as chaves era justamente o marido de Wal.

    “Tem jabuticaba aí, Edenilson?”, perguntou o presidenciável.

    De acordo com depoimentos colhidos pela Folha, o marido da funcionária de Bolsonaro pintou a casa de veraneio recentemente.

  13. Tinha um delegado que era “sócio-cotista” de uma empresa de segurança com patrimônio estimado em alguns milhões de reais. Conheço um outro tira que possui 5 caminhões que fazem transporte no vira aqui na baixada santista. Cada um lhe rende líquido uns 7 a 10 mil por mês. E tantos outros… tem que ser apurado, mas ficar levantando lebre antes de averiguar é complicado. Não conheço o tira, mas sei que, quando o policial está andando de fusca e morando em CDHU, ninguém diz nada. Policial sem patrimônio nem sempre é sinônimo de lisura e probidade. Por vezes é burrice mesmo.

  14. Bando de INVEJOSOS!!!!! Isso que vocês são!!!! O cara sabe administrar o salário, poha! Sabe administrar…só isso…rsss

  15. Blá …. seus invejosos …. eu tenho um Corsa 1.0 mal consigo colocar gasolina. ahhhhhhhhhh

  16. Para quem não entendeu meu post acima, fui irônico. Como policiais que são, espero que tenham entendido..rss

  17. Irmãozinho

    Se der uma moeda pra riscar um zero, pra alguns, sai quadrado. rsrsrsrssr

  18. Olá bom dia , eu achei um absurdo,,se fosse um pobre favelado,,já estaria ,,preso,isso é um absurdo ele é um policial,,,civil!!!!! Pagamos o salário dele,

Os comentários estão desativados.