Tesouro: Professor e militar são mais da metade dos inativos nos estados…( Com os militares e magistrados o Bolsonaro – muito honestamente – não vai mexer…Logo: o resto vai SIFU cada vez mais!…E porrada nos ativistas! 32

Idiana Tomazelli e Adriana Fernandes

Brasília

13/11/2018 11h24

Mais da metade dos servidores aposentados nos estados são professores ou militares, categorias que contam com regras mais benevolentes para pedir o benefício. Integrantes dessas carreiras acabam passando para a inatividade mais cedo do que os funcionários das demais categorias, o que torna mais frequente a necessidade de reposição e eleva os gastos dos governos estaduais.

Os dados divulgados nesta terça-feira (13) pelo Tesouro Nacional mostram ainda que, em estados em graves dificuldades financeiras como Minas Gerais e Rio Grande do Sul, os professores e militares são mais de 80% dos aposentados.

Esse patamar elevado também é observado em Santa Catarina, um dos governos estaduais que recentemente avisaram à União que não cumprirão o teto de gastos (mecanismo que limita o crescimento das despesas à inflação).

A equipe econômica do governo já considera inevitável a negociação de um novo socorro, como mostrou o Broadcast (sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado) na sexta-feira (9).

A estratégia que será sugerida à equipe do presidente da República eleito, Jair Bolsonaro (PSL), é cobrar dos governadores apoio à reforma da Previdência. O déficit nos regimes de aposentadorias dos estados tem sido crescente e chegou a R$ 94 bilhões no ano passado, segundo os dados do Tesouro.

Na média dos estados, os professores são 50% dos inativos do Poder Executivo, enquanto os militares representam cerca de 15%.

As regras gerais de aposentadoria no país preveem a possibilidade de pedir o benefício após 35 anos de contribuição, se homem, e 30 anos de contribuição, se mulher. O benefício por idade, por sua vez, pode ser solicitado após 15 anos de contribuição, desde que a mulher tenha 60 anos, e o homem, 65 anos.

Os professores contam com regras mais benevolentes. Mulheres podem pedir a aposentadoria após 25 anos de contribuição, enquanto homens, depois de 30 anos de contribuição. Na prática, se uma professora ingressa muito cedo na carreira e se mantém no mercado sem períodos longos de interrupção, ela tem chances de se aposentar antes dos 50 anos.

Já os policiais militares podem se aposentar, em muitos casos, após 25 anos de serviço e com salário integral.

Em 2016, a expectativa de vida das mulheres chegou a 79,4 anos, enquanto a dos homens, a 72,9 anos. Em defesa da reforma da Previdência, o governo argumenta que os brasileiros estão vivendo cada vez mais e, como não há idade mínima obrigatória no país, passando um período cada vez maior de suas vidas na aposentadoria.

“Considerando as regras especiais de aposentadoria destas carreiras, as reposições de servidores tornam-se mais frequentes e onerosas”, diz o Tesouro no Boletim de Finanças dos Entes Subnacionais.

O órgão ressalta ainda que o número de professores aposentados cresceu em média 29% entre 2012 e 2017. Já a variação dos militares inativos no período foi de 33%. O aumento ficou acima da média das aposentadorias em geral nos Estados.

Considerando todas as carreiras do Executivo, o contingente de aposentados nos estados cresceu cerca de 25% em seis anos, mas há casos em que a variação foi ainda mais expressiva, como em Goiás (45%), Acre (76%), Bahia e Espírito Santo (ambos com 37%) e Mato Grosso do Sul (35%). “Isso caracteriza situação alarmante tanto quanto à reposição de servidores quanto em questão previdenciária”, afirma o Tesouro.

Ao todo, dez de 22 estados que informaram a alíquota previdenciária praticada pelo governo já cobram mais de 11% como contribuição como tentativa de sanar o problema do crescente déficit. O Tesouro alertou, porém, que essa saída tem efeito limitado e não foi suficiente para frear o avanço do rombo na Previdência.

  1. a exemplo da educação e saude, havera a municipalização do policiamento ostensivo, com a entrada das guardas, porque em muitos estados, os inativos ultrapassa os ativos na pm.

  2. Bolsonaro PODE TUDOOOO!!! Quantas merdas ja tivemos fodendo o povo? Bolsonaro pode tudo!!! VAAAAAIII BOLSOOOONAAAROOO, por você derramo sangue, lágrimas e suor se for preciso. Minha religião? BOLSONARISTA!!!!

    • Vai com calma irmão!!!!! A fera ainda não assumiu, também vota nele, mas já estou calejado.

  3. Pois é, se o Estado fosse honrado, manteria o número de servidores públicos em dia para o equilíbrio ativo/inativo. É só usar a matemática(tudo bem que quem manda nesse país é burro). O PSDB, principalmente, extinguiu os funcionários da ativa, sobrando somente os aposentados. Aliás, ninguém quer morrer trabalhando, com exceção de certos “policiais”.

  4. Eu não vejo reportagem falando dos altos salários do judiciário! Tem desembargador, procurador, promotor, juiz, escrevente que recebe muito além do teto e ninguém impõe nada com a arguição do direito adquirido!
    Tem pensionista que recebe pensão do pai e nunca levantou pra trabalhar! e olha que não é pouco!
    Não adianta aumentar a contribuição, aumentar a idade minima pra aposentar se não cortar os salários absurdos de certos setores! Põe a reforma da previdência em que todos, sejam ativos e inativos irão perceber ao máximo o teto do INSS! pronto! acabou o problema! Mas sabem o que vai acontecer? vão por uma parcela, a dos que ganham menos de 10 salários para trabalhar ate a idade centenária enquanto os que ganham mais vão continuar com suas aposentadorias absurdas de três dígitos.
    REFORMA DA PREVIDENCIA:
    Faço saber que o congresso nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:
    Artigo 1º: nenhum profissional, seja do setor publico ou privado, e mesmo dentre os poderes executivos, legislativo e judiciário, terão funcionários recebendo salários acima do teto do INSS independente do cargo que ocupar.
    artigo 2º: Os inativos terão reenquadrados seus vencimentos, vez que por necessidade do pais desenvolver e evoluir positivamente, deverão ter seus vencimentos conforme artigo 1º da presente Lei.
    artigo 3º: Os funcionários que desejarem complementar sua previdência deverão proceder junto as instituições privadas que oferecem esse tipo de serviço, e aos já aposentados, será refeito calculo de acordo com a contribuição e o que percebeu para poder ser devolvido o excedente para as deliberações que desejar.
    artigo 4: Não haverá nenhuma decisão judicial que contrarie a presente Lei, estando o responsável sujeito a responder criminalmente, civilmente e administrativamente por sua conduta.
    artigo 5º: somente terão direito a aposentadoria aqueles que contribuíram para o instituto de previdência, não podendo nenhum governo abranger outros interesses.
    artigo 6º: os valores da previdência são imutáveis e não poderão em hipótese alguma serem destinados a outro setor a nao ser ao fim de aposentadoria.
    Essa lei entra em vigor na data de sua publicação.
    Brasilia, de 2019.
    JAIR BOLSONARO
    presidente do Brasil

    ACABA COM A DESIGUALDADE E DÁ PARIDADE A TODOS OS APOSENTADOS.

    Outra lei qualquer alem de desigual, não lograra exito.

  5. Mexer com os militares seria TRAIÇÃO.
    Militares não aceitam TRAIÇÃO jamais.
    Quanto ao resto tem que mexer mesmo. Aliás passou da hora.
    Mas os militares são diferentes. O regime de trabalho é completamente diferente.
    O Bolsonaro que não se atreva a cometer traição.

  6. Mas militares têm uma só aposentadoria.
    Magistério: aposentam precocemente tendo direito a dois vínculos.
    O problema não é os militares; é o pessoal da saúde e da educação. Trabalham em dois empregos e mal exercem um adequadamente…

  7. Jamiro disse:
    13/11/2018 ÀS 20:20

    Mexer com os militares seria TRAIÇÃO.

    TRAÇÃO é tirar de uma parte da sociedade em beneficio de outra! Não existe essa de traição! Ou redefine a previdência de todos ou não muda de ninguém! Sua ideologia é a mesma que os poderosos do judiciário e parlamentares utilizam.

    Eduardo disse:
    13/11/2018 ÀS 20:55

    Mas militares têm uma só aposentadoria.

    se um militar der aula e contribuir ao INSS terá duas aposentadorias meu caro! Uma pela SSPREV e outra pelo INSS!
    Você pode ter aposentadorias desde que sejam de pagamento de origem diversa! Você pode ter uma do município, uma do estado, uma da união, uma do INSS e quantas quiser do setor privado! Basta recolher

    • Você está louco.
      Tá de sacanagem ou só não sabe o que fala mesmo.
      Um militar NÃO PODE se “aposentar” ou receber qualquer benefício pelo INSS.
      Quanto muito utilizar tempo contribuído ao INSS antes de ingressar na carreira militar, para fins de reserva.
      Se for registrado em qualquer “bico” ou se contribuir como autônomo comete transgressão de natureza grave se Praça e crime se Oficial.
      Se tentar usufruir de qualquer benefício do INSS será preso.
      Acumular pensão militar e do INSS só se a esposa tiver aposentadoria e morrer.
      No resto…falou bobagem.

      • Quanto ao setor privado qualquer um pode. Mas com o soldo de um militar é ruim de conseguir contribuir para aposentadoria privada.
        Mal da pra comer.

  8. Há mais policias e professores aposentados porque há mais agentes públicos nesses cargos, lembrem-se que as Secretarias da Educação e da Seguranças concentram o maior numero de funcionários, logicamente pela sua essencialidade.

    Como analogia, nos EUA um policial pode se aposentar com 20 anos de serviço, isso se repete em vários países do mundo, devido ao ônus da profissão no organismo.

    Agora o que quebra a previdência realmente são as dividas que vários veículos de comunicações e empresas tem com a previdência, além de que o sistema de assistência e previdência serem únicos.

    Uma sugestão: revoguem a lei rouanet e utilizem a verba que era destinada a ela para cobrir o tal rombo da previdência, ao invés de financiar espetáculos que não necessitam.

  9. TSE põe Bolsonaro no bico do corvo; presidente eleito ‘pede água’ a ministros

    13 de novembro de 2018 por Esmael Morais

    O Tribunal Superior Eleitoral (TSE), por meio do ministro Luís Roberto Barroso, concedeu três dias para que o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) explique as irregularidades na campanha.

    LEIA TAMBÉM
    Impulsionamentos para Bolsonaro foram pagos com caixa 2, sugerem aplicativos

    Nesta segunda-feira (12), técnicos do tribunal apontaram 17 motivos para pedir a cassação do presidente eleito.

    Dentre as questões mais graves estão as relativas à prestação de contas da campanha, que omitiu prestadores de serviço para Bolsonaro. Contabilmente, o presidente eleito deverá provar a entrada e saída dos recursos — bem como a origem dos recursos.

    Buscando um ‘afrouxamento no garrão’, Bolsonaro visitou hoje (13) os ministros do TSE. O presidente eleito ‘pediu água’ para a corte.

  10. Barroso dá 3 dias para Bolsonaro esclarecer ‘inconsistências’ em contas da campanha
    Técnicos do TSE apontaram 23 supostas inconsistências nas contas da campanha eleitoral do presidente eleito. Entre os gastos sob suspeita estão despesas com advogados e gráficas.
    Por Mariana Oliveira e Rosanne D’Agostino, TV Globo e G1 — Brasília

    13/11/2018 18h33 Atualizado há 16 horas

    O ministro Luis Roberto Barroso durante sessão extraordinária no Tribunal Tribunal Superior Eleitoral — Foto: Fátima Meira/Futura Press/Estadão Conteúdo O ministro Luis Roberto Barroso durante sessão extraordinária no Tribunal Tribunal Superior Eleitoral — Foto: Fátima Meira/Futura Press/Estadão Conteúdo
    O ministro Luis Roberto Barroso durante sessão extraordinária no Tribunal Tribunal Superior Eleitoral — Foto: Fátima Meira/Futura Press/Estadão Conteúdo

    O ministro Luís Roberto Barroso, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), intimou nesta terça-feira (13) a campanha do presidente eleito, Jair Bolsonaro, a prestar esclarecimentos, em até três dias, sobre 23 “inconsistências” na prestação de contas do presidente eleito apresentada na última sexta (9).
    As supostas irregularidades foram apontadas por técnicos da Assessoria de Exame de Contas Eleitorais e Partidárias (Asepa) do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).
    Relator no TSE das contas de campanha, Barroso terá que submeter o procedimento a julgamento no plenário do tribunal eleitoral. Ainda não há data marcada para a Corte analisar o caso.
    A diplomação de Bolsonaro está marcada para o dia 10 de dezembro. Para receber o diploma, os candidatos eleitos precisam estar com o registro de candidatura deferido e as contas de campanha julgadas – não necessariamente aprovadas.
    Os técnicos do TSE apontaram 23 “inconsistências” que envolvem indícios de impropriedade (erro formal ou dados inexatos) e indícios de irregularidade (suspeitas na prestação), além da falta de documentos e pediram que a campanha enviasse mais documentos, como contratos e comprovações de serviços e gastos.
    Barroso considerou “pertinentes” os pedidos e notificou a campanha a apresentar os esclarecimentos.
    “São pertinentes as diligências propostas pela Assessoria de Exame de Contas Eleitorais e Partidárias . Diante do exposto, determino a intimação do candidato Jair Messias Bolsonaro, […] para, no prazo de 3 (três) dias, complementar dados e documentação e/ou prestar esclarecimentos / justificativas, com vistas ao saneamento dos apontamentos”, diz trecho da decisão.

    Prestação de contas

    Segundo o extrato final da prestação de contas, a campanha de Bolsonaro arrecadou R$ 4.377.640,36. Foram gastos R$ 2.812.442,38, dos quais R$ 2.456.215,93 foram efetivamente pagos.
    As sobras de campanha somam R$ 1.565.197,98 – Bolsonaro afirmou nesta semana que irá doar as sobras para a Santa Casa de Misericórida de Juiz de Fora (MG), onde foi atendido após ser esfaqueado em 6 de setembro.

    Veja um resumo dos 23 questionamentos apontados por técnicos do TSE nas contas de Bolsonaro:

    01- Despesas com mídias digitais com empresa Adstream – R$ 6.260,00 – pedem números de notas fiscais;

    02- Despesas com serviços advocatícios com empresa Kufa Sociedade de Advogados – R$ 50.000,00 – pedem detalhamento dos serviços prestados, relação dos processos em que escritório atuou, relação de todos os advogados que atuaram;

    03- Despesas com serviços contábeis não foram declaradas, mas aparece como serviço do escritório de advocacia – pedem dados sobre serviços contábeis prestados, identificação dos contadores;

    04- Despesas com material impresso com quatro empresas – R$ 71.000,00 – pedem amostras dos materiais produzidos, como adesivos, paineis e bótons e também informações sobre se essas empresas subcontrataram outras empresas.

    05- Devolução de receitas – R$ 95.000,00 – Campanha avisa que devolveu R$ 95 mil em doações para quatro pessoas físicas e técnicos dizem que, como não há previsão para devolução de doações legais, qual motivo de o candidato se recusar a receber os valores;

    06- Financiamento coletivo com empresa sem registro – R$ 3,5 milhões – técnicos afirmam que a empresa AM4 não tinha cadastro para prestar serviços de arrecadação por meio do financiamento coletivo e pedem também detalhamento sobre as empresas Aixmobil e Ingresso Total, que também atuaram com arrecadação por meio de financiamento coletivo, as “vaquinhas”;

    07- Decumprimento de prazo para entrega de relatório com receita de R$ 1,566.812,00;

    08- Indício de irregularidade no recebimento de doações do fontes proibidas, permissionários – R$ 5.200,00 – técnicos apontam que lei proibido recebimento de recursos de quem tem atividade decorrente de permissão pública;

    09-Indício de irregularidade no recebimento de recursos com origem não identificada – R$ 100;

    10-Indício de irregularidade de doações recebidas com divergência na identificação dos doadores – R$ 5.030,00 – divergências de dados informados dos doadores com base de dados da Receita (Nome do doador não bate com o CPF cadastrado na Receita);

    11- Indício de impropriedade na divergência de informações de doações indiretas – R$ 345.000,00 – técnicos informam que repasse da campanha de Eduardo Bolsonaro para o pai;

    12- Indício de irregularidade com ausência de gastos eleitorais na prestação de contas parcial 0 R$ 147.727,02 – gastos que não foram prestadas dentro do prazo correto;

    13- Indício de irregularidade na omissão de despesas – R$ 147.948,81 – técnicos dizem que cruzamento de dados mostrou que fornecedores informaram gastos omitidos pela campanha;

    14- Indício de irregularidade com divergência de informações em doações – R$ 3.796,86 – doadores informaram maiores valores em relação ao declarado pelo candidato;

    15- Indício de irregularidade – R$ 20.958,16 – técnicos apontam omissão de doações no cruzamento de informações com outros prestadores;

    16- Indício de irregularidade com dinheiro de sobra de campanha transferido a outro partido – R$ 10.000,00 – técnicos apontam repassem ao PRTB, quando lei só permite que tivesse sido repassado ao próprio PSL;

    17- Indício de irregularidade com falta de documentos de comprovação de doações estimáveis (destinação de espaços ou 1trabalho) – R$ 6.913,60 – falta de documentação de espaço cedido ou outros serviços doados;

    18- Indício de irregularidade em doações estimáveis que não constavam na prestação parcial – R$ 24.916,83 – técnicos apontam que os valores não foram lançados no devido tempo, como prevê resolução;

    19- Indício de irregularidade em doações estimaveis que não constavam na prest
    ação parcial – R$ 2.511,54 – técnicos apontam que medida frustra transparência e fiscalização;

    20- Indício de impropriedade – divergência na data de abertura de contas bancárias;

    21-Ausência de recibo eleitoral em arrecadação de recursos estimáveis (trabalho voluntário e outros);

    22- Falta de documentação nas despesas, como contratos e relatórios de serviços prestados por várias empresas;

    23- Indício de irregularidade no recebimento indireto de recursos – R$ 100 – doação não identificada por meio de vaquinha virtual recebida por meio do partido e que deveria ter sido recolhida ao Tesouro.

    • Nossa… Deve dar impeachment. Kkkk
      O Lula, a alma mais honesta do mundo e seu ídolo, deve levar mais uma condenação hoje.

  11. Jamiro disse:
    13/11/2018 ÀS 23:49
    Você está louco.
    Tá de sacanagem ou só não sabe o que fala mesmo.

    Um militar NÃO PODE se “aposentar” ou receber qualquer benefício pelo INSS.

    Realmente não sei o que falo. To xarope ou louco, né mesmo?
    consulte nome de um medico militar do HPM e veja quantas aposentadorias ele tem?
    ah mas ele não é Militar, é medico! Sabe que é militar! Tem posto, funcional, e outros benefícios que só os militares tem!
    Tenho um parente militar e ele tem 2 benefícios de aposentadoria!
    Uma do exercito e outra do INSS! simplesmente ele contribuiu para ambas conquanto estava exercendo sua profissão! Lembro-te que segundo rege nossa CF há expressa autorização para acumular função na situação de duas na área de saúde por exemplo! para facilitar seu entendimento abaixo segue texto da CF:
    art. 37 CF/88: XVI – é vedada a acumulação remunerada de cargos públicos, exceto, quando houver compatibilidade de horários, observado em qualquer caso o disposto no inciso XI:

    a) a de dois cargos de professor;
    b) a de um cargo de professor com outro técnico ou científico;
    c) a de dois cargos ou empregos privativos de profissionais de saúde, com profissões regulamentadas.
    Então se o Militar estiver numa dessas situações, poderá sim receber dois benefícios desde que contribua para esse fim!
    Conheço vários PMs que dão aula!
    Sem demagogia, quem não sabe o que escreve?

    • Isso não se aplica a militares maluco.
      A exigência é de dedicação exclusiva.
      Pare de falar bobagens.
      Um militar de carreira NÃO PODE receber benefício próprio pelo INSS.

      • Quer um exemplo:
        Major Olímpio é da reserva da PM.
        Recebe seu soldo como Oficial da reserva.
        Recebe também como Deputado. Por trabalhar.
        Agora se quiser se aposentar como parlamentar, com dinheiro pago pelo Governo Federal (aposentadoria muito melhor que a de Major) terá que abrir mão da aposentadoria como militar estadual.

    • Quanto ao tempo de 35 anos para requerer a reserva é algo inevitável. Vai acontecer. Muito ruim para as Praças. Para Oficiais é desinportatante. Atrás de um computador em salas com ar condicionado da pra trabalhar até 75 anos. Já em atividades operacionais não. Mas as Praças são sempre as que se fodem mais mesmo.
      Quanto ao valor do desconto para a previdência os militares federais só contribuem com 7%. Diferente dos Policiais Militares de SP que contribuem com 11%.
      Os deles devem realmente subir para 11%.
      Os dos Estados espero que não, mas provavelmente irá para 14%.
      Na prática, Praças que se aposentaram aos 50 vão se aposentar aos 55. Vão baixar com problemas médicos ou psicológicos aos 50 e ficar 4 anos e meio em casa. Quando der 35 de contribuicao retornam e aposentam.
      Não vão aguentar o ritmo e os rigores do serviço operacional após 50 anos. O corpo e a mente cobram seu preço.
      Quanto a quem faz trabalho burocrático…Como eu disse…Esses podem ir até 75 anos.

  12. Cidade do Paraná que deu 74% dos votos a Bolsonaro perde 75% dos médicos
    15 de novembro de 2018 por Esmael Morais

    A ingratidão do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL), que implantou programa ‘Menos Médicos‘, expulsando os médicos cubanos do país, foi proporcional ao número de votos que ele recebeu no próspero município de Ponta Grossa (PR).

    LEIA TAMBÉM
    Presidente de Cuba dá sabugada em Bolsonaro após fim do Mais Médicos

    Na eleição de outubro, Bolsonaro obteve 74% dos votos válidos (137.776) entre os pontagrossenses e — como recompensa — os moradores da cidade perderam 75% dos médicos das unidades de saúde.

    “Sem dúvida, este é o problema mais grave em todo o meu governo”, reconheceu o prefeito Marcelo Rangel (PSDB).

    Dos 80 médicos que atendem nas unidades de saúde de Ponta Grossa, 60 deles eram cubanos do programa Mais Médicos.
    Segundo o prefeito tucano, o programa ‘Menos Médico’ do presidente eleito afetará diretamente 240 mil pessoas no município.

    Ponta Grossa fica a 110 km de Curitiba, na região dos Campos Gerais, e possui 350 mil habitantes.

    • É, a culpa é do Bolsonaro do governo DITATORIAL de Cuba não aceitar que o Salário do trabalhador Seja pago, veja só, ao próprio trabalhador. Que o trabalhador possa trazer sua família para estar ao seu lado.
      A culpa é do Bolsonaro não da MERDA do PT que fez um programa ideológico com um goverbo de MERDA estrangeiro que não respeita contrato algum.
      Vai dar o rabo escriludida. Defender Cuba nessa questão e querer culpar um governo que sequer começou é ser contra o próprio país. É TRAIÇÃO!

O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do comentarista que venha a ofender, perturbar a tranquilidade alheia, perseguir, ameaçar ou, de qualquer outra forma, violar direitos de terceiros.O autor do comentário deve ter um comentário aprovado anteriormente. Em caso de abuso o IP do comentarista poderá ser fornecido ao ofendido!...Comentários impertinentes ou FORA DO CONTEXTO SERÃO EXCLUÍDOS.. Contato: dipolflitparalisante@gmail.com

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s