AUMENTO PARA QUEM NÃO PRECISA

CCJ aprova aumento salarial para ministros do STF
A Comissão de Constituição e Justiça da Câmara aprovou nesta terça-feira, por unanimidade, aumento de 3,14% no teto salarial de ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), referente à reposição da inflação em 2006.
A decisão, que ainda terá que ser aprovada no Plenário da Câmara, se estende a todo o Judiciário, com forte impacto no orçamento do governo.
O projeto de lei enviado pelo STF em julho de 2006 previa 5% de reposição da inflação sobre o teto salarial dos ministros.
Atualmente, o salário dos ministros é de R$ 24,5 mil. Com a reposição de 3,14% concedida pelos deputados, o salário mensal dos ministros do STF sobe para R$ 25.269.

E PARA POLÍCIA 0%.

PARECE QUE O ANIVERSARIANTE, ESTÁ ESCONDENDO A CABEÇA NO BURACO PARA VER SE O PERIGO PASSA !

Na mitologia popular, o avestruz é famoso por esconder sua cabeça na areia ao primeiro sinal de perigo. O escritor romano Plínio o Velho é notado por suas descrições do avestruz em sua Naturalis Historia, onde ele descreve o suposto hábito dos avestruzes de esconder a cabeça em arbustos. Nunca houve observações registradas deste comportamento e um contra-argumento comum a isto é que uma espécie que exibisse tal comportamento não sobreviveria por muito tempo. O mito pode ter surgido do fato de que, de uma certa distância, quando avestruzes se alimentam eles parecem estar enterrando sua cabeça na areia pois eles deliberadamente engolem areia/pedras para ajudar a esmagar sua comida. Quando deitados ou se escondendo de predadores, eles são conhecidos por deitar sua cabeça e pescoço rente ao chão. Quando ameaçados, avestruzes fogem, mas podem também ferir seriamente seus inimigos através de coices por meio de suas poderosas pernas.

A farsa da avaliação de desempenho Resposta

A farsa da avaliação de desempenho
CARLOS GIANNAZI
O governo precisa é valorizar o magistério, garantindo de fato evolução funcional e salário condizente com a importância do cargo
O ARTIGO publicado neste espaço no último dia 21 pelo secretário de Estado de Gestão Pública de São Paulo, Sidney Beraldo, anuncia a intenção do governador José Serra de implantar no funcionalismo público a alardeada avaliação e remuneração por desempenho, concebida por alguns governos como a grande panacéia que solucionará a crise que há muito vem prejudicando a população usuária dos serviços públicos e de seus servidores no Brasil. Crise representada pela falta de investimento na valorização salarial e na formação continuada, nas precárias condições de trabalho, de infra-estrutura material e humana e, ainda, na constante tentativa de governantes e setores da elite econômica de eleger sempre os servidores públicos como o “bode expiatório” da falência do Estado e da crise fiscal. O secretário, adepto e influenciado por uma visão empresarial, de mercado e neocolonial, tenta justificar a “nova” metodologia pelo receituário neoliberal, até querendo, equivocadamente, comparar a realidade brasileira com a de países anglo-saxões. A cobaia da experimentação será a área da educação, em que os professores recebem salário-base médio de R$ 680 e trabalham em condições extremamente precárias, com superlotação de salas de aula, falta de material pedagógico e humano, excessivas e longas jornadas de trabalho, adoecimento, desgaste emocional e, somando a tudo isso, uma vertiginosa violência a massacrar todos no ambiente escolar que, por princípio, deveria ser o lugar da construção da civilidade. As políticas salariais de bônus e gratificações adotadas nos últimos anos pelo próprio governo tucano não só fracassaram como também destruíram a carreira do magistério paulista, tendo como conseqüência o que revelou a última avaliação do MEC, classificando a rede estadual de São Paulo como uma das seis piores do Brasil. Como exigir melhor desempenho dos professores em condições aviltantes de trabalho? Sabemos muito bem o que está por trás da proposta de remuneração por desempenho: não dar reajuste para os servidores, legitimar o desrespeito à data-base, que já venceu em 1º de março, fortalecer o controle e a punição e ainda culpar os professores pelo fracasso escolar. O governo precisa é valorizar a carreira do magistério, garantindo de fato evolução funcional e salários condizentes com a importância do cargo, a fim de estimular os atuais professores e atrair outros que gostam e querem sobreviver da docência. Para tanto, perdoem-me o necessário trocadilho, é preciso ter decência. Por isso, faz-se necessária, sim, uma avaliação, mas do desempenho deprimente e inócuo das políticas salariais adotadas para os servidores públicos, em especial os da rede estadual de ensino, já que serão eles as primeiras vítimas do experimento tecnocrático que trata os educadores como trabalhadores de uma empresa, de um banco e/ou aqueles que labutam por produção. O trabalho com educação é absolutamente distinto e obedece a outra lógica, muito diferente da empresarial, fabril, de linha de montagem. Educação é um processo contínuo, permanente e interativo, no qual, além de conteúdos, são trabalhados valores éticos, habilidades, visão de mundo, competências, formação da cidadania crítica, respeito ao bem social comum, solidariedade humana etc. Isso não se mede ou se afere com estatísticas lineares, índices mercadológicos ou métodos da “qualidade total”.A sanha avaliativa -representada por avaliações externas, como Saresp, Prova Brasil, Saeb, Enem (o ex-Provão) e as novas Provinha Brasil, criada pelo PED, e a Prova São Paulo, da Prefeitura de São Paulo- fornecerá os critérios para premiar professores e escolas que atingirem as metas requentadas anunciadas recentemente pela Secretaria Estadual de Educação. Uma delas é a implantação do ensino fundamental de nove anos, que não é meta do governo estadual, e sim obrigação constitucional já incorporada pela Lei de Diretrizes e Bases. Só para citar mais uma, a implantação da recuperação, que já existe, é inerente ao processo ensino-aprendizagem e também figura na LDB. Chega de avaliações. A educação já está com overdose delas. O que ela precisa, com os professores, é de mais investimento. Para isso, o governador José Serra poderia oferecer um bom exemplo de desempenho e um interesse em solucionar a grave crise que assola a educação estadual orientando a sua base governista na Assembléia Legislativa para derrubar os vetos do seu próprio partido às emendas que aumentam os recursos para as escolas públicas do Estado de São Paulo.
CARLOS GIANNAZI, 45, mestre em educação pela USP e diretor (licenciado) de escola pública, é deputado estadual (PSOL), membro da Comissão de Educação da Assembléia Legislativa de São Paulo.

isso tudo não vai dar nada???? ". 17

Boa tarde Delegado Roberto,

Realmente não duvidamos nada de que estejam tentando passar esta imagem, principalmente o delegado (aniversariante do mês) que por se julgar TODO PODEROSO, e imexível (como diria o ex-ministro Magri) não percebe o quão complicada é a sua situação e de sua filha – sem falarmos dos demais envolvidos. Esperamos que as medidas a serem adotadas pelo ilustre membro do MP se dêem rapidamente – apesar de compreendermos perfeitamente que a demora é necessária para robustecer o bojo probatório da peça inquisitorial. As chefias para nossa surpresa em conjunto com os delegados que compõem o ESQUEMA DE CORRUPÇÃO, aproveitaram todo este “terror” para (acredite se quiser) aumentar o valor da PROPINA arrecada da quadrilha dos maquineiros. O “negócio” realmente é muito rentoso, para vossa senhoria ter uma idéia, todos os estabelecimentos que estão fechados (onde funcionavam os bingos e as máquinas), apesar de estarem vázios (sem movimentação), continuam tendo seus aluguéis pagos pelos inquilinos – aluguéis estes que em alguns imóveis chegam a 40.000,00 mil reais por mês – de tanta certeza têm de que voltarão a funcionar. Seus proprietários, ganhando volumosas quantias de dinheiro, em DETRIMENTO DA POPULAÇÃO, pois as máquinas caça-niquéis são programadas para roubarem os apostadores e nunca estão programadas 50% a 50% como deveriam. Os laudos do Instituto de Criminalística somente dizem isto APÓS RECEBEREM UMA MODESTA QUANTIA POR CADA LAUDO. Neste momento entre no jogo o perito que também avolumou grande capital nos últimos meses. Acreditamos como dissemos acima, que quando novas medidas forem tomadas e a opinião pública disto ficar sabendo por intermédio da imprensa aí sim acreditamos em mudança para melhor. Pois a polícia civil da região está literalmente SEM COMANDO – ninguém mais faz nada, também para que vão trabalhar, para atender a população, arriscar a vida, enquanto um pequeno grupo de LADRÕES COM DISTINTIVO ganham quantias equivalentes de 600.000 a 1.200.000,00 atrás de uma mesa? Achamos uma pena a retirada da foto do apartamento do corrupto Ravengar, mas acreditamos que deve ter tido um motivo para excluí-la. Estamos avidos aguardando novidades, por favor queira nos manter informados.
Saudações.

GRÃO DE AREIA

Um pequenino grão de areia
Que era um pobre sonhador
Olhando o céu viu uma estrela
Imaginou coisas de amor.
Passaram anos, muitos anos

Ela no céu, ele no mar
Dizem que nunca o pobrezinho
Pôde com ela se encontrar
Se houve ou se não houve alguma coisa entre eles dois

Ninguém soube até hoje explicar
O que há de verdade é que depois, muito depois,
Apareceu uma estrela no mar

EU DEVERIA TER ACREDITADO EM VOCÊ: ELES SÃO UNIDOS.

Caro Guerra, Não nos conhecemos e pode até acontecer de nos conhecermos e não gostarmos um do outro ( coisas da natureza humana). Porém, embora não tenha me manifestado mais no forum, acompanho a leitura do que está sendo escrito pelos colegas e, francamente, o universo dos descontentes é muito baixo e dá para contar nos dedos de uma mão os comentários consistentes que não cheiram a basófia. É desanimador em uma categoria elevada CONSTITUCIONALMENTE à condição de AUTORIDADE PÚBLICA com tamanhos poderes que nós temos e não sabemos utilizá-los e ainda utilizamos mal quando o exercemos. As exceções são tão poucas que não aparecem, não são,por assim dizer, creditadas. Só aparecem os débitos. E como são grandes. Mas retornando ao ponto inicial, tenho percebido,com certo receio, o rumo de seus comentários no forum ,que embora, atinjam com precisão o núcleo da célula,( CANCERÍGENA ) da corrupção institucionalizada na corporação,possa atingir também algum corrupto, que acredite(com muita fé) que ninguém saiba que ele é corrupto, ou que tenha certeza que ninguém provará que ele(a) é corrupto(a) e resolva em um segundo de sandice, provocar ação adm ou judicial( nessa não acredito muito pela exceção da verdade) pelo que se está sendo dito no forum. Talvez não seja difícil provar, pela inexistência de conduta positiva na coerção de delitos dos quais decreveu(ex: bicho,caça níquel,etc), praticados a céu aberto ( esqueci dos desmanches),que o que se afirma no forum é verdade. Mas, sandice é sandice. E se algum insano,ou talvez até algum honesto ingênuo( quero dizer besta) resolver interpelá-lo é bom que se prepare e organize boa defesa,pois a lei e seus aplicadores costumam ser implacáveis com os desafiadores de sistemas instalados( como é o nosso). Nossa Instituição é, de certo modo, voltada para o crime, quase uma organização criminosa,tem estrutura de organização criminosa,cujas condutas vc descreveu corajosamente( compra de cargo,compra de promoção,compra,compra,compra de qualquer coisa que valha dinheiro. E o pior venda de colegas,não digo de amigos,pois venais não têm amigos, mas se tivessem venderiam. Caro guerra, pela experiência que demosnstra possuir, creio estar próximo da aposentadoria, já deve ter comido pão amassado pelo cão das trevas, preterido por idiotas em favor de idiotas(são unidos) e provalelmente o martírio prosseguirá enquanto persistir na luta inglória por esta instituição, que sinceramente, se desaparecer, ninguém perceberá. Não fazemos diferença há muito tempo. Nosso cargo não tem seido representado aa altura (CONSTITUCIONAL) que foi elevado em 1988. Não soubemos valorizà-lo e definitivamente o perdemos. Há menos que algum abalo institucional ocorra daqui prara a frente, nós sucumbimos e mesmo que ganhemos alguma sobrevida, sinceramente, não dá para contiuar. Percebemos revolta por baixos salários por parte de alguns,mas a revolta contra os pecados da instituição só vc está tendo coregem de bater o martelo. Nosso patrono é só uma lembrança. Se cuide, não vale a pena ser mártir pela instituição. Ela não quer ( se expor). Abraço, se cuide e proteja os seus. (e-mail: CAUTELA, de um colega-amigo datado de 2 de abril 2007)

O MINISTÉRIO PÚBLICO NOS QUER ETERNAMENTE SOB A DITADURA DA CORRUPÇÃO?

Ministério Público e polícia disputam poder.
Procurador ameaça com ação no STF; delegado diz existir casta intocável.
Fausto Macedo

“Se a PEC da polícia passar, no dia seguinte vai ser alvo de ação direta de inconstitucionalidade no Supremo Tribunal Federal”, avisou ontem o procurador de Justiça José Carlos Cosenzo, presidente da Associação dos Ministérios Públicos (Conamp). Segundo ele, “a PEC vai criar um trem da alegria inimaginável, porque outras carreiras policiais, civis e militares terão reajustes automáticos de vencimentos e isso vai criar um grande problema para todos os governadores”.”Isonomia de salários é a meta”, bradou Amaury Portugal, presidente do Sindicato dos Delegados da Polícia Federal em São Paulo. “A PEC restabelece um regime jurídico que, na década de 1990, igualava salários de delegados federais e procuradores da República”, afirmou.Segundo Portugal, “embora os delegados exerçam funções típicas das carreiras jurídicas (juízes e promotores), não são reconhecidos por essa qualidade, o que reflete no seu regime salarial”. Ele assinala que um procurador da República “ganha no ápice da carreira cerca de R$ 25 mil, mais adicionais e gratificações”.Delegado da PF em final de carreira, explica Portugal, ganha R$ 15 mil. “Todas as gratificações, adicionais de periculosidade e ganhos por sentença judicial, além de outras verbas dos delegados, foram suprimidas pela implantação do subsídio como forma de salário cheio”, argumenta o presidente do sindicato federal. “A diária de um policial federal é vergonhosa, R$ 120, e nunca é paga adiantadamente como manda a lei. O governo é o que mais burla a lei e não cumpre seus compromissos.”O líder dos delegados federais acusa promotores e procuradores de quererem “formar uma casta intocável, com os privilégios de carreira jurídica e altos salários”. “Não aceitamos essa postura do Ministério Público, como também somos manifestamente contra a sua ingerência na investigação criminal, que é prerrogativa do delegado”, ataca.Cosenzo rebate: “A PEC 549 é um contra-senso porque os delegados reconhecem o poder de investigação do Ministério Público.” De acordo com o procurador, “eles sustentam que não podem ganhar menos que os promotores porque atuam nas mesmas circunstâncias ou sob os mesmos parâmetros”. “A inconstitucionalidade é clara até pelo fato de que, se conquistarem a equiparação, quem vai conseguir aumento de vencimentos para eles será o procurador-geral. Terão de se submeter ao regime remuneratório do MP, que prevê que eventuais reajustes só podem ser pleiteados por meio de projeto de lei de iniciativa exclusiva do procurador-geral.””Os governadores vão ter que resolver um problema de graves conseqüências e proporções”, alerta Cosenzo. “Em São Paulo, por exemplo, se o governo tiver que dar aumento para os 2 mil promotores de Justiça, vai ter que estender a 150 mil policiais. Os delegados vão ter que carregar junto os oficiais da Polícia Militar bacharéis em Direito”, diz. O procurador diz ver razão na luta dos delegados por bons salários, pois “eles são merecedores de condição melhor” e “a polícia é muito mal remunerada”. “Mas a vinculação é inconstitucional. O Supremo tem inúmeras decisões nesse sentido”, ressalva.

CONCLUSÃO: POUCO IMPORTA 150 MIL POLICIAIS( famílias de políciais), SOFRENDO PRIVAÇÕES .
IMPORTA, APENAS, QUE 2000 PROMOTORES JAMAIS SEJAM AFETADOS FINANCEIRAMENTE.
PROBLEMA É O GENOCÍDIO DE PARCELA DO POVO.
E GRAVE É UMA POLÍCIA CORRUPTA E VIOLENTA – DIRIGIDA HÁ VINTE ANOS POR PROMOTORES DE JUSTIÇA – FAZENDO REPASSE DOS LUCROS PARA GRUPOS DE PODER.

OS PLANTONISTAS DO DECAP "QUE SE VENDEM"

De: “Andreza ” Data: Sat, 29 Sep 2007 02:44:33 -0300
Local: Sab 29 set 2007 02:44
Assunto: Re: [DELEGADOS] Re: MAÇANETA

Rodrigo, a Portaria está totalmente em vigor…. alguns distritos não a estão observando pois os plantonistas não se importam em trabalhar além do que devem ou se “vendem” (com medo de bonde ou outro tipo qualquer de represália!). Desde que a Portaria “saiu”, eu não trabalhei um só dia em 04 equipes, mesmo com os colegas tirando férias ou licenças….
Andreza


[DELEGADOS] Re: MAÇANETA
A PORTARIA NÃO FOI REVOGADA, ELA ESTÁ ENGAVETADA ATÉ COMENTAREM NOVAMENTE, OCASIÃO EM QUE, ALGUEM IRÁ PEDIR O SEU DESARQUIVAMENTO….RSSS
DÉCIO SUPLICY. —–

Original Message Sent: Tuesday, September 25, 2007 3:46 PM Subject: [DELEGADOS] MAÇANETA
Ainda com relação à entrevista do assistente do Decap, eu pergunto:
E aquela portaria, tão alardeada pela Adpesp, feita pelo diretor do Decap, a qual inclusive elogiei, onde colocava os assistentes para tirar plantão para formar 5 equipes? Foi revogada?

Como se vê do primeiro comentário, conforme a ilustre colega entusiasta e membro da chapa FÊNIX , os Delegados de Polícia submetidos ao regime de plantão composto por 4(quatro) equipes : “não se importam em trabalhar além do que devem ou se “vendem” (com medo de bonde ou outro tipo qualquer de represália!)”.

Mas , segundo ela: a Portaria está totalmente em vigor… vige, mas é desrespeitada pelos “vendidos” . Assim, na esteira das afirmações da colega, os plantonistas que trabalham “além do que devem” , deverão ser submetidos ao regulamento disciplinar; suportando penalidade por descumprimento dos deveres e das normas elencadas na referida Portaria do Diretor do DECAP.

Com efeito, com todo o respeito a manifestação da douta colega, vislumbro mais um caso em que se busca simplificar questões argumentando falaciosamente.

Diga-se a propósito: “transformando-se vítimas(plantonistas), em bandidos”.
Por fim: antiético – além de denominar “vendido” o colega submetido, nos distritos mais carentes é claro, ao regime de 4(quatro) equipes – foi me chamar de “anti-ético”.
Os demais colegas que façam o julgamento.

FIDELIDADE E COMPROMETIMENTO – ATRIBUTOS DOS CORAJOSOS E TRANSPARENTES Resposta

RODRIGO:
A denominação fidelidade e comprometimento, antes de um slogan, surgiu como definição do pequeno grupo de amigos formado no Fórum da Associação dos Delegados. Você é grande exemplo de fidelidade, comprometimento e atitude. A razão maior para eu me candidatar, isoladamente, é representar “o nosso pequeno grupo” – sei que tais palavras poderão ser distorcidas – demonstrando que os nossos ideais não se acham apenas do plano virtual, ou melhor, “cibernético” como fala o colega Lew. Quando eu fizer a nossa retrospectiva – do nosso grupo formado no Fórum, verdadeiramente o grupo mais revolucionário desta Carreira, possivelmente o único – demonstrarei, com maior propriedade, o “porquê” do surgimento do Delpol-PC e do Delegados-Delegados. Um grupo que, buscando aproximação pessoal, se reuniu na Adpesp sem direito a recepção e participação dos membros daquela diretoria. Em virtude do pouco caso da Associação em relação aos colegas do interior, mas muita atenção e reverência para os fiéis convivas do restaurante da Adpesp. Do diretor presidente da Adpesp sequer recebemos pequena resposta. Para os quais nunca passamos de um “bando de inimputáveis”. Eu não compareci, mas vocês compareceram fazendo história. É muito fácil formar chapa para concorrer a Adpesp por aqueles que, diuturnamente, lá estão. Debater, sobre as mesas, também é muito mais fácil e prazeroso. Muito mais fácil quando se tem a colaboração de agentes políticos com livre trânsito na administração policial e na própria Associação. Difícil é congregar colegas dispersos neste Estado gigantesco. Também, “coragem e transparência” são atributos apenas dos participantes do Fórum. Coragem de expressamente externar opiniões e críticas em desfavor do governo, da administração policial e de autoridades. Transparência ao colocar as manifestações e objetivos às claras. O discurso oral logo é esquecido. Os excessos verbais facilmente explicáveis e perdoados pelos ofendidos. Acabam na conta do copo. Não me lembro de nenhuma manifestação dos colegas Paulo Lew, Emanuel, Teresinha ou do suscitado candidato da situação, no espaço destinado a congregar os consortes da Adpesp. Não me lembro de subscreverem a convocação da assembléia extraordinária. E não lembro que tenham eles reivindicado da Adpesp a reativação do Fórum. Sequer buscaram explicações. Talvez não avaliassem a importância daquele espaço para os colegas do DEINTER. Dos colegas do DECAP lembro, apenas, da contundente manifestação do colega Brito – se não me falta memória – manifestando-se em desfavor do Doutor Roque pela maneira que ele tomou para si a conquista dos plantões de 5 equipes; além de relatar suposto superfaturamento das reformas da colônia de férias. Estas as últimas manifestações do Fórum, posto dia seguinte ser violentamente suprimido. Coragem e transparência é mostrar aquilo que se pretende fazer. Sem quaisquer medos de perseguições ou da apropriação das idéias. Coragem e transparência não cabe àqueles que escamoteiam os objetivos e, principalmente, se apropriam das idéias e criações alheias. O esboço para reforma do estatuto da Adpesp ou eventual constituição de uma nova associação – por mim elaborada em Santos há cerca de um ano, foi publicado no Fórum. O Blog Flit Paralisante não foi criado oportunisticamente. Foi criado, experimentalmente, no mês de março de 2007, posto vislumbrar ou intuir o iminente fim do Fórum. Não foi o pioneiro da blogosfera policial, mas foi o primeiro criado por Delegado de Polícia deste Estado para tratar de assuntos da Carreira. Não estou cobrando créditos, apenas estou demonstrando que oportunismo e apropriação de idéias são próprios de quem não possui coragem para inovar e transparência para mostrar aquilo que pensa. A denominação FLIT PARALISANTE – ao contrário do que se pensa – em quase nada se relaciona com o poeta Cazuza. Tem o significado de instrumento neutralizador das condutas que nos são nefastas. Eu disse quase nada, pois do poema apenas serviriam as estrofes: “meu mundo que você não vê… meus sonhos que você não crê”. Servindo em relação àqueles que acham que nos escondemos; que nos julgam meros falastrões sem ações. Para quem, ainda, não viu e avaliou o impacto que o grupo remanescente do Fórum causou na Instituição.

A ADPESP NÃO PODE EFETUAR CRÍTICAS DE CUNHO POLÍTICO-PARTIDÁRIO

Do estatuto da Associação dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo.

Artigo 7o. – É expressamente vedado à “ADPESP” envolver-se em questões político-partidárias e religiosas, bem como ceder a sua sede e sub-sedes para fins estranhos aos da Associação.
Parágrafo único – A proibição não atinge, individualmente, a nenhum dos sócios, inclusive aqueles que componham os órgãos dirigentes e representativos da “ADPESP”.
Assim, salvo melhores e abalizadas interpretações, não cabe ao Presidente da Adpesp falar em favor ou desfavor deste ou daquele partido.
E se os governos Tucanos fossem inimigos da valorização policial, os Delegados da Polícia Federal e demais carreiras – além de outras polícias estaduais – não perceberiam bons vencimentos.
Não foi o PT quem os valorizou.
A questão, neste Estado, não é partidária.
O problema “é o cultural roube quem puder”; entre nós institucionalizado.
As autoridades que comandam a Polícia não foram forjadas de 1995 para cá.
Aliás, o PSDB sequer existia quando os ocupantes da classe especial ingressaram na Polícia Civil.
Assim, não me parece procedente e justa a crítica, postada em grupo de discussão formados por Delegados, no sentido de que:
O Dr. Sérgio( atual presidente da Adpesp) sempre foi uma grande pessoa, entretanto, havia emperrado no quesito de mostrar para a população a verdade de como os governos atual e pretéritos (tucanato) vêm nos tratando e os reais motivos da insegurança pública. (P.L.)
Relação dos vencimentos iniciais dos Delegados de Polícia dos Estados do PSDB, e Polícia Federal.

Estado
Remuneração/ 2007 (inicial bruto), em R$
Polícia Federal (Delegado Federal)
10.862,14 ( a maior remuneração do país)
04
Goiás 7.635,41 (salário válido até 31.05.2007, a partir de 01.06.2007 passa a ser de R$ 8.748,00)* ex-vice e sucessor do Senador M. Perillo(PSDB)
06
Alagoas (com inclusão do adicional noturno)
7.166,87
10
Roraima
6.000,00
15
Rio Grande do Sul
5.296,01
16
Rio Grande do Norte
5.091,34
25
Minas Gerais
3.734,93
27
São Paulo (existem 3 pisos salariais, incluídas todas as vantagens)
3.024,00 –
ALE I e II
3.159,07 –
ALE III
3.508,15 –
ALE V
* ATUALIZAÇÃO EFETUADA EM JUNHO DE 2007.
Os Delegados de São Paulo recebem o P(pior) S(salário) D(do) B(Brasil).
Todavia, paradoxalmente, determinada parcela representa os mais ricos do país.
Um Senador, inclusive.
Doutor José Serra: R$ 5.500,00 (iniciais), seria justo. Não dá para comprar imóvel de milhão, dirigir Jaguar, vestir Armani e colecionar Rolex.
Mas ,depois de vinte anos, um no valor de R$ 200.000,00. Também, um Corsa ou Siena na garagem, terno padrão Camelo e um Tissot.
E uns R$ 50.000,00, na MAPFRE – Nossa Caixa Vida e Previdência S.A.(apesar de ter despencado).
Nada mal para um funcionário público(seria o bastante, pelo menos, para mim). E, aos 60 anos, depois de 35 de contribuição, com aposentadoria de R$ 10.000,00, viveria como rei. Nenhum Delegado de Polícia digno merece mais – nem menos – do que isso.

O INQUÉRITO CIVIL INSTAURADO POR DELEGADO DE POLÍCIA Resposta

A IMPUNIDADE E SINAIS EXTERIORES DE RIQUEZA

 

O atual Delegado-Geral fala em corregedoria preventiva.

 

Nada mais preventivo do que a Corregedoria verificar os sinais de riqueza ostensivamente exibidos por quantidade considerável de autoridades e policiais civis.

 

Parece que sempre foi um tabu cuidar da vida do alheio, digo, do patrimônio. A vida íntima muito se bisbilhota.

 

Assim, pouco importa se um investigador, cujo salário não ultrapassa R$ 2.500,00, possui um veículo Mercedes de R$ 200.000,00.

 

Também, nenhuma importância se dá ao fato de determinados Delegados, com vencimentos em torno de R$ 5.000.00 a 8.000.00, serem proprietários de imóveis de R$ 500.000,00; 800.000,00; 1.500.000,00 e até casas na praia de Acapulco – no Guarujá – na ordem de R$ 2.000.000,00.

E o pior: tal tipo agente público é considerado exemplar.

 

Um modelo a ser imitado.

São os diletantes.

Os herdeiros de ricas famílias que, desprendidamente, abraçam a carreira policial por espírito público.Antiga desculpa de gente corrupta; na esteira de uns poucos abnegados, verdadeiramente, afortunados de berço.

Os desonestos, entre outros malefícios coletivos, acabam,indiretamente, sendo úteis para o Governo, pois nada reivindicam.Quando nos postos de comando adotam, falsamente, postura irrepreensível.

Não necessitam dos vencimentos. Sendo contrários a quaisquer reivindicações; especialmente a greve.

E, obviamente, não querem que os honestos se fortaleçam, passando a desenvolver seus trabalhos sob condições de vida mais equilibradas; menos adversas.

 

Os preferem vulneráveis.

E peculiar a sólida situação financeira de empresas de segurança de propriedade de alguns policiais.

Estão sempre em franca expansão.

Enquanto boa parcela das legalmente constituídas acaba falindo; pelos custos operacionais e encargos trabalhistas.

As primeiras não apresentam dívidas trabalhistas e fiscais.

Diga-se a propósito; raramente seus funcionários efetuam reclamação trabalhista.

Não ficaria bem para um policial demandar outro policial, denunciando o “bico”.

Em alguns casos um “bico” como segurança de um cassino ou congênere.

Nestes estabelecimentos, por vezes, acabam mortos durante assaltos (roubos).

E, quando possível, a versão oficial dá conta de ato de bravura praticado em momento de folga.

 

De qualquer forma: na Polícia o enriquecimento com empreendimento lícito é raro.

 

De regra o enriquecimento se dá com proventos de atividades criminosas; e as empresas de “fachada”, sejam elas de segurança, consultoria, pequenos mercados, pousadas, imobiliárias, bares, lanchonetes e restaurantes, servem apenas para lavagem de dinheiro.

 

Apurar o enriquecimento ilícito de policiais.

 

Um fundamento, mais que razoável, para que ao Delegado de Polícia se atribuísse poderes para instauração de inquérito civil.

 

Inquérito Civil, mas sob o controle Judicial e do Ministério Público.

METÁSTASE DA CORRUPÇÃO

EXCELENTÍSSIMO GOVERNADOR:

Há mais de vinte anos membros do Ministério Público Paulista comandam, diretamente, a Polícia Civil e Militar.
Também, diretamente, governaram este Estado.

Os três últimos Secretários da Segurança, e respectivos adjuntos, são ou foram Procuradores de Justiça.

Eles nomeiam a cúpula da Polícia Civil.

Pouco, ou quase nada, fizeram para combater a corrupção de gente graúda.

Apenas, contra a “ralé” – desculpem o termo – policial.
Os desapadrinhados.

Delegados inquinados como ímprobos são familiares ou parentes de Procuradores de Justiça.

E de Desembargadores oriundos do Ministério Público.
Delegados-gerais são condenados por peculato, mas para quem foi o dinheiro parece pouco importar.
Para o bolso de Delegados, exclusivamente, não foi.
O Secretário da Segurança era Procurador de Justiça.
O Secretário de Governo era Procurador de Justiça.
O Governador era Procurador de Justiça.
Os dois últimos governadores( doze anos ) não eram Promotores de Justiça, mas a nata do Secretariado foi formada por membros do Ministério Público.
Antes policais eram ou se deixavam corromper.
Hoje a Polícia é corrupta.
A população e os policiais dignos esperam que o atual Governador promova a higienização.
E não metástase.
A propina da criminalidade não fica apenas com membros da Polícia Civil.
A população pode e deve ter absoluta certeza: a banda podre efetua o repasse do dinheiro ilícito.
E que o Ministério Público tenha consciência da grande contribuição que deu para a institucionalização da corrupção e da violência policial.

CORRUPÇÃO ENDÊMICA NO BRASIL Resposta

CORRUPÇÃO ENDÊMICA NO BRASIL
SEGS.com.br

Autor ou Fonte Redatora é: Luís Stefano grigolin Data: 24/09/2007


É uma vergonha! Assim diria Bóris Casoy ao se manifestar quanto ao alto índice de corrupção ativa e passiva que presenciamos por todos os veículos de comunicação do país, todo santo dia. Virou coisa tão corriqueira que alguns dos meus pares jornalistas tratam com a maior naturalidade a quebra de preceitos constitucionais e a barganha criminosa entre os poderes. O que é o mensalão diante dessa nomeação gigantesca de gargos de segundo escalão, declaradamente, em troca de posicionamento político diante dos interesses dos governos na preservação da CPMF?
Isso tudo é notícia crime! Cadê a polícia! Mas que polícia?
Como impedir corrupção em um país que as polícias estão sob comando de políticos meliantes? Como impedir tráfico de influência num país onde o presidente da república indica os ocupantes da suprema corte, onde governadores elegem o presidente dos tribunais estaduais, onde o governo amplia os cargos em comissão e loteia a máquina pública, onde o governo leiloa os cargos de segundo , terceiro e primeiro escalão em troca de posições não republicanas de congressistas que por sua vez não deixam escolha, numa visível extorsão à luz do dia?
Cadê a vergonha? Só conseguimos ver a falta dela!
Vivemos um Second Life, onde vale tudo e as regras do jogo são essas. Não são! Estamos tropeçando em crimes, dois pesos e duas medidas, homens públicos fazendo que não enxergam o óbvio, estamos em meio a uma montanha de ilegalidades na política nacional, é uma vergonha! Estamos entorpecidos e anestesiados com tanta corrupção e impunidade! Em qualquer país civilizado deste mundo o governo já teria caído, muitos atores estariam atrás das grades. É ridículo assistir a passividade coletiva da sociedade como um todo, e da oposição destruída, refém de suas próprias besteiras, onde o roto não pode falar do rasgado.
Não é crível que Renan Calheiros pudesse ter escapado da cassação se ouvessem homens probos, à prova de tudo, dentro do congresso nacional. Por que a grande imprensa não coloca em letras garrafais a Constituição Federal e as transgressões que implicam essas barganhas escandalosas? Será que é porque dependem dos anúncios das estatais nos seus veículos? Onde está a oposição? Eu me envergonho de participar de um partido de oposição! Eu me envergonho de ser honesto! Eu me envergonho de não seguir o exemplo daquele velhinho que adentrou ao palácio com uma bengala e plantou na cabeça de José Dirceu.
É escandalosamente gritante o mar de corrupção neste país! Se não fosse por uns poucos obstinados e ousados jornalistas perseguidos como Arnaldo Jabor e Sallete Lemos entre outros, e alguns remanescentes homens probos do congresso, estaríamos vivendo um ambiente de “Alice no país das maravilhas”.
O presidente da república não deveria estar questionando cadê as provas que incriminam os seus correligionários, deveria estar propondo medidas para achá-las e para restringir novas ações que impedissem a progressão geométrica da corrupção.
Cadê as medidas provisórias, as proposições ao congresso do executivo para a desburocratização, controles mais apurados na gestão, para a qualificação de pessoal, para a reforma política e administrativa , para a extinção e redução drástica desses cargos sem concurso público, ocupado por homens de índole duvidosa que promiscuamente os barganham? Então não se pode afirmar que este governo seja sério!
É sério um governo que ajuda a manter um senador aclamadamente descartável pelo povo, é sério um governo que mantém na sua base como líder de governo um representante do partido cujo líder denunciou todo o esquema e o modus operandi do mensalão, e foi cassado por isso, onde acabam de ser indiciados os assessores mais próximos do presidente da república? É sério um governo que tem como Ministro das Relações Institucionais mais um integrante deste partido, acusado agora do mensalão mineiro? É sério um governo que nomeia ao órgão regulador do mercado de seguros e resseguros uma indicação de Roberto Jefferson, que depois de cassado, continua presidente do mesmo partido?
É séria esta entrevista do Presidente da República onde o jornalista do The New York Times ironicamente o chama de “presidente teflon”, onde nada gruda? Seria hilário se não fosse trágico. Será que ele achou charmoso o adjetivo? Ou aceitou o embuste guela a baixo e ainda achou bonito e gostoso! O presidente tem razão ao não dar entrevistas coletivas a todo instante, pelo menos nos preserva de sua ignorância quanto aos fluxos econômicos internacionais, dizendo que uma crise de proporções planetárias como as de “sub prime” no mercado imobiliário americano não atingiria o Brasil. E também diminui a convicção por parte dos jornalista externos que o presidente não sabia de nada.
Eu me incomodo pela desfaçatez do presidente e pela idêntica postura dos jornalistas norte americanos, que tem por hábito um humor refinado, quase imperceptível para quem não conhece o povo norte americano, cuja característica é intrínseca. Isso se torna hilário, lá fora, e é visto como algo que chamamos aqui de “cara de pau”, ou “vaselina”. A posição do leitor americano a este estado de coisas é a expressão ” como pode?” traduzida literalmente! Mas por aqui acham graça! Não sei de que?
É preciso fazer valer as leis deste país e enquadrar toda esta corrupção sem medo de desestabilização institucional. É tanta corrupção nos três poderes que há na sociedade a angustiante sensação que isso pode acabar demolindo a democracia. Talvez esta a sábia posição da população, que a tudo vê e a tudo se cala. Talvez esperando que hajam soluções e acomodações políticas para os casos de polícia em que se tornaram a insana relação entre os poderes da república, tendo em vista que de dois em dois anos podem corrigir nas urnas.
Que Deus fortaleça este entendimento e que possamos banir mais um monte de inservíveis que ocupam cargos públicos deste nosso país.
Luís Stefano Grigolin, corretor de seguros, consultor e especialista em tecnologia da informação, jornalista, suplente de Deputado Federal pelo PPS e cidadão indignado com maus políticos.
Este artigo é um oferecimento de Hiperseguro Consulting