O ministro Paulo Guedes é outro mamador de piroca fardada…Caro Ministro, quantos e quem são os jovens que ingressam no serviço público ganhando mais que generais? 9

Por que o militar se acha mais especial ?

Por que o governo tem medo dos armados ?

Resultado de imagem para recruta zero

Jair Bolsonaro mandou hoje o pacote com as  novas regras para a aposentadoria de militares, incluindo um jaboti enfiando goela a baixo do povo brasileiro uma  reestruturação da carreira que  concede, na prática, ganho de vencimentos e uma quantidade vergonhosa de benefícios aos integrantes das Forças Armadas e das Polícias Militares.

Sim, a PM foi de carona sentada na janelinha!

Tentando justificar, o governo diz  que a carreira militar possui  certas  especificidades; assim merece tratamento diferenciado.

Ora, eles tem tratamento diferenciado há séculos!

Algumas desses sacrifícios listados pelo governo são:

  • risco de morte   ( militar das FFAA raramente morre em serviço , salvo os recrutas submetidos a tratamentos desumanos ,  violentos e transformados em meganhas  )
  • proibição de greve ( praticamente todos os funcionários públicos também são proibidos de fazer greve )
  • sem adicional noturno ( policiais civis, federais  e tantos outros , também  )
  • sem hora extra ( nenhum funcionário público recebe hora extra; gerentes e diretores privados , também não  ) .
  • disponibilidade permanente, pois quando entram para a reserva, podem ser convocados a atuar…( hipótese pouco provável e desde que não tenha atingido a idade limite que varia conforme a graduação ou patente; esta quanto mais elevada maior é a idade para a reforma ( “aposentadoria definitiva” ). Um general é reformado ao completar 65 anos ( salvo tenha mudado a regra ) , depois dessa idade não pode ser  convocado .

Observem a pérola do ministro de economia do dinheiro dos ricos:

Corrigir os privilégios entre militares e servidores civis

Nós sentimos que estamos fazendo uma correção não só do lado da Previdência, mas também do lado de reduzir privilégios que, no caso, estavam a favor de servidores civis e contra os servidores militares
Paulo Guedes, ministro da Economia

“Jovens que ingressavam no serviço público civil, através de um concurso público, já ingressavam, em alguns outros Poderes, com salários acima de R$ 20 mil, enquanto generais, em fim de carreira, estavam recebendo abaixo de R$ 20 mil. Então, o que nós fizemos foi uma reestruturação, feita pelos militares, sem aumento de soldo”, acrescentou Guedes.

É vergonhoso o medo das armas e das fardas!

O brasileiro é mesmo bundamole, especialmente aqueles que agora cercam o atual governo ( de militares ) .

Se há privilegiados no serviço público civil , tais privilégios devem ser expurgados .

Há uma fórmula bem simples: redutores para tudo que ultrapassar o teto de vencimentos fixado na Constituição.

Aliás, o teto dos vencimentos e subsídios no serviço público foi transformado em piso salarial para magistrados, membros do MP , arrecadadores de impostos e alguns mais…

Uma minoria que embolsa mais do que todos os demais funcionários somados.

Além do redutor dos vencimentos, criando-se alíquotas do IRPF e das contribuições previdenciárias de forma mais linear.

Enfim, em vez de reduzir as distorções o governo inventa compensações criando ainda mais benefícios para uma casta aristocrática e historicamente privilegiada: O OFICIALATO!  

As Praças – e suas mulheres e filhas –  nunca mamaram nas netas da nação!

Verdadeiramente, são os trabalhadores civis deste Brasil que defendem a Pátria diariamente sem a necessidade de juramentos.

E no caso de uma guerra , voluntariamente , são aqueles que entregarão a vida por puro patriotismo!

Militares não são patriotas , são profissionais remunerados.

Necessários , mas não tão especiais, úteis e indispensáveis como se arvoram .

Aliás, é o Estado que investe na sua formação profissional desde a tenra juventude.

Os demais funcionários públicos estudam por conta própria , se qualificam por força de vontade pessoal  e ingressam meritoriamente prontos para servir a nação até os 75 anos.

Esse senhor fala como se “concurso público” fosse um generosidade do Estado.

Sem perder o racicínio, não se ingressa através de um concurso público. Ingressa-se por meio de concurso público…De regra depois de muitas tentativas, né? Bom de inglês, péssimo em português! E pior ainda em materia de economia e administração pública.

Retornando , enquanto grande parte dos militares logo depois de preenchidos os requisitos pedem “aposentadoria” e logo arrumam um bom emprego em estatais ou mesmo na iniciativa privada .

Nem vou falar dos pilotos da Força Aérea, os quais com 45 a 48 anos pulam foram do caça para o jatinho particular ou helicóptero privados.

Enfim, a reforma só atingirá os pobres e as classes funcionais menos representativas!

Eis a honestidade do presidente e dos militares em geral.

  1. Proposta para militares põe policiais em pé de guerra
    POR FERNANDO BRITO · 20/03/2019

    Como era de esperar, a proposta previdenciária para os militares traz mais danos à tramitação da reforma da Previdência que benefícios para as contas públicas.

    É que aquilo que será exigido a mais em tempo de serviço e em contribuição para a aposentadoria é totalmente coberto pelo aumento das gratificações pagas aos integrantes das Forças Armadas, em especial aos oficiais graduados, que receberam parcelas muito mais generosas que a tropa em matéria de representação, adicional por cursos e o criado “adicional de disponibilidade militar”, cujos índices variam de acordo com a patente.

    A “economia” de R$ 10 bilhões em 10 anos é originária, essencialmente, da redução proposta do efetivo militar brasileiro: 10% em 10 anos. Calculada pelo termo médio (5% a menos de efetivo) sobre os cerca de R$ 24 bilhões da folha de ativos atual, isso dá R$ 12 bilhões em uma década, mais que a alegada economia das medidas propostas hoje.

    Há outros pontos que vão gerar disputa com os funcionários civis: alíquotas menores que as deles para vencimentos iguais, regras de transição extremamente mais generosas e a ausência de idade mínima, que, mesmo com os 35 anos de serviço, permitirá a militares se aposentarem aos 52 anos de idade (17 anos de idade mínima para a entrada nas escolas de cadetes, contando para somar os 35 anos).

    Mas nada será comparável à irritação dos policiais e bombeiros militares dos Estados, que “ganham” as novas exigências para se aposentarem mas não recebem um tostão das vantagens concedidas às Forças Armadas.

    O próprio Ministério da Economia estima que R$ 52 bilhões deixarão de ser pagos aos militares estaduais, por conta da mudança de regras. Como são, hoje, 500 mil em todo o país, o resultado é uma perda superior de R$ 100 mil por cabeça, em média, em uma década ou pouco maior que R$ 10 mil por ano.

    É por isso que até no PSL de Bolsonaro as reações são negativas. E a razão de ter sido dito aqui que a medida desagradaria a “gregos e goianos”.

    Na situação em que está hoje, o governo não conseguiria aprovar nenhum dos dois projetos , nem o dos civis, nem o dos militares.

    E não há sinal no horizonte de que isso esteja mudando.

    • Nada…podia ser bem pior.
      Deixa os benefícios para eles…até porque estão abandonados por décadas.

      Para nós, benefícios devem vir do Governador. Não virá. Mas quando entramos na PM sabíamos disso.
      Não dá para querer benefícios de carreira federal e prestar concurso para o estado.

      Ficando com os mesmos direitos da Proteção Social…ESTA ÓTIMO!

      SEM BRIGA.
      ATÉ PORQUE, SE NEM O PODER JUDICIÁRIO GANHA BRIGA COM AS FA A PM MUITO MENOS.

  2. GOVERNO BOLSONARO
    Bolsonaro é o presidente estreante mais mal avaliado em 24 anos, diz Ibope

    Marcos Corrêa/PR
    Imagem: Marcos Corrêa/PR
    165.5k
    Alex Tajra
    Do UOL, em São Paulo
    20/03/2019 18h17Atualizada em 20/03/2019 21h44

    A presidência de Jair Bolsonaro (PSL) é considerada “ótima ou boa” por 34% dos brasileiros. Essa é a pior avaliação para um terceiro mês de um presidente estreante (ou seja, desconsiderando os segundos mandatos) nos últimos 24 anos, mostra pesquisa do Ibope divulgada hoje.

    VEJA TAMBÉM
    Bolsonaro vai à Câmara e entrega reforma da Previdência dos militares

    Com Bolsonaro, AGU muda posição e agora defende prisão em 2ª instância

    Segundo o Ibope, que ouviu 2.002 pessoas entre 16 e 19 de março, Bolsonaro é menos bem avaliado agora do que foi Fernando Henrique Cardoso (PSDB) em 1995, Luiz Inácio Lula da Silva (PT) em 2003 e Dilma Rousseff (PT) em 2011.

    [ x ]
    Levando-se em conta os segundos mandatos, os 34% de avaliação positiva de Bolsonaro o colocam à frente de Fernado Henrique após à reeleição (22% em março de 1999) e do segundo mandato de Dilma (12% em março de 2015), mas atrás de Lula em março de 2007 (49%).

    Segundo a pesquisa, 34% das pessoas ouvidas acham que o governo Bolsonaro é “regular”, e quase um quarto (24%) avalia a gestão Bolsonaro como “ruim ou péssima”.

    Queda em relação ao início do governo

    O Ibope também diz que houve uma queda de 15 pontos na avaliação positiva do governo, e subiu 13 pontos o percentual de entrevistados que avaliam o governo negativamente desde o início do ano.

    A confiança dos brasileiros no presidente também sofreu alterações desde o começo do governo.

    Em janeiro, a maioria dos entrevistados (62%) dizia confiar em Bolsonaro, enquanto 30% das pessoas não confiavam e outros 6% preferiram não opinar.

    Arte/UOL
    Imagem: Arte/UOL
    Na pesquisa divulgada hoje, 49% dizem confiar no mandatário, ao passo que 44% não confiam.

    Veja alguns outros dados estipulados pela pesquisa Ibope divulgada hoje:

    Ricos e brancos avaliam melhor Bolsonaro: 49% dos que ganham mais de cinco salários mínimos avaliam positivamente o governo, o melhor índice entre os entrevistados; avaliação positiva também é maior entre os que se declaram brancos: 42% classificam como positivo o governo.

    Nordeste lidera retração: 23% dos moradores da região classificaram o governo como bom ou ótimo na pesquisa de março; em relação a janeiro, houve uma queda de 19 pontos percentuais. Os moradores do Nordeste também são os que mais desaprovam a forma de o presidente governar: 49% não compactuam com a maneira Bolsonaro fazer política.

    Evangélicos são os que mais confiam em Bolsonaro: Segundo o Ibope, 56% dos entrevistados que se identificam com a religião evangélica dizem confiar no presidente, o maior número entre os 31 segmentos avaliados.

    Cidades das periferias têm grande aumento na avaliação negativa: Entre a pesquisa do Ibope em janeiro e a divulgada hoje, houve um aumento de 21 pontos percentuais entre os entrevistados que residem nas cidades das periferias brasileiras. 8% avaliavam como ruim ou péssima em janeiro, passando para 19% em fevereiro e chegando a 29% em março.

    A margem de erro da pesquisa é de 2 pontos percentuais para mais ou para menos.

  3. Sinceramente isso é inveja. Bozó ia fazer isso de uma maneira ou de outra. Sacanagem com o povo que fica com o sentimento de injustiça. Só que ninguém lembra de militar para nada. Lembram quando precisam. Igual a polícia. A quantidade do povo que diz confiar no EB como a “instituição” mais confiável. Sempre foi assim. Conhecendo o EB daqui da região Sudeste sei que a grande maioria são formados por encostados (lembram alguém?).
    Agora que finalmente conseguem algo o povo já fica se coçando. Do nada o povo perdeu a “confiança”. Cambada de pilantra não é? O pior é que, como sempre, os administradores sempre querem sair na frente e puxar a sardinha para si com as mais variadas desculpas esfarrapadas.

    Em suma:
    Veículos de informação mais gostam de tacar fogo nas coisas a fazer jornalismo imparcial. Sempre vomitam seus “sentimentos” postando as informações de maneira a manipular a visão do povo. (Veículos de comunicação-todos iguais).

    Nunca lembram dos sofridos e quando lembram já querem melar tudo. Só lembram na hora da conta e quando precisam.

    Sempre tiveram benefícios e agora querem retirá-los, afinal quem pode tê-los é apenas legislativo e judiciário.

    Toda vez que é necessário chicotear alguém, chicotea-se o executivo.

    Quando com muito custo se consegue algo para os “miseráveis”, o “miserável” administrador puxa a sardinha para si.

    Brasil… País das minorias que são maioria. País com maior desigualdade do mundo. País mais racista do mundo. País de pilantras. País de invejosos. Um país que nunca irá para frente, afinal temos “brasileiros” aqui.

    Parece a estória do GAT né? Entre tantas outras nas mais diversas instituições, mas agora está incomodando a todos.

  4. Ué! Vários! Juízes, Promotores, Defensores Públicos e até ascensorita, copeiro de algumas Assembléias e Câmaras Municipais…aaaaaaaiiii.

  5. Com tantos oficiais no governo, o quê vocês esperavam?
    Agora se os militares ganham tão pouco, como dizem alguém poderia postar o soldo deles, para por fim a essa discussão.

  6. NInguém fala dos super salários do poder judiciário, inclusive na aposentadoria de seus membros. Só sabem bater em polícia. Senado e Camara só lembra da polícia; jornais também, o Flit também….vão se catar!!

  7. Tem mamador de milico e tivemos uma babadora de rola de barbudo cubano. Olhaaaaaa

  8. eu não sei não ,estou começando desconfiar que troquei sei por meia duzia.será?

Os comentários estão desativados.