COMPREM DÓLARES AMERICANOS, NENHUMA REFORMA SERÁ APROVADA – Proposta para militares põe policiais em pé de guerra 17

Resultado de imagem para dolares americanos

Proposta para militares põe policiais em pé de guerra
POR FERNANDO BRITO · 20/03/2019

Como era de esperar, a proposta previdenciária para os militares traz mais danos à tramitação da reforma da Previdência que benefícios para as contas públicas.

É que aquilo que será exigido a mais em tempo de serviço e em contribuição para a aposentadoria é totalmente coberto pelo aumento das gratificações pagas aos integrantes das Forças Armadas, em especial aos oficiais graduados, que receberam parcelas muito mais generosas que a tropa em matéria de representação, adicional por cursos e o criado “adicional de disponibilidade militar”, cujos índices variam de acordo com a patente.

A “economia” de R$ 10 bilhões em 10 anos é originária, essencialmente, da redução proposta do efetivo militar brasileiro: 10% em 10 anos. Calculada pelo termo médio (5% a menos de efetivo) sobre os cerca de R$ 24 bilhões da folha de ativos atual, isso dá R$ 12 bilhões em uma década, mais que a alegada economia das medidas propostas hoje.

Há outros pontos que vão gerar disputa com os funcionários civis: alíquotas menores que as deles para vencimentos iguais, regras de transição extremamente mais generosas e a ausência de idade mínima, que, mesmo com os 35 anos de serviço, permitirá a militares se aposentarem aos 52 anos de idade (17 anos de idade mínima para a entrada nas escolas de cadetes, contando para somar os 35 anos).

Mas nada será comparável à irritação dos policiais e bombeiros militares dos Estados, que “ganham” as novas exigências para se aposentarem mas não recebem um tostão das vantagens concedidas às Forças Armadas.

O próprio Ministério da Economia estima que R$ 52 bilhões deixarão de ser pagos aos militares estaduais, por conta da mudança de regras. Como são, hoje, 500 mil em todo o país, o resultado é uma perda superior de R$ 100 mil por cabeça, em média, em uma década ou pouco maior que R$ 10 mil por ano.

É por isso que até no PSL de Bolsonaro as reações são negativas. E a razão de ter sido dito aqui que a medida desagradaria a “gregos e goianos”.

Na situação em que está hoje, o governo não conseguiria aprovar nenhum dos dois projetos , nem o dos civis, nem o dos militares.

E não há sinal no horizonte de que isso esteja mudando.

O $ACRIFÍCIO DO$ PATRIOTA$ COM O$ VOTO$ DO$ IDIOTA$ – Reforma previdenciária de Bolsonaro embute aumento de até 33,33% para os militares; na reforma dos cidadãos e funcionários civis só perdas financeiras 12

Resultado de imagem para BOLSONARO IDIOTA

Salário de general sobe de R$ 22,6 mil para R$ 30,2 mil com gratificações

Antonio Temóteo

Do UOL, em Brasília

21/03/2019

Os salários de generais do Exército, almirantes da Marinha e tenentes-brigadeiros, que são de R$ 22.631,28 com gratificações, subirão para R$ 30.175,04, caso a proposta de reestruturação das carreiras enviada ontem ao Congresso seja aprovada nos moldes apresentados. O aumento seria de 33,33%.

Fazem parte dessa remuneração os adicionais de habilitação (73%), para aqueles que concluem cursos de capacitação, de disponibilidade militar (41%), recebido pelo trabalho sem jornada definida, e a gratificação de representação (10%), recebida por generais que chefiam unidades militares. Esses percentuais incidem sobre o soldo básico, de R$ 13.471.

O adicional de habilitação trará uma renda extra de R$ 9.833,83, o de disponibilidade militar, outros R$ 5.523,11, e a gratificação de representação, mais R$ 1.347,10. Com isso, o valor final, de R$ 30.175,04, chegará próximo à remuneração do presidente da República, de R$ 30.934,70.

Militares já recebem gratificação

Atualmente, generais, almirantes e tenentes brigadeiros já recebem 30% de adicional de habilitação, 10% da gratificação de representação e mais 28% de adicional por tempo de serviço. Com isso, o salário chega a pelo menos R$ 22.631,28.

Agora eles terão de escolher entre o adicional de tempo de serviço e o de disponibilidade.

General questiona aumento salarial

O general de divisão Eduardo Garrido, assessor especial do ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, afirmou ontem que não se trata de uma medida para elevação salarial.

“Nossa última reestruturação foi em 2001. Sabemos o que é sacrifício. Queremos valorizar a meritocracia e a experiência”, disse durante a coletiva de imprensa que anunciou a reestruturação.

Os militares, entretanto, tiveram aumento de soldo durante o governo Michel Temer. O reajuste médio foi de 25,5% para os salários dos militares da ativa, inativa e pensionistas. Esse percentual foi divido em quatro parcelas.

Ministério diz que objetivo não é reajuste

O Ministério da Defesa informou em nota que a proposta de reestruturação apresentada não visa a concessão de reajuste remuneratório, ou seja, não reajusta o soldo dos militares.

“A proposta adequa os adicionais e gratificações, de modo não linear, promovendo a valorização da meritocracia, principalmente, da disponibilidade permanente e dedicação exclusiva, exigidas dos membros das Forças Armadas de acordo com a Constituição”, afirmou.

Segundo os militares, a variação remuneratória para os oficiais generais, no período de 4 anos, será de 24 a 32%, dependendo do posto e da situação de cada militar. A pasta ainda informou que no primeiro ano, a variação será, em média, de 6%.

Ou os estados reduzem os soldos ou quebrarão em poucos anos – Polícia Militar garante aposentadoria integral e igual aos ativos; com direito a contribuir ainda menos 72

Policiais e bombeiros militares continuarão com os privilégios

A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas sorrindo

Os militares das Forças Armadas , os policiais militares e os bombeiros que ingressarem na carreira poderão ir para a reserva com o último soldo [salário] da ativa e, também,  recebendo os mesmos reajustes concedidos aos colegas  da ativa ( paridade.

A proposta está na “reforma” da assistência social aos militares.

Sim, eles querem continuar sendo assistidos pelos civis.

De se ver que tais benefícios foram extintos para os servidores públicos civis em 2003, mas continuam em vigor para a casta militar.

Segundo o assessor especial do Ministério da Defesa, general Eduardo Castanheira Garrido Alves, as singularidades do “trabalho” militar justificam tratamento diferenciado.

Por exemplo, milita não se aposenta, fica em estado de hibernação aguardando uma remota guerra para ser reconvocado ao serviço.

Militar é especialista na enganação e invenção de conceitos deturpados…

Assim um militar não aceita ser classificado como uma espécie de funcionário público.

Para eles ser funcionário público é uma forma de diminuição da capacidade

Também , deixar a atividade depois do implemento de tempo de serviço e idade , não é aposentadoria garantida pela previdência pública.

É assistência social a quem nunca recebeu horas extras , não  pode fazer guerra, não conta com fundo de garantia e outros benefícios que os civis recebem.

Também alegam a injustiça de um jovem ingressar no serviço público ganhando mais do que um general.

Pois bem, as mesmas regras para a “assistência social ” aos militares das Forças Armadas também valerão para os militares estaduais. Cabendo aos governos locais eventual reestruturação de carreiras.

Certamente , diante das regalias concedidas aos militares federais estendidas aos PMs ( para que o governo  Bolsonaro não acabe perdendo  votos no Congresso ) , os governos estaduais , a médio prazo , acabarão congelando o soldo e proibindo novos concursos.

Salvo a opção de sacrificar todos os demais funcionários públicos para manter os privilégios dos policiais reformados.

Os novos policiais, ainda que com a garantia da integralidade e paridade , trabalharão muito mais tempo: E NAS RUAS!

Enquanto os oficiais, de Capitão pra cima, continuarão numa boa…

Fazendo política, ginastica , Rotary, Loja, uísque , cerveja e churrasco !

Por fim, ingressar na Polícia Civil só mesmo se for para “achacar geral” …

Honestos, esqueçam esse trabalho maldito, mal visto e mal pago !

Ou comecem a trabalhar politicamente para que o órgão seja extinto e todos os seus membros absorvidos pela PM.

O ministro Paulo Guedes é outro mamador de piroca fardada…Caro Ministro, quantos e quem são os jovens que ingressam no serviço público ganhando mais que generais? 9

Por que o militar se acha mais especial ?

Por que o governo tem medo dos armados ?

Resultado de imagem para recruta zero

Jair Bolsonaro mandou hoje o pacote com as  novas regras para a aposentadoria de militares, incluindo um jaboti enfiando goela a baixo do povo brasileiro uma  reestruturação da carreira que  concede, na prática, ganho de vencimentos e uma quantidade vergonhosa de benefícios aos integrantes das Forças Armadas e das Polícias Militares.

Sim, a PM foi de carona sentada na janelinha!

Tentando justificar, o governo diz  que a carreira militar possui  certas  especificidades; assim merece tratamento diferenciado.

Ora, eles tem tratamento diferenciado há séculos!

Algumas desses sacrifícios listados pelo governo são:

  • risco de morte   ( militar das FFAA raramente morre em serviço , salvo os recrutas submetidos a tratamentos desumanos ,  violentos e transformados em meganhas  )
  • proibição de greve ( praticamente todos os funcionários públicos também são proibidos de fazer greve )
  • sem adicional noturno ( policiais civis, federais  e tantos outros , também  )
  • sem hora extra ( nenhum funcionário público recebe hora extra; gerentes e diretores privados , também não  ) .
  • disponibilidade permanente, pois quando entram para a reserva, podem ser convocados a atuar…( hipótese pouco provável e desde que não tenha atingido a idade limite que varia conforme a graduação ou patente; esta quanto mais elevada maior é a idade para a reforma ( “aposentadoria definitiva” ). Um general é reformado ao completar 65 anos ( salvo tenha mudado a regra ) , depois dessa idade não pode ser  convocado .

Observem a pérola do ministro de economia do dinheiro dos ricos:

Corrigir os privilégios entre militares e servidores civis

Nós sentimos que estamos fazendo uma correção não só do lado da Previdência, mas também do lado de reduzir privilégios que, no caso, estavam a favor de servidores civis e contra os servidores militares
Paulo Guedes, ministro da Economia

“Jovens que ingressavam no serviço público civil, através de um concurso público, já ingressavam, em alguns outros Poderes, com salários acima de R$ 20 mil, enquanto generais, em fim de carreira, estavam recebendo abaixo de R$ 20 mil. Então, o que nós fizemos foi uma reestruturação, feita pelos militares, sem aumento de soldo”, acrescentou Guedes.

É vergonhoso o medo das armas e das fardas!

O brasileiro é mesmo bundamole, especialmente aqueles que agora cercam o atual governo ( de militares ) .

Se há privilegiados no serviço público civil , tais privilégios devem ser expurgados .

Há uma fórmula bem simples: redutores para tudo que ultrapassar o teto de vencimentos fixado na Constituição.

Aliás, o teto dos vencimentos e subsídios no serviço público foi transformado em piso salarial para magistrados, membros do MP , arrecadadores de impostos e alguns mais…

Uma minoria que embolsa mais do que todos os demais funcionários somados.

Além do redutor dos vencimentos, criando-se alíquotas do IRPF e das contribuições previdenciárias de forma mais linear.

Enfim, em vez de reduzir as distorções o governo inventa compensações criando ainda mais benefícios para uma casta aristocrática e historicamente privilegiada: O OFICIALATO!  

As Praças – e suas mulheres e filhas –  nunca mamaram nas netas da nação!

Verdadeiramente, são os trabalhadores civis deste Brasil que defendem a Pátria diariamente sem a necessidade de juramentos.

E no caso de uma guerra , voluntariamente , são aqueles que entregarão a vida por puro patriotismo!

Militares não são patriotas , são profissionais remunerados.

Necessários , mas não tão especiais, úteis e indispensáveis como se arvoram .

Aliás, é o Estado que investe na sua formação profissional desde a tenra juventude.

Os demais funcionários públicos estudam por conta própria , se qualificam por força de vontade pessoal  e ingressam meritoriamente prontos para servir a nação até os 75 anos.

Esse senhor fala como se “concurso público” fosse um generosidade do Estado.

Sem perder o racicínio, não se ingressa através de um concurso público. Ingressa-se por meio de concurso público…De regra depois de muitas tentativas, né? Bom de inglês, péssimo em português! E pior ainda em materia de economia e administração pública.

Retornando , enquanto grande parte dos militares logo depois de preenchidos os requisitos pedem “aposentadoria” e logo arrumam um bom emprego em estatais ou mesmo na iniciativa privada .

Nem vou falar dos pilotos da Força Aérea, os quais com 45 a 48 anos pulam foram do caça para o jatinho particular ou helicóptero privados.

Enfim, a reforma só atingirá os pobres e as classes funcionais menos representativas!

Eis a honestidade do presidente e dos militares em geral.

O trabalhador morre pela Pátria todos os dias; sem fazer juramentos – A reforma estelionatária dos militares roubará dos trabalhadores civis pobres para sustentar os privilégios dos PMs e das Forças Armadas de carreira 1

Reforma para PMs e bombeiros prevê economia de R$ 52 bi para estados em dez anos

Projeto ainda prevê aumento do tempo de contribuição e da alíquota a ser paga

Thiago Resende Bernardo Caram
Brasília

Enviado pelo governo, o projeto de lei que altera a Previdência dos militares deve gerar uma economia de R$ 52 bilhões em dez anos para os estados.

As mudanças propostas para as Forças Armadas também têm validade para os policiais militares e bombeiros dos estados.

A estimativa de redução de despesas estaduais com as medidas encaminhadas ao Congresso foi divulgada pelo secretário especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Rogério Marinho.

O projeto de lei estabelece um aumento, de 30 anos para 35 anos, do tempo mínimo de serviço; aumento da alíquota de contribuição e a tributação de pensões.

A equipe econômica também prevê que a União terá, em dez anos, uma transferência de R$ 10,3 bilhões para o INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) que se refere às contribuições pagas pelos militares temporários. Ao fim do contrato, o Ministério da Defesa irá repassar o valor acumulado para o RGPS (Regime Geral de Previdência Social).

Essa transferência, no entanto, tem apenas efeito contábil, pois a fonte dos recursos é a mesma: o Tesouro Nacional.

“Para as Contas Nacionais, ele [o efeito] é neutro, mas, para o déficit do Regime Geral [da Previdência Social], tem impacto”, afirmou o secretário especial adjunto da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho, Bruno Bianco.

Esse impacto e a economia nos estados foram apresentados por Marinho como resultados a serem obtidos, além dos R$ 97,3 bilhões previstos na redução de gastos com as mudanças no sistema previdenciário das Forças Armadas.

A projeção para aumento de despesas com a reestruturação das carreiras das Forças Armadas é de R$ 86,85 bilhões em uma década.

Com isso, o corte nos gastos total é de R$ 10,45 bilhões em uma década.

“Desde 2001, [as Forças Armadas estão] sendo preteridas na reorganização das carreiras civis no âmbito do governo federal, mas eu queria, ao mesmo tempo, pedir para que deem a cota de sacrifício”, disse Marinho, ao lado de representantes do Ministério da Defesa.

No caso de estados que já aprovaram leis próprias de aumento de alíquotas, a aprovação da lei federal fará com que policiais militares passem a contribuir menos. No Rio de Janeiro, por exemplo, os policiais deixariam de pagar os atuais 14% e passariam a contribuir 8,5% em 2020, conforme a regra de transição.

De acordo com o secretário de Previdência, Leonardo Rolim, o saldo para esses estados, ainda assim, será positivo. Ele explicou que a alíquota de 14% cobrada hoje vale apenas para os policiais na ativa e que os inativos contribuem menos. A mudança trará a nova alíquota para todos.

Extremistas querem implantar a ditadura bolsonarista – Ministro Alexandre de Moraes requisita o concurso da PM e da PC de São Paulo para acabar com a sistematizada campanha contra o STF 22

Resultado de imagem para alexandre de moraes

A quem interessa destruir o STF ? 

Campanha difamatória financiada por elementos de São Paulo. 

No Direito, a gente fala que é o ‘jus esperneandi’, o direito de espernear. Pode espernear à vontade, pode criticar à vontade. Quem interpreta o regimento do Supremo é o Supremo. O presidente abriu, o regimento autoriza, o regimento foi recepcionado com força de lei e nós vamos prosseguir. Principalmente para a questão dessa rede de robôs, de WhatsApp, Twitter. Essa rede que alguém paga, alguém financia, por algum motivo. Aqui, na verdade, é a desestabilização de uma instituição republicana. O que vem se pretendendo é desestabilizar o Supremo Tribunal Federal, ou seja, o Poder Judiciário. Não existe democracia sem independência do Poder Judiciário. Isso vai ser investigado a fundo”, afirmou o ministro Alexandre de Moraes.

“Não são essas acusações covardes por trás de um computador, de um WhatsApp, que acabam virando crime, mas são, isso é comprovado, tanto pela ciência médica quanto pela criminal, são essas acusações, esse volume, que acabam incentivando pessoas perturbadas a eventualmente falar: ‘então é, é isso mesmo, ah, e aí é uma facada, é um tiro’”, disse o ministro.

As críticas contra o Supremo extrapolam a liberdade de expressão

“Não se pode permitir em um país democrático como Brasil, em que as instituições funcionam livremente há 30 anos, que, porque você não gosta de uma decisão, você prega o fechamento da instituição republicana, você prega a morte de ministros, morte de familiares. Isso extrapolou, como bem disso o ministro Celso de Mello, o nosso decano, isso extrapola a liberdade de expressão. A liberdade de expressão não comporta quebra da normalidade democrática e discurso de ódio”.

O relator Alexandre de Moraes disse que se reuniu com as áreas de inteligência da PM e da Polícia Civil de São Paulo e que as investigações vão contar com equipes de lá especializadas.

O ministro já foi secretário de Segurança de São Paulo e disse que conhece o trabalho dos agentes. Alexandre de Moraes afirmou, também, que o financiamento da maior parte dos ataques ao Supremo teria partido de pessoas que moram em São Paulo.

Golpe de estado bolsonarista

Com efeito, necessário se faz identificar e punir essa rede de criminosos que praticamente monopolizou as redes sociais com a finalidade de inocular a destruição das Instituições , certamente, com a finalidade de preparar um golpe de estado bolsonarista.

Infelizmente, se fazendo investigação séria, muitos policiais serão identificados como executores e participantes dessa avalanche de assassinatos de reputações.

Quem quer fazer críticas ou real acusação não se vale do anonimato das redes, tampouco do concurso de gente inculta e leviana que compartilha as infâmias como se estivesse cumprindo um honroso dever.

Nota de falecimento 24

Policial Wesley Siqueira Benites , lotado no 96° DP. Morto no cumprimento dos deveres do cargo. Nossos sentimentos !

 

 Nesta data assistimos, infelizmente, mais um tombamento de um herói em combate, 
o Investigador de Polícia Wesley  Siqueira Benites, que estava cumprindo 
brilhantemente seu dever. 
                    Minutos após a fatal notícia, todos os esforços foram 
empenhados pelas unidades policiais territoriais, especializadas e de outros Departamentos, 
com a mais brilhante e emocionante demonstração de força, união, comprometimento e amor 
pelo distintivo policial, ao qual fizemos juramento quando de nosso ingresso e, 
graças a isso, os algozes de Wesley foram localizados e presos, os quais serão 
conduzidos às barras de Justiça, da qual esperamos o fiel e mais lídimo cumprimento da LEI. 
                      Meus agradecimentos e cumprimentos a todos àqueles que, 
incansavelmente, se dedicaram, se esforçaram e cumpriram sua missão institucional. 

Albano David Fernandes
Delegado de Policia Diretor do DECAP

O delegado Alexandre Henrique Augusto Dias, responsável pela apuração da chacina em Suzano – falando pouco e produzindo provas – obtém a apreensão do adolescente suspeito de cogitação e preparação do massacre na escola 12

Adolescente apreendido foi um dos mentores de ataque em Suzano, diz polícia

  • Massacre em Suzano

Bernardo Barbosa

Do UOL, em Mogi das Cruzes

19/03/2019 17h48

O delegado Alexandre Henrique Augusto Dias informou hoje que já é possível concluir a partir de provas obtidas na investigação do massacre em Suzano, na Grande São Paulo, que o jovem de 17 anos apreendido hoje foi o mentor intelectual do ataque à escola Raul Brasil juntamente com Guilherme Taucci, 17, um dos assassinos. Segundo o delegado, o adolescente apreendido, que é ex-aluno da escola, também comprou objetos usados no ataque.

A Polícia Civil investiga se outras pessoas participaram do planejamento do massacre e qual a origem da arma do crime –oito pessoas foram mortas por dois assassinos, que também morreram. O delegado não deu detalhes sobre esta frente de investigação, mas disse que o objetivo é concluir os trabalhos “o quanto antes”.

O advogado do suspeito, Marcelo Feller, declarou que orientou o jovem a ficar em silêncio na audiência de hoje no Fórum de Suzano. Segundo o defensor, o adolescente negou as acusações e está disposto a falar, “mas isso não pode ser um teatro”.

Segundo a decisão judicial que determinou a apreensão do suspeito, à qual o UOL teve acesso, o adolescente revelou em conversas de WhatsApp que participou do planejamento do ataque. Em uma delas, cinco meses antes do crime, ele chega a fazer um passo a passo do atentado. Segundo as investigação, o suspeito também enviou uma mensagem para Taucci logo depois do massacre dizendo: “um dos atiradores tinha um machado igual ao seu”.

A defesa do jovem apreendido questionou o teor desta mensagem como prova de seu envolvimento no crime e afirmou que o adolescente nega participação no caso.

Dias confirmou que, segundo o laudo sobre a causa da morte dos assassinos, Taucci matou Luiz Henrique Castro, 25, e cometeu suicídio em seguida. Segundo o delegado, os resultados dos exames toxicológicos dos atiradores ainda não estão prontos.

Segundo o promotor Rafael do Val, que concedeu entrevista à imprensa junto com o delegado em Mogi das Cruzes, as provas obtidas na investigação estão sob sigilo por imposição do ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente). Dias e Do Val não deram detalhes, por exemplo, das conversas de WhatsApp que teriam incriminado o jovem apreendido hoje.

Após decisão da Justiça, o adolescente ficará detido provisoriamente por 45 dias na Fundação Casa –a unidade não foi revelada pela instituição por motivos de segurança.

A decisão da juíza Érica Marcelina Cruz, da Vara da Infância e da Juventude, tem como base a descoberta pela Polícia Civil de uma conversa de WhatsApp em que o jovem detalha sua “estratégia para fazer um atentado”. O interlocutor ainda não foi identificado.

Logo após o massacre, o suspeito disse em um grupo de WhatsApp que Guilherme Taucci teria agido conforme seus planos. Na semana passada, o adolescente disse que queria ter participado do massacre, mas não foi chamado, segundo informou a polícia.

Uma “pessoa fria”, diz delegado

Dias afirmou que a polícia ainda investiga por que o terceiro suspeito não participou da execução do crime.

O delegado também não detalhou o perfil psicológico do adolescente e disse que isso ainda depende da realização de exames periciais, mas afirmou que se trata de uma “pessoa fria”.

Segundo o promotor Do Val, a análise da personalidade do suspeito será levada em conta para um eventual pedido para o período máximo de internação, que é de três anos.

Do Val também afirmou que pessoas que têm exaltado atentados em escolas “estão sendo monitoradas e vão ser responsabilizadas” criminalmente.

_________________________________________________

Inicialmente, a investigação incumbe aos Delegados e demais policiais civis daquela região; sem embargo do auxílio de outros órgãos.

Contudo não cabe ao DGP , conforme a legislação , presidir investigações criminais. 

Pior ainda fazendo midiaticamente juízo de valor acerca do perfil psicológico dos autores; revelando-se a identidade do suspeito.

Com isso colocando a vida e integridade física deste sob risco. 

A autoridade local procedeu com maior profissionalismo; sem querer se mostrar o personagem mais importante da investigação.

Assim, sem atropelos superiores , esperamos que a Polícia Civil e o MP comprovem a efetiva participação desse adolescente.  

De se ver que a mera cogitação e preparação do crime , pela lei brasileira, é atípica. 

E diga-se de passagem, ele pode ter desistido de participar do massacre ; por isso não foi chamado para a execução. 

Enfim, se for culpado , que seja punido por fatos concretos; não por “teses jurídicas” ! 

Mas , aparentemente , a internação, agora decretada,  busca apenas “mostrar algum serviço” para a sociedade…

A conhecida”resposta das autoridades” depois do sangue derramado!

O mamador de pica dos americanos…Bolsonaro afirma que a maioria de imigrantes não tem boas intenções por ser de família de italianos…Ele sabe na prática que a maioria é ladrão mafioso, né? 66

Bolsonaro diz que maioria de imigrantes não tem boas intenções e que apoia muro de Trump

Presidente manifesta apoio ao mandatário americano durante entrevista à Fox News

— A grande maioria dos imigrantes em potencial não tem boas intenções nem quer o melhor ou fazer bem ao povo americano — afirmou.

— Eu gostaria muito que os EUA levassem adiante a atual política de imigração, porque em larga medida nós devemos a nossa democracia no Hemisfério Sul aos Estados Unidos.

Jair Bolsonaro concede entrevista à Fox News em Washington, nos EUA, nesta segunda (18)
Jair Bolsonaro concede entrevista à Fox News em Washington, nos EUA, nesta segunda (18) – Reprodução
São Paulo

O presidente Jair Bolsonaro, que está em Washington, nos Estado Unidos, afirmou que apoia a ideia do mandatário americano Donald Trump de construir um muro na fronteira do país com o México, e que a maioria dos imigrantes não tem boas intenções.

“Nós vemos com bons olhos a construção do muro”, afirmou Bolsonaro em entrevista à Fox News, nesta segunda (18). “A maioria dos imigrantes não tem boas intenções.”

A declaração de Bolsonaro foi feita no mesmo dia em que o presidente dispensou os cidadãos dos Estados Unidos da necessidade de visto para viajar ao Brasil. A dispensa também vale para os visitantes da Austrália, do Canadá e do Japão.

Neste sábado (16), o filho do presidente, o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), que acompanha o pai nos EUA, deu declaração polêmica sobre imigrantes. Segundo ele, os brasileiros que vivem ilegalmente no exterior são uma preocupação do governo porque são “uma vergonha” para o país. “O brasileiro que vem pra cá [EUA] de maneira regular é bem-vindo. Brasileiro ilegalmente fora do país é problema do Brasil, é vergonha nossa”, declarou.​

Sobre a situação da Venezuela, o presidente disse à Fox que o Brasil tomaria rumo parecido se continuasse sendo comandado por governos petistas. Pouco antes da entrevista, durante discurso, Bolsonaro disse que o Brasil conta com o apoio e a capacidade bélica dos Estados Unidos para “libertar o povo” da Venezuela.

Ao ser comparado com Trump pela jornalista Shannon Bream e de ser chamado de “Trump dos Trópicos”, Bolsonaro sorriu e disse que sempre admirou Trump.

Ao ser questionado sobre o vídeo obsceno que publicou em sua redes sociais no Carnaval, Bolsonaro disse que queria mostrar o que estava acontecendo. “Esse vídeo já estava circulando na internet e compartilhei para mostrar como o Carnaval estava acontecendo.”

Bolsonaro também rebateu acusações de que teria ligação com milícias e a com o assassinato da vereadora do Rio de Janeiro Marielle Franco (Psol), há um ano. Um dos acusados pela morte, o policial reformado Ronie Lessa, mora no mesmo condomínio em que o presidente tem casa.

“Sou um capitão do Exército brasileiro e parte dos oficiais da polícia do Rio de Janeiro são grandes amigos meus. Por coincidência, um desses suspeitos de ter matado a Marielle não era na verdade vizinho meu, mas morava do outro lado de uma outra rua [do condomínio]​. Só descobri que ele vivia lá depois de ver as notícias.


A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas sorrindo, terno e texto

O mamador de pica dos americanos…

Bolsonaro afirma que a maioria de imigrantes não tem boas intenções por ser de família de italianos…

Ele sabe na prática que a maioria é ladrão mafioso, né?

Ou será que esse racista descompensado se refere apenas aos hispânicos ?

Desculpem-me a grande maioria dos italianos honestos, mas a ascendência desse aqui,  certamente,  não valia nada!

PROTAGONISMO DO DGP EM ASSUNTO QUE NÃO DOMINA E NÃO LHE COMPETE – A Polícia Civil aparenta pretender fabricar o 3º autor do massacre e assim aparecer na mídia e obter o reconhecimento da comunidade 92

Motivação

De acordo com Fontes, a investigação aponta que a motivação do massacre é por reconhecimento da comunidade e para aparecer na mídia:

“Esse foi o principal objetivo, não tinha outro”, diz delegado.

“Não se sentiam reconhecidos, queriam demonstrar que podiam agir como [o massacre em] Columbine, nos Estados Unidos, com crueldade e com um caráter trágico para que fossem mais reconhecidos do que eles”, afirmou o delegado.

Apontado como 3º suspeito de massacre em Suzano,

adolescente é liberado após se apresentar a fórum

Ministério Público não encontrou indícios suficientes para apresentar denúncia contra o jovem

Thaiza Pauluze Alfredo Henrique
São Paulo e Suzano

O terceiro suspeito de participar do planejamento do ataque a tiros na escola Raul Brasil se apresentou ao Fórum de Suzano (Grande SP) por volta das 11h desta sexta-feira (15), foi ouvido e liberado.

O Ministério Público não encontrou no depoimento indícios suficientes para apresentar denúncia contra o adolescente de 17 anos.

Na tarde desta quinta (14), o delegado-geral da Polícia Civil, Ruy Ferraz Fontes, havia pedido à Justiça que o adolescente fosse apreendido, por participação na instigação ao crime.

Ele é ex-aluno da escola e estudou na sala de Guilherme Taucci Monteiro, 17, o líder do massacre que deixou 8 mortos na quarta (13). Na casa do jovem, a polícia apreendeu, na manhã desta sexta, anotações e desenhos —material semelhante ao encontrado na residência dos atiradores.

O terceiro suspeito (de capuz preto) de participar do planejamento do ataque a tiros na escola Raul Brasil deixa o Fórum de Suzano (Grande SP)
O terceiro suspeito (de capuz preto) de participar do planejamento do ataque a tiros na escola Raul Brasil deixa o Fórum de Suzano, na Grande SP – Danilo Verpa/Folhapress

Em virtude do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), o processo que vai apurar a participação do jovem correrá em segredo de justiça.

Entre os 11 telefones celulares apreendidos pela polícia na quarta-feira, um deles pertence ao jovem. Quase todos os outros aparelhos são relacionados a Guilherme Taucci.

O envolvimento do terceiro suspeito no crime teria ocorrido no planejamento do crime, segundo o delegado Ruy Fontes. O dono do estacionamento onde Guilherme Taucci e Luiz Henrique de Castro, 25, guardaram o carro usado no ataque teria informado à polícia a participação do adolescente.

Guilherme Taucci de Monteiro, 17, posta fotos com arma antes de ataque a tiros em Suzano
Guilherme Taucci de Monteiro, 17, posta fotos com arma antes de ataque a tiros em Suzano – Reprodução/Facebook

INVESTIGAÇÕES

Colegas de classe da Raul Brasil também afirmaram que o adolescente e Guilherme eram muito próximos e, dias antes do massacre, o suspeito havia manifestado o desejo de entrar na escola atirando.

Os policiais acreditam que o plano seria executado pelos dois, mas, por motivos ainda desconhecidos, o adolescente acabou excluído da ação. Isso também revela que Guilherme seria o líder.

Fontes disse que a investigação vai tentar descobrir, agora, porque o novo suspeito não participou do ataque. Os policiais acreditam que Guilherme, já sem o comparsa, teria procurado Luiz Henrique para que este pudesse financiar o plano. Como tinha emprego regular, ele teria recursos para comprar as armas e alugar o veículo usado no dia dos assassinatos.

A polícia também apura se Luiz, o mais velho do trio, tinha algum déficit cognitivo. “A gente entende que a personalidade dele não era tão firme a ponto de impedir ou deixar de ingressar na execução de um crime desse, principalmente liderado por uma pessoa que era pelo menos sete anos mais nova do que ele.”


A polícia civil ,  representada pelo seu DGP,  deveria cuidar de recolher provas em vez de  ficar aparecendo na mídia fazendo juízos psicológicos e preterológicos dos autores. 

Também evitar a tentação de fabricar mais um culpado – ou ainda uma ORCRIM –  apenas para se manter na mídia e mostrar falso serviço! 

Investigação sem pelo menos uma “cana” não tem muita graça, né ? 

Ainda bem que o MP não se empolgou  apenas com os argumentos de autoridade da autoridade policial…

BOZOLÂNDIA – O Major Olímpio deveria contar o porquê de a PM preferir as escolas particulares e os grandes shoppings…Se a PM estivesse mais presente nas escolas públicas talvez essa tragédia fosse evitada, né? 78

Resultado de imagem para BOZOLANDIA

Senador diz que tragédia seria menor se professores estivessem armados

Representante da chamada bancada da bala na Câmara disse que deputados não devem recuar da intenção de aprovar a permissão para porte de armas

Gregory Prudenciano, Teo Cury e Renato Onofre, O Estado de S.Paulo

13 de março de 2019 | 14h42
Atualizado 13 de março de 2019 | 16h28

Após o massacre que deixou 10 mortos em Suzano, na Grande São Paulo, o senador Major Olímpio (PSL-SP) defendeu nesta quarta-feira, 13, o decreto que flexibiliza a posse de armas no País. Segundo ele, se algum funcionário do colégio estivesse armado, a tragédia poderia ter sido menor. Congressistas da Frente Parlamentar de Segurança Pública, conhecida como “bancada da bala” na Câmara, também não devem recuar da intenção de aprovar a permissão para porte de armas.

Senador diz que tragédia seria menor se professores estivessem armados

Senador Major Olímpio (PSL-SP) Foto: Dida Sampaio/Estadão

“Se houvesse um cidadão com uma arma regular dentro da escola, um professor, um servente ou policial aposentado que trabalha lá, ele poderia ter minimizado o tamanho da tragédia”, afirmou o senador Major Olímpio nesta quarta, 13. Em audiência no Senado, ele ainda defendeu a derrubada do Estatuto do Desarmamento, de 2003, que restringiu a posse e o porte de armas no Brasil. A revogação dessa norma é uma das bandeiras do presidente Jair Bolsonaro.

Na avaliação do senador, o ataque  “mostra justamente o fracasso, a safadeza da política desarmamentista, que simplesmente deu o empoderamento para o criminoso e tirou a possibilidade da legítima defesa”.

Ele aproveitou a oportunidade para defender o decreto presidencial que flexibilizou as regras para a obtenção da posse de armas. Segundo o senador, “a população botou o Bolsonaro como presidente da República para ser um impulsionador de garantias para o cidadão, para que nós não tenhamos tragédias dessa natureza”.

“O decreto do Bolsonaro simplesmente garantiu posse legítima, não é nem porte, o porte nós vamos votar depois, é a segunda etapa em relação a isso que foi tirado do direito de defesa do cidadão”, disse o Major Olímpio.

Ele afirmou ainda que a “enquanto as armas forem ilegais, apenas os ilegais terão armas”. “Então, vamos, sem hipocrisia, neste momento, chorar os mortos, sim, vamos discutir a legislação: onde estamos sendo omissos? Como policial, eu me sinto derrotado; como parlamentar, mais derrotado ainda numa situação dessa. Vamos ver exatamente e vamos analisar a origem dessas armas. Tem-se a arma que se quer, na hora em que se quer e do jeito que se quer no Brasil todo, com fronteiras devassadas com os portos e aeroportos completamente abertos”.

Congressistas da chamada “bancada da bala” não vão recuar na intenção de aprovar a permissão para porte de armas.  A avaliação é do líder da bancada, o deputado federal Capitão Augusto, que tenta minimizar a tragédia de Suzano na defesa de grupos pró-armas.

“É óbvio que grupos desarmamentistas vão tentar usar essa tragédia para tentar demonizar as armas. Não há legislação no mundo capaz de evitar uma tragédia como essa. Se alguém na escola tivesse uma arma, a história poderia ser outra”.

Para o parlamentar, a bancada já tem força o suficiente para aprovar a medida. Na conta do parlamentar, a frente será lançada até o dia 20 com mais de 300 nomes favoráveis a medida. “Não altera nossa agenda. Vamos dar o direito do cidadão de bem se defender”.

Durante a tarde, a Câmara dos Deputados fez um minuto de silêncio em favor das vitimas da tragédia que deixou dez mortos e oito feridos.

‘Cultura da violência’

Já na avaliação do senador Humberto Costa (PT), o recente decreto que aumentou o acesso dos cidadãos às armas pode elevar o número de massacres desse tipo. “Se cada cidadão brasileiro pode ter na sua residência quatro armas, como prevê esse decreto apresentado pelo presidente da República, a chance de termos episódios como esse cresce enormemente. E não é exatamente ampliando a possibilidade de as pessoas terem armas, a posse de armas, que vamos acabar com a posse ilegal e com a posse irregular”, argumentou Humberto.

Para o senador Alessandro Vieira (PPS-SE), a cultura da violência está na raiz dessas tragédias. “Estamos importando para o Brasil uma cultura de violência gratuita. Isso não começou hoje, não começou agora, mas vem sendo agravado paulatinamente, especialmente pelo ambiente que tivemos na última disputa eleitoral. Precisamos resgatar no Brasil o que sempre tivemos, que é um ambiente de maior possibilidade de discussão harmônica entre pessoas que se opõem por algum motivo” afirmou.

Trump já defendeu armas para professores nos Estados Unidos

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, já sugeriu que professores sejam treinados para atirar como solução para massacres em escolas. Segundo o republicano, os docentes podem ser preparados para agir rapidamente em resposta a tragédias. Ele chegou até a defender um bônus para os educadores que fizessem esses cursos. A ideia motivou críticas de grupos de sobreviventes de tiroteios em colégios e universidades americanos.

_______________________________________________________

Vou falar pela minha região, nas cercanias de escolas e faculdades privadas não falta policiamento…

Nas cercanias de grandes shoppings e grandes supermercados não falta policiamento; instalam até posto da PM.

Nas cercanias de escolas públicas e comércios populares…NADA!

Mas a posse e o porte de arma de fogo do estado para educadores até que é uma boa ideia Major Olímpio, a sociedade civil não pode  mais ficar dependendo da PM e da PC. 

Aparentemente o que difere um policial de um cidadão qualquer é  apenas a arma de fogo, pois se vê que intelectualmente policiais em geral são bem  deficientes; além de acovardados. 

Vamos rir para não chorar – Não são os bandidos do morro que executam os PMs, são os seus próprios “irmãos de armas” 30

Peças dos fuzis estavam separadas para serem montadas — Foto: Patrícia Teixeira/G1

 

 

A Divisão de Homicídios (DH) da Polícia Civil do Rio de Janeiro encontrou 117 fuzis incompletos, do tipo M-16, na casa de um amigo do policial militar Ronnie Lessa no Méier, na Zona Norte do Rio.

De acordo com investigações da DH e Ministério Público, Lessa foi responsável por atirar na vereadora Marielle Franco e no motorista Anderson Gomes no dia 14 de março de 2018.

https://g1.globo.com/rj/rio-de-janeiro/noticia/2019/03/12/policia-encontra-117-fuzis-m-16-na-casa-de-suspeito-de-atirar-em-marielle-e-anderson-gomes.ghtml

Marielle – A FRANCA – foi executada para que as mídias bolsonaristas denegrissem toda a esquerda propalando falso acerto de contas por traficantes que a financiavam 43

Resultado de imagem para desembargadora denigre marielle

 

Esse pessoal dessa extrema direita de tortos é especialista em contrainformação…

Ou seja, fazer da mentira uma verdade incontestável. 

Em poucas horas – em todo o Brasil –  a vítima virou a bandida…

E a polícia carioca um imaculado poço de pureza! 

Os Bolsonaros devem ser investigados profundamente.

A conduta deles em relação ao episódio é eloquente.  

Resultado de imagem para marielle

Condomínio Vivendas das Milícia…( Agora se vê o motivo de os Bolsonaros jamais manifestaram repúdio pela execução de Marielle ) 2

Alugar casa em condomínio de suspeito do caso Marielle pode custar R$ 10 mil

Casa de Ronnie Lessa, com cerca e portão alto, destoa de outras do local, sem muros

 

Catia Seabra
Rio de Janeiro

O ruidoso sobrevoo de dois helicópteros rompeu, às 5h30 desta terça-feira (12), a calmaria do Condomínio Vivendas da Barra, endereço do policial reformado Ronnie Lessa, 48, e do presidente Jair Bolsonaro (PSL).

Lessa, sua mulher e seu filho moram, há três anos, no número 65/66 do condomínio Vivendas da Barra. Sua rua é a C, a mesma do presidente Jair Bolsonaro. Da varanda da casa de Lessa é possível ver o quarto da filha de Bolsonaro.

O aluguel de uma casa no condomínio custa em média R$ 8.000. Como a casa de Lessa é dupla, com 280 m2 de área construída, o IPTU é de R$12,6 mil por ano. O condomínio custa R$ 2.316 por mês.

A família tem dois carros, um deles blindado. No fim da tarde, um Jeep Renegade de cor vinho estava estacionado na garagem. Na varanda térrea, uma imagem de Buda está localizado na porta de entrada. Nos fundos, um caiaque.

Nesta manhã, após a prisão, sete policiais estavam diante da casa de dois andares, branca com detalhes em azul, de onde levaram documentos e computadores. Essa não é a primeira vez que Lessa quebra a rotina do condomínio de 150 unidades.

Fachada da casa de Ronnie Lessa, ex-PM preso sob a suspeita de ter matado Marielle
Fachada da casa de Ronnie Lessa, ex-PM preso sob a suspeita de ter matado Marielle – Cátia Seabra/Folhapress

Sem fornecimento de água direto da Cedae, a casa tem que ser abastecida por carros-pipas, o que chegou a provocar desconforto aos vizinhos. O policial reformado também já pediu autorização para fixação de uma câmera de segurança no poste de luz do condomínio. Como não obteve autorização, ele instalou um poste dentro de casa, com a câmera voltada para a rua.

A casa de Lessa tem cerca e portão altos e destoa em um condomínio sem muros. Na lateral da casa do vereador Carlos Bolsonaro, filho do presidente, por exemplo, há uma calçada pela qual é possível caminhar até a rua ao lado.

Condomínio Vivendas da Barra, no Rio, onde o presidente Jair Bolsonaro tem casa
Condomínio Vivendas da Barra, no Rio, onde o presidente Jair Bolsonaro tem casa – Google Maps

À noite, as crianças brincam pelas ruas e, com circulação livre, os gatos são identificados apenas por coleiras.

O condomínio tem segurança privada e, na entrada, visitantes se identificam na guarita, apresentam documento e têm a entrada autorizada pelos moradores.

Desde a eleição, dois agentes federais armados fazem guarda na porta da casa do Bolsonaro.

A ‘lei do silêncio’ não permite que se diga que o crime é a polícia…ou melhor: não permite dizer que as policiais estaduais são as maiores ORCRIMs do Brasil…( Quem não rouba nem mata deixa o “irmãozinho” roubar ou matar ! ) 1

A ‘lei do silêncio’ não permite que se diga que o crime é a polícia

POR FERNANDO BRITO · 12/03/2019

Evidente que não se fala que todo policial é criminoso.

Muitos não são, mas sabem que a estrutura é e, por isso, melhor calar.

Mas é simplesmente inaceitável ler em O Globo que “ninguém jamais havia investigado Ronnie Lessa [0 sargento apontado como o executor de Marielle Franco].

“Embora os corredores das delegacias conhecessem a fama do sargento reformado, de 48 anos, associada a crimes de mando pela eficiência no gatilho e pela frieza na ação, Lessa era até a operação desta quarta-feira um ficha limpa”.

O cara sofre um atentado a bomba acionada por controle remoto via celular, andando numa Toyota blindada e ninguém investigou a razão, sendo aceitável que ele era “segurança” (ou ex-segurança) de bicheiro e vida que segue?

O sujeito mora em um condomínio de luxo na Barra, tem casa com lancha num outro, de luxo, em Angra dos Reis, desfila num automóvel blindado Infinity que, se tiver sete ou oito anos de uso custa mais de R$ 120 mil, tudo isso com uma aposentadoria da PM que fica pouco acima de R$ 7 mil, e ninguém desconfia de nada?

E vejam que era um mero sargento, nem mesmo um oficial. Será que nem nestes há o brio de, vivendo modestamente, não investigar porque há tantos “colegas” podres de ricos?

Como isso é possível sem cumplicidade e muita?

Há uma estrutura criminosa dentro de nossas polícias e a “licença para matar” que já lhe é dada há muito tempo só a faz prosperar, inclusive agenciando as atividades dos “bandidos-bandidos”, com seus arreglos e proteção.

Meses atrás o ministro da Justiça, Torquato Jardim, disse que comandantes de batalhão da PM do Rio eram “sócios do crime organizado” e nada aconteceu.

Vivi, de perto, as dificuldades de um governo, o de Brizola, que se dispôs a enfrentar os desvios da polícia. A sério, sem aquelas demagogias de escolher meia-dúzia para expulsar e continuar “deixando a festa rolar”. A imprensa fazia coro ao “não deixam a polícia trabalhar”.

Vê-se agora o quanto trabalham. Deve realmente ser trabalhoso não ver um mercenário milionário bem diante dos seus olhos.

Haverá, nos jornais, quem faça a básica pergunta de como isso foi possível?

http://www.tijolaco.net/blog/a-lei-do-silencio-nao-permite-que-se-diga-que-o-crime-e-a-policia/