Eu amo a Rede Globo e o Jornal Nacional , o presidente é um canalha que busca instalar a sua ditadura e tomar o Brasil inteiro 26

O presidente tem que cair o mais rápido possível …

O Brasil se acha em perigo iminente de retornar a ser uma republiqueta de chefetes fardados…

Prefiro quem roube um bilhão a quem pretende roubar o país para si!

  1. Calma Dr. Guerra! O nosso sistema de freios e contra-freios está funcionando perfeitamente, tanto assim que o presidente da República näo consegue nomear um diretor para a PF sem causar enorme barulho em contrário.
    Assim, constata-se que o Brasil está vigilante e as forças armadas bastante consciente de seus deveres e limites constitucionais.
    Bolsonaro pode até ter vontade e jeito de ditador, mas se levar essa idéia adiante nem aquele cabo e dois soldados aos quais se referiu o filho dele estaräo dispostos em apoiá-lo.
    Vamos, entäo, orar para que o mandato dele chegue ao final, sem maiores consequëncias para o Brasil, que da próxima saberá eleger alguém mais capacitado.

    Curtido por 1 pessoa

  2. Bolsonaro pede ‘jogo pesado’ contra Doria, que rebate: ‘seja líder se for capaz’
    Apelo de presidente foi feito em reunião com empresários paulistas
    Com informações do Estadão Conteúdo
    14.05.2020, 22:00:00
    Atualizado: 14.05.2020, 22:10:39
    Newsletter
    Receba as notícias que importam no seu e-mail, diariamente.
    e-mail

    receber

    https://correio-cdn1.cworks.cloud/fileadmin/processed/7/c/csm_joao_doria_jair_bolsonaro_foto_divulgacao_640c2aa08c.jpg

    Doria e Bolsonaro fizeram ‘dobradinha’ nas eleições de 2018, mas romperam (Foto: Divulgação)
    Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

    O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) pediu nesta quinta-feira (14), durante uma live com empresários, para eles “jogarem pesado” com o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), para evitar o lockdown – fechamento total de todas as atividades – no Estado como medida de combate ao novo coronavírus.

    Na videoconferência promovida pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), na qual um dos empresários inclusive aparece pelado, Bolsonaro disse que há “uma guerra” e uma motivação política de tentar quebrar a economia para atingir o seu governo.

    “Um homem está decidindo o futuro de São Paulo, o futuro da economia do Brasil. Os senhores, com todo o respeito, têm que chamar o governador e jogar pesado, porque a questão é séria, é guerra. É o Brasil que está em jogo. Se continuar o empobrecimento da população, daqui a poucos seremos iguais na miséria”, afirmou Bolsonaro. “O que parece que está acontecendo parece uma questão política, tentando quebrar a economia para atingir o governo.”

    O governador paulista, que durante as eleições de 2018 foi aliado de Bolsonaro na aliança denominada “BolsoDoria”, reagiu às declarações dizendo que o presidente “despreza vidas” e cobrou de Bolsonaro que “comece a ser um líder”.

    “Hoje, mais uma vez, o presidente da República perde a chance de defender a saúde e a vida dos brasileiros. São Paulo está lutando para proteger vidas.(…) Ele prefere fazer comícios, andar de jet-ski, treinar tiros e fazer churrasco. Enquanto isso, milhares de brasileiros estão morrendo todos os dias. Acorde para a realidade, presidente Bolsonaro. Saia da bolha de ódio e comece a ser um líder, se for capaz”, continuou Doria.

    Doria também disse lamentar que o presidente, em vez de trabalhar pela saúde do povo, “esteja mais preocupado em atender um pequeno grupo de empresários ligados à Fiesp”. Bolsonaro defende o fim do distanciamento social, contrariando recomendações de autoridades de Saúde e da Organização Mundial da Saúde (OMS).

    Nesta quinta, o líder nacional voltou a criticar as medidas de isolamento social defendidas por Doria. Epicentro da pandemia do novo coronavírus, São Paulo tem 54.286 casos confirmados de covid-19 e 4.315 mortes. No Brasil, são 188.974 casos, com 13.149 óbitos.

    Curtir

  3. Acompanhando as notícias acerca do presidente, que estaria incomodado com a falta de relatórios de inteligência (RELINTs), mencionando na mesma conversa a necessidade de proteger familiares e aliados, tenho observado um que há algo extremamente grave sendo, até então ignorado:
    Sabendo que o presidente admitiu, em diversas oportunidades, estar incomodado com a falta de RELINTs da Polícia Federal, razão para querer a troca do Diretor da PF; tendo conhecimento de que tanto o Diretor da PF quanto o ex-ministro Moro afirmaram que “esse tipo de relatório, como ele quer, não poderia ser feito”; e sabendo ainda que o presidente agora afirma que suas falas gravadas no vídeo de uma das reuniões se referem não à PF, mas sim ao GSI, ABIN e até SISBIN (Sistema Brasileiro de Inteligência, composto pela ABIN, órgãos de inteligência das forças armadas e polícias de todo o Brasil), mencionando ainda, na mesma conversa, a necessidade de proteger familiares e aliados com RELINTs, o Presidente da República tem admitido algo muito mais grave do que uma troca questionável do Diretor da PF.
    A ABIN tem como atribuição avaliar ameaças, internas e externas, à ordem constitucional. Embora exista aqui uma grave falha na legislação brasileira, permitindo que a ABIN atue contra “ameaças internas” (um conceito bastante vago e que pode ser usado com objetivos autocráticos) enquanto a ABIN deveria estar concentrada em produzir inteligência contra inimigos externos), ainda assim, a ABIN não possui atuação político-partidária, sendo um instrumento para a preservação da soberania do país.
    Já o SISBIN, que, como já dito anteriormente, inclui as polícias estaduais, federais e forças armadas (além da própria ABIN), deve atuar na obtenção de informações relevantes no âmbito da segurança pública, contra o crime organizado, portanto.
    Quando o Presidente da República se diz incomodado com a falta de relatórios de inteligência, e menciona ainda a necessidade de proteger familiares e aliados, ele está, tacitamente, admitindo o interesse em utilizar as estruturas de inteligência nacionais para espionar adversários políticos (indivíduos, partidos políticos, …) e, assim, obter vantagem ilícita para, de forma extremamente desonesta, desequilibrar o jogo democrático.
    Trazer um delegado que fez um “tour” pela ABIN para a ser Diretor Geral da Polícia Federal é mais uma prova das reais intenções do presidente.
    As ações e declarações do presidente apontam algo muito mais grave do que a tentativade indicar um Diretor da PF para obter informações acerca de inquéritos contra si, familiares ou amigos; os movimentos do presidente demonstram que o mesmo está tentando corromper as instituições (ABIN e polícias) para usá-las como uma nova versão, modernizada e velada, do que um dia foi o SNI, DOI-CODI e DOPS.
    Se eu fosse advogado do presidente, talvez o aconselhasse que o diálogo gravado se referia apenas ao Diretor da PF: seria menos grave.

    Curtir

  4. O GOLPE DE BOLSONARO CONTRA A DEMOCRACIA ESTÁ EM CURSO

    Acompanhando as notícias acerca do presidente, que estaria incomodado com a falta de relatórios de inteligência (RELINTs), mencionando na mesma conversa a necessidade de proteger familiares e aliados, tenho observado que há algo extremamente grave sendo, até então, ignorado pela imprensa e juristas:

    Quando o Presidente da República se diz incomodado com a falta de relatórios de inteligência, e menciona ainda a necessidade de proteger familiares e aliados, ele está, tacitamente, admitindo o interesse em utilizar as estruturas de inteligência nacionais para ESPIONAR ADVERSÁRIOS POLÍTICOS (indivíduos, partidos políticos, …) e assim obter vantagem ilícita para desequilibrar o jogo democrático.

    Trazer um delegado que fez um “tour” pela ABIN para a serem Diretor Geral da Polícia Federal é mais uma prova das reais intenções do presidente (e eu não estou me referindo ao Ramagem, pois o atual Diretor Geral, nomeado por Bolsonaro e sem obstáculos no STF, também veio da ABIN).

    Para àqueles que não estão familiarizados com estes nomes e suas funções, a ABIN (Agência Brasileira de Inteligência) tem como atribuição avaliar ameaças, internas e externas, à ordem constitucional. Embora exista aqui uma grave falha na legislação brasileira, permitindo que a ABIN atue contra “ameaças internas” (um conceito bastante vago e que pode ser usado com objetivos autocráticos) enquanto a ABIN deveria estar concentrada em produzir inteligência contra inimigos externos, ainda assim, a ABIN não possui atuação político-partidária, sendo um instrumento para a preservação da soberania do país.

    Já o SISBIN é o Sistema Brasileiro de Inteligência, uma rede que inclui as polícias estaduais, federais e forças armadas (além da própria ABIN) e deve atuar na obtenção de informações relevantes no âmbito da segurança pública, contra o crime organizado.

    Portanto, sabendo que o presidente admite estar incomodado com a falta de RELINTs da Polícia Federal, razão para querer a troca do Diretor da PF; tendo conhecimento de que tanto o ex-diretor da PF quanto o ex-ministro Moro afirmaram que “esse tipo de relatório, como ele quer, não poderia ser feito”; e sabendo ainda que o presidente agora afirma que suas falas, gravadas no vídeo de uma das reuniões, se referiam não à PF, mas sim ao GSI, ABIN e até SISBIN, mencionando ainda a necessidade de proteger familiares e aliados, o Presidente da República tem admitido algo muito mais grave do que uma troca questionável do Diretor da PF:

    As ações e declarações do presidente não apontam apenas para uma tentativa de indicar um Diretor da PF para obter informações acerca de inquéritos contra si, familiares ou amigos; os movimentos do presidente demonstram que o mesmo está tentando corromper as instituições (ABIN e polícias) para usá-las como uma nova versão, modernizada e velada, do que um dia foi o SNI, DOI-CODI e DOPS, instrumentos de repressão política durante a ditadura.

    A imprensa que se cuide.

    Curtir

  5. É verdade, não conseguiu nem nomear um delegado, sem nenhuma acusação nem condenação, impedido pelo stf, poxa como esse órgão é zeloso, o que será que aconteceu há uns tempos atrás em que assaltantes de bancos, guerrilheiros, simpatizantes das piores ditaduras comunistas foram colocados em cargos em que destruíram a petrobras e causaram o maior roubo de dinheiro público do mundo, acho que não estavam muito atentos, sei lá, ou demostraram sua lealdade as pessoas e partidos que os colocaram lá, alguns inclusive sem qualificação, com reprovações em concursos públicos, ou primo de algum presidente corrupto……E pra quem tem pavor de ditadura,( só se ela for de direita, se for de esquerda e eterna, tudo bem), pensar em destituir o presidente é simplesmente entregar, constitucionalmente o poder aos militares, ou alguém se esqueceu da patente do vice ?????

    Curtir

  6. Bozo tá nem aí com COVID, nem Economia. Tá preocupado com a PF na bota da família. Corre bozo, que o bafo da PF tá na nuca, já!

    Curtir

  7. BOLSONERO demitiu o Ministro da Saúde, Nelsinho Teich, mai conhecido como do cocheiro do Drácula, agora á pouco. Comento desde do ano passado que esse cara vai destruir o País, quanto mais cresce e mais liberdade…….mais apresenta ser um INSANO………..não duvidem se no cargo de ministro nomear um General ou aquela médica japonesa com cara de louca…………………..aguardem

    Curtido por 1 pessoa

  8. O Bozo quer ministros fictícios em todas as áreas. O cara pensa que entende de tudo: saúde, educação, justiça, meio ambiente, ciência e tecnologia, etc. Só admite que não entende nada de economia. Por isso, mantém o Guedes que, por sua vez, também não entende porra nenhuma!

    Curtir

  9. Como já falado anteriormente, a Venezuela é aqui, só não enxerga quem não quer. disse:

    Seria cômico se não fosse trágico. Maduro seguindo os bons conselhos de seu amigo Bolsonaro, mandou dar cloroquina pra todo mundo na república bolivariana.
    Venezuela: fome + covid = milhares de mortos.
    Brasil: covid + fome = milhares de mortos
    A ordem dos fatores não altera o produto.

    Curtir

  10. Qual o problema de ficarmos, momentaneamente, sem Ministro da Saúde em plena pandemia se já estamos sem presidente há quase 1 ano e meio?

    Curtir

  11. Enquanto esse descompensado permanecer no cargo o povo não terá paz e tranquilidade. disse:

    Nos EUA não resta a menor dúvida da força das instituições, por conta disso não há porque nos preocuparmos com o louco do norte. Mas aqui, devemos sim nos preocupar com cada passo do louco dos trópicos.

    Curtir

  12. TEM ALGO POR TRÁS DA CURA, DOS NÚMEROS E DA DOENÇA QUE POUCOS SABEM E INTERESSA $$$ A MUITOS!!!! Já uns malditos se atacando politicamente, se aproveitando de uma desgraça prá fazer política é inaceitável!!!! E, aos olhos da nação e Lá de Cima…imperdoável!!!

    Curtir

  13. Doria diz que não vai negociar com Bolsonaro sanção do socorro aos estados

    João Doria (PSDB) usa máscara antes de conceder entrevista coletiva sobre coronavírus, em São Paulo Imagem: ROBERTO CASIMIRO/FOTOARENA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO Do UOL, em São Paulo 16/05/2020 22h43

    O governador de São Paulo, João Doria, disse hoje que não vai negociar com o presidente Jair Bolsonaro pela sanção do socorro aos estados, aprovado pelo Congresso Nacional. “É lamentável, totalmente inaceitável que o presidente deseja fazer uma negociação perante uma medida que foi aprovada pelo Congresso e que deve ser colocada em prática. Não há nada a negociar, São Paulo não negociará nada”, afirmou durant… – Veja mais em https://noticias.uol.com.br/politica/ultimas-noticias/2020/05/16/doria-diz-que-nao-vai-negociar-com-bolsonaro-sancao-do-auxilio-aos-estados.htm?cmpid=copiaecola

    Curtir

  14. O “Ministério do Bom Senso” adverte:

    Cloroquina pode causar perda parcial ou total de visão (cristaliza a retina).

    A perda é irreversível.

    Curtir

  15. Complicação generalizada
    POR FERNANDO BRITO · 18/05/2020

    O quadro clínico do regime bolsonarista começa a semana com novas complicações e, desta vez, ao menos uma delas é importantíssima.

    A entrevista do suplente de Flávio Bolsonaro, Paulo Marinho, relatando que ao Polícia Federal freou investigações sobre o caso Fabrício Queiroz para não prejudicar eleitoralmente Jair Bolsonaro lança, sem dúvida alguma, uma sombra de ilegitimidade na conquista do cargo nas eleições de 2018.

    Na verdade, mais uma, porque a cassação da candidatura de Lula, anterior e mais grave, só não é assim considerada porque Sérgio Moro ocupava o trono das virtudes, o qual, a esta altura, transformou-se numa cadeirinha rota, na qual ele já mal se sustenta.

    Desta vez, porém, duas questões – já sabidas por muitos – afloram.

    Uma, é a politização ‘bolsonárica’ da Polícia Federal, endeusada ao longo de toda a Lava Jato e que não pode, a não ser por imensa mistificação, ser reduzida a um delegado linguarudo que foi avisar do caso Queiroz. Um delegado, solitariamente, não tem o poder de retardar um caso deste tamanho, envolvendo quem envolvia.

    Tanto é assim que, ao narrar a situação aos emissários de Flávio, ele diz: “Nós vamos segurar essa operação para não detoná-la agora, durante o segundo turno, porque isso pode atrapalhar o resultado da eleição”.

    “Nós vamos”, não “eu vou”, como diria um picareta de olho em recompensas de um futuro governo.

    Salta aos olhos que o fato principal não é o vazamento, mas a procrastinação de uma investigação policial para não prejudicar um candidato.

    A segunda, como apontei aqui, é que parece difícil “colar” em Alexandre Ramagem, o queridinho de Bolsonaro, a identidade do vazador. Como apontei aqui, Ramagem já estava fora da PF o Rio havia seis meses. Quem a dirigia era o homem que, sob a benção de Moro, continuou até ter atritos com o presidente, o delegado Ricardo Saadi, que foi levado pela nova gestão ao cargo de chefe do “combate à corrupção”, certamente um lugar que não passaria sem a simpatia e anuência do próprio hoje ex-ministro.

    Como é também inacreditável que o “freio” dado à investigação tenha prosseguido, já sob a gestão Sérgio Moro- Maurício Valeixo, sem que sequer um comentário tivesse chegado ao ouvido de ambos. Quais foram as razões para que este “segredo” tivesse acabado em guerra entre eles é material para histórias nada republicanas.

    Inclusive, quem sabe, para explicar a decisão de Jair Bolsonaro de levar Moro ao Ministério, algo que trazia – como trouxe – muito mais perigos que vantagens ao novo presidente, que não tinha – já eleito – motivo algum para levar o ex-juiz ao Ministério senão o de tirar dele o poder de, sendo a 13ª Vara Federal de Curitiba ter se tornado uma espécie de “juízo universal”, que podia atrair para si qualquer caso que lhe conviesse politicamente.

    Um dia, sabe-se lá quando com o controle das instituições por gente fraca a pusilânime, veremos que a ascensão de Jair Bolsonaro ao poder não foi uma loucura, um delírio, um acaso desastroso, mas o fruto de uma conspiração militar-policial-judicial para empalmar o governo da República.

    E fazer dele, afinal, o lixo que estamos assistindo.

    Curtir

  16. Doria: protocolo de lockdown existe, é iminente, mas não será adotado já em SP
    De acordo com Doria, as medidas de isolamento social adotadas em São Paulo já fizeram grande efeito para reduzir o número de casos e de mortes em decorrência da Covid-19
    Por ESTADÃO CONTEÚDO
    18/05/20 – 08h46
    Facebook
    Twitter
    Whatsapp
    Enviar por e-mail
    Imprimir
    Doria

    https://www.otempo.com.br/image/contentid/policy:1.1721785:1587509333/image/image.jpg?f=3×2&w=930&$p$f$w=0875bbb
    Governador de São Paulo, João Doria

    Foto: NELSON ALMEIDA / AFP
    O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), disse nesta segunda-feira, 18, que Executivo já trabalha com um protocolo de “lockdown”, ou isolamento total, mas que sua adoção não deve ser imediata. Em entrevista à rádio CBN, o tucano afirmou que a medida pode ser evitada caso o índice de isolamento no Estado fique, em média, em 55% da população.

    “Dia a dia nós avaliamos a possibilidade do ‘lockdown’, mas é importante ressaltar que temos disponibilidade de leitos de UTI, temos hoje uma nova aquisição de respiradores”, disse o governador paulista.

    De acordo com Doria, as medidas de isolamento social adotadas em São Paulo já fizeram grande efeito para reduzir o número de casos e de mortes em decorrência da covid-19. O governador afirmou que, caso o distanciamento não tivesse sido realizado a partir da segunda quinzena de março, o Estado já teria “mais de 45 mil mortes”, contra as 4.782 registradas até agora.

    Curtir

  17. São Paulo passa China em mortes, e Doria diz que pode decretar lockdown

    Estado tem quase 4.700 mortes por coronavírus, e sistema de saúde está perto do colapso na capital

    Por Da Redação
    access_time Publicado em: 18/05/2020 às 07h38 – Alterado em: 18/05/2020 às 08h11 more_horiz
    São Paulo passa China em casos, e Doria diz que pode decretar lockdow

    https://abrilexame.files.wordpress.com/2020/05/governador.joao_.doria_-1.jpg?quality=70&strip=info&resize=680,453
    Doria: governador pode declarar o lockdown em São Paulo (Governo do Estado de São Paulo/Flickr
    )

    Os casos de coronavírus seguem avançando no estado de São Paulo e podem levar a medidas de isolamento social mais rígidas. Em entrevista publicada nesta segunda-feira no jornal O Estado de S. Paulo, o governador João Doria (PSDB) afirmou que o lockdown, a medida mais rígida de isolamento, pode ser decretado no estado se o comitê estadual de saúde julgar necessário. “Em São Paulo vai prevalecer a decisão médica, da ciência e da saúde”, afirmou.

    O governador afirmou ainda que em caso de lockdown só se desloca quem está em áreas de absoluta necessidade, como segurança pública, saúde, serviços básicos e abastecimento. Um dado decisivo para o estado chegar a essa decisão, explicou Doria, é o esgotamento de leitos de leitos de UTI. “É tudo que não desejamos”, afirmou.

    Ainda no começo da manhã desta segunda (18), em entrevista à rádio CBN, o governador explicou que o lockdown é constantemente analisado, mas não será anunciado de uma hora para a outra.

    “Esse protocolo [o lockdown] existe, está pronto faz tempo, mas ele não é iminente. Não há perspectivas de sua aplicação imediata. Esse protocolo só será colocado em prática se o comitê de saúde do estado assim determinar”, declarou o governador, que afirmou que o aviso será feito com antecedência.

    “Todos os dias o comitê se reúne virtualmente, às 11h30 da manhã, para avaliar o lockdown”, acrescentou o governador, que explicou que o número de leitos de UTI disponíveis e a taxa de isolamento acima de 50% é que vão determinar se haverá o endurecimento da quarentena.

    Doria também disse à CBN que na quarta-feira (20) fará um anúncio sobre a segunda fase da testagem em massa da população de São Paulo. “Nós compramos mais 2 milhões de testes, e eles já começaram a ser feitos, priorizando os profissionais de saúde e de segurança pública. Depois dessa fase, que deve terminar na quarta-feira, devemos iniciar a próxima”, disse.

    Os índices de isolamento social seguem muito abaixo da meta de 70% determinada pela autoridades. No fim de semana o número de mortos por coronavírus no estado chegou a 4.688, superando a China. Se fosse um país, São Paulo seria o décimo terceiro em número de mortes. O número de casos passou de 62.000, o que seria suficiente para fazer de São Paulo o décima quarto país, logo atrás do Canadá e acima da Bélgica.

    A capital do estado, sozinha, tem 2.760 mortos e mais de 3 mil casos suspeitos. Ontem, o prefeito, Bruno Covas, afirmou que a cidade está perto do colapso no sistema de saúde, com 90% ocupação de 90% nos leitos de UTI e de 76% nos leitos de enfermaria. Covas disse ainda que o lockdown na cidade depende de uma decisão do governo do estado, uma vez que ele não tem poder de polícia. Covas voltou a afirmar que a cidade precisa “desacelerar” para diminuir o ritmo de contágio.

    Sem elevar níveis de isolamento social, a prefeitura de São Paulo anunciou neste domingo (17) o fim do rodízio ampliado. A circulação de carros na capital paulista volta ao normal, com a restrição de acordo com o número final da placa e o dia da semana.

    Veja também
    Coronavírus: em 15 dias sistema de saúde em São Paulo pode colapsar
    Brasil
    Coronavírus: em 15 dias sistema de saúde em São Paulo pode colapsar
    query_builder17 maio 2020 – 13h05
    São Paulo retoma rodízio normal e tenta antecipar feriados
    Brasil
    São Paulo retoma rodízio normal e tenta antecipar feriados
    query_builder17 maio 2020 – 12h05
    No fim de semana o Brasil ultrapassou Espanha e Itália e agora é o quarto país com mais casos de coronavírus, atrás apenas de Estados Unidos, Rússia e Reino Unido. São 241.080 casos confirmados e 16.118 mortes. Nesta segunda-feira o Pará ampliou o lockdown para mais sete municípios. Cidades do Maranhão, Ceará e Rio de Janeiro também já decretaram regras mais rígidas de isolamento social.

    Curtir

    • Pqp, fã do mister calcinha colada aqui é foda. O cara e seu partido ferra o policial todo dia e vem essa Maria escriludida puxar o saco do engomado traíra.

      Curtir

      • Colega também acho que essa tal de Maria é “Escriludida”, que vivia e vive fazendo corte e cola de blogs sujos de esquerda do tipo:……é melhor deixar pra lá, nem vale a pena mencionar esse tipo de gente e seus blogs!
        Na verdade dá pena!
        Alguém que acredita no; “Roubamos muitos bilhões porque queríamos os bem dos mais pobres! KKKKK
        E ela é desse tipo gente que acredita nisso, fazer o que !

        Curtir

  18. pelo que eu estou vendo ,aqui não mudou muita coisa, faz mais de dois anos que nao entro nesse flit e pelo jeito mudou pra pior. Estou vendo só comunistas metendo o pau no presidente e dando a bunda pro safado do Doria. Estão com saudades do PT…. voces tem que se foder mesmo…

    Curtir

O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do comentarista que venha a ofender, perturbar a tranquilidade alheia, perseguir, ameaçar ou, de qualquer outra forma, violar direitos de terceiros.O autor do comentário deve ter um comentário aprovado anteriormente. Em caso de abuso o IP do comentarista poderá ser fornecido ao ofendido!...Comentários impertinentes ou FORA DO CONTEXTO SERÃO EXCLUÍDOS.. Contato: dipolflitparalisante@gmail.com

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s