Amor de mãe é remédio que cura as feridas da alma, afirma psicanalista 8

Amor de mãe é remédio que cura as feridas da alma, afirma psicanalista

O filósofo e psicanalista Fabiano de Abreu aponta a importância do amor de mãe para diversas situações da vida dos filhos.

Há na mãe um amor como nenhum outro. Um sentimento de tão forte que não existem palavras com a força certa para o descrever.

O filósofo, psicanalista e especialista em estudos da mente humana Fabiano de Abreu descreve-o como: “um sentimento único que somente é explicado quando transcrito por quem realmente o viveu que, de tão raro e único, só pode ser revelado por intervenção de quem cognitivamente viveu este sentimento alguma vez na sua vida, a mãe.”.

Para o filósofo apenas quem passa por todo o processo consegue compreender a sua dimensão. É um dos casos em que a experiência da vivência é a peça chave para a sua compreensão na totalidade. Porque essa vivência é feita a dois, durante meses a fio, crescendo e sentindo juntos, mãe e filho, dois corpos num só.

“Quem não foi mãe não pode definir uma ideia nem aproximada do que realmente é este sentimento, afinal, só conhecemos os sentidos que sentimos ou será apenas uma mera imaginação sem sentido.”, explica Abreu.

“A compreensão sobre o ser gerado está nas nuances de um conhecimento que vem de dentro, da gestação, onde a mãe alimenta e providência o necessário para a nova existência. Nas mães de filhos adotados, alimentam os esforços que produzem os hormônios da satisfação e fazem do outro o alvo do seu cuidado e amor, querer dar o melhor hoje e amanhã.”, acrescenta o psicanalista.

Não há porto mais seguro do que o colo de uma mãe, seja nos seus braços quando pequenos ou no seu infinito amor que nos envolve para sempre. A mãe é sinônimo de pureza de sentimento, daqueles que apenas aumentam de dia para dia.

“Quando a alma está ferida, podemos buscar no mundo o remédio para o alívio, teremos conselhos e pensamentos que confortam a dor mas é na mãe, que encontramos a vontade de quem realmente quer o bem, sem trocas, sem propósitos, sem motivos e com um único sentido, o amor verdadeiro, único e indeterminável. “, declara Abreu.

A mãe é indispensável, insubstituível, “Aquela que nos conhece dentro da alma desde o nascimento até o desenvolvimento. Aquela que conhece o que nasceu e o que se transformou e que consegue com uma visão ampla e limpa fornecer a leveza que nos prende em consciência para encontrarmos a paz. “.

A mãe é balança na nossa vida, ela é o ponto do equilíbrio, o sentimento que se sobrepõe e faz a vida ficar mais quente.

“A emoção da mãe pode distorcer a razão para o tipo de sofrimento que feriu a alma do filho. Mas isso não pode ser usado como repulsa e sim como uma balança para o equilíbrio já que a total frieza da razão pode ferir a emoção e esta por sua vez alimenta a satisfação para a felicidade. “, refere o filósofo.

Temos nas nossas mães as redes da vida, que amam e amortecem quedas e decepções, temos nelas a porta sempre aberta e a compreensão em apenas um olhar.

Como realça Abreu, “Encontramos no amor da mãe o remédio da leveza de um amor verdadeiro. Daquele amor que podemos contar de olhos fechados, sem trocas. É pular de costas de um precipício e saber que ela estará lá para segurar. Mesmo que a emoção da mãe não argumente estratégias para resolver um problema na falta da razão. Ela serve para fazer enxergar na emoção, para que a razão seja usada no equilíbrio fazendo com que aumentem as chances para a solução.”

A mãe não é o exagero é o amor sem medida. Para ela seremos sempre um pequeno ser indefeso mesmo quando já sabem toda a nossa garra. A mãe protege sempre, vibra com as nossas conquistas mas espera sempre que retornemos a casa pois existe esse cordão umbilical invisível que as unem aos filhos para a eternidade.

“Não veja na mãe alguém exagerada que não entende nada. Veja na mãe alguém que te quer bem como ninguém e que trará soluções mediante as preocupações que revelam no seu bem estar. E quando o mundo virar de costas, a mãe estará de frente e de braços abertos para acolher e dar de comer pois ela só nasceu para fazer sobreviver. E para concluir, não vamos esquecer que se estamos aqui a ler este texto, é porque tivemos uma mãe que sofreu por nove meses para que pudéssemos nascer e ainda cuidou de nós após o nascimento.”, conclui.

 
 

Biografia

Fabiano de Abreu é membro da Mensa, associação de pessoas mais inteligentes do mundo com sede na Inglaterra conseguindo alcançar o maior QI registrado com 99 de percentil o que equivale em numeral a um QI acima de 180. Especialista em estudos da mente humana, é membro e sócio da CPAH – Centro de Pesquisas e Análises Heráclito, com sede em Portugal e unidades no Brasil e na Holanda.

Especialista em estudos da mente humana,  Fabiano de Abreu tem como objetivo primário alcançar a psique através da matéria. Abreu possuí a profunda convicção que tudo na vida tem uma explicação e uma razão final dentro de um raciocínio lógico determinado. Conforme refere, “Mediante as razões há somente uma razão que impera e na falta de consenso a estatística encontra a solução.”.

Com base neste pensamento, dedica-se ao estudo da neurociência que em conjunto com neuroplasticidade tenta compreender a psicanálise.  Há um todo que é necessário estudar e conjugar para compreendermos a nossa personalidade. Esta, incluí desde a  alimentação até aos comportamentos determinados através da ética e da moral. A finalidade é encontrar caminhos para melhorar o nosso bem-estar.  Criou a teoria da ‘Psicoconstrução – Arquitetura da mente humana’ onde concluí a existência de uma mente primitiva impressa a partir da hipófise no esfenóide. Seus estudos encontram técnicas para resolver ou amenizar problemas comportamentais e de personalidade.

Criou poemas filosóficos para escolas de Minas Gerais para alunos que estavam desinteressados em aprender filosofia. “Assim como o funk não sai da cabeça por causa da rima, a rima facilita na absorção do conhecimento filosófico já que, ela contém o ingrediente emocional para o armazenamento mental.”. Recordista na criação de personagens para a imprensa, apontou a filosofia como responsável pela criatividade já que, antes de criar um personagem, ele faz o que chama de ‘mapeamento da alma’ para criar uma ‘propriedade intelectual’ que chame a atenção do jornalista e do público. Seus livros foram doados para universidades e bibliotecas do Brasil, Portugal, Angola, Paraguai e Espanha. Dedica parte da sua vida à produção gratuita de conteúdos que contribuam para um conforto social. Possui colunas nos maiores portais de resiliência e humanas da lusofonia que somam mais de 100 milhões de seguidores em suas redes sociais.

Livros

Viver Pode Não Ser Tão Ruim – Frases filosóficas

Viver Pode Não Ser Tão Ruim – Vol 2 – Das frasetas ao contexto

Como se tornar uma celebridade – Filosofando a imprensa

MF Press Global – Moda – Dicas de especialistas da moda

MF Press Global – Saúde – Dicas de especialistas de saúde

Mini CV 

Fabiano de Abreu – Psicanalista, neuropsisanalista, poeta, filósofo e jornalista

Registro 0.0543 0 Sociedade Brasileira de Psicanálise Clínica e CBPC

Registro Intel Reseller Tecnology – Especialista em tecnologia: 10381444

Registro FENAJ: 0035228/RJ

Registro Jornalista Internacional IFJ: BR16791

Membro Mensa número: 1625BR

Currículo como pesquisador: http://lattes.cnpq.br/1428461891222558

Certificado no curso de Neurociência e Psicologia – Udemy

Especialização em Neuroplasticidade com Gregory Caremans – Na Brain Academy – Londres

Especialização em Filosofia no curso História de La Ética pela Universidad Carlos III de Madrid

MBA em Autorealização, Propósito e Sentido da Vida pela PUC RS

*Caso precise de documentos que confiram a veracidade das informações aqui contidas, por favor, retorne o email.  

Bolsonaro prolonga a crise e enterra o Brasil – Estão se lixando para o brasileiro pobre 19

Quanto mais sr arrasta a falta de coordenação e cooperação entre União, estados e municípios mais o Presidente prolonga a crise e a sangria… O caos por ele inflado tem propiciado a sangria de recursos e dinheiro público. Mais doentes, mais gastos. Menos doentes, menos gastos. Simples.
Carnaval: vamos lá! Gripezinha, diferença s climáticas (calor desfavoravel ao vírus), indústria do turismo, economia setorial (bebidas, aviação, hotelaria, transporte por apps), Brasil precisa de dólares de estramgeiros etc e tal…
Os próprios críticos do isolamento-distanciamento já dão a resposta. Se em clima tenso são contra as medidas sanitárias, iam ser favoráveis ao cancelamento do Carnaval? Nunca!!!
Iriam alegar a mesma coisa de hoje: clima, calor, economia… Uma das poucas alegrias do brasileiro… Distância China-Brasil (de fato, o povo veio contaminado foi da Europa…).
Busquem no google por Ambev+chuvas+carnaval…
Anbev e Americanas são dos mesmos donos. Uma bombardeou chuvas para longe do carnaval. A outra forçou abertura das suas lojas para inundar o povo de ovo de Páscoa…
Estão se lixando para o brasileiro pobre.

EDUARDO

Doria prorroga quarentena em SP até 31 de maio e não descarta lockdown 19

Felipe Pereira

Do UOL, em São Paulo

08/05/2020 12h42Atualizada em 08/05/2020 14h17

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou hoje a prorrogação da quarentena no estado até o dia 31 de maio. A decisão foi tomada nesta manhã, após uma reunião entre ele, o Centro de Contingência ao Coronavírus e secretários. Esta é a segunda vez que o político tucano estende o período de isolamento social como medida de combate à covid-19.

Ele ainda declarou que não está totalmente descartada a possibilidade de adotar um lockdown (fechamento total) em cidades do estado, embora a medida não esteja prevista.

O prefeito Bruno Covas (PSDB) afirmou que a quarentena também será estendida até 31 de maio na capital.

Em entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes, Doria se emocionou e ficou com a voz embargada ao anunciar o aumento do isolamento e ao falar sobre o Dia das Mães, que será celebrado neste domingo (10).

“Daqui a dois dias será o Dia das Mães. É o dia da celebração da família, do beijo, do abraço, do caminho. Neste ano, será diferente. Será um dia de solidariedade, de oração pela vida, pelos brasileiros. Palavras refletem sentimentos, e o sentimento agora é o da proteção. Mães são sempre as maiores protetoras e proteção. Esse é o sentimento que fui buscar nas lembranças da minha mãe, que perdi quando tinha 14 anos de idade. Como governador de São Paulo, gostaria de dar uma notícia diferente, mas o cenário é desolador. Teremos que prorrogar a quarentena até o dia 31 de maio”, disse Doria.

O estado tinha um plano de flexibilizar a quarentena a partir do dia 10 de maio e, para que cada cidade pudesse retomar o comércio parcialmente, era preciso estar na chamada área verde, de acordo com a taxa de isolamento social alcançada diariamente. Mas a degradação da situação da saúde fez com que São Paulo ficasse somente com áreas vermelhas e amarelas. Um integrante do Centro de Contingência ao Coronavírus revelou ontem ao UOL que estava difícil encontrar uma região que atendesse aos requisitos.

O governador afirmou que reabrir a economia neste momento colocaria em risco milhares de vidas.

Autorizar relaxamento agora seria colocar risco milhares de vidas, o sistema de saúde e, por óbvio, a recuperação econômica. Quero reafirmar aqui, em nome de todos os secretários, retomaremos sim, tão logo possível, na hora certa, no momento adequado. Esse momento, o mais triste da história do nosso país, vai passar. Vai passar se todo mundo ajudar
governador de SP, João Doria (PSDB)

Lockdown

Sobre a possibilidade de a cidade de São Paulo e outros municípios do estado adotarem um lockdown, João Doria afirmou que essa medida ainda não está prevista, mas que não está totalmente descartada.

O fechamento total já vem sendo adotado em capitais brasileiras, como São Luís e Belém.

“Não descartamos nenhuma outra medida mais restritiva. Não estamos propondo lockdown, mas ele não está descartado. Esperamos que isso não tenha que ser praticado, mas isso vai depender muito de vocês [cidadãos]”, disse Doria.

O governador ainda falou que a avaliação sobre a implementação do lockdown não seria política. Isso porque o PT, partido de oposição ao governo, anunciou que pedirá ao MP a decretação do isolamento total no estado.

“Não há nenhuma relação de política com saúde, com todo respeito ao partido [PT]. Aqui respeitamos a ciência. Neste momento, não temos o protocolo do lockdown. Acreditamos que as medidas adotadas, a ampliação da quarentena, e a consciência das pessoas podem ser suficientes.”

Bruno Covas complementou que a prefeitura ainda espera que as taxas de isolamento vistas no início da pandemia sejam retomadas, o que evitaria a necessidade de uma medida drástica.

Número de mortes cresce 193% e atrapalha plano de reabertura

O projeto de reabertura do comércio foi lançado em 22 de abril, com o nome de “Plano São Paulo”. A flexibilização das regras da quarentena foi condicionada à queda na curva de contaminação, testagem massiva de pessoas, alta taxa de isolamento social e disponibilidade de leitos no sistema de saúde. Nenhum dos critérios, porém, foi atingido.

Quando estes requisitos para a reabertura foram apresentados, o secretário estadual de Saúde, José Henrique Germann, afirmou em coletiva que todas as regiões eram consideradas áreas amarelas e vermelhas. Desde então, o número de casos da covid-19 aumentou 159%, e o de mortes, 193%.

Além disso, a pandemia deixou de estar restrita à região da Grande São Paulo. Um estudo do Instituto Butantan divulgado ontem mostrou que 38 cidades passam a ter casos da covid-19 a cada três dias. A doença está em 371 dos 645 municípios paulista. A previsão é que até o final do mês todas as cidades tenham habitantes infectados.

As UTIs dos hospitais da Grande São Paulo estão com 89% de ocupação. A Secretaria de Saúde já falou em enviar pacientes para o interior e abrir negociação com hospitais privados, medida que a prefeitura de São Paulo já precisou adotar. Outro fator que impediu a reabertura dos negócios foi o isolamento social insuficiente.

Por fim, a taxa de adesão ao isolamento fechou em 47% nos últimos três dias, percentual insuficiente diante dos 55% vistos como necessários.

O governador havia falado que cidades com menos de 50% estavam excluídas de qualquer possibilidade de reabertura do comércio. O estado monitora 104 municípios, e levantamento do UOL mostrou que 66 deles não atingiram o mínimo estipulado por Doria.

Bolsonaro , em breve , será obrigado a aceitar a realidade e determinar o confinamento radical em todo o Brasil 17

Governo federal deve defender lockdown para cidades com maior transmissão do coronavírus

Segundo o ministro Nelson Teich, plano para o isolamento social trará diretrizes regionalizadas

BRASÍLIA

O ministro Nelson Teich (Saúde) admitiu nesta quarta-feira (6) que o governo federal deve recomendar o chamado lockdown (confinamento radical) para cidades que estejam enfrentando uma transmissão mais grave do coronavírus e afirmou que o plano do ministério para o isolamento social trará diretrizes regionalizadas.

“O importante é colocar que quando a gente fala em isolamento e distanciamento existem vários níveis. É importante que a gente entenda que não existe uma defesa do isolamento ou não isolamento. Vai ter sempre medidas simples até o lockdown. O que é importante é que cada lugar vai ter sua necessidade”, declarou o ministro, durante coletiva de imprensa no Palácio do Planalto.1

Segundo o ministro, as diretrizes para o tema estão em análise na pasta e devem ser divulgadas no momento oportuno, mediante coordenação com as autoridades sanitárias com estados e municípios.

“Vai ter lugar que vamos recomendar o lockdown e vai ter lugar em que existe uma situação que permite tentar alguma coisa”, acrescentou, afirmando que, em locais em que houver menor incidência da Covid-19, serão propostas ações de flexibilização.

Ele citou como exemplo experiências em outros países, onde trabalhadores que seguem indo a seus postos de trabalho passam por testes de temperatura e de oxigenação antes de iniciar o expediente.

Teich também defendeu que o debate sobre isolamento social não se transforme numa luta política. “Peço que a gente não transforme uma política que tem que ser desenhada para flexibilizar o dia a dia das pessoas como uma disputa política e um tudo ou nada”, declarou.

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) é um crítico das políticas de isolamento social, tem promovido aglomerações em frente ao Palácio do Planalto e pregado que governadores flexibilizem suas ações de distanciamento.

Teich também afirmou que o ministério promoverá campanhas publicitárias sobre cuidados de prevenção da Covid-19 e isolamento social, conforme disseram secretários estaduais de saúde após teleconferência com o titular da pasta. Ele disse, no entanto, que as campanhas precisarão ser direcionadas para a realidade de cada localidade.


Se esse lixo humano tivesse empregado a sua liderança para o bem coletivo ,  desde o início da infecção no território brasileiro , teria recomendado e incentivado a adesão ao isolamento e  outras medidas preventivas. 

Como condenou o isolamento – por egoísmo e inveja do protagonismo de governadores –  acabará sendo obrigado a determinar o confinamento da maioria da população , proibição de tráfego , fechamento total dos portos e aeroportos; etc.

Além de assumir o papel de coveiro maior da nação!

 

No governo homofóbico , o que mais se vê é viadagem! – Advogado de Bolsonaro insinua que Moro mantinha relacionamento extrafuncional com o delegado da PF 12

Advogado de Bolsonaro: Moro jogou carreira fora por um delegado de polícia

Ex-juiz Sergio Moro, que pediu demissão do cargo de ministro da Justiça - UESLEI MARCELINO

Ex-juiz Sergio Moro, que pediu demissão do cargo de ministro da Justiça Imagem: UESLEI MARCELINO

Do UOL, em São Paulo

06/05/2020 17h34

Frederick Wassef, advogado do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos) afirmou hoje, em entrevista para a CNN, que o ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro desperdiçou sua carreira “por causa de um delegado de polícia”, referindo-se ao ex-diretor-geral da Polícia Federal Maurício Valeixo.

“É importante lembrarmos que um ministro da Justiça, sua relação com diretor-geral da PF deve ser institucional, impessoal. Não pode ser de cunho emocional tão forte a ponto de fazer um magistrado, com carreira muito importante, jogar fora tudo isso para virar ministro e, por causa de um delegado de polícia, ele joga fora sua carreira, confronta com o poder do presidente e gera um escândalo em plena crise do coronavírus“, disse Wassef.

“O que não para em pé essa história, que eu não consigo entender, o que leva um ministro brigar com o presidente e fazer imputação de coisas que não existem, criar escândalo que afetou até a economia, tudo em função de um delegado de polícia. I

Isso me autoriza acreditar que a relação [com Valeixo] era muito forte, de cunho emocional, e aí também poderia ter o direito de entender quem talvez quisesse ter uma ingerência é o próprio Sergio Moro.”

O advogado afirmou, ainda, que o depoimento do ex-ministro serviu apenas como opinião e que o chefe do Executivo nem precisa mais de advogado.

“Acredito que o presidente nem necessite mais de advogado, porque ele já foi defendido pelo próprio Sergio Moro, em seu depoimento, que nada existe. O resto do depoimento é nada, apenas conversas e trocas de mensagens que não significam absolutamente nada”, acrescentou.

O advogado selecionou trechos do depoimento de Moro em que o ex-juiz afirma que o presidente não quis interferir na Polícia Federal. Porém, ao ser questionado sobre a declaração feito pelo ex-ministro de que Bolsonaro queria mexer apenas na superintendência do Rio de Janeiro, disse que não está afirmando que isso “seja verdade e que o presidente, em momento oportuno, vai se manifestar”.

“Quando o presidente solicita o diretor-geral [para a Polícia Federal] é um ato corriqueiro. Quando o presidente, em novembro, precisar nomear um ministro do STF, vão acusá-lo de fazer uma ingerência política? A premissa disso é um ato normal que não pode ser transformado em outro nome. Isso é fake news. É uma mentira. Ele [Bolsonaro] disse que queria uma superintendência. Não sei se isso é fato verídico, após o presidente se manifestar que ocorreu, vamos nos manifestar”.

Wassef disse, ainda, em tom hipotético, que há “50 motivos para que um presidente possa sugerir ao seu ministro” a troca de uma superintendência: “Estamos falando de favelas, fuzis. [Mas] Não estou afirmando que ele fez, o presidente vai falar”


O que eu não entendo é o que leva um presidente de um país arriscar a governabilidade – o próprio mandato – por outro delegado de polícia…

Será que não existente , também, uma relação emocional entre Bolsonaro e o seu preferido? 

Enfim , nesse governo de homofóbicos  , o que mais se vê é viadagem!

O próprio presidente tem tanto chilique que mais parece uma bichona!  

globoesportecom (de 🏠) on Twitter: "Jorginho, sobre Felipe Melo ...

STF ATENTO À RELAÇÃO DE BOLSONARO COM BAIXAS PATENTES E PMS 29

STF ATENTO À RELAÇÃO DE BOLSONARO COM BAIXAS PATENTES E PMS

Ministros estão atentos à ligação direta que presidente estabeleceu com base do Exército e polícias

Toffoli e demais ministros observam flertes golpistas do presidente Foto: Arquivo / Agência O Globo

Ministros do STF estão atentos à ligação direta que Jair Bolsonaro estabelece com soldados, cabos, tenentes e capitães do Exército e com policiais militares estaduais, passando por cima dos comandos dessas tropas — e, nos estados, atropelando os governadores.

Por meio de grupos de WhatsApp e das redes sociais, o presidente e seus aliados mais próximos mantêm esses grupos mobilizados, e alimentam neles a ira contra o STF e o Congresso Nacional, sem criticar propostas golpistas para fechá-los ou prender seus líderes.

Os ministros avaliam que o alto oficialato das três Forças Armadas não concordam com o flerte golpista do presidente, mas sabem que as baixas patentes e as polícias militares concordam com a radicalização.

https://epoca.globo.com/guilherme-amado/stf-atento-relacao-de-bolsonaro-com-baixas-patentes-pms-24408814

Cala boca, Tenente R2 ! – A diferença entre bandido e militar golpista é somente a roupa – Se tenente R2 quer servir a pátria que seja voluntário a inspetor de quarteirão…Por que esses bundas- moles não vão ajudar voluntariamente as PMs? ( Se a PM aceitar , né : ) 15

Milico Ponderão: E NO DIA DA BAIXA DE UM MILITAR TEMPORÁRIO DO ...

 

Como o meu falecido pai sempre dizia: a gente deve ter amor por tudo que é nosso, ainda que seja um anel de latão

Mas nunca esquecendo  que esse anel de latão vale como ouro apenas para nós; ninguém mais vai dar valor…

Pois bem, tenho verificado nas redes sociais um pessoal que se diz oficial das FFAA;  patriota a disposição da Pátria e do “presidente” para voltar a serviço de uma intervenção militar…

A maioria desse povo serviu o Exército na década de 1970, quando “servir ao exército” nos tais NPORs era motivo de grande “status”.

Verdadeiramente, esses homens devem ter orgulho da pequena patente que receberam  e guardar as boas recordações do tempo de quartel e manter as amizades de farda, etc.

Mas nunca mostrem a “carteirinha” para policial querendo pagar de autoridade…Muita humildade nessa hora pra não apanhar.

Mais nada!

Não são militares, rigorosamente!

É puro simbolismo!

Ainda mais para quem – há muito – já passou dos 60 anos e nem com viagra dá no couro.

Pois na ordem comum das coisas nada significam , para nada servem e ninguém dá valor pra R2, especialmente os Oficiais de carreira.

Mas é nessa turba – de velho inútil, fanfarrão  e bunda- mole – que se verifica um movimento golpista; típico fetiche de velho saudoso do tempo da virilidade.

Querem servir a Sociedade formem grupos e vão colaborar com as polícias…

Que tal patrulhar favela desarmado ?

Trombar com bandido destemido, bem armado  e chapado de cocaína ninguém quer, não é?

Cambada de velhos idiotas!

Cuidem dos netos e deixem de escrever merda no Facebook…

Militar de verdade é quem está na ativa ou recebe do Erário em razão de longo tempo de serviço…

O resto é Zé Comédia!

 

o termo OFICIAIS R2 é uma cortesia, a lei diz que R2 só são militares, praças ou oficiais, enquanto estiverem na ativa. Quando dispensados são civis, denominados de MEMBROS DA RESERVA NÃO REMUNERADA.

TEM QUE SER PRESO IMEDIATAMENTE – Bolsonaro ameaça golpe de estado com o apoio das Forças Armadas…Pobre Brasil que colocou um monturo na presidência 12

Bolsonaro diz não admitir interferência e que Forças Armadas estão com povo

O presidente Jair Bolsonaro participa de ato em Brasília - Reprodução/Twitter

 

O presidente Jair Bolsonaro participa de ato em Brasília Imagem: Reprodução/Twitter

Do UOL, em São Paulo

03/05/2020 12h29

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) realizou uma live em frente ao Palácio do Planalto na manhã de hoje na qual, enquanto acenava a apoiadores aglomerados em frente ao local, disse que não vai mais admitir interferência em seu Governo. Ele ainda afirmou que as “Forças Armadas” estão com o povo em meio a manifestações em Brasília contra ministros do STF e o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM).

“Queremos a independência verdadeiras dos 3 poderes, não só uma letra da constituição. Chega de interferência. Não vamos mais admitir interferência, acabou a paciência. Vamos levar esse Brasil para frente”, disse.

Não houve referência direta, mas na última semana Bolsonaro se queixou diretamente do papel do Supremo Tribunal Federal (STF), especificamente do ministro Alexandre de Moraes, na decisão de barrar liminarmente a nomeação de Alexandre Ramagem como diretor-geral da Polícia Federal.

Em outro momento, o presidente disse que a manifestação era espontânea e disse que “queria trabalhar sem interferência para o futuro do Brasil”.

“Todos nós queremos o bem da nossa pátria”, completou, dizendo que tem o povo de seu lado, e que as Forças Armadas estão do lado do povo. “Temos as Forças Armadas ao lado do povo, pela lei, pela ordem, pela democracia, pela liberdade”.

Bolsonaro ainda voltou a atacar governadores e prefeitos por causa das medidas de restrição no combate ao novo coronavírus. “Essa destruição de empregos de forma irresponsável feita por alguns governadores não é bom”, disse.

O presidente ainda afirmou que as medidas de isolamento social poderiam ter um efeito “mais danoso” do que o próprio coronavírus.

Depois de mais de uma hora de live, ele encerrou dizendo: “Peço a Deus que não tenhamos os problemas dessa semana. Chegamos no limite, não tem mais conversa. Daqui para frente não só mais exigiremos. Faremos cumprir a constituição. Ela será cumprida a qualquer preço. E ela tem dupla mão, não apenas uma. Amanhã vamos nomear o novo diretor geral da PF e o Brasil segue seu rumo”, disse.

De mãos dadas com a filha caçula, Laura, o presidente chegou descer a rampa para acenar aos manifestantes. Em outro momento, uma criança subiu a rampa do Palácio do Planalto e deu um abraço no presidente.

Próximo ao presidente, um jovem vestido com a camisa da seleção brasileira carregava um mastro com as bandeiras de Israel e dos Estados Unidos. Uma outra menina mais nova levava uma bandeira do Brasil.

Os manifestantes, em determinado momento, começaram a gritar “Quem Mandou Adélio”, em referência ao homem que esfaqueou Bolsonaro, durante a campanha eleitoral, em outubro de 2018, na cidade de Juiz de Fora.

No meio do protesto, profissionais ‘O Estado de S. Paulo’, conforme publicado pelo site do jornal, foram agredidos. O fotógrafo Dida Sampaio foi empurrado duas vezes por manifestantes, que desferiram chutes e murros nele. Já o motorista do jornal Marcos Pereira foi agredido fisicamente com uma rasteira. Os manifestantes gritavam palavra de ordem como “fora Estadão”. Os dois deixaram o local escoltados pela polícia e passam bem. Segundo o jornal, os repórteres Júlia Lindner e André Borges foram insultados, mas sem agressões.

O presidente acredita que houve um mandante do atentado, apesar da Polícia Federal ter concluído que Adélio agiu sozinho.

Deputados presentes

Ao lado de Bolsonaro na rampa do Congresso estavam alguns deputados federais da base de apoio do presidente, como seu filho Eduardo Bolsonaro e Bia Kicis.

“Esse povo aqui quer, não é fechar Supremo, não é fechar Congresso. O que nós queremos é que deixem o nosso presidente Jair Bolsonaro governar”, afirmou a deputada federal Bia Kicis (PSL-DF), que estava ao lado do presidente.

Já Eduardo Bolsonaro disse: “Esse poder aqui é para poucos. É o poder do povo. Poucas autoridades não gozam do mesmo prestígio. O ideal é que todos tivessem essa mesma acolhida”, afirmou.

O delegado Alexandre Ramagem se respeitar a ética profissional da sua carreira e a moralidade administrativa declinará dessa estapafúrdia nomeação para o cargo de diretor-geral da Polícia Federal…Sendo desonesto e arrivista gozará alguns meses de fama e depois 20 anos na lama 33

 

 

Alexandre Ramagem, que pode comandar a PF, e Maurício Valeixo, demitido do cargo por Jair Bolsonaro. O presidente não é obrigado a manter o defenestrado, mas pode ser impedido pela Constituição de escolher o amigo da família - Agência Senado e Denis Ferreira/Estadão Conteúdo

 

Integrante de uma geração mais nova na PF, tendo ingressado na corporação em 2005, há uma expectativa que Ramagem busque também colegas mais jovens para compor os principais cargos de direção da PF, rompendo a tradição que era respeitada na Polícia Federal. Esse fato desagrada a delegados com mais tempo de carreira, que apontam não ser adequado ter uma “carreira meteórica” dentro da PF e atingir o topo tão rapidamente, como ocorreria com Ramagem e sua equipe. O antecessor Valeixo, por exemplo, tinha 23 anos dentro da corporação.

 

Delegados pedem a Bolsonaro ‘distância republicana’ da PF 6

Delegados pedem a Bolsonaro ‘distância republicana’ da PF

No mesmo documento, a Associação dos Delegados de Polícia Federal diz que existe hoje uma ‘crise de confiança’ com o governo federal e quer o andamento de antigas pautas, como a autonomia financeira e o mandato para diretor-geral

Luiz Vassallo e Fausto Macedo

26 de abril de 2020 | 19h55

O presidente Jair Bolsonaro participa de videoconferência no Palácio do Planalto, em Brasília. Foto: Sergio Lima / AFP

Em carta aberta divulgada neste domingo, 26, a Associação dos dos Delegados de Polícia Federal pediu que o presidente mantenha um ‘distanciamento republicano’ da instituição para evitar que seus atos sejam vistos como uma ‘intervenção política’. No mesmo documento, a entidade diz que existe hoje uma ‘crise de confiança’ com o governo federal e quer o andamento de antigas pautas, como a autonomia financeira e o mandato para diretor-geral.

Segundo os delegados, ‘embora seja absolutamente verdadeira a premissa de que a legislação reservou ao Presidente da República a nomeação do Diretor-Geral da Polícia Federal, trata-se de um pilar do Estado Democrático de Direito que o estadista se limite a escolher o comandante da instituição, sempre buscando o delegado mais preparado técnica, moral e psicologicamente para a função’.

“A partir da nomeação e posse, manda o interesse público que o Presidente mantenha uma distância republicana, de modo a evitar que qualquer ato seu seja interpretado pela sociedade como tentativa de intervir politicamente nos trabalhos do órgão, que por sua natureza costuma realizar investigações que esbarram em detentores do mais alto poder político e econômico, e tem como corolário de suas atribuições constitucionais exercer uma parcela do controle dos atos da administração pública federal, incluindo os da própria Presidência da República”, afirma a entidade.

No documento, os delegados dizem acreditar que a atual crise, envolvendo a saída do ministro Sérgio Moro, poderia ter sido evitada: “Provavelmente, se as premissas e esclarecimentos acima tivessem sido compreendidos e corrigidos os possíveis entraves de comunicação entre V.Exa e a Polícia Federal, os fatos que presenciamos nesta semana não teriam ocorrido e não estaríamos vivenciando as circunstâncias atuais.

O ex-ministro Sérgio Moro anuncia seu pedido de demissão. Foto: Evaristo Sá / AFP

Entre as solicitações, os Delegados Federais pediram que Bolsonaro assumisse um compromisso de encaminhar ao Congresso Nacional, projetos que possam prever autonomia financeira para a Polícia federal e mandato para o Diretor-Geral.

A carta afirma que, se forem acatadas, “tais medidas serão um legado de seu governo para o Brasil e dissiparão qualquer dúvida sobre as intenções de V.Exa. em relação à Polícia Federal”.

Mauricio Leite Valeixo. Foto: Denis Ferreira Netto/Estadão

O documento, segundo a entidade, ainda pontua a real competência do chefe do Executivo em relação à Polícia Federal, bem como explica ‘como se configuram os pedidos de informações sobre inquéritos e a própria investigação do atentado ao presidente’.

“Atualmente, tramitam duas ações com o objetivo de resguardar a Polícia Federal, uma sobre autonomia administrativa, financeira e orçamentária da instituição (PEC 412/2009) e outra conferindo mandato ao Diretor-Geral (PEC 101/2015), que seria indicado pelo presidente, mas não poderia ser exonerado durante o período de permanência no cargo”, completa a ADPF.

O que fala em pé, não fala sentado! Presidente sem palavra é o mesmo que homem sem honra. 20

Autor: Amigo do 9º andar da Brigadeiro Tobias

morocomunista

O mais respeitado e admirado quadro do governo bozonazi acaba de se demitir. Antes tarde do que nunca. Sai Ministro da Justiça de cabeça erguida para voltar em breve como Presidente da República.
O perfil e biografia do Ex Ministro Sergio Moro não pactua com coisas erradas, quiça criminosas deste governo.
Existe muita coisa podre no governo bozonazi, entre elas, o ainda não esclarecido mandante do assassinato da Mariele e, a “rachadinha” que a bem da verdade era uma verdadeira cratera de propina para integrantes da seleta familícia bozonazi.
Sabe como é né, quem tem “rachadinha” tem medo.
Bozonazi é um perigo para a segurança interna e externa do país, mormente com esse debilóide que ocupa o cargo de chanceler no Brasil.
Par substituir O jurista e ex juiz federal Sergio Moro vai um major da PM do Distrito Federal.
Se acha que piorou tudo, pode aguardar que a coisa vai ficar bem pior.
O seu Presidente da República Federativa do Brasil é um MENTIROSO, quiça criminoso, por tentar acobertar ou atrapalhar a lisura das investigações da Polícia Federal. Ao convidar o Ex Ministro Sergio Moro deu a palavra que ele teria carta branca para escolher seu “staf” e que não faria ingerência nenhuma. Olha no que deu. Presidente sem palavra é igual a um homem sem honra.
Lixo de governo.
Ô Datena, me ajuda ai pô. Fica protegendo esse lixo. O anterior era ladrão e esse é louco e sem palavra.