Por que até pouco tempo atrás as orfãs de oficiais do Exército eram mães solteiras ? … E se eu disser que casa de chifrudo esposo de Maria Batalhão é ‘fábrica de desajustados’ para o oficialato do Exército Brasileiro ? 16

Declarações polêmicas de vice de Bolsonaro não são influência de Levy Fidelix

O general , mais do que inocente no jogo político , não passa de um boçal despreparado e  arrogante por ser filho de outro General .

Herdou a patente e o desvalor pelas mulheres !

Será que a mãe dele não era dessas que visitava uma guarita nas noites de sábado ?

Deve ser por isso que essa turma detesta a mulherada, devem acreditar que são como as respectivas genitoras, não é? 

O general Hamilton Mourão, candidato a vice na chapa de Jair Bolsonaro
O general Hamilton Mourão, candidato a vice na chapa de Jair Bolsonaro – Marlene Bergamo/Folhapress 

Ainda bem que o Exército Brasileiro não é composto apenas por oficiais hereditários como o Mourão, tanto é verdade que ao longo de décadas milhões de brasileiros – mesmo sem o nome do pai na certidão – serviram gloriosamente a Força e se tornaram, posteriormente, excelentes cidadãos. 

É muito melhor ser filho de mãe solteira do que ter em casa um pai bêbado e autoritário. A causa do desajuste não é a falta da figura paterna: É A MISÉRIA!

A causa do desajuste dos miseráveis é a falta de uma pensão vitalícia como as recebidas por centenas de milhares de mães solteiras ( por conveniência ) filhas de militares.

Verdadeiras prostitutas!

Com todo o respeito às poucas que se casaram abrindo mão da gorda pensão. 

  1. O Guerra o que você espera desse tipo de gente se você os apoia. Viva a ditadura dos imbecis e idiotas vendilhões da Pátria Amada. Viva os torturadores, os sádicos, os matadores. Todo policial civil poderá fazer o serviço sujo deles como fizeram no passado. Muitos querem um ladrão preto, nordestino, pobre, favelado, filho de mãe solteira pra bater, “pendurar no pau” e atirar nele.
    VIVA BOLSONARO! VIVA MOURÃO!

  2. Quem de fato trabalhou na rua e vivência polícia sabe muito bem que a grande maioria daqueles que cometem infrações penais vem de lares desajustados. E claro que tem muita mãe que cria os filhos sozinha e os faz exelentes pessoas mas também é muito claro que boa parte não consegue fazer isto. Quem tem filhos sabe muito bem que chega num ponto em que uma pessoa só não consegue dar conta, salvo honrosas exceções, pesam questões econômicas sociais e psicológicas. Basta observar que em todas as culturas a família sempre se forma em casais, nada contra qualquer outro tipo de constituição, a citação fala apenas do que acontece via de regra.Assim me parece de clareza de sol de meio dia que a fala do General só retratou um postulado de verdade recorrente que se verifica no seio da sociedade. Sabe falar a verdade de uns tempos para cá vem se tornando um negocio cada vez mais perigoso vc pode até tomar uma facada. Antigamente era obrigação falar a verdade agora é atividade de alta periculosidade. Assim passo a entender cada vez mais a razão de que aqueles que podem se defender a” manutenção militari” cada vez mais estão sendo chamados a se manifestar visto que o cidadão comum tem medo de faze-lo não só por temer ser agredido fisicamente como também moralmente.

    • Seu irmão filho da puta,

      Eu não tenho medo de me manifestar, por isso reafirmo que toda órfã de militar que fez opção por ser mãe solteira é puta. Deu a buceta e fez filho com alguém mediante o recebimento de dinheiro do estado.
      O general não fala verdades, aliás nem meias verdades.
      Todo esse secular desajuste familiar e social que faz nos dias de hoje soldados do crime tem como causa maior a manutenção de castas funcionais e políticas que se apropriam – seja pela corrupção, seja pelos privilégios – das riquezas geradas pela população. Ora, qual o destino de uma órfã favelada? Ser estuprada e dar à luz a outro sem-pai ou outra futura órfã, né? Para elas – sem pai protetor e provedor – nunca houve, não há e jamais haverá quaisquer espécies de assistências, salvo de alguns voluntários e entidades filantrópicas. Pois gente como o Mourão só lembra dessas mulheres como fabricantes der bandidos. Eu trabalhei na Polícia Civil 23 anos e posso afirmar que os maiores criminosos que conheci não eram frutos de famílias sem pai. Em priscas eras, qual o destino das órfãs de militares? Ser deflorada e acabar mãe solteira na miséria. Pois não estudavam ( eram proibidas, salvo tocar piano e frequentar o normal ). Por isso – eles militares – buscaram o privilégio das pensões vitalícias para a viúva e para as filhas solteiras. De uma causa nobre se criou verdadeira prostituição financiada pelo estado. E nunca faltou cafetão pra filha de militares e funcionários públicos bem remunerados, obviamente!

        • João Silveira,

          Imbecil é você que acredita nas justificativas posteriores elaboradas por gente mais inteligente do que o General, leia: ADVOGADOS E JORNALISTAS!

          Vou desenhar: A MISÉRIA É A CAUSA PRIMEIRA DA CRIMINALIDADE COMUM!
          A ausência do pai é igual a ausência de alimento, vestimenta e moradia…E quem não come não estuda!
          Quem não come e não estuda dificilmente desenvolve laços afetivos.
          Quem não tem pai, não tem casa e não tem comida, acredita que DEUS É APENAS UM GRANDE FILHO DE UMA PUTA COMO O RESPECTIVO PAI BIOLÓGICO!

          A diferença, o pai biológico ele não vê , não conhece, mas sabe que existe ou existiu…Já o Deus das religiões…KKK

  3. O lula é um exemplo q essa pesquisa feita a 5 anos atrás é verdade . O pai do lula abandonou a mae dele com 7 filhos . Pelo q a justiça Brasileira constatou , lula é ladrao , mesmo tendo a chance de ser presidente do país, enveredou para o mundo do crime

    • Soriano de Mell,

      Discordo, Lula prova que o crime cometido por pessoas bem ajustadas socialmente ( como ele sempre foi, não obstante o pai ter sido mulherengo – aliás, ele tinha pai e trabalhou com o pai ) é fruto do convívio com outros criminosos e do meio profissional propício à criminalidade. Na polícia , por exemplo, há muitos criminosos bem nascidos, bem educados e muito amados pela família. Explica pra mim, o que faz um delegado de polícia culto, bonito , poliglota , enveredar pelo tráfico de cocaína? O que leva um oficial da PM, nas mesmas condições, acabar como chefe de quadrilha de ladrões e matador de mendigos? Respondo: o meio propício e a ganância?

  4. O que a mídia divulga sobre o que o Mourão, vice do Bolsonaro, disse:

    “Casa só com ‘mãe e avó’ é ‘fábrica de desajustados’ para tráfico, diz Mourão”

    O que o Mourão disse:

    “Família sempre foi o núcleo central. A partir do momento que a família é dissociada, surgem os problemas sociais que estamos vivendo e atacam eminentemente nas áreas carentes, onde não há pai nem avô, é mãe e avó. E por isso torna-se realmente uma fábrica de elementos desajustados e que tendem a ingressar em narco-quadrilhas que afetam nosso país”.

    Agora vejam bem o que o médico Dráuzio Varella disse sobre isso no ano passado:

    “Na periferia de qualquer cidade brasileira, não tem homem em casa: (eles) fazem filhos e não têm nenhuma responsabilidade. Ficam as crianças com a mãe, dependente da avó, porque a avó também não tem mais marido: desapareceu, foi morto ou trocou ela por uma jovem. Você tem uma desestruturação familiar que é total.”

    Drauzio afirma que, nestas condições, “é grande” o risco da população de baixa renda recorrer à venda de drogas como forma de sustento.

    Agora vejam o que Barack Obama falou sobre isso em 2008:

    “Conhecemos as estatísticas, crianças que crescem sem pai têm cinco vezes mais chances de viver na pobreza e cometer crimes; nove vezes mais chances de abandonar a escola e vinte vezes mais chances de acabar na prisão.”

    Os três estão dizendo a mesma coisa, mas só um dos três está sendo atacado pela mídia, adivinhe qual é?

    Fontes:

    https://gauchazh.clicrbs.com.br/seguranca/noticia/2017/01/criminalidade-tem-relacao-com-desestruturacao-familiar-no-brasil-avalia-drauzio-varella-9391866.html

  5. Se uma família é considerada desajustada por mães e avós criarem seus filhos sozinhas, por que ao invés de culpá-las talvez pela falta de “pulso” ( não se se era essa a percepção de Mourão) porque não criticou os Pais – homens machos que abandonaram seus filhos e mãe de seus filhos. Essas mães estão lá, cuidando, trabalhando, tentando…e os pintudos onde estão?

  6. Perai, é culpa de quem essa brecha para as filhas de militares receberem pensões vultuosas ?
    O que os deputados e o presidente fez para cessar essas mordomias ?
    O problema e quem faz a lei, e não quem recebe o dinheiro.
    Falso moralismo da porra, 99,99% das pessOas aqui deste blog se fosse mulheres na situação dessas filhas de militares jamais se casariam e perderiam a pensão do pai falecido.

    BRASILEIRO É FODA, SÃO OS PIORES FALSO MORALISTAS DO MUNDO.

  7. Levantamento inédito feito pelo Ministério Público (MP) de São Paulo aponta que dois em cada três jovens infratores vêm de famílias que não têm a figura do pai dentro de casa. O estudo leva em conta cerca de 1.545 jovens entre 12 e 20 anos que cometeram delitos na cidade de São Paulo entre 2014 e 2015. Desse universo, 42% dos jovens, além de não viverem com o pai, não tinham nenhum contato com ele.
    Segundo o estudo, além da família desestruturada, outro problema que induz as crianças e adolescentes ao crime é a distância da escola, que é pouco atrativa e enfrenta o desafio de conter a evasão. De acordo com a pesquisa, apenas 57% dos adolescentes infratores estudam. Do total, 88% dos adolescentes eram homens.
    Com a ausência do pai, os jovens têm na composição familiar a mãe, os irmãos, padrasto ou outros parentes e agregados. “A composição familiar é muito diferenciada e a gente percebe que na maioria dos casos o pai biológico não está presente. Infelizmente, a paternidade no Brasil não é responsável.”
    O promotor Eduardo Del Campo, que coordenou o estudo, ressalta, entretanto, que o fato de o pai biológico não estar presente não significa que não haja a figura paterna, já que ela pode ser exercida por outros membros da família. “O fato de não ser integrada pelo pai biológico não quer dizer muito, porque pode não ter o pai mas pode ter uma figura paterna muito forte. Às vezes um tio, um padrasto, um avô”.
    Ele defende um modelo funcional de família para preencher essas lacunas na vida dos jovens. “Uma família funcional no sentido de estar presente, de se preocupar, de ir atrás das notas para ver se o menino está estudando, ver com quem está andando. E essa família funcional não precisa ser no modelo tradicional”, disse.
    O estudo
    “Quais são as causas da infração praticada pelos adolescentes?” A pergunta foi o ponto de partida para Del Campo traçar o perfil dos jovens infratores. Ao longo de um ano, foram tabulados os dados de quase 3 mil boletins de ocorrência e 1,5 mil jovens foram ouvidos. A paternidade irresponsável, a evasão escolar e o consumismo dão indicações da resposta à pergunta feita pelo promotor. Segundo ele, os “freios” que impediriam os adolescentes de praticarem os atos estão falhando.
    A gravidade do ato infracional também vai aumentando com a idade. “Ninguém começa assaltando com uma arma. Normalmente, começa pichando muro, furtando. À medida em que empreitadas infracionais vão dando certo, ele vai se sentindo estimulado a praticar novos atos. Vão tendo a falsa sensação de que o crime compensa. Mas até por se tratar de um ser humano em formação, não têm essa noção”, diz.
    Fora da escola
    Outro dado que chama a atenção é a evasão escolar. Entre os adolescentes ouvidos, só 57% estudavam. Os maiores grupos cursavam o 8º ano do Ensino Fundamental (26%) e 1º ano do Ensino Médio (25%). O motivo da evasão escolar, para 37%, era a falta de interesse, seguido da necessidade de trabalhar (15%), a ausência de vaga (14%) e problema de socialização no ambiente escolar (14%). “Quando falam em motivação econômica, não é ‘necessidade’. Não vão à escola por fome, mas porque querem tênis de marca, dinheiro para balada”.
    Flávio Guerra, diretor de unidade da Fundação Casa em Campinas, diz que os adolescentes recebem um suporte que se tivessem lá fora talvez não estivessem internados. “Aqui eles estudam, não é uma escolha. Aqueles que estão com dificuldade escolar ou não são alfabetizados recebem apoio individualizado até conseguir acompanhar a sala de origem. Muitos se alfabetizam aqui. A gente tira todos os documentos daqueles que não têm. Oferecemos cursos profissionalizantes. Se eles tivessem tudo isso lá fora, não estariam aqui”, afirmou.
    Qualidade de vínculos é mais importante, afirma psicóloga
    A psicóloga e diretora adjunta da Fundação Casa Fábia Domingos dos Reis defende que é mais comum hoje do que já foi no passado conviver com filhos de pais separados. “Isso vai repercutir nas escolas, na Fundação Casa. Vai repercutir em todos os ambientes”, diz. Ela explica que, quando chega à Fundação, o menor passa por um estudo que verifica as questões familiares.
    Segundo Fábia, o que mais preocupa é a qualidade desses vínculos. “Não temos mais como pensar naquela composição tradicional: pai, mãe e filhos. Isso não passa a ser uma condição tão relevante no sentido de achar que a falta da figura paterna pode fazer um adolescente infracionar. A gente investe em compreender quem faz parte do contexto e como os vínculos estão. Muitas vezes o pai está presente, mas a relação é nociva”. Ela defende que é uma crise generalizada em outras esferas além da família que está fazendo a adolescência se perder: social, política, econômica e de valores morais.
    Família é o principal ‘freio’, diz promotor
    O promotor Eduardo Del Campo afirma que existe um conjunto de freios que fazem o adolescente respeitar regras. O primeiro deles, ressaltou, é a família, que educa, ensina a ser honesto, bom cidadão. “Talvez pela disfuncionalidade e carência da família, esses freios não estão muito sólidos.” Outro freio seria a religião. “Acredite ou não, funciona como um sistema de freios. Porque tem alguém acima de mim, que vai me castigar se eu agir mal, nessa ou em outra existência”, exemplificou. De acordo com o levantamento, 60% não professava nenhuma religião, 20% eram protestantes, 18% católicos e 2% professavam outras religiões.
    O promotor lembrou a importância do papel da escola e ressaltou que ela também está desestruturada. “Está destruída, os professores ganham mal, não têm condições de trabalho, não têm material, não têm o preparo necessário fornecido pelo Estado”, disse. “O esporte também funciona como um sistema de freios, mas não há estímulo ao esporte. Qual o apoio que o governo dar para estimular o adolescente a praticar esporte? Então, os freios estão muito falhos. Aí tem o freio externo que é a lei. O jovem pensa: não vou delinquir porque posso ir preso. Aí tem o ECA que para muitos deles significa um certificado de impunidade. Até não é, mas o adolescente se vê como alguém intocável, porque constituímos uma geração de direitos sem falar em deveres.”
    Del Campo conclui dizendo que a sociedade é “absolutamente” criminógena, que estimula o crime, o consumo, que não valoriza o conhecimento, mas o dinheiro. “O traficante é tão estimado como um professor. Por que o aluno vai querer ser um professor?”, disse. Segundo o promotor, os adolescentes se veem atraídos pelas “facilidades” do tráfico. “O Estado deixa um vácuo que o tráfico toma conta.”

    http://correio.rac.com.br/mobile/materia_historico.php?id=437932

  8. Olha ai o MP falando.

    Levantamento inédito feito pelo Ministério Público (MP) de São Paulo aponta que dois em cada três jovens infratores vêm de famílias que não têm a figura do pai dentro de casa.

  9. Joao Silvério o ” imbecil” e adjetivo dirigido a minha pessoa? Gostaria de esclarecimento pois nunca ofendi ninguém nem nunca escrevi nada contra ninguém. Se for dirigido a minha pessoa desde de já solicito ao titular do espaço o IP do autor do texto.

Os comentários estão desativados.