A VIÚVA ALEGRE e o MENINO MAU – Observem o modelito da presidenta do SINDPESP e a simpatia do presidente da ADPESP …Os delegados por conta de seus atuais representantes são motivo de chacota e vergonha , bem feito ! 81

modelitos

 

Doutora, a Srª  – como já disse antes – é interessante e harmônica como mulher e acredito seja também inteligente e culta.

Mas por favor a sua vestimenta é totalmente inapropriada , incompatível com o “luto” pela polícia civil.

O seu instrutor de marketing político é um burro, viu!E a Srª não possui bom gosto. Desculpe-me , tá compatível com balada e festas, menos com o cargo.

Por sua vez o “presidente” está mais para o seu leão de chácara particular. Casal R$ 14.000,00, sete mil pra cada um por mês tá de bom tamanho! Circunspeção não é fazer cara feia.

O Secretário de Segurança deve ter se matado de tanto rir…

O ex-promotor de justiça Tales Ferri Schoedl teve absolvição anulada pelo ministro Dias Toffoli; não vingou a influência do Marzagão no TJ-SP…( Marzagão era o SSP-SP amigo de alguns valorosos delegados, ao deixar a Secretaria virou defensor dos ex-subordinados ) 10

Ministro anula decisão do TJ-SP que absolveu ex-promotor de Justiça acusado de homicídio

O ministro Dias Toffoli determinou que o ex-promotor de Justiça seja submetido a regular julgamento pelo Tribunal do Júri do local onde praticados os delitos.

27/03/2018 17h00 – Atualizado há 3 horas

O ministro Dias Toffoli, do Supremo Tribunal Federal (STF), deu provimento ao Recurso Extraordinário (RE) 939071, interposto pelo Ministério Público do Estado de São Paulo (MP-SP), e anulou o acórdão do Órgão Especial do Tribunal de Justiça paulista (TJ-SP) que havia absolvido, por legítima defesa, o ex-promotor de Justiça Tales Ferri Schoedl da acusação de um homicídio consumado e outro tentado.

Segundo os autos, Schoedl foi preso em flagrante ao atirar contra dois estudantes numa festa na praia de Bertioga, no litoral paulista, matando um e ferindo gravemente o outro. Em razão da prerrogativa de foro, por ser à época promotor de Justiça, o processo tramitava no TJ-SP. No entanto, Schoedl, que ainda se encontrava em estágio probatório, não foi vitaliciado por decisão do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP). Contra essa decisão, ele impetrou mandado de segurança no STF, e o relator, ministro Menezes Direito (falecido), concedeu liminar para mantê-lo provisoriamente na carreira até o julgamento final do MS. Porém, por unanimidade, a Segunda Turma do STF negou a ordem, revogando a liminar e confirmando sua exoneração dos quadros do Ministério Público paulista.

No recurso ao STF, o MP-SP sustentou que, como Schoedl estava apenas provisoriamente no cargo de promotor de Justiça, por força de decisão liminar, a corte paulista deveria ter aguardado a decisão final no mandado de segurança para que se estabelecesse, com certeza, o juízo competente para seu julgamento.

Decisão

Em sua decisão, o ministro Dias Toffoli observou que, com a cassação definitiva da medida liminar, o ato do CNMP que exonerou o ex-promotor de Justiça passou a ter validade desde que foi proferido. O ministro citou entendimento já sumulado no Supremo no sentido de que, denegado o mandado de segurança pela sentença, ou no julgamento do agravo, dela interposto, fica sem efeito a liminar concedida, retroagindo os efeitos da decisão contrária (Súmula 405).

Em razão disso, o relator explicou que não poderia ser mantido o julgamento a que foi submetido o réu pelo TJ-SP, já que o órgão não teria competência originária para o caso. Ainda segundo o ministro Dias Toffoli, a competência do Tribunal do Júri para o julgamento de crimes dolosos contra a vida é de índole constitucional, devendo portanto ser prestigiada. Ao acolher o recurso do MP paulista, o ministro anulou o acordão atacado e determinou que o ex-promotor de Justiça seja submetido a regular julgamento pelo Tribunal do Júri do local onde praticados os delitos.

Leia a íntegra da decisão.

GDT//AD

Leia mais:

04/10/2016 – 2ª Turma mantém decisão do CNMP que determinou exoneração de promotor que respondeu por homicídio

________________________________________

Não tem lá muita coisa a ver com o ex-promotor, escrevo muito mais para descarregar alguns ódios em relação ao ex-secretário de segurança pública de São Paulo.

Esse Sr. quando do primeiro PAD que sofremos e , também, em relação à minha remoção para plagas menos inóspitas, além de ter indeferido de plano o nosso recurso, posteriormente, contrariando o parecer do delegado corregedor e do procurador de estado, representou pela nossa demissão.

Veja bem, o parecer era pela penalidade de 60 dias convertida em multa.

Mas como eu deveria estar atrapalhando a recolha da propina não teve dó, piedade ou justiça!

DEMISSÃO!

Contudo com grande dedicação e influência conseguiu a absolvição e a manutenção desse rapaz no cargo.

Eu que não matei ninguém fui pra rua!

Posteriormente, quando do escândalo das pesquisas vendidas pelo DIRD, foi o advogado de todos os delegados increpados.

Todos absolvidos!

Tem razão o colega que domingo passado nos chamou de trouxa!

Sou trouxa mesmo: acreditava na lei , no Poder Judiciário e , principalmente, no censo de justiça de supostos juristas.

 

General Walter Souza Braga Netto, Vossa Excelência transparece ser lúcido e íntegro; assim cuide para que o MDB não dilapide as verbas com a intervenção nas Polícias…( Desculpe-nos por lembrar que também há oficial ladrão correndo com políticos! ) 3

Corrupção nos quartéis chega a quase R$ 200 milhões

  • Por Jovem Pan
  • 22/10/2017 12h15
Antonio Cruz/Agência BrasilSomente entre 2010 e 2017 foram condenados 132 militares das Forças Armadas

Assim como ocorre no meio político, em estatais e grandes corporações, as Forças Armadas também sofrem com a corrupção. De acordo com levantamento do portal UOL, o Ministério Público Militar (MPM) apurou que pelo menos R$ 191 milhões foram desviados das Forças Armadas. Os crimes são cometidos por diferentes patentes e abrangem corrupção passiva e ativa, peculato, estelionato e fraudes em licitações.

Também há roubos de peças de blindados, desvios de combustíveis e pagamentos indevidos de diárias. Isso, sem contar a “manobra” de um coronel do Exército reformado, que, em seus últimos dias de vida, se divorciou e “casou” com sua nora apenas para manter o pagamento de pensão.

O secretário de Controle Interno do Ministério da Defesa, André de Sena Paiva, alerta que as Forças Armadas não estão imune à corrupção. “As Forças Armadas são integradas por parcela representativa da sociedade. Nenhuma organização ou país está imune à corrupção”, ressaltou Paiva ao UOL.

Somente entre 2010 e 2017 foram condenados 132 militares das Forças Armadas, 299 ainda aguardam julgamento e 12 foram expulsos da corporação. Já o efetivo total do Exército, Marinha e Aeronáutica é de 334 mil oficiais.

Em 2016 o Ministério da Defesa recebeu R$ 81 bilhões do governo Federal, enquanto o Ministério da Saúde teve orçamento de R$ 43 bilhões.

Porteira que passa um boi passa uma boiada – Só para lembrar que também há traficantes travestidos de oficiais das Forças Armadas do Brasil 5

VERGONHA – DEZESSEIS ANOS DEPOIS DO CRIME, STM DECLARA INDIGNO AO OFICIALATO UM CORONEL QUE TRAFICAVA COCAÍNA EM AVIÃO DA FAB

Avião da FAB foto imagem ilustrativa FAB
CORONEL JÁ HAVIA SIDO CONDENADO NA JUSTIÇA FEDERAL POR TRÁFICO INTERNACIONAL DE DROGAS FOTO: IMAGEM ILUSTRATIVA FAB

MILITAR FOI PRESO COM 32 KG DE COCAÍNA, ESCONDIDOS EM MALAS

O Superior Tribunal Militar (STM) acolheu a representação do Ministério Público Militar (MPM) e declarou o coronel Paulo Sérgio Pereira de Oliveira, da reserva da Força Aérea Brasileira (FAB),  indigno para o oficialato. Com a perda de seu posto e de sua patente, o oficial fica impedido de permanecer nas Forças Armadas.

Pereira, que na época era tenente coronel, foi preso em 1999, juntamente com mais dois oficiais da FAB, o tenente coronel Washington Vieira da Silva e o major Luiz Antônio da Silva Greff. Os oficiais foram presos após a Polícia Federal apreender 32,9 quilos de cocaína, em um avião da FAB, na Base Aérea do Recife.

Estes militares de carreira formavam uma quadrilha especializada em tráfico internacional de substância entorpecente para a Europa, mediante a utilização de aviões da FAB. O esquema consistia em providenciar o transporte da droga por um avião militar, em malas de bagagens comuns, que não passavam pelo processo rotineiro de controle.

TRÁFICO INTERNACIONAL DE COCAÍNA EM UM C-130

Em 18 de abril de 1999 a aeronave decolou da Base Aérea do Galeão, no Rio, e faria escala em Anápolis/GO e em Recife/PE. O destino final era Palma de Mallorca, na Espanha, com mais uma escala nas Ilhas Canárias. E seria nesta escala que a droga sairia do avião de transporte Hércules C-130 da FAB.

C-130 Hércules
C-130 Hércules – Fonte – G1

De acordo com dados dos autos, a cocaína foi embalada em 30 pacotes e estavam armazenadas em duas malas. Todos os pacotes estavam cobertos por uma camada de algodão e enrolados em borracha e papel celofane, com vários desenhos de Mickey Mouse. A cocaína encontrada tinha, segundo peritos da Polícia Federal, 98,96% de pureza. Dependendo das substâncias misturadas para o consumo, poderia render entre 80 a 100 quilos, o equivalente a US$ 3 milhões.

A operação para prisão da quadrilha foi realizada pela Polícia Federal e se chamou “Mar Aberto”. Para a Polícia Federal a prisão não revelou um fato isolado, mas uma prática reiterada da quadrilha, que há algum tempo dedicava-se ao tráfico de entorpecentes. As investigações comprovaram que o coronel possuía importante papel no esquema criminoso. O flagrante foi precedido de uma minuciosa pesquisa que incluiu até mesmo interceptações telefônicas.

Cientificos-crean-vacuna-para-terminar-con-la-adiccion-a-la-cocaina-1
Cocaína pronta para consumo – Fonte – sossolteiros.bol.uol.com.br

O coronel Paulo Sérgio Pereira de Oliveira já havia sido condenado na Justiça Federal a 16 anos de reclusão por tráfico internacional de drogas. A 6ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro condenou o militar à pena de 16 anos de reclusão, em regime prisional inicialmente fechado, pelos crimes incurso nos artigos 12 ,14 e 18 da Lei 6.368/76 (lei de tóxicos), com pagamento de 266 dias de multa, com valor unitário de dois salários mínimos.

VOTO DO MINISTRO DO SUPERIOR TRIBUNAL MILITAR

Com a sentença transitada em julgado, o Ministério Público Militar ingressou junto ao STM com representação para declará-lo indigno para o oficialato e a condenação à perda do posto e da patente, conforme previsto nos termos do art. 142, § 3°, inciso VII, da Constituição Federal.

Ao analisar o processo, o ministro José Barroso Filho, do STM. votou por acolher a representação e declarou indigno o oficial. Segundo ministro a ética militar, prevista no Estatuto dos Militares, está calcada em regras e padrões de comportamento que orientam o militar a agir em sintonia com o sentimento do dever, a honra pessoal, o pundonor militar e o decoro da classe. Nesse aspecto, impõe-se a cada militar uma conduta moral irrepreensível.

maxresdefault
Ministro José Barroso Filho, do STM – Fonte – http://www.youtube.com

Para José Barroso Filho a constatação de que ao oficial da Aeronáutica foram dispensados vários elogios, ao longo dos anos da carreira, não tem o condão de elidir o acentuado grau de reprovação de que se reveste sua atuação contra a lei, disso tendo resultado sua condenação criminal. Nos julgamentos dessa natureza, disse o ministro, levam-se em conta os fatos, o contexto em que se inserem e, principalmente, a retidão de conduta exigida do militar, sob o enfoque da ética e da moral.

“De igual modo, irrelevante se torna sua condição de inativo, pois, mesmo nessa situação, compromete o prestígio e a respeitabilidade da Força a que pertence, não só pela gravidade do delito praticado, mas pelas repercussões nefastas que se espraiam no meio militar e na vida civil, não só no Brasil, mas no exterior, onde os fatos tiveram repercussão, denegrindo a imagem e o conceito dos militares, em especial os da Força Aérea Brasileira e, dos brasileiros em geral”, votou o ministro José Barroso Filho.

Os demais ministros do STM acolheram o voto do relator por unanimidade.

O RESTO DA QUADRILHA

O tenente coronel Washington Vieira da Silva e o major Luiz Antônio da Silva Greff foram condenados a penas similares. Em novembro de 2011, o STM já havia declarado a perda do posto e patente de coronel de Vieira da Silva. Apesar de não estar mais na ativa na época dos fatos, o tenente coronel Washington dispunha de informações privilegiadas sobre os dias de voos dos aviões da FAB para a Europa. Após permanecer foragido por alguns meses, Washington foi preso.

Na época, além dos oficiais foram presos o americano John Michael White, a boliviana Lila Mirta Ibañez Lopez, Luís Fernando dos Santos e Luiz César Pereira de Oliveira (irmão do tenente coronel Paulo Sérgio Pereira de Oliveira). Inclusive a droga seria entregue a Luís Cezar Pereira de Oliveira, que se encontrava nas Ilhas Canárias, na Espanha.

br180699
Luís César Pereira de Oliveira, Irmão do tenente-coronel Paulo Sérgio Pereira de Oliveira, sendo levado preso por militares da FAB em 1999, na Base Aérea do Recife – Fonte – http://www2.uol.com.br/JC/_1999/1806/br1806g.htm

A maioria dos réus foi condenada pelos crimes de tráfico de entorpecentes e por formação de quadrilha para o tráfico. John White ainda foi enquadrado nos crimes de falsificação e uso de documentos públicos. Lila Mirta Ibañez Lopez foi condenada por associação para o tráfico de entorpecentes, ocultação de valores obtidos como fruto do crime e também por falsificação e uso de documentos públicos. Luís Fernando dos Santos recebeu pena pelo crime de ocultação de valores angariados com a atividade criminosa.

O americano John White foi quem recebeu a maior condenação: 39 anos de reclusão em regime fechado e multa de 5.750 salários mínimos (o equivalente, hoje, a mais de dois milhões de reais). Além disso, o TRF determinou a perda de todos os seus bens, direitos e valores adquiridos desde 1997, por entender que eles foram obtidos exclusivamente com ações criminosas. Lila Ibañez foi apenada em 19 anos e seis meses de reclusão, mais multa de 1.500 salários. O tenente coronel Washington Vieira da Silva recebeu pena de 17 anos de prisão e 1.330
salários mínimos de multa.

Fontes – http://unpprj.blogspot.com.br/2015/12/stm-declara-indignidade-ao-oficialato.html

http://www.diariodopoder.com.br/noticia.php?i=45485030314

Rubens , o Brasil é uma Colômbia graças aos nossos militares…Pede para o general Mourão – militar de grande coragem moral – contar sobre como os seus superiores nos anos 1970 trocavam armas brasileiras pela cocaína boliviana? 14

rubens,

Sou apenas republicano.Hugo banzer suarez.jpg
E não votarei no Lula!

Contudo quero que ele seja legalmente punido na medida de sua responsabilidade, atendidos todos os requisitos legais! Sem  simulacros de julgamentos.
Mas não voto em nenhum militar para nada. Entre o militar mais hernesto e o Lula,  prefiro este; mesmo condenado.

Quero lembrar a você  – apenas para exemplificar – que esses senhores foram associados a Hungo Banzer e Alfredo Stroessner, dois generais narcotraficantes.

Graças aos nossos militares, especialmente do Exército,  Banzer conseguiu que seus colegas ” brasileños  buenísimos” transformassem o Brasil  em rota de cocaína e grande consumidor do mais rentável  “produto” boliviano.

Enquanto o  general paraguaio nos fornecia a sua maconha ( melhor e mais barata do que a nordestina )  e permitia que fossemos o seu porto  seguro para contrabando e contrafação.

Ciudad del Este era a nossa verdadeira Zona Franca!
Hoje , em termos de violência organizada, o  Brasil é uma Colômbia graças a esses filhos da puta.

E não é conversa da esquerda.

Era assunto discutido em sala de aula na ACADEPOL!

Pede para o general Mourão contar sobre como os seus superiores nos anos 1970 trocaram armas brasileiras pela cocaína boliviana?

Suposto policial civil “Troll” afirma: governo de merda, salário de merda, infraestrutura de merda, policial de merda mais cidadão de merda é igual a isso : Polícia Civil de merda!…( Troll, vamos ver se a Corregedoria Geral de merda te acha; assim você não passa vontade ! ) 15

IP:
177.95.118.224
RDNS:
177-95-118-224.dsl.telesp.net.br
ASN:
AS27699
CIDR:
177.94.0.0/15

 

Troll

27/03/2018 às 08:33
ddmaleluia@gmail.com
177.95.118.224

Esse cara é um imbecil juntamente com o tal Eduardo.
Seu vizinho teve de fazer isso por falta de conhecimento. Aliado a um policial de m….
É foda…. Os caras querem chutar cachorro morto.
Conforme eu escrevi anteriormente não gostou vote direito. Reclame com o Alckmin e se não gostou mude de País. É isso q tinha o ontem, tem para hj e amanhã.Se esse IDIOTA IDEOLOIDE é vizinho e vc Polícia pq vc não o orientou sua MULA?!!?

Salário de m…., infraestrutura de m…., policial de m….. + cidadão de m…. = isso aí.

O Guerra passa o IP do colega aí ou vc virou íntegro repentinamente? Ahhh entendi…. Isso não pode… Apenas receber o recolhe!! Hahahaha

Essa situação não é novidade. Aconteceu e continuará ocorrendo. Aposto q se o camarada dissesse q iria registrar o BO lá na Consolação os caras iam se coçar rapidinho, mas a falta de conhecimento mais um Policial infeliz dá nisso.

Querem saber…. FODA-SE!!!!!
Faz o contraponto aí homem íntegro! Hahaha

Troll
ddmaleluia@gmail.com
191.255.110.29
Essa “estratégia” apontada é a maior covardia, uma forma de enriquecimento sem causa.

Enriquecimento sem causa? Hahaha
Ninguém foi te buscar e te causava incômodo às paralisações?

No q me concerne vc está puxando a sardinha p seu lado. Tipo: Seu salário continuará uma m… não tá feliz saia. O voto (q é a maior arma do cidadão) é utilizado erroneamente.

Então Sr. Eduardo foda-se. Covardia é o q vc está fazendo. Se o povo não se incomodar ele não olhará por nós.
Segurança Pública faliu faz tempo e vc da a entender q não está feliz saia, pois é isso q tem p hj.
Se orienta rapaz. Todos têm q comer m então?
Como eu disse cidadão de m = policial de m.
Não gostou? Vote direito ou mude de País.
Eu ainda disse que vc acha q gostamos da situação no geral? Vc deve pensar o q eu tenho a ver com o problema da Polícia? Agora tá respondido?
Vc acha q é só o povo q toma canseira?
Continue com seu conselho e peça as “contas” e vá p outro Pais, afinal é essa polícia q tem p hj e amanhã.

Dr. Vergonha, você está enganado meu bom amigo , desde a operação “Jerico” do GAECO , na Capital nenhuma delegacia, departamento ou seccional recolhe propina…Jerico ( o animal ) é quem acredita, né ?…Ah, aproveita e dê um abraço nos meus tios , primos e ex-colegas aí da Zona Norte! 31

Não sei se é esgarçamento do tecido social ou desgraçamento do sistema judicial ou apodrecimento do aparelho policial
Coitado do povo.

Ontem um vizinho me ligou 22h00, clonaram seu cartão e fizeram um monte de saques da sua c/corrente.

Precisava fazer um BO para levar ao Banco.

Saiu do trabalho e veio para o 39ºDP, próximo de casa fazer o BO, mandaram para o 73º DP, neste mandaram para o 19º DP, neste mandaram para o 20º DP, enfim, sem jantar e sem BO.

É essa a polícia que o cidadão paulistano tem, um LIXO, essas delegacias não servem para nada. Se não servem para registrar um simples BO desses, quiça para investigar alguma coisa.

Agora, se a demanda for recolher propina, ai sim, ai servem-se muito bem, como ficou bem evidente na REPORTAGEM DA RECORD desta data, 22/03/2018, sobre BINGOS CLANDESTINOS, um deles em pleno funcionamento na principal avenida da Vila Maria, Av. Guilherme Cothing, na cara do posto da PM e a uma quadra do 19º DP, o mesmo onde ontem a noite, sem ocorrência policial nenhuma, um vagabundo travestido de policial, se recusou a fazer um simples BO, mandando um cidadão que trabalhou o dia inteiro para outro DP a uns 10 Km onde também não foi atendido.

Essas Delegacias de Bairro da Capital não prestam para nada a não ser recolher propina na área.

Ministério Público de São Paulo, GAECO, ajudem a população desta cidade, PEÇAM as fitas para a REDE RECORD e tomem providências a respeito.

Desejo firmemente que consigam implantar o monitoramento por câmeras nessas delegacias que não prestam para nada a fim de se saber onde estão os policiais.

Será que estão trabalhando nos esquemas de segurança particular do chefe?

Será que estão recolhendo o carnê no desmanche, no bicheiro, no bingueiro ou na biqueira?.

Isso é uma vergonha.

 

Pois é meu amigo, o pior é que há quem queira que eu forneça – sigilosamente –  o teu e-mail e IP…( risos )

Ora, porque não procuram pela vítima para saber para quem ela telefonou ?

Como eu sou um cara legal e justo , não forneço o seu IP, tampouco  digo quem é o interessado. Como disse acima, procurem a vítima que foi esculachada e perguntem pra ela quem é o vizinho. 

Por fim, clonagem de cartão  é FURTO DE DINHEIRO MEDIANTE  FRAUDE, por favor não fraudem as estatísticas e a vítima tipificando como estelionato; no primeiro a responsabilidade é integralmente do banco, no segundo a culpa pode ser do correntista !