Só para descontrairar: o investigador de polícia Orlando Galante Rollo assumiu de vez o seu papel de Michel Temer do Santos Futebol Clube… ( Coitado do peixinho, logo o tira assume a presidência do SFC e lhe afoga de vez…Pô, o Corinthians pelo menos elege Delegado para presidente, né? ) 52

O vice-presidente do Santos, Orlando Rollo, disse que não consegue mais sair de casa por conta do momento turbulento que o Clube vive politicamente. A pressão sobre a diretoria, que já era grande desde janeiro, cresceu ainda mais por conta da eliminação do Santos na Libertadores após o caso Sánchez.

Publicamente, Rollo já deu nota dois para a gestão do presidente José Carlos Peres, com quem não tem boa relação. O cartola alegou que o seu esforço para ajudar o Alvinegro não é reconhecido, uma vez que é o chefe maior que tem a “caneta” para mandar e desmandar no Clube. Ele também disse que sofre nas ruas com os questionamentos dos torcedores e já teve de se mudar após ter a porta do seu antigo apartamento pichado.

“Eu não consigo mais sair de casa. Mudei para um apartamento menor. Sou questionado por questões que não tenho culpa, mas não me escondo. Seria fácil abandonar o Santos às traças, mas vou honrar a chance que nos foi dada”, disse Rollo em reunião do Conselho Deliberativo na noite desta quinta-feira (30), na Vila Belmiro.

“Nosso esforço não é visto, reconhecido o bastante por não termos a caneta na mão. Pelo estatuto tem, mas quem tem que cobrar o que acontece aqui são vocês conselheiros. Nossa parte tentamos fazer”, afirmou.

O vice também disse que “barrou” as saídas de Estevam Juhas e José Carlos do Comitê de Gestão. A dupla, insatisfeita com o trabalho de Peres na presidência, queria deixar a direção santista. Andres Rueda, Hanie Issa e Urubatan Helou já abandonaram o cargo no CG entre julho e agosto.

“Eu rasguei os pedidos de demissão do Zé e do Estevam. Esse Comitê de Gestão é o fio de esperança nessa gestão. E eu conversei por horas com Andres Rueda, Hanie Issa e Urubatan Helou para não saírem”, afirmou o vice.

O Comitê ainda tem seis dos nove membros escolhidos pela presidência no início do ano: o presidente José Carlos Peres, o vice Orlando Rollo, Pedro Doria, Zé Carlos de Oliveira, Estevam Juhas e Fabio Gaia. Já Anilton Luiz Perão, José Bruno Carbone e Matheus Del Corso Rodrigues, escolhidos por Peres para suprir as ausências de Hanie, Andres e Urubatan, tiveram os nomes reprovados por ampla maioria do Conselho Deliberativo.