Temer está preocupado com o futuro governador Márcio França, pois a má influência do “presidente” na área portuária e na Segurança Pública pode ser neutralizada e esclarecida 23

Apoio de Alckmin a Márcio França incomoda Temer 

Coluna do Estadão

04 Fevereiro 2018 | 05h30

O presidente Michel Temer procurou interlocutores no PSDB para criticar a pretensão do governador Geraldo Alckmin de apoiar seu vice, Márcio França, do PSB, para o Palácio dos Bandeirantes. Numa conversa com um importante tucano que defende candidatura própria do partido, Temer disse que a atitude de Alckmin não condiz com quem precisa do apoio do MDB para disputar o Planalto. O partido do presidente lançou Paulo Skaf ao governo paulista e tem no tucano João Doria uma segunda opção caso o empresário não decole nas pesquisas.

Veto. O presidente do PPS, Roberto Freire, descarta a candidatura de Cristovam Buarque (DF) à presidência pelo partido. “Vamos insistir em um candidato que não pontua? O processo eleitoral não é banca acadêmica”, diz, sobre o ex-reitor da UNB.

ocupada. As opções do PPS são Luciano Huck, que estuda ingressar na sigla, e Geraldo Alckmin, nessa ordem. Cristovam, diz Freire, seria um ótimo candidato ao governo do DF.

 

EU TENHO A GRANA e a MARCELA !!!!!!

  1. 20 mil tucanos na mão: o poder de fogo de Márcio França, o vice de Alckmin. Por Miguel Enriquez
    Por Diario do Centro do Mundo – 15 de janeiro de 2018

    inShare

    Márcio França, Serra e Alckmin
    POR MIGUEL ENRIQUEZ

    O que fazer com Márcio França e o exército de 20 mil tucanos empoleirados no governo há 22 anos em cargos da administração direta e indireta?

    Eis o dilema que atormenta o governador Geraldo Alckmin e o impede de se movimentar como gostaria na direção de uma candidatura tranquila à presidência em 2018.

    Se a retomada do poder central continua como foco prioritário do PSDB, há de se considerar também que, tão ou até mais importante, é a manutenção do governo de São Paulo, a “jóia da Coroa” que os tucanos controlam desde que Mário Covas se elegeu pela primeira em 1994.

    De lá para cá, partidários de Alckmin e Serra vêm se revezando no comando do estado num clima de vôo de cruzeiro, mantendo seus grupos bem nutridos das farturas da coisa pública.

    Um dos pilares centrais para a estratégia sempre dar certo é a precisão cirúrgica na escolha dos vices (Dilma que o diga). O próprio Alckmin despontou como um “dois de paus” indicado por Covas. Fiel escudeiro, acabou herdando o posto com a morte do chefe.

    Na primeira aventura solo, durante a disputa de sua primeira reeleição, em 2002, fez uma escolha, digamos, administrativa, guindando Cláudio Lembo ao posto de segundo na sucessão. Embora tenha contrariado setores do partido, que naquela ocasião já defendiam a “chapa pura”, conseguiu garantir certa previsibilidade, quatro anos depois, quando se licenciou para concorrer ao Planalto em 2006.

    O hoje senador José Serra, que sucedeu Alckmin a partir de 2007, optou por não dar sopa para o azar: a solução caseira, Alberto Goldman, velho amigo, manteve as coisas como se esperava com a saída do então governador para tentar pela segunda vez a presidência, em 2010, e ainda ajudou no retorno do próprio Alckmin desta vez com Guilherme Afif Domingues de vice.

    Ali se prenunciaria o que Serra tentou evitar, com Goldman, e que hoje aflige Alckmin com Márcio França. Numa cena inusitada, e sinalizando o perfil oportunista que sempre marcou sua vida pública, Afif acabaria abandonando o cargo para assumir um ministério no governo de Dilma Rousseff, junto com o colega Gilberto Kassab – ambos completariam o serviço traindo Dilma no golpe de 2016 ao se juntarem com Michel Temer horas após o peemedebista tomar o poder.

    O acesso de Márcio França ao núcleo duro tucano é uma combinação de diversas variáveis, mas duas se destacam. A primeira é a notável inabilidade política de Alckmin – basta notar como roda feito peru na defesa dos seus próprios interesses.

    A segunda decorre do desgaste natural de um partido que está fazendo “hora extra” no comando do Estado, sem apresentar resultados consistentes. Espertamente, França percebeu essa fragilidade – Kassab já havia feito o mesmo quando forçou sua candidatura a vice de Serra na disputa pela prefeitura de São Paulo – e conseguiu emplacar seu nome em troca do apoio do PSB.

    Invés da montanha parir um rato, como se diz sobre aquele tipo de esforço que não dá em nada, o que Alckmin conseguiu foi criar um cachorro grande com apetite de leão.

    Foi França quem articulou a incrível aliança que viabilizou a candidatura de João Doria à prefeitura de São Paulo. Foi ele também quem percorreu o Estado, no auge da crise que se abateu sobre o PT e os partidos de esquerda, atraindo prefeitos, vereadores e lideranças para base do governo.

    O poder do vice, embora isso não mereça grande destaque no noticiário tradicional, é tão grande que atropelou o próprio Dória. Num encontro na casa do gestor, informou que seria ele, e não o prefeito, o candidato da coligação à sucessão de Alckmin.

    França quer ser governador de São Paulo e não vai abrir mão disso, para desespero de Alckmin. Ao contrario de Cláudio Lembo e Goldman, que cumpriram o combinado, não tem vocação para pau mandato.

    Esse é o motivo central de Alckmin pisar em ovos na articulação de sua própria candidatura. Sabe que Serra é o melhor para a manutenção das coisas, sem riscos, sem grandes alardes.

    Mas isso requer segurar o vice – já imaginou o que aconteceria com o exército amarelo e azul pendurado nas tetas do Estado com Márcio França como governador concorrendo com Serra? Sobraria pena para tudo que é lado – esse desfecho não há de ser favorável a Serra, muito menos a Alckmin.

    A conjuntura leva a algumas suposições, que estão colocadas e que podem se viabilizar, definindo o cenário tucano para o ano que vem.

    Uma delas, difícil, passa por um acordo com França – ele se manteria como governador por nove meses com a promessa de garantir um espaço importante na eventualidade de Alckmin vencer a disputa presidencial. Neste caso Serra se viabilizaria novamente candidato ao governo.

    A outra possibilidade, tão inusitada quanto o gesto de Afif de abandonar o cargo de vice do PSDB para assumir um ministério do PT, seria a viabilização de uma candidatura tucana pró-forma, tipo um Floriano Pesaro da vida, que pudesse manter a unidade partidária, garantindo a estrutura de cargos que forma a força tucana, sem incomodar as pretensões eleitorais de Márcio França.

    Neste caso, Alckmin teria dois palanques no Estado – um de seu partido, outro de um aliado.

    As fichas estão na mesa. Serra tem quase nada na mão. Seu compasso é de espera. O problema do grupo é que Alckmin se atrapalha um pouco quando precisa jogar.

  2. a cobra vai fumar, é muito cacique pra pouco indio, ate o mourão quer ser candidato a governador
    todos wstão querendo uma marmitinha. GUERRA DE CORRUPTOS

  3. A grana é roubada e a Marcela é comprada, ou seja, não tem phorra nenhuma, aliás ele tem tudo para ir para a cadeia que é o lugar que ele merece. Ele e o Batista..

  4. Guerra, e o que o França fez pela Polícia? Qual apoio político que deu ao PLC 37/16 do Campos Machado ou qualquer outra demanda da PC?

    Entre o França e o Temer, este toda vantagem com o apoio à Segurança.

    E, sobre corrupção, aí é preciso lembrar do ex-ministro do STF, Joaquim Barbosa, sobre o Bolsonaro. Sem falar que o apoio do Bolsonaro às forças de Segurança é imensuravelmente maior que o Temer e o França nem existe nessa contagem.

    Por favor, faça uma entrevista com o França sobre Segurança, Educação e Saúde. Porque o França parece ser só mais um esquerdista esperando para ocupar cargo público.

  5. Os servidores públicos estaduais acordaram de vez.
    Bem poucos apoiarão quem Alckmin lançar.
    Anotem: a oposição só perderá para si própria (lançamento de candidatos queimados ou sem pegada forte).

  6. o themer esta preocupado de bobeira…… o certo é ele procurar o MAJOR OLIMPIO…

    este sim sera o proximo governador de são paulo….

  7. HEI !, PARA QUE ESSAS RATAZANAS CONTUMAZES DO ERÁRIO SEJAM TERMINANTEMENTE EXTERMINADAS, SÓ SE EXISTISSEM MUITOS ” SOMBRAS”. S.M.J., MUITOS ANTIGÕES LEMBRAM-SE DE UM MAJURA AI DE SAMPA QUE FOI APELIDADO DE ” SOMBRA” . RAPAZ !, QUANDO O HOMEM DESCONFIAVA QUE UM POLÍCIA ERA CORRUPTO, ELE SIMPLESMENTE VIRAVA ” SOMBRA” DO INDIGITADO, ATÉ QUANDO O TRANSGRESSOR IA NO BANHEIRO FAZER ” TOTO”. EM OUTRAS DEPENDÊNCIAS, ELE SE ESCONDIA ATRÁS DE PAREDES, PORTAS E ETC. GENTE, AÍ QUE SAUDADES DOS VELHOS TEMPOS !. DR. ” SOMBRA” VOLTA AÍ E NOS AJUDEM !…

  8. PESSOAL !, ESTAMOS ” FUDIDOS”. S.M.J., ! DEVEMOS DIUTURNAMENTE BATALHARMOS PARA EXTERMINAMOS ESSAS RATAZANAS CONTUMAZES DO ERÁRIO. PRINCIPALMENTE E CONCERNENTE À ESTA MUDANÇA DA PREVIVÊNCIA. VEJAM SÓ !, EU SOU O PRÓPRIO EXEMPLO. COMECEI A CONTRIBUIR COM O ANTIGO INSS, NO ANO DE 1971, PAGANDO RELIGIOSAMENTE ATÉ 1975, QUANDO NO ANO SEGUINTE LOGREI ÊXITO EM INGRESSAR NA EGRÉGIA P.C. PORTANTO S.M.J., PAGUEI DURANTE 47 ANOS ININTERRUPTOS, INDEPENDENTE DE IDADE. RAPAZ !, AGORA ME AJUDE AÍ Ó !, VEM UM PÉ DE RATO LÁ DA BAIXA DA ÉGUA, VENDENDO PARA OS TROUXAS. A ALMA DA MÃE,E FAZENDO TUDO O QUE É DE RUIM NO MUNDO, SE CANDIDATA A “DEPUTA” E, DURANTE OITO ANOS, OU SEJA DOIS MANDADOS, SE APOSENTA COM O SALÁRIO DE R$ 33.000,00. SENHOR DO CÉU !, AJUDE AÍ OS MEUS NETINHOS !…

  9. SR. JEFINHO DA DISE DO PATETA !, S.M.J., SÓ SE ELE DERRUBAR ESSE “COMPANHEIRO” QUE ESTÁ ATOLADO ATÉ O PESCOÇO NA LAVA JATA, E QUE ONTEM FOI ” ELEITO” PARA PRESIDENTE DOS GAMBÁS. E, ME AJUDEM AÍ Ó !…

  10. Todos sabem o que aconteceu com o PT, quando fez pacto com o capeta. Seria muita ingenuidade!

  11. RAPAZ !, MAS CONSOANTE MEU EGRÉGIO TIROCÍNIO POLICIAL, SEM SOMBRA DE DÚVIDAS QUE FOI AQUELE QUE APELIDARAM DE “NALVADEZA” QUE DEU UM KRAL NESSE QUE SE DIZ CHAMAR ” ex tira por opção”. HEI !, ME AJUDEM AÍ Ó !…

  12. Esse Márcio França ficará no governo por alguns meses! Basta mostrar que gosta realmente da polícia, nos dando um aumento de no mínimo 50 por cento, que eu voto nele.

  13. Dória, saia deste partido de embuste e vá para o MDB, com certeza terás grande chance de ser governador. Torço para que isso aconteça, quero ver esse PSDB rachado e acabado politicamente.

  14. SR. PSDB nunca mais !, MEU AMIGO, S,M,J, O QUE VOCÊ ACABOU DE EXPÔR ACIMA, E A MESMA COISA, QUE VOCÊ PEGAR UMA LATA E, ENCHE-LA, MISTURANDO A MERDA COM A BOSTA. E, ME AJUDEM AÍ Ó !…

O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do comentarista que venha a ofender, perturbar a tranquilidade alheia, perseguir, ameaçar ou, de qualquer outra forma, violar direitos de terceiros.O autor do comentário deve ter um comentário aprovado anteriormente. Em caso de abuso o IP do comentarista poderá ser fornecido ao ofendido!...Comentários impertinentes ou FORA DO CONTEXTO SERÃO EXCLUÍDOS. Contato: dipolflitparalisante@gmail.com

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s