550 kg de cocaína – Parabéns ao Dr. Jorge Álvaro Cruz e a toda equipe de Cubatão…A estrela só brilha para os competentes! 10

Resultado de imagem para jorge alvaro da cruz

Polícia apreende mais de meia tonelada de cocaína em Cubatão

Na ação, cinco homens foram presos em flagrante dentro de um galpão alugado no bairro Vila Nova

Eduardo Velozo Fuccia 30.01.19 17h27

550 kg de cocaína foram encontrados dentro de galpão alugado em Cubatão (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

Em linguagem coloquial, poderia se dizer que a Polícia Civil fez barba, cabelo e bigode. Durante 24 horas de operação nas 24 cidades da região, foram presos 237 adultos e apreendidos cerca de 750 kg de drogas. O destaque ficou para a captura de cinco homens com 550 kg de cocaína em Cubatão, na manhã desta quarta-feira (30).

“Em quatro anos dessas operações mensais da Polícia Civil na região, esta foi a recorde, em número de presos e de quantidade de drogas apreendidas. Foi um duro golpe que demos no crime organizado”, disse o delegado Manoel Gatto Neto, diretor do 6º Departamento de Polícia Judiciária do Interior (Deinter-6).

Os 550 kg de cocaína, que apresenta elevado teor de pureza, estavam no galpão alugado da Avenida Martins Fontes, 812, na Vila Nova, segundo informaram os delegados Jorge Álvaro Cruz e Angel Gomes Martinez, respectivamente, titulares de Cubatão e do 2º DP do município.

Cinco homens estavam no local preparando o entorpecente. Para isso, eles contavam com uma máquina que compacta a cocaína em tijolos e os embala à vácuo. O grupo foi autuado em flagrante por tráfico e associação para o tráfico, com a agravante de os crimes serem transnacionais.

Cinco homens foram presos em flagrante por tráfico de drogas em operação da Polícia Civil (Foto: Divulgação/Polícia Civil)
“Pelo tipo de embalagem dos tijolos de cocaína, das mochilas usadas para acondicioná-los e da pureza da droga, ela não se destinaria ao tráfico doméstico, mas, sim, internacional”, declarou o delegado seccional de Santos, Carlos Topfer Schneider.

O investigador Marcelo Mendes acrescentou que materiais recolhidos no galpão são indícios de que os tabletes do entorpecente seriam transportados em pequenas embarcações pelo Canal do Porto de Santos para depois serem içados para o interior de navios.

Por causa das evidências de tráfico internacional, supostamente para países da Europa, Schneider afirmou que as informações obtidas pela sua equipe deverão ser compartilhadas com a Polícia Federal para o aprofundamento das investigações.

O seccional não soube estimar o valor da droga apreendida no galpão. “O nosso negócio é prender, mas, sem dúvidas, impusemos um grande prejuízo aos responsáveis por essa transação de tráfico internacional”. Etiquetas nos tijolos com a palavra confirmam a fala de Schneider, porque no submundo do crime a cocaína é mencionada como “ouro branco”.

Resultado de imagem para 550 kg de cocaína foram encontrados dentro de galpão alugado em Cubatão

A propaganda oficial do governo Bolsonaro é uma vergonha… Chupa rola de israelenses que nem judeus ( religiosos e humanistas de verdade ) são ! 8

Infelizmente, a ajuda de Israel – muito embora louvável – parece ser providencial.

Anteriormente –   falando sobre tragédias recorrentes no Brasil – nunca vi os israelenses tão solidários.

Aliás, nem o  hospital ( isralita )  Albert Einstein é solidário com quem não possui muito dinheiro, né?

Vixit, tá meio difícil saber quer é israelita ou evangélico por aqui…

Tudo misturado!


 

 Perdão pela linguagem!  

Mas estamos sob um governo que jurou acabar com o politicamente correto, né ? 

Polícia, política e futebol = corrupção! – Investigador Rollo pediu pra sair, ainda bem! ( Tá na hora de alguns policiais, alguns magistrados e muitos políticos deixarem o futebol para se dedicarem à coletividade ) 2

Isolado, vice-presidente do Santos pede licença do cargo

Eder Traskini

Do UOL, em Santos

 

  • Marcello De Vico/UOL

O vice-presidente do Santos, Orlando Rollo, protocolou junto ao Conselho Deliberativo nesta segunda-feira o pedido de afastamento do cargo. Longe das decisões da diretoria santista há mais de três meses, o cartola decidiu formalizar a saída.

Rollo já não fazia mais parte das reuniões do Comitê de Gestão do Santos, que ocorrem a cada 15 dias, desde o final de setembro, quando o presidente José Carlos Peres venceu o processo de impeachment para seguir no cargo.

“Pedi meu afastamento por jamais querer prejudicar o Santos. Não tenho apego ao poder. Estou afastado das decisões, muitas das quais não concordo e quero deixar claro meu posicionamento. Fui eleito pelo sócio para exercer a plenitude do cargo e isso me foi retirado. Agora passo ao Conselho que vai tomar a devidas providencias, inclusive esclarecendo qual o período que posso me manter afastado”, explicou.

Em junho do ano passado, o vice-presidente já havia feito uma consulta ao Conselho Deliberativo do Santos, que repassou a demanda à Comissão de Estatuto, sobre como funcionaria um pedido de afastamento temporário do cargo, mas não tinha efetuado a solicitação.

Segundo o Estatuto Social do Santos, o cartola deverá ficar afastado também das reuniões do Conselho Deliberativo enquanto estiver de licença e esse fato, a impossibilidade de participar da política do Peixe, fez com que ele adiasse o pedido.

No fim da tarde desta segunda-feira, porém, Rollo enviou uma mensagem de despedida ao grupo do Comitê de Gestão no ‘WhatsApp’ confirmando o pedido de licença, mas não entrou em detalhes.

 

________

Para aqueles que me acusam de perseguição e inveja, mais uma vez: não conheço pessoalmente – logo nunca trabalhei direta ou indiretamente – com o Sr. Rollo.

O que eu já escrevi acerca dessa espúria relação: polícia, política e futebol serve para todos os agentes públicos e, também, alguns advogados!

O futebol é uma mina de dinheiro aberta ao crime organizado e todo aquele que se disponha a lhe dar proteção por dinheiro, projeção e promoção. 

O futebol é o 5º constitucional de  corruptos em geral; delegados , oficiais PM ,  policiais civis e militares,   em especial!

Gasto$o$ e suas mulheres gasto$as$ – Assunto sobre a comatosa Polícia Civil ( Científica, inclusive! ) que só respira com ajuda da corrupção 15

Resultado de imagem para corrupção policia civil sp

 

Já que alguns estão dizendo que há falta de assuntos policiais, aqui no fli paralisante, e pedindo licença ao Dr. Guerra, para me alongar neste post.

Numa galáxia distante chamada DECAP aportou recentemente uma nova geração de seccionais, chefes, titulares, amigos e amigos dos amigos, a famosa pá.
Os habitantes antigos DECAP ficaram na expectativa, inclusive eu, todos com o c…. na mão.
Afinal de contas, pode haver mudanças caraterizadas por bondes, tele transporte, alterações nas escalas, e na pior das hipóteses a caças aos funcionários(as) fantasmas, tudo pode ou poderia acontecer.
No popular poderia haver um rebosteio! Um espalha b…..
A zona de conforto, de cada um poderia ser alterada.
Se é que é possível falar em conforto no DECAP, a não ser para os de sempre, e com os de sempre quero dizer; aquelas “amigas” dos chefes, aqueles coberto de pelo que faz a alegria de poucos, aquelas bocas carnudas que poucos beijam.
E para não dizer que sou machista temos o outro lado, também aqueles outros que não sendo tão gostosos quanto as “amigas”, mas tem o seu charme e encanto, estou falando dos ga$to$o$.
Toda delegacia tem o seu policial ga$to$o, é aquele sujeito que todas dizem; “Ele está na polícia porque gosta, a família dele tem dinheiro”.

Nunca entendi gosta da polícia mais nunca aparece para trabalhar?

O ga$to$o agrada o chefe de outra maneira, nunca dá trabalho e dor de cabeça para o chefe, tanto é assim que nem aparece nas escalas, justamente para não dar qualquer motivo de aborrecimento.
As reuniões com o ga$to$o é em particular, sem testemunhas, são reuniões em lugares mais bucólicos, finas churrascarias, restaurantes top, barzinhos da moda, etc, etc, etc…..

Pois bem, a roda estava parada todos na expectativa!

Até que finalmente, os escolhidos a dedo, aportaram, lá na minha pastelaria.
Estou, agora, sob nova direção ou “nova” gestão.
E como toda nova gestão tem que ter uma reunião, se não, não é nova gestão.
Todos foram  convocados, em resumo, os de sempre, lá estávamos para a reunião os velhos e novos babacas.
Babacas sim, pois sabíamos que seria mais do mesmo.

Chefe falou no começo ( da preleção ) ;

Estou chegando para compor, não quero ensinar ninguém, muitos aqui poderiam estar  nesta minha cadeira, que é temporária e blá, blá, blá…….sou policial de rua e quero cana, dou cana, trabalho para baralho, blá, blá, blá….o titular quer isso, aquilo, e aquilo outro, o atendimento agora tem que ser padrão TOP, e blá, blá, blá……

( Todo delegado corrupto vagabundo tem esse mesmo discurso )

E, eu, só vendo as paredes da sala do chefe todas encardidas, as cadeiras velhas e quebradas, algumas só a espuma, pela janela um festival de moto, amontoadas vazando óleo no pátio da delegacia.
E o cara pagando e querendo padrão TOP. Nem preciso falar o que passou pela minha cabeça!
E continuando a reunião lá pelas tantas – agora na “nossa área” – vamos aqui abrir um belo parêntesis nesta história de nossa área.
Quando digo nossa área, ou seja a minha área, é para as encheção de saco, os BOs de m….. briga de vizinho, crimes de ameças, fuxico de zap, zap, e todas aquelas tralhas de balcão do ( …. )  DP, essa é a minha área de atuação.
Ficou claro?
Quanto aquela outra “área” que envolve maquinhas, bingos, jogo do bicho, putero, desmanche, venda de ouro, agências de carros e afins….
Também ficou muito bem claro que são única e exclusivamente dos chefes e do titular…( Seccional e Diretor ) , e mais uns caras que em não encontrei no rol das carreias da Polícia Civil, são uns tais dos recolhe! ( gansos, aposentados , amigopols )
Depois vou pesquisar melhor para saber quem são e o que fazem, kkkkk.
Desenhado a área de atuação de cada um, veio o festival quero levantar a delegacia e blá, blá, blá…..quero cana, esclarecimentos, pontuação, quero isso, quero aquilo, quero aquilo outro……..
E eu já cansado, com sono, saco cheio, não conseguia, por mais que quisesse me amimar com aquelas palavras, realmente não consegui.
Fique com a impressão de já ter visto, vivido e ouvido tudo aquilo, muitas e muitas vezes.
E achando que eu possa estar ficando louco;  pergunto alguém mais passou por esta experiência?
Em verdadeiro Déjà vu.

Escrito por: cansado ( Copidesque  por FLIT )

Da Folha de São Paulo: Bolsonaro é o herdeiro ideológico da facção das Forças Armadas ligada aos torturadores, que não aceitou a abertura democrática e partiu para o crime: esquadrão da morte, garimpo, jogo do bicho…( “Vixit”, o Jair não era o Nascimento…É o Rocha! ) 22

     Bolsonaro e as milícias

Sem o trabalho do Coaf, já teríamos milicianos fazendo churrasco no Palácio

A esta altura, é difícil não concluir que Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio Bolsonaro, é enrolado com milícias. O jornal O Globo descobriu que, quando o escândalo dos depósitos suspeitos veio à luz, Queiroz se escondeu na comunidade do Rio das Pedras, berço das milícias cariocas, onde sua família operaria um negócio de transporte alternativo (atividade tipicamente controlada por milicianos).

A jornalista Malu Gaspar, da revista piauí, apurou que Queiroz foi colega de batalhão de Adriano da Nóbrega, foragido da polícia e acusado de liderar a milícia Escritório do Crime, sob o comando de um coronel envolvido com a máfia dos caça-níqueis (outra atividade típica de milícia).

A polícia e o Ministério Público cariocas suspeitam que o Escritório do Crime matou Marielle Franco, a da placa que os bolsonaristas volta e meia rasgam às gargalhadas. Adriano da Nóbrega é foragido da polícia.
E, antes que os bolsonaristas digam que não acreditam em polícia, Ministério Público ou imprensa que não entreviste Bolsonaro de joelhos, lembrem-se do que disse Flávio Bolsonaro, o zero-um: Fabrício Queiroz, segundo o filho do presidente da República, lhe indicou a mãe e a mulher de Adriano da Nóbrega para cargos de assessoria em seu gabinete.

Repetindo: essa é a versão oficial, em que o único pecado da família presidencial foi amar demais o Queiroz.

A versão oficial confessa, portanto, o seguinte: o presidente da República emprestou R$ 40 mil para um enrolado com milícias cuja filha, Nathalia Queiroz, era funcionária fantasma de seu gabinete. Sim, fantasma: Nathalia trabalhava como personal trainer no Rio de Janeiro enquanto seu ponto era assinado no gabinete do então deputado federal Jair Bolsonaro.

O empréstimo foi pago pelo enrolado com milícias por meio de um depósito na conta da primeira-dama.
Mesmo na versão oficial, é um PowerPoint do Dallagnol bem curto: três círculos, duas linhas, milícia-Queiroz-Bolsonaro.

Com base só na versão oficial, portanto, pode-se dizer, sem medo de errar: se o Coaf não tivesse feito seu trabalho, já teríamos milicianos fazendo churrasco no Palácio da Alvorada, brindando com os generais, escolhendo Moro para zagueiro do time na pelada.

Se essa é a versão oficial, imagine o que deve ser a versão verdadeira.

Temos algumas pistas.

A família Bolsonaro já defendeu as milícias publicamente repetidas vezes. E conhecia muito bem Adriano da Nóbrega muito antes da suposta indicação de Queiroz. Jair Bolsonaro defendeu o sujeito no plenário da Câmara já em 2005.

Flávio Bolsonaro foi mais longe: já homenageou o suposto líder do Escritório do Crime na Assembleia Legislativa duas vezes, nas duas ocasiões elogiando-o com entusiasmo. Concedeu-lhe a Medalha Tiradentes, maior honraria oferecida pelo legislativo estadual fluminense. Na ocasião, Nóbrega estava preso por assassinato. Recebeu a medalha na cadeia.

Vamos ver se novas pistas aparecem. Mas o quadro já é bem feio.

É como disse na última coluna antes das eleições: Bolsonaro é o herdeiro ideológico da facção das Forças Armadas ligada aos torturadores, que não aceitou a abertura democrática e partiu para o crime: esquadrão da morte, garimpo, jogo do bicho. É a mesma linhagem que nos deu as milícias.
Essa herança agora ronda o Planalto.

Celso Rocha de Barros

Servidor federal, é doutor em sociologia pela Universidade de Oxford (Inglaterra )

https://www1.folha.uol.com.br/colunas/celso-rocha-de-barros/2019/01/bolsonaro-e-as-milicias.shtml

Resultado de imagem para capitão rocha

E agora José Datena, o que você acha de ser esculachado sem provas como você arrogantemente faz rotineiramente contra muitos inocentes? ….Olha, do jeito que tu é folgado, penso que a moça tá falando a verdade; ainda que você não quisesse leva-lá para a cama…Ministério Público, acompanhe a apuração “in loco” 24

Embedded video

Nota do Flit:

Eu também defendo todas as mulheres do mundo, mas nem por isso deixei o pecaminoso desejo de comer um monte delas.

Por outro lado, quem invoca Deus em questões judiciais, de regra,  MENTE!

É o primeiro e o último recurso do culpado.

Ainda que jure sobre a Bíblia, de se ver os  políticos falsos , os falsos sacerdotes e, agora,  os falsos espíritas.

Renúncia, já ! – O nosso presidente – com a graça de Deus – ainda será o General Mourão, muito mais sábio e capacitado para o cargo…( Mas dá as suas caneladas! ) 10

Em 1º dia, Mourão mostra atitude e opiniões diferentes de Bolsonaro

Alan Santos/PR

 

O presidente da República, Jair Bolsonaro, transmite o cargo ao vice-Presidente, general Hamilton Mourão Imagem: Alan Santos/PR

Gustavo Maia e Luciana Amaral

Do UOL, em Brasília

21/01/2019 22h22

Antes mesmo de completar 24 horas no exercício da Presidência da República, o general Hamilton Mourão (PRTB) já externou nesta segunda-feira (21) estilo e pontos de vista diferentes dos do presidente Jair Bolsonaro (PSL) no posto.

Bolsonaro transmitiu o cargo interinamente ao vice-presidente na noite de domingo (20), quando embarcou rumo ao Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça. Horas depois, por volta das 9h10, Mourão chegou descontraído ao Palácio do Planalto e se deparou com repórteres que o aguardavam. Ao ser questionado sobre a expectativa para o primeiro dia como presidente em exercício, comemorou a vitória do time de coração, o Flamengo, na noite anterior.

“Só queria dizer o seguinte: é com extrema satisfação que o Flamengo venceu ontem e o Botafogo perdeu. Um abraço aí”, brincou, para então entrar em seu gabinete no anexo da Vice-Presidência, de onde continuará a despachar enquanto Bolsonaro estiver na Europa.

Presidente em exercício, Mourão celebra vitória do Flamengo

UOL Notícias

O comportamento do presidente no Planalto tem sido mais reservado, principalmente desde as mais recentes revelações sobre as investigações que envolveram seu filho, o deputado estadual e senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ).

Antes de ir trabalhar, Mourão usou o Twitter para “expressar a honra de estar no exercício da Presidência da República” e prometeu “manter a posição”.

Também no início da manhã, ele deu uma entrevista por telefone de 20 minutos à Rádio Gaúcha, em que defendeu um aumento no tempo mínimo de serviço na ativa para militares para 35 anos.

Durante a campanha, Bolsonaro, que é capitão reformado do Exército, se manifestou contra mudanças nas normas para os militares. Desde que assumiu o cargo, no entanto, ainda não se manifestou sobre o tema –que inquieta as Forças Armadas, contrárias a mudanças nas regras. Atualmente, para irem para a reserva –semelhante a uma aposentadoria–, os integrantes da categoria têm que trabalhar por, pelo menos, 30 anos.

Na entrevista, Mourão defendeu ainda que o decreto editado na última segunda (14) por Bolsonaro para ampliar a possibilidade de posse de armas não foi uma medida de combate à violência, e sim o atendimento de uma promessa de campanha.

Na semana passada, Bolsonaro criticou o que chamou de “falácias” sobre o decreto e disse, nas redes sociais, que a pior delas é a de que a iniciativa não resolve o problema da segurança pública no país.

Relação com a imprensa

Nos 20 primeiros dias do seu mandato, Bolsonaro só participou de um “quebra-queixo”, apelido dado por jornalistas a breves –e geralmente improvisadas– entrevistas coletivas. A segunda conversa com a imprensa ocorreu nesta segunda, já em Davos, e foi compartilhada nas redes sociais do presidente.

Entre uma e outra, ele concedeu apenas duas entrevistas, ao SBT e a um programa de televisão da Itália, esta por videoconferência, após a extradição do terrorista Cesare Battisti.

O general Mourão, por sua vez, concede entrevistas quase diárias desde que tomou posse como vice-presidente.

Ele manteve o costume de almoçar no Palácio do Jaburu, residência oficial da Vice-Presidência, onde mora com a mulher, a cerca de cinco minutos de carro do Planalto. Na saída para casa, parou para falar com a imprensa que o aguardava e respondeu a todas as perguntas feitas.

Antes de entrar no carro rumo ao Jaburu, posou e acenou para as lentes dos fotógrafos do outro lado da rua no estacionamento interno do Planalto. Em determinado momento, pediu que um de seus seguranças se abaixasse para não atrapalhar os registros.

“Abaixa aí, abaixa aí, Flávio”, falou, e seguiu fazendo gesto de joia com as mãos.

Na volta do almoço, ele se deparou novamente com fotógrafos e cinegrafistas de “plantão” no acesso do gabinete da Vice-Presidência e brincou com os repórteres. “O pessoal é resiliente, vou dizer uma coisa pra vocês”, disse Mourão, sorrindo.

No início da noite, voltou a falar com a imprensa, sobre o discurso que Bolsonaro fará em Davos nesta terça, sobre o caso envolvendo Flávio Bolsonaro e sobre a reforma da previdência.

Mourão diz que Bolsonaro vai mostrar em Davos que não é ‘Átila, o Huno’

UOL Notícias

Agendas

No início da manhã, o presidente em exercício recebeu o ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, que não constava inicialmente em sua agenda. À tarde, teve audiências com os embaixadores da Alemanha, que saiu do encontro dizendo que quer melhorar uma “reputação do Brasil que pode ser meio errada”, e da Tailândia.

Nesta terça, Mourão viaja pela manhã ao Rio de Janeiro para participar da passagem de Comando do 2º Regimento de Cavalaria de Guarda, e volta para Brasília depois do almoço. À noite, ele é convidado de um evento da Associação Brasileira da Infraestrutura e Indústrias de Base, a ser realizado em um hotel na capital federal.

O vice-presidente deve permanecer na Presidência interina até sexta (25), quando Bolsonaro voltará de Davos. Na semana que vem, porém, Mourão deve voltar a exercer o cargo, porque o presidente será submetido a uma cirurgia para retirada da bolsa de colostomia que ele usa desde que foi esfaqueado durante um ato de campanha eleitoral em setembro do ano passado.


Não estou torcendo por golpe, muito menos para que o titular morra!

Mas do jeito que vejo as coisas acabará impichado por conta dos escândalos protagonizados pela família. 

Aliás, se tivesse moral renunciaria.