República sindicalista – Gilmar Mendes afirma que o único mérito de Janot foi ser ex-presidente de associação para que se tornasse procurador-geral da República…Verdade, o inimigo geral dos delegados de polícia se ferrou na mão da Polícia Federal 13

Gilmar Mendes diz que houve obstrução na delação da JBS

Ministro do STF criticou atuação da Procuradoria e apontou erros no acordo, como a falta de perícia nos áudios

Da Redação Com Rádio BandNews FM – 5/09/2017 – 19:37 Atualizado em 5/09/2017 – 21:21

Gilmar Mendes: Procuradoria parece querer superar PF (Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil)

O ministro Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes disse que as revelações feitas na segunda-feira (4)  pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, configuram um caso de obstrução de Justiça.Em entrevista ao jornalista Reinaldo Azevedo no programa O É da Coisa, da Rádio BandNews FM, o ministro criticou a Procuradoria e afirmou que o órgão parece ter vontade de superar o trabalho da Polícia Federal.

O magistrado citou erros na delação premiada de executivos da JBS, como, por exemplo, deixar de fazer uma perícia nos áudios fornecidos.

“Isto é um vexame, qualquer estudante de nossas academias se sente constrangido, A polícia Federal ri deste vexame que também envolveu o Supremo Tribunal Federal”, ironizou Mendes.

Gilmar Mendes também disse que o Supremo Tribunal Federal tem sido complacente com as atitudes de Rodrigo Janot, criticando a postura do procurador.

“Certamente nos rebaixamos tanto por conta deste modelo de república sindicalista, que permitiu que um sindicalista, cuja maior nota no currículo é ser ex-presidente de associação se tornasse procurador-geral da República”, disse o ministro.

“O próprio Supremo, vamos dizer claramente, foi de alguma forma complacente com os abusos desse senhor e de seu grupo que, claro, tinha um projeto político: assumir a supremacia de toda a ordem institucional. É evidente isso.

Ele também revelou que ficou perplexo com tantos desmandos, ao se referir à gravação que mostra que havia a intenção de conseguir com o ex-ministro da Justiça José Eduard Cardozo elementos para prejudicar ministros do STF.

CLIQUE E OUÇA
Confira trechos dos novos áudios da JBS

BATEU CARTEIRA E SAIU GRITANDO PEGA LADRÃO – Será que ainda há algum ingênuo que acredita em Rodrigo Janot e no Ministério Público em geral ? 11

DELATOR DA DELAÇÃO

“Fatos gravíssimos” da JBS implicam mais Janot do que “agentes do STF”

CONJUR – 5 de setembro de 2017, 19h00

Por Pedro Canário e Marcos de Vasconcellos

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, decidiu abrir inquérito para investigar indícios de que o ex-procurador da República Marcelo Miller vendeu sua influência no gabinete do PGR para emplacar a delação premiada dos executivos da JBS com o próprio Janot.

Janot convoca entrevista coletiva para denunciar “fatos gravíssimos” envolvendo até “agentes do Supremo Tribunal Federal”, mas gravações falam mais dele que dos ministros do STF.

O acordo de delação da JBS prevê que, caso surjam fatos novos, os delatores teriam até quatro meses para complementar seus depoimentos e apresentar mais documentos. No dia 30 de agosto, a PGR pediu ao Supremo Tribunal Federal mais dois meses para apresentar “novos anexos” à delação. Haviam surgido novos fatos. O pedido foi atendido um dia depois pelo ministro Luiz Edson Fachin.

Na segunda-feira (4/9), no entanto, Janot anunciou que, diante desses fatos, enviaria um pedido ao STF para rever benefícios concedidos aos delatores, pois tudo indicava quebra de confiança.

Poucas horas depois do anúncio, feito em entrevista coletiva, a petição foi divulgada à imprensa. Na verdade, Janot instaurou inquérito para investigar se o ex-procurador da República Marcelo Miller orientou Joesley e Wesley Batista, donos da JBS, enquanto ainda era membro do Ministério Público Federal. Segundo o procurador-geral, foram encontradas gravações de conversas envolvendo Miller de antes de as provas da delação terem sido apresentadas à PGR.

Mas durante a coletiva, Janot disse que denunciaria “fatos gravíssimos” aos jornalistas, envolvendo inclusive “agentes do Supremo Tribunal Federal”. Nesta terça-feira (5/9), as provas foram divulgadas às principais redações do país: Joesley e o lobista da JBS, Ricardo Saud, conversavam sobre como usar Miller para convencer Janot a aceitar a proposta de delação que eles pretendiam fazer.

“Nós dois temos que operar o Marcelo direitinho pra chegar no Janot”, diz Joesley, em um momento. Em outro trecho, depois de falar de conversas que teve com Miller, ainda como procurador, afirma: “Nós somos joia da coroa deles. O Marcelo já descobriu e já falou com o Janot: ‘Ô Janot, nós temos o pessoal que vai dar todas as provas que nós precisamos’. E ele já entendeu isso”. A gravação deixa claro que já estava tudo pronto para a delação, mas que Joesley decidiu, após consultar Miller, esperar mais para entregar o material.

Escritório privado
Durante a conversa, Ricardo Saud conta que tem um amigo em comum com Janot e soubera que o procurador-geral não pretendia brigar por um segundo mandato e estava pronto para seguir a vida na iniciativa privada. Segundo esse amigo em comum, Marcelo Miller estava preparando para deixar o MPF e abrir um escritório de advocacia com outro procurador, de nome Christian.

“Janot vai sair e vai advogar com esse mesmo escritório. Mesmo escritório que ele [amigo em comum] está hoje”, diz Saud. “Tão fazendo um puta escritório, um puta escritório. Nada meia boca, não. É que eu entendi que ele [Marcelo Miller] já foi para esse escritório, já largou, porque o Janot já… Com esse Christian aí, que diz que é um cara top, novinho”, continua o lobista.

O que chama atenção de quem vem acompanhando as movimentações dos investigadores é que Janot abriu inquérito para apurar acusações que o envolvem pessoalmente. Embora nada do que tenha sido dito na conversa seja suficiente para concluir nada – muito menos que “agentes do Supremo Tribunal Federal” estariam envolvidos em algum tipo de negociação só pelo fato de seus nomes terem aparecido durante a conversa.

Policial militar assumidamente homossexual não terá nenhuma chance de permanecer na corporação; sem nenhuma ajuda dos milhares de irmãos e irmãs de farda também gays 22

PM vítima de assédio e tortura é retirado de batalhão em SP: ‘Luz no fim do túnel’

Soldado gravou um vídeo após ‘temer pela vida’. Secretaria de Segurança Pública acompanha o caso.


Por G1 Santos

05/09/2017 05h14  Atualizado há 5 horas

Soldado gravou vídeo dentro de batalhão dizendo ser vítima de tortura pela PM em São Vicente, SP

Soldado gravou vídeo dentro de batalhão dizendo ser vítima de tortura pela PM em São Vicente, SP

Um vídeo gravado pelo soldado no último fim de semana repercutiu na internet. “Se algo acontecer com a minha vida, com a minha integridade física, a responsabilidade é do comandante do batalhão, da Polícia Militar e do estado, que nada fizeram para apurar as minhas denúncias”, afirmou na gravação.

Na segunda-feira (4), ele prestou depoimento na Corregedoria da PM, em São Paulo. Ao sair de lá, o policial foi informado de que deveria se apresentar novamente no 39º Batalhão, onde está lotado há pouco mais de um ano. “Eles me disseram que não tinham o poder de me tirar de lá, mesmo eu argumentando”.

Horas depois, porém, Adriell recebeu uma notificação de que, em vez de voltar ao batalhão que é alvo das denúncias, deveria se apresentar na sede do 6º Comando do Policiamento do Interior, em Santos, responsável pelas regiões da Baixada Santista e Vale do Ribeira. “Agora, começo a ver luz no fim do túnel”.

Apesar da mudança, o soldado, que é policial há nove anos, ainda teme pelo que pode acontecer. “Eu venho registrando denúncias há mais de um ano, e só agora, depois que eu fiz o vídeo, eles pararam para me escutar. Eu ainda não sei qual vai ser o meu futuro, não sei se serei preso, temo pela minha segurança”.

A Secretaria de Segurança Pública (SSP) informou, por meio da assessoria de imprensa, que o policial prestou depoimento na Corregedoria da Polícia Militar para tratar das denúncias citadas no vídeo. Entretanto, não detalhou se o soldado será transferido em definitivo do 39º Batalhão, localizado em São Vicente.

Soldado Costa gravou um vídeo pedindo ajuda dentro do 39º BPMI (Foto: Reprodução)Soldado Costa gravou um vídeo pedindo ajuda dentro do 39º BPMI (Foto: Reprodução)

Soldado Costa gravou um vídeo pedindo ajuda dentro do 39º BPMI (Foto: Reprodução)

A REVOLTA DAS COXINHAS 32

A REVOLTA DAS COXINHAS.

AS COXINHAS ESTRELADINHAS, FICARAM REVOLTADINHAS!
CALMA SENHORAS COXINHAS, CHEIA DE ESTRELINHAS!

PORQUE NAS ENTRELINHAS, PARA A TROPA DAS COXINHAS, OS NOSSOS GOVERNANTES, SEMPRE ABREM AS PERNINHAS!
HAVIAM UMAS CONVERSINHAS, QUE PARA OUTRAS CARREIRINHAS, HAVERIAM CONDIÇÕES, UM POUCO “MELHORZINHAS”…
BASTOU A NOTICIAZINHA, DE UMA AJUDAZINHA, QUE A NOTICIA PROVOCOU, A REVOLTA DAS COXINHAS!
UMA COXINHA INVEJOSA, COM ESTRELA MAJESTOSA, OUTRA COXINHA GESTORA, AGORA VEREADORA, OUTRA COXINHA APOSENTADA, AGORA DEPUTADA, COXINHA ESTRELADA, TODA REVOLTADA!
AÍ AS COXINHAS BRAVIAS, COM ÓDIO E MUITO RANCOR FORAM ATÉ O PALÁCIO, BRIGAR COM O GOVERNADOR!

EM UM ATO ATÉ COVARDE, QUE ANTES NUNCA SE VIU, RECLAMARAM DO AUMENTO PARA A POLÍCIA CIVIL
A COXINHA ESBRAVEJOU, FEZ UM COMENTÁRIO BREVE, QUE SE O GOVERNO NÃO CEDER, A COXINHA ENTRA EM GREVE! TUDO O QUE A COXINHA PROPÕE, O GOVERNO LOGO TOPA POIS A COXINHA AMEAÇA, QUE NÃO SEGURAR SUA TROPA!
SÃO MAIS DE CEM MIL COXINHAS, COM ESTRELAS, COM GALÃO, QUE SE ACHAM AS MELHORES ENTRE A POPULAÇÃO!

REALMENTE SÃO MELHORES, NA INVEJA E TRAIÇÃO!
PARA QUE CARREIRA JURÍDICA PARA O TAL DE DELEGADO?

SE A COXINHA NÃO ESTUDA PARA MANDAR NO SOLDADO! PARA QUE NÍVEL UNIVERSITÁRIO, PARA ESCRIVÃO E INVESTIGADOR?

SE PARA MANDAR NO SOLDADO, BASTA SÓ TOCAR O TAMBOR!
MAS, A INVEJA É TÃO GRANDE CONTRA A OUTRA INSTITUIÇÃO QUE AS COXINHAS REVOLTADAS SÓ FAZEM RECLAMAÇÃO!

FORAM MUITOS OS DISCURSOS, FORAM MUITOS OS PAPÉIS ENVIADOS AO GOVERNO, POR COXINHAS CORONÉIS!
É MAIS FÁCIL A COXINHA, RECLAMAR POR VAIDADE, QUE MANDAR OUTRA COXINHA ESTUDAR NA FACULDADE

AO INVÉS DE APLAUDIR A NOSSA TENACIDADE, A COXINHA ACHA MAIS FÁCIL, CRIAR DIFICULDADE!
E ASSIM, CRESCE A REVOLTA, E A FALTA DE UNIÃO POIS COXINHA NÃO SUPORTA, A NOSSA INSTITUIÇÃO

A COXINHA É SEMPRE CONTRA A NOSSA VALORIZAÇÃO!

VÃO PARA A ESCOLA, COXINHAS… BUSQUEM ESPECIALIZAÇÃO!!!

Autor: ANÔNIMO

Delegados descrevem tiroteio durante assalto em São Paulo 65

O Antagonista obteve o boletim de ocorrência do tiroteio em que morreram dez criminosos que integravam uma quadrilha especializada em roubo a residências de alto padrão, em São Paulo.

O episódio é narrado pelos delegados de polícia Ítalo Zaccaro Neto e Fábio Sanches Sandrin:

Policiais da 2ª Delegacia da DISCCPAT, do DEIC, há tempos investigavam uma quadrilha de roubo à residência que agia nos bairros do Morumbi e Jardim Europa, além de condomínios de alto padrão na grande São Paulo e no interior tomando conhecimento que eles se utilizaram de um veículo Santa fé blindado e um Fiat Toro.

Desta forma com levantamento de informações da Unidade de inteligência do DEIC delimitou-se uma provável área de atuação desta quadrilha. Em razão disso pelo serviço de inteligência acreditava-se que eles agiriam na data de hoje e consequentemente montou- se uma operação com o apoio do GARRA na região do Morumbi desde as 13 horas até que, por volta das 19:30 horas, localizou-se os citados veículos estacionados na Rua Pureus.

Assim, quando as equipes se aproximavam para a abordagem dos criminosos, alguns deles deixaram a casa de número 376 da Rua Puréus, momento em que efetuaram disparos em direção aos policiais e ato contínuo ingressaram em seus automóveis para empreenderem fuga.

O veículo Fiat Toro, ocupado por cinco indivíduos, saía em direção à Avenida Morumbi, quando colidiu frontalmente com a viatura Spin da 2ª DISCCPAT, após o que desembarcaram efetuando tiros nos policiais que recusaram a injusta agressão e alvejaram três criminosos que vieram a óbito no local.

Enquanto dois ocupantes do Fiat Toro fugiram a pé, porém, um deles depois identificado como o criminoso SASSA morreu pouco adiante na Rua Santo Eufredo, enquanto o segundo fugitivo morreu na Rua Melo Morais Filho.

Concomitante a isto, cinco criminosos saíram com o veículo Santa Fé em direção à Avenida Francisco Morato, após atirar nos policiais, inclusive, tentando atropelar algum dos policiais, porém, perderam o controle do veículo e atingiram o poste.

Em seguida, desceram do veículo e passaram a disparar novamente contra os policias. No revide, os cinco criminoso vieram a óbito.

Com os criminosos da Santa Fé foram apreendidos três fuzis e duas pistolas, enquanto com os criminosos da Fiat Toro foram apreendidos um fuzil e três revólveres.

Cabe acrescentar que os criminosos já haviam separado algumas jóias da vítima e estavam se preparando para abrirem o cofre, quando abandonaram o local com a aproximação das viaturas policiais, deixando as jóias já separadas até então.

INDICIADOS:

1-Edmilson José Rocha
2- Jeferson Souza de Melo
3- José Aldo Martins de Souza
4- Diego Ferreira da Silva
5 – Paulo Ricardo Sena Matos
6 – Felipe Macedo de Azevedo, vulgo MIOJO 
7 – Mizael Pereira Bastos, vulgo SASSA
8 – Lucas Augusto da Silva
9 – Ainda não identificado
10- Ainda não identificado

https://www.oantagonista.com/brasil/delegados-descrevem-tiroteio-durante-assalto-em-sao-paulo

Dez ladrões mortos no Morumbi durante operação conjunta do Garra e do Deic 141

Snap 2017-09-03 at 23.29.03
Dez suspeitos de roubo a residência foram mortos pela polícia na zona sul

Uma operação conjunta do Garra (Grupo Armado de Repressão a Roubos e Assaltos) e do Deic (Departamento Estadual de Investigações Criminais), da Polícia Civil, evitou um plano de roubo a residência, neste domingo (3), no Jardim Guedala, região do Morumbi, na zona sul de São Paulo.

Houve uma intensa troca de tiros e 10 suspeitos foram mortos .

Equipados com fuzis e coletes à prova de bala, os criminosos estavam em carros blindados. Os carros da polícia foram alvejados com vários disparos, mas nenhum agente se feriu na ação. A polícia informou que quatro fuzis foram apreendidos.

Uma viatura do Deic, que pertencia à 2ª Delegacia de Crimes Contra o Patrimônio, ficou destruída devido à quantidade de tiros dos suspeitos contra os policiais.

A investigação da Polícia Civil começou há muitos meses, depois que várias residências da região foram alvo da quadrilha — ao menos 15 foram alvo do bando nos últimos meses. Os criminosos, que atuavam sempre na mesma região, estavam sendo monitorados pelo Deic.

Depois da operação, moradores do Morumbi sairam as ruas para cumprimentar os policiais. De acordo com os moradores, a quadrilha estava aterrorizando o bairro.

Tentativa de roubo

De acordo com informações da PM (Polícia Militar), uma residência foi assaltada no Jardim Guedala, na zona sul de São Paulo, por volta das 19h30 deste domingo (3). A PM tem registro da ocorrência, no entanto, não passou mais informações sobre o caso por ter relação com a Polícia Civil.

O Posto de Bombeiros do Butantã, que foi acionado para ocorrência, confirmou que houve vitimas de disparos de arma de fogo pelo local, no entanto, não tinha mais informações sobre o caso.

‘Eu quero ser o presidente do povo brasileiro’, diz Alckmin 177

 Estadão Conteúdo Dayanne Sousa

São Paulo

31/08/201712h26

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), admitiu nesta quinta-feira (31) seu desejo de ser candidato à Presidência da República. Durante uma visita à nova sede da empresa de cosméticos Natura, o governador afirmou a jornalistas que quer “ser o presidente do povo brasileiro.”

A declaração foi dada em resposta a questionamento de um jornalista sobre comparação feita pela consultoria Eurasia de que Alckmin se parece com a ex-candidata à presidência dos Estados Unidos, Hillary Clinton. Assim como ela, disse a consultoria, Alckmin representa a manutenção de valores da elite.

“Da elite, não”, retrucou Alckmin. “Eu quero ser o presidente do povo brasileiro, dos empresários que geram emprego, do trabalhador sacrificado do Brasil”, afirmou o tucano.

Questionado ainda sobre se ele seria o melhor nome para a Presidência, Alckmin disse: “A modéstia não me permite responder.”

O governador evitou responder a questão que o comparava ao prefeito de São Paulo, o também tucano João Doria. Ele não quis se manifestar sobre se ele seria capaz de conduzir o governo do São Paulo e, ao mesmo tempo, viajar pelo país. Doria tem feito viagens para diversos Estados alegando que é capaz de usar a tecnologia para administrar a capital à distância.

DEFENDA-SE da PM sobre um tal coronel Müller 28

O subscritor ( da postagem no grupo da FENEME, vulgo cel. Muller )  não fez carreira na PM. Ficou afastado da atividade fim ao longo de vários anos, puxando o saco dos deputados em Brasília na defesa das mordomias oferecidas pelo governo deste Estado ao oficialato da sua instituição.
Deveria consultar o site “transparência sp” para constatar que os oficiais na ativa e aposentados possuem vencimentos superiores aos dos delegados de polícia e seus aposentados ha anos, inclusive atualmente.
Falar que a PM tem uma gigantesca e onerosa estrutura de saúde para os cofres públicos, disponibilizada exclusivamente para seus integrantes e familiares, isso ele não fala.
Que é uma instituição inchada administrativamente com inúmeros oficiais subalternos(tenentes), intermediários(capitães) e superiores(majores, tenentes-coronéis e coronéis) coçando o saco nos quartéis, só assinando punição disciplinar de praça feita pelo sargento da unidade, com direito ao conhecido “futebolzinho” da tarde e salário que alcança o teto do funcionalismo público estadual no final do mês, viatura e motorista para buscar e levar pra casa e pagar as “continhas” da família, isso ele não fala.
De sobremesa, tem as filhinhas de “coroné” que ficaram com a gorda pensão do papai. Trocando de marido todo ano, mas sem se casar oficialmente, para não perder essa “tetona” de Nelore. Nunca viram uma carteira de trabalho na frente.
É gente como o subscritor desse indecente comentário que fica arrecadando dinheiro dos associados para pagar despesas com advogados nas ações propostas com o fito de esvaziar atribuições exclusivas da Polícia Civil.
O que você pretende “coroné”? Deixar a população deste Estado a mercê da bandidagem urbana e de farda? Brigar para que os crimes dolosos contra a vida de civis em tempo de paz, sejam investigados pela própria instituição a que pertencem seus autores, é lançar nuvens de dúvidas sobre sobre a legalidade da conduta nos inúmeros casos patrocinados pela sua instituição.
Seja ao menos um pouco mais honesto na defesa dos interesses de seus associados e da sua instituição. Se for adotar como parâmetro a Polícia Civil ou seus integrantes, faça comparações verdadeiras e não mentirosas como consta nesta postagem.
Cuide do seu quintal sem ficar olhando o quintal do vizinho, mesmo porque, o seu está coberto com um enorme telhado de vidro.
Arruma o que fazer “coroné”, vai trabalhar um pouco para justificar o gordo salário que recebe, ainda dá tempo, já que você não fez “phorra” nenhuma na PM a não ser puxar o saco de mandatário popular.

APAMAGIS repudia a reação difamatória e injuriosa de segmentos da PM dirigida aos membros do Judiciário: “cuidaram de tentar criar uma crise político-institucional artificial entre todos os segmentos da Segurança Pública” 38

*Nota Pública sobre audiência de custódia*

A APAMAGIS – Associação Paulista de Magistrados vem a público esclarecer fatos ocorridos na comarca de Campinas relativos à realização de audiência de custódia, medida determinada pelo Conselho Nacional de Justiça e realizada com grande eficiência pelos magistrados paulistas, sendo inclusive utilizada como referência para a Magistratura dos demais Estados da Federação.

Houve um incidente que envolveu alguns membros da escolta da Polícia Militar que se recusaram a dar cumprimento de ordem legal proferida por um magistrado de grande escol e, por isso, foram tomadas as providências legais cabíveis para a garantia do cumprimento de ordem judicial legítima, amparada na Constituição Federal, no Código de Processo Penal e em Resolução da Secretaria da Segurança Pública.

No entanto, de um fato isolado, algumas pessoas, cujos propósitos certamente não eram o interesse público, cuidaram de tentar criar uma crise político-institucional artificial entre todos os segmentos da Segurança Pública, que em São Paulo atuam com profunda harmonia e respeito. Causa especial perplexidade a reação difamatória e injuriosa dirigida aos membros do Judiciário, guardião do Estado Democrático de Direito e, por isso, última fronteira entre a civilidade e a barbárie.

Ainda que o momento do país inspire a necessidade de cautela e ponderação, não pode a APAMAGIS se quedar inerte e, assim, a entidade segue com sua convicção inabalável de oferecer aos magistrados as condições necessárias para que prossigam em sua missão constitucional de distribuir Justiça, ainda que para isso seja necessário adotar medidas administrativas e judiciais em face daqueles que deixam de cumprir as suas atribuições profissionais.

É por isso que a APAMAGIS adotará todas as medidas cabíveis e reitera o apoio incondicional aos juízes criminais que atuam na questão das audiências de custódia e, de modo particular, ao magistrado Bruno Cassiolato, cuja coragem e destemor são paradigmas para o escorreito exercício da Judicatura no Brasil.

São Paulo, 30 de agosto de 2017.

Oscild de Lima Junior

Presidente

EU QUERO Márcio França à Governador de São Paulo em 2018! 71

Marcio França Governador 2018

Um jeito diferente de fazer política

Márcio França iniciou sua carreira no movimento estudantil. Durante o curso de Direito, foi Presidente do Diretório Acadêmico e da Junta Governativa do Diretório Central dos Estudantes da Universidade Católica de Santos. Casado, dois filhos, atuou como Oficial de Justiça durante 9 anos.

Em 1989, aos 26 anos, foi eleito Vereador da Câmara de São Vicente, onde permaneceu por dois mandatos. No ano de 1997, tornou-se Prefeito, tendo a possibilidade de desenvolver várias ações que colocaram a cidade como destaque nos cenários nacional e internacional.

Prova de gestão bem sucedida foi sua reeleição para a Prefeitura em 2000, quando obteve 93,1% dos votos válidos, o recorde brasileiro em cidades acima de 100 mil eleitores. Em 2004, terminou seus dois mandatos com 94% de aprovação popular, segundo o Ibope. No final do mesmo ano, elegeu seu sucessor, o prefeito Tércio Garcia (PSB), com 83% dos votos válidos, o recorde brasileiro do ano.

Durante sua passagem pela Prefeitura, ganhou vários aliados e amigos, como o saudoso ex-governador de São Paulo, Mário Covas. “Não tenho receio em liberar recursos para o Márcio França porque vejo que ele gasta bem o dinheiro”, dizia.

Em 2007, aos 43 anos, Márcio França começou seu primeiro mandato como Deputado Federal. Logo no início, assumiu a liderança do PSB na Câmara dos Deputados e criou a terceira maior força política do Congresso Nacional, reunindo num único bloco 79 parlamentares de seu partido, o PSB, além do PDT, PC do B, PMN, PAN, PRB e PHS.

Nesta eleição, Márcio França obteve 215.388 votos, que o tornou o Deputado Federal mais bem votado em toda a história do litoral paulista e o 20º mais bem votado do País.

O desempenho eleitoral de Márcio França é resultado de muito trabalho e compromisso com a população. O jornalista Clóvis Vasconcellos, autor do livro O Segredo de Márcio França, define seu estilo muito bem. “Márcio França faz política por meio de ações pragmáticas e rápidas. Ele entende que a população não pode esperar e precisa de resultados urgentes e se vê obrigado, quando governa, a vencer os entraves burocráticos para alcançar suas ambiciosas metas sociais”, relata.

E o reconhecimento demonstra que esse é o caminho. Durante seu mandato como Deputado Federal, Márcio França integrou por quatro vezes consecutivas, em 2007, 2008, 2009 e 2010, a lista dos 100 parlamentares mais influentes do Congresso Nacional, segundo pesquisa do Diap, entidade que reúne 900 sindicatos de trabalhadores em todo o País. Feito inédito para um Deputado de São Paulo eleito pela primeira vez para a Câmara Federal.

Com 172.005 votos, Márcio França foi reeleito para mais um mandato na Câmara Federal em 2010. Foi, novamente, o mais votado do Litoral Paulista. E neste pleito, em razão do seu trabalho como presidente do PSB no Estado de São Paulo, conseguiu praticamente dobrar a bancada paulista, passando de quatro para sete deputados. Foi um aumento de 70%, com ao todo 2 milhões e 100 mil votos, tornando a legenda a terceira maior força de São Paulo na Câmara dos Deputados.

No final de 2010, recebeu o convite do Governador Geraldo Alckmin para tornar-se Secretário de Turismo do Estado de São Paulo, licenciando-se de seu cargo como Deputado. A Secretaria trouxe pela frente um novo desafio, em face dos escassos recursos financeiros.

Filiado ao PSB desde 1988, sua única legenda desde então.

É o atual vice-governador do Estado de São Paulo e também secretário de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado. Preside o PSB em São Paulo e é secretario de finanças da direção nacional do partido.

Seu filho Caio França é deputado estadual, também pelo PSB.

Márcio França é também líder maçom dedicado à filantropia.

Enquanto prefeito sempre apoiou a Polícia Civil dotando-a de  recursos materiais e humanos.

Seu gabinete contava com o reforço de investigadores de polícia atuando na segurança do prefeito e outras autoridades.

ADPESP honrando seus antigões: Almoço dos Aposentados 9

 ADPESP celebra mais um inesquecível Almoço dos Aposentados

comunicado

Saudade, companheirismo, música ao vivo e muitas emoções. O Almoço dos Aposentados reuniu, mais uma vez, centenas de delegados aposentados trouxeram amigos e familiares para mais uma tradicional confraternização.

A edição deste ano foi sediada pelo Clube Atlético Ypiranga, um dos mais tradicionais espaços da capital, com 110 anos de história. Com salão amplo, logística e sofisticação no atendimento, o CAY recebeu a ADPESP de braços abertos e ciência de que o Almoço dos Aposentados é um dos eventos mais importantes da Associação.

O totem fotográfico, presente nas edições do evento desde 2015, reuniu convidados para mais um ano de fotografias instantâneas e de alta qualidade, caracterizadas especialmente para o evento e impressas na hora para os convidados.

Cardápio preparado com exclusividade

O evento teve seu início oficialmente às 13h. Os delegados foram então servidos de um coquetel, que combinou sabor e escolhas para todos os paladares.

O almoço, por sua vez, foi servido com uma opção para massa e uma para carne, ambas preparadas com o melhor da sofisticação de cardápio e atendimento, seguido pela variedade de sobremesas preparada para os delegados aposentados.

Dias de luta e saudades

Após o almoço, a presidente da ADPESP, Marilda Pansonato Pinheiro, fez uso da palavra e discursou brevemente aos presentes. Ela destacou a relevância do evento, fez menção honrosa aos préstimos imensuráveis dos delegados aposentados para a Polícia Civil e para a sociedade e, por fim, anunciou a atração preparada para a edição do ano, um show exclusivo do conjunto Os Incríveis.

A banda, que fez seu nome no rock entre os anos 60 e 70, emocionou os presentes com uma seleção musical especialmente preparada para o evento. O baterista Luiz Franco Thomaz, o Netinho, também falou aos delegados aposentados e saudou a energia contagiante do encontro.

Emoção e sorteios

Após o show, encerrado ao pedido de BIS com um inesquecível solo de bateria de Netinho, a presidente da ADPESP voltou a conduzir os trabalhos do evento. Emocionada, ela agradeceu a presença de todos e o trabalho realizado pelos colaboradores da Associação.

Utensílios domésticos, kits diversos de cama, mesa e banho, televisores, entre muitos outros, foram alguns dos destaques que marcaram presença nos sorteios desse ano, tradicionalmente oferecidos pelas empresas parceiras da ADPESP.

Serviço

O Almoço dos Aposentados de 2017 foi planejado e executado após meses de planejamento e integração entre todos os departamentos da ADPESP e da Diretoria. As fotos tiradas pelo fotógrafo da Associação já estão disponíveis na Galeria de Imagens do site. Para acessá-la, basta clicar AQUI.

Mais um exemplo de que oficial PM é mentiroso e alimentador do populismo militar: Postagem do Cel Miller no grupo da FENEME…( Sorte a nossa que são absolutamente ignorantes e intelectualmente desonestos ) 19

Postagem do Cel Miller no grupo da FENEME:
Bom dia caros Oficiais, está evidente q o crime e a corrupção política estão reagindo ao ESCRAVO que tenta sair da senzala.
Não tenham dúvidas q tem a mão política do SSP e seu governo.
Diante desse quadro alguns q não querem ser incomodados dizem: está vendo como não tem jeito…. entrega tudo pra PC e vamos ficar quietos!
Esse pensamento é que nos levou a essa situação de omissão e submissão.
Quem aceitou q todas as escoltas de presos fossem feitas pela PM?
Quem aceitou que a PC fosse nível superior e a PM nível médio?
Quem aceitou 35% de aumento pro Delegado e 7% pra PM?
Senhores, a nossa luta está somente começando e precisamos da união e ações estratégicas de todos, INCLUSIVE COM UM PLANEJAMENTO PARA AS ELEIÇÕES.
Devemos continuar mobilizados e indignados, porém agindo com estratégia política e jurídica.
A guerra começou e não vamos recuar, tomando a cautela pra não fazermos dos nossos vítimas, como foi na ação do TJM. Todos os inquéritos arquivados, inclusive com decisão do TJ.
Nenhuma baixa.
Nesse caso de Campinas não foi uma ação nossa, mas  fomos em socorro e vamos fazer uma ação articulada em defesa da nossa oficialidade.
Alguns no primeiro confronto querem pular do barco, nas essa é a hora de mostrarmos para que nasceu a DEFENDA.
Amanhã terei uma reunião com a DIRETORIA DA FENEME e na quinta com o CNCG. Teremos posições claras.
Juntos somos fortes!

Mais outra prova de que oficial PM é covarde: não assina aquilo que escreve e esquece que o policial de trânsito é o ícone da corrupção policial brasileira …Bunda-mole! 16

DO ABUSO DE PODER POR PARTE DA POLÍCIA CIVIL EM INVESTIGAR CRIMES MILITARES

É cediço que o ato da Polícia Civil em “querer” investigar crimes militares não só atinge o Oficial da Polícia Militar, isoladamente, mas toda a Corporação da Polícia Militar, que se vê privada de exercer suas competentes atribuições em face de resoluções administrativas avessas ao mandamento constitucional.

 

Nessa seara é conveniente lembrar Caio Tácito para quem “não é competente quem quer, mas quem pode, segundo a norma de direito. A competência é, sempre, um elemento vinculado, objetivamente fixado pelo legislador”. (TÁCITO, Caio. O Abuso do Poder Administrativo no Brasil (Conceito e Remédios), coedição do Departamento Administrativo do Serviço Público e Instituto Brasileiro de Ciências Administrativas, Rio de Janeiro, 1959, p. 27).

 

Pragmaticamente, a Polícia Civil apresenta resultados pífios em termos de esclarecimentos de crime de autoria desconhecida. Segundo dados coordenados pelo Conselho Nacional de Justiça em conjunto com o Conselho Nacional do Ministério Público e pelo Ministério da Justiça, divulgados pelo relatório nacional da Execução da Meta 2 (intitulado como “A impunidade como alvo e a diagnose da investigação de homicídios em nosso país”) da Estratégia Nacional de Justiça e Segurança Pública (ENASP), “o índice de elucidação dos crimes de homicídio é baixíssimo no Brasil. Estima-se, em pesquisas realizadas, inclusive a realizada pela Associação Brasileira de Criminalística, 2011, que varie entre 5% e 8%. Este percentual é de 65% nos Estados Unidos, no Reino Unido é de 90% e na França é de 80%”. (Disponível: http://www.cnmp.mp.br/portal/images/stories/Enasp/relatorio_enasp_FINAL.pdf. Acesso em: 24 ago.17).

 

No mesmo sentido verificamos a esclarecedora e “assustadora” matéria veiculada no “Estadão”, no sentido de que São Paulo, a Unidade da Federação mais rica, onde os recursos humanos, financeiros e tecnológicos são maiores do que nos demais estados, apresenta dados de ineficiência investigativa, segundo os quais noventa e cinco por cento (95%) dos crimes ficam impunes. Uma pessoa que cometa um crime na capital paulista tem uma chance em vinte de responder na Justiça, ou seja, 5,2%. E mais de 50% dos processos só são abertos porque o autor do crime foi preso em flagrante delito (em mais de 80%, maioria das vezes, pela Polícia Militar). Se isso não ocorrer, a chance de a investigação policial descobrir o criminoso é de apenas 1 em 40, isto é, 2,5%.

(Disponível em:http://sao-paulo.estadao.com.br/noticias/geral,em-sp-95-dos-crimes-ficam-impunes,581914. Acesso em: 24 ago. 2017).

 

Nesse contexto, a Polícia Civil, que não consegue fazer “nem seu dever de casa”, ainda querer se enveredar na investigação de crimes militares, invadindo a atribuição Constitucional e legal da Polícia Militar, é algo que demonstra desvio de função, abuso de poder e um desalinho ao princípio constitucional da eficiência. Cabe alertar, que a questão aqui discutida também não se trata de um simples embate entre duas instituições, Polícia Militar e Polícia Civil, mas de violação por parte de órgão do Poder Executivo em matéria reservada a norma constitucional e ao Poder Judiciário.

 

Não podemos deixar de ressaltar que as resoluções administrativas expedidas pelo Poder Executivo, por intermédio da Secretaria de Segurança Pública, denotam evidente preconceito contra a Justiça, em especial a Justiça Militar, vez que supõem, equivocadamente, haver vínculo “corporativo”, esquecendo que a Justiça Castrense não se subordina à Polícia Militar, mas, sim, compõe a estrutura do Poder Judiciário.

 

Esse claro preconceito emerge também contra a Polícia Militar na medida em que, por meio de normas administrativas inconstitucionais, tenta impedi-la de exercer suas atribuições previstas em lei.

 

Para aqueles que falam da necessidade de um “sistema de freios e contrapesos”, salienta-se que não sofre com isso, por exemplo, a Polícia Civil, cujos delegados não são impedidos de apurar os crimes dolosos contra a vida praticado por seus integrantes!

 

POR FIM DEIXAMOS A SUGESTÃO: QUE TAL A POLÍCIA MILITAR APURAR OS CRIMES PRATICADOS PELOS POLICIAIS CIVIS QUE TANTO ACHARCAM O CIDADÃO!?

 

__http://defendapm.org.br/noticias/do-abuso-de-poder-por-parte-da-policia-civil-em-investigar-crimes-militares/#comment-101___________________________________

Meu caro PM,  policialmente falando, quem achaca o cidadão são alguns  PMs …Para não generalizar, viu ? 

O histórico exemplo do guarda de trânsito  brasileiro  achacador do cidadão ainda demostra o passado  sujo e corrupto das corporações militares.

Quem nunca foi obrigado a dar uma notinha para um  PM de trânsito ou para um Rodoviário  ? 

Por outra via, qual o comerciante em São Paulo  que nunca se viu obrigado a pagar para PMs pela segurança de seu estabelecimento ? 

Mentiras, né?  

Agora se você ainda falasse que policiais civis “acharcam”  ( como você escreve erroneamente  )  vagabundos, traficantes, contraventores, etc…

Até concordaria, mas há uma grande diferença entre as duas corporações , não ?

A nossa sugestão: que tal a PM voltar a ser honesta em vez de apenas querer parecer honesta? 

Por fim, assine aquilo que escreve seu oficial PM  BUNDA-MOLE! 

Deixe de ser  valente apenas em bando e no escurinho da quebrada? 

Roberto Conde  Guerra