Só esclarece com filme do vizinho e recadinho no facebook – Polícia Civil demonstra ineficiência na apuração de homicídios de policiais ( civis , militares e agentes penitenciários ) 3

Investigação sobre morte de 11 PMs, no ano passado, ainda não evolui

Apenas 8 acusados de estarem envolvidos em assassinatos a policiais foram pegos em 2017

GABRIEL OLIVEIRA
12/03/2018 – 19:05 – Atualizado em 12/03/2018 – 19:07

Leia mais em: http://www.atribuna.com.br/noticias/noticias-detalhe/policia/investigacao-sobre-morte-de-11-pms-no-ano-passado-ainda-nao-evolui/?

Segundo a Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP), sete inquéritos policiais foram concluídos e outros quatro ainda estão em andamento no setor de homicídios da Seccional de Santos e nas delegacias de investigações gerais (DIGs) dos municípios.

Quando há policiais militares assassinados, equipes da Corregedoria da PM também acompanham os casos. A Reportagem pediu à SSP dados das investigações de cada uma das ocorrências em 28 de fevereiro. Apesar de todo o tempo para resposta, recebeu dados conjuntos apenas na sexta-feira passada.

Isso não permite esmiuçar os casos. Por exemplo, só no assassinato do soldado Willian Barboza Ribas, no Jardim Anhanguera, em Praia Grande, em novembro de 2017, quatro homens foram presos e um menor de idade apreendido.

Além disso, a conclusão de um inquérito não quer dizer, necessariamente, que houve esclarecimento do crime.

Conclusão?

O caso do cabo Luís Fernando da Silva Barros, que trabalhava no setor de Inteligência da Polícia Militar, é exemplo disso.

O corpo dele foi encontrado às margens da Via Anchieta, em Cubatão, em 6 de abril de 2017, depois de 12 dias desaparecido. Passado quase um ano, a motivação e a identidade do autor do homicídio continuam sendo um mistério.

De acordo com a viúva, a técnica de enfermagem Kelly Cristina Ferreira Barros, de 34 anos, o laudo do Instituto Médico Legal (IML) não apontou a causa da morte e a Polícia Civil não descobriu quem cometeu o crime. “É revoltante que não se sabe o que aconteceu e o porquê. Eu não tenho essa resposta”.

  1. Homicídio de PM, se não for esclarecido pelo pessoal do PM Vítima, não será esclarecido e ponto.
    No entanto não é crítica, o efetivo do PM Vítima, subordinados à CorregPM são ótimos e extremamente eficientes.

  2. Se fosse só homicídio de PM que não é esclarecido tava bom. Mas também pra que esclarecer? Pra cumprir um sexto da pena e sair pra ameaçar a família do finado. Melhor deixar quieto.

  3. E como vamos fazer???? Ando vendo por aí pastelarias sem mão de obra e a pouca que existe tem que : fazer produção pra estatisitica, levar preso pra custodia, um montão de OS, expediente, tentar rachar um BO……muitos estão trezando antes da hora……vc pede uma quebra de sigilo que demora dias pra sair, quando sai, pede uma temporária demora dois dias prá conceder, quando sai também…… Hoje, poucos sabem, mas se pedir até uma degravação de ZAP precisa de autorização judicial, que demora meses. Mesmo com tudo isso, quando voce consegue, é como o colega acima disse, cumpre uma merreca da pena depois sai, aí vc vê como o nosso trabalho é desvalorizado. Talvez seja por isso que não possuímos vencimentos à altura.

Os comentários estão desativados.