DOPE – Novo departamento de elite da Polícia Civil de SP começa a funcionar 39

Novo departamento de elite da Polícia Civil de SP começa a funcionar

Dope irá concentrar policiais de delegacias especializadas em diversos crimes

  • 20.ago.2019 às 16h17
SÃO PAULO

O governo estadual criou um novo departamento para a Polícia Civil paulista, que já começou a operar. Segundo publicado no Diário Oficial do Estado de São Paulo, no último dia 3, o Decade (Departamento de Capturas e Delegacias Especializadas) passa a ser chamado de Dope (Departamento de Operações Policiais Estratégicas), no qual serão concentradas delegacias especializadas em diversos tipos de crime.

Com a mudança, o GOE (Grupo de Operações Especiais) foi extinto e seus policiais serão assimilados pelo Garra (Grupo Armado de Repressão a Roubos e Assaltos).

Viatura do Dope (Departamento de Operações Policiais Estratégicas), que substitui o Decade (Departamento de Capturas e Delegacias Especializadas), após publicação de decreto do governador João Doria (PSDB), no último dia 3 no Diário Oficial do estado de São Paulo – Divulgação/Polícia Civil

Segundo o delegado Osvaldo Nico Gonçalves, diretor do Dope, o departamento foi criado pelo governador João Doria (PSDB) para fortalecer o serviço de rua feito pela Polícia Civil. “O GOE não está sendo extinto. Os policiais que nele atuavam estão sendo assimilados pelo Garra, que agora contará com um efetivo de [aproximadamente] 200 policiais”, afirmou.

O novo departamento passa a atuar na capital paulista, mas pode agir em cidades do interior do estado quando for necessário.

O decreto assinado pelo governador determina que o Dope irá investigar extorsão mediante sequestro, pois irá contar com policiais do DAS (Divisão Anti-Sequestro); vai cumprir mandados de prisão e de apreensão de adolescentes, com policiais do Decade; irá investigar crimes praticados contra turistas, com a atuação de agentes que atuam na Deatur (Delegacia de Apoio ao Turista); além de agir em aeroportos e também contar entre seu pessoal com membros da Drade  (Delegacia de Repressão aos Delitos de Intolerância Esportiva) e do grupamento aéreo da Polícia Civil.

“Muito dispersa”

O delegado afirmou que a Polícia Civil estava “muito dispersa”, pois policiais e delegados ficavam alocados e muitas delegacias e divisões. “O Garra, por exemplo, não contava nem com cinco delegados de plantão. Agora [com a criação do Dope] teremos um time completo”, disse.

O diretor do Dope afirmou ainda que as viaturas do departamento contarão com rastreadores. Além disso, ele adiantou que pretende manter um médico de plantão no departamento, para atuar em eventuais casos em que policiais fiquem feridos.

A presidente do Sindicato dos Delegados do Estado de São Paulo, Raquel Kobashi Gallinati, afirmou que o objetivo primário do Dope é prevenir e combater eventos criminosos em potencial. “Além disso, o departamento vai conduzir, com técnicas diferenciadas, operações policiais não convencionais, como ocorrências com reféns, ações de alto risco e contra o terror, além de realizar atividades de cunho especializado, como o policiamento civil aéreo e a proteção de dignitários”, afirmou.

Primeiro apoio

O primeiro caso em que policiais do Dope atuaram ocorreu na última sexta-feira (16) em Cotia (Grande SP). Em apoio ao MP (Ministério Público), policiais civis cumpriram 15 mandados de busca e apreensão contra integrantes de uma empresa de cosméticos, acusado de sonegar impostos, o que teria causado prejuízos estimados em R$ 90 milhões aos cofres públicos.

Segundo o MP, os investigados atuavam há cerca de 18 anos, criando empresas, registrando-as falsamente em nome de terceiros, explorando as companhias em suas atividades comerciais, mas sem pagar os tributos devidos ao estado.

Durante os cumprimentos dos mandados, ocorridos também na capital paulista, um suspeito – identidade não informada – foi preso após ser flagrado com duas armas não registradas, segundo o Dope.

  1. Seria um excelente lugar para o flitante Sucupira trabalhar.
    Ele afirmou ter conhecimento sobre o pm Queiroz; afirmou ter conhecimento sobre quem era o dono do iate onde o coronel do aéreo/pm fazia um churrasco com o pitoto aéreo Felipe do pcc que está preso e também afirmou saber detalhes sobre o pm traficante do batalhão de Botucatu.
    Provavelmente ele está tendo dificuldade de colocar tudo isso no papel, o que eu não acredito, devido a delagacia que está trabalhando, mas em um departamento com certeza irá mostrar a sua habilidade e deixará de segurar informações preciosas para a justiça.

    Curtir

  2. Porra extinguir o GOE tá de brincadeira é a mesma coisa que extinguir a rota da PM!!! Pqp mesmo viu temos que preservar nossas tradições ,nossa história ,vê se acontece isso com a PM.
    Só lamento!!

    Curtir

  3. Coloca esse monte de vagabundo no Decap que está faltando gente, para com essa bosta de cobrar flagrante, e faça que a P.C investigue e volte ao seu papel de verdade! Mania de querer ser policia de Tv !!! Polícia Civil tem que ser velado e não andar de farda passeando e gastando combustível! A PM está engolindo a gente até a hora de acabar!

    Curtir

  4. O Dr Nico está certíssimo em centralizar estes grupos que estavam bagunçados, e assim é na Polícia Federal (COT), na Polícia Civil do RJ (CORE).
    As polícias civis do Brasil tem que se reestruturar nos moldes da Polícia Federal, porque do jeito que tá, tá uma zona. Reestruturação das Polícias civis do Brasil, assim é nas GCM’s, Agentes penitenciários, militares. Padronizar é o início para arrumar a bagunça.

    Curtir

  5. O Dr Nico está certíssimo em centralizar estes grupos que estavam bagunçados, e assim é na Polícia Federal (COT), na Polícia Civil do RJ (CORE).
    As polícias civis do Brasil tem que se reestruturar nos moldes da Polícia Federal, porque do jeito que tá, tá uma zona. Reestruturação das Polícias civis do Brasil, assim é nas GCM’s, Agentes penitenciários, militares. Padronizar é o início para arrumar a bagunça.

    Curtir

  6. Policia é Policia com ou sem “nomenclaturinha”, “adesivinho”, “fardinha”…só que Policia precisa comer, vestir-se, ter ferramentas boas nas maos, ter meios, viaturas…o resto é tudo bla bla bla de quem compra Jatinho financiado pelo BNDES c juros de 4% aa..

    Curtir

    • O dia que a Polícia civil se preocupar em investigação de crimes ,campana infiltração etc…seremos bem mais respeitados..Ficar fardado realizando ronda já tem a PM p isso..enquanto brincam de swat tupiniquin apenas 3 % dis crimes ilucidados. .

      Curtir

  7. Dr. Guerra, um pouco fora da pauta, mas soube que Bolsonaro suspendeu o porte de armas fora da unidade federativa em que atuam para policiais civis?

    Curtir

    • Muito pelo contrario , ele facilitou, agora não precisa mais comunicar, veja o que realmente aconteceu antes de ficar como esse pessoal esquerdista propagando asneiras

      Curtir

  8. Primeiro queria armar a população até com fuzil, agora quer tirar a arma do policial. Afinal, quem é que manda nesta porra de país?

    Curtir

  9. Finalmente o Grupo dos Otários Especiais foi extinto, acabaram-se os goiabas. Agora os grupos da PC tem tudo para dar certo, com Rui Fontes de DG, Nico DOPE, Dian GER e Palumbo no GARRA.

    Curtir

  10. Senhores, sinto-me envergonhado de certas coisas.

    Nós não temos munições!
    Alguns colegas saíram da ACADEPOL com 15 MUNIÇÕES , ISSO MESMO. 15!
    Outros receberam munição NTA.!

    Amigos! a PM RECEBERÁ GLOCKS!
    Está nos faltando unidade como instituição!. Estamos fadados ao fracasso eterno.

    Precisamos no unir para nos fortalecer.
    Pelo amor de DEUS!

    Curtir

  11. Chá de guarda roupas na esfarrapada PC. “DOPE”, já que é só perfumaria mesmo, poderia escolher um nome melhor para que o cidadão não se confunda com aquele conhecido órgão torturador dos anos de chumbo.

    Curtir

      • Senhor Eduardo

        Se a memória não me falha, o antigo tinha denominação de “Departamento Estadual de Ordem Social e Politica”, DEOPS.

        C.A.

        Curtir

        • Popularmente conhecido como “DOPS” e reconhecido por órgãos governamentais como “DOPS”.
          E os fonemas de “DOPS” e “DEOP” praticamente resultam em uma mesma sonoridade. Quem trabalha marketing sabe que isso funciona.
          E os menos avisados certamente serão confundidos com uma ou outra sigla. Alias, esses dias uma moça de uns 38/40 anos externava o seu saudosismo (nem sei se viveu para isso!) quanto ao “DOPS” retirar mendigos do seu bairro… Imagine essa moça vendo um carro do “DOPE” com identidade visual imitando o brasão da PF?!
          E para ilustrar como é fácil iludir o povão: lembra-se do “Projeto Fura-Fila”? Seriam os atuais monotrilhos, à época amarelos.
          Como não havia meios de progredir com aquela promessa naquele tempo, Maluf (para eleger Pitta) põe nas ruas (em conluio com as empresas) ônibus articulados ou bi-articulados da cor amarela. E o povo achava que era o tal “Fura-Fila”.
          Viu como é fácil iludir o povão?!
          P.S: Se a Lei de Abuso de Autoridade passar, vai ficar difícil para os aproveitadores de função pública.
          Deputado que se elegeu na base do Aqui Agora (aquele carioca já morreu) e outros que se elegeram fazendo permuta alimentícia com o Datena não vão mais poder tirar proveito dos excessos cometidos.

          Curtir

  12. “O governo estadual criou um novo departamento para a Polícia Civil paulista, que já começou a operar. Segundo publicado no Diário Oficial do Estado de São Paulo, no último dia 3, o Decade (Departamento de Capturas e Delegacias Especializadas) passa a ser chamado de Dope (Departamento de Operações Policiais Estratégicas), no qual serão concentradas delegacias especializadas em diversos tipos de crime.

    Com a mudança, o GOE (Grupo de Operações Especiais) foi extinto e seus policiais serão assimilados pelo Garra (Grupo Armado de Repressão a Roubos e Assaltos).”

    Melhor ler isso do que ser cego.

    Traduzindo: vamos mudar o nome dos departamento e a alocação do pessoal, mas seu salário será o mesmo, o número de policiais serão os mesmos.

    Até hoje, nunca vi alguém me explicar a diferença entre GARRA e GOE. (além da nomenclatura, claro)

    Curtir

  13. Não entendo, sempre questionamos a pm com o seu reservado que faz o nosso serviço, ai ficamos fazendo o serviço ostensivo da pm, está tudo errado.
    Somos policia judiciaria, temos é que investigar, lutar por um salário digno, condições de trabalho, um plano de carreiro, contudo estamos indignados pq o Goe acabou, vamos acordar nós é que acabamos.

    Curtir

  14. Então que agrupassem todos os grupos no GOE e fizessem um grande GOE ou ao invés de dope ter a nomenclatura de GOE . Pelo menos não extinguiria uma lenda do Políciamento tatico de São Paulo e um dos melhor do Brasil e do mundo

    Curtir

O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do comentarista que venha a ofender, perturbar a tranquilidade alheia, perseguir, ameaçar ou, de qualquer outra forma, violar direitos de terceiros.O autor do comentário deve ter um comentário aprovado anteriormente. Em caso de abuso o IP do comentarista poderá ser fornecido ao ofendido!...Comentários impertinentes ou FORA DO CONTEXTO SERÃO EXCLUÍDOS.. Contato: dipolflitparalisante@gmail.com

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s