PSDB – o partido de quem não rouba e não deixa roubar – quer CPI para aniquilar as pretensões eleitorais de Márcio França…( Abra o olho Governador, tem gente queimando a sua imagem e mora ao lado 10

PSDB propõe primeira CPI da gestão França e pode desgastar governador que busca reeleição

Tucanos querem investigar suspeita de fraude em licitação da Secretaria de Educação

Resultado de imagem para o inimigo mora ao lado
Artur Rodrigues
São Paulo

A bancada do PSDB vai propor nesta terça-feira (7) a primeira CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) envolvendo a gestão do atual governador Márcio França (PSB). O pedido é relacionado à suspeita de fraude numa licitação da área da educação e pode desgastar o socialista em meio à sua campanha para reeleição.

A Secretaria da Educação do Estado de São Paulo, subordinada à França, anunciou que suspendeu uma licitação no valor de R$ 5,6 milhões uma hora após o UOL publicar reportagem revelando que já sabia o vencedor 12 dias antes do final do pregão.

Foto de perfil do deputado estadual Cauê Macris (PSDB), presidente da Assembleia Legislativa de São Paulo
O deputado estadual Cauê Macris (PSDB), presidente da Assembleia Legislativa de São Paulo – Karime Xavier – 15.mar.17/Folhapress

O líder do PSDB na Assembleia, deputado Marco Vinholi, começou, na manhã desta terça, a colher assinaturas. São necessários 32 nomes para que o procedimento seja iniciado, o que os tucanos esperam conseguir até o fim do dia, já que só os deputados do partido são 19. Mediante o requerimento, é necessário que o presidente da Casa, o tucano Cauê Macris, crie a comissão.

“Há indícios de irregularidades. Márcio França está tentando a reeleição, mas tem de cuidar do governo que está também”, disse Vinholi.

Mesmo pontuando baixo nas pesquisas, França é tido dentro do PSDB como candidato que mais pode crescer e atrapalhar o tucano João Doria na disputa ao governo. Só o pedido de CPI, numa Assembleia onde historicamente o tucanato é forte, pode desgastar o socialista, ao associar sua gestão à suspeita de corrupção.

Além da suspeita de irregularidades neste caso, França tem sido criticado pelo que a bancada tucana classifica como “ruptura” com o governo de Geraldo Alckmin  (PSDB), hoje candidato a presidente.

Licitação

De acordo com a reportagem do UOL, a agência de viagens Armazém Turismo e Eventos foi declarada vencedora da licitação apesar de não ter apresentado a melhor proposta na concorrência. O processo licitatório foi encerrado na segunda-feira (6).

O UOL, porém, sabia do resultado antes de ele sair —antes da abertura e do término da licitação em modalidade de pregão eletrônico— e registrou em cartório quem seria o vencedor. O contrato não foi assinado.

Procurada pela reportagem do portal, a secretaria da Educação afirmou em um primeiro momento que o termo de referência do pregão foi feito com orientação do MEC (Ministério da Educação e Cultura) e que iria apurar a denúncia e notificar o Ministério Público e a Corregedoria Geral do Estado de SP.

Posteriormente, a secretaria enviou um e-mail completando a sua resposta onde informava que o processo foi suspenso após a revelação do UOL.

Brasileiros que herdaram a ganância por privilégios dos portugueses, indolência dos indígenas e a malandragem dos africanos ingressaram no oficialato do Exército para desfrutar o “dolce far niente” muito bem remunerado…Com direito a falar estultícias e ser aplaudido 26

Vice de Bolsonaro diz que Brasil herdou indolência dos indígenas e malandragem dos africanos

General Mourão já protagonizou outras falas polêmicas, relacionadas a torturador e intervenção militar

Ana Luiza Albuquerque
Curitiba

O vice de Jair Bolsonaro (PSL), general da reserva Antonio Hamilton Mourão (PRTB), afirmou nesta segunda-feira (6) que o Brasil herdou a “indolência” dos indígenas e a “malandragem” dos africanos. A declaração foi feita durante evento da Câmara de Indústria e Comércio de Caxias do Sul (RS).

“Temos uma herança cultural, uma herança que tem muita gente que gosta do privilégio (…) Essa herança do privilégio é uma herança ibérica. Temos uma certa herança da indolência, que vem da cultura indígena. Eu sou indígena. Meu pai é amazonense. E a malandragem (…) é oriunda do africano”, afirmou. “Então, esse é o nosso cadinho cultural. Infelizmente gostamos de mártires, líderes populistas e dos macunaímas.”

General Antonio Hamilton Mourão durante a convenção nacional do PRTB, em São Paulo, quando foi anunciado oficialmente como vice na chapa de Jair Bolsonaro (PSL) para a Presidência
General Antonio Hamilton Mourão durante a convenção nacional do PRTB, em São Paulo, quando foi anunciado oficialmente como vice na chapa de Jair Bolsonaro (PSL) para a Presidência – Rafael Hupsel – 05.ago.2018/Folhapress

Procurado pela Folha para comentar o conteúdo da declaração, Mourão ressaltou que também falou do privilégio dos brancos. “Não tem nada demais, até porque sou descendente de indígenas. Não é acusação para nenhum grupo, isso não existe. Temos uma raça brasileira, a junção de tudo isso aí”, disse.

Ele argumentou, ainda, que suas frases foram retiradas de contexto. “O que acontece é que as pessoas pinçam determinadas frases e querem retirar do contexto em que foram colocadas. Estava falando da herança cultural de forma genérica.”

A presidenciável Marina Silva (Rede) criticou a declaração de Mourão em suas redes sociais. “Extremismo e racismo são uma combinação perigosa. Não podemos tolerar racismo numa corrida presidencial”, escreveu.

Esta não foi a primeira fala polêmica do general. Em fevereiro, ele afirmou que o coronel Carlos Brilhante Ustra é um herói por ter combatido o terrorismo. Ustra foi reconhecido pelo Poder Judiciário, em ação declaratória, como torturador.

Mourão também já disse que uma intervenção militar poderia ser adotada se o Poder Judiciário não solucionasse o problema político, em referência aos casos de corrupção.

_______________________________________________________

“Infelizmente gostamos de mártires, líderes populistas e dos macunaímas.”

 

Pois é, General…Seu candidato se diz um mártir da imprensa ( perseguido e caluniado ) , mas não passa de um macunaíma mulherengo que ainda não explicou como comprou tantos imóveis por preço inferior ao real; além de um populista perverso que manipula os medos e preconceitos de parcela do eleitorado tão versado intelectualmente quanto ele.

Cuidado!

O Sr. além de se dizer indígena possui traços afrodescendentes, futuramente o seu presidente pode lhe mandar para o pelourinho.

UOL revela que a Secretaria de Educação – sob a chefia do ex-tucano João Cury – direcionou , segundo fonte sob sigilo , licitação à empresa que cobrou mais caro…( Será que a camarilha desacreditando na reeleição só quer passar o pote até dezembro ? ) 8

Governo de SP suspende licitação após reportagem do UOL revelar que já sabia o vencedor 12 dias antes do pregão

Aiuri Rebello

Do UOL, em São Paulo

  • Arte/UOL

    O UOL registrou em cartório, 12 dias antes, quem seria o vencedor da licitação

    O UOL registrou em cartório, 12 dias antes, quem seria o vencedor da licitação

A Secretaria da Educação do Estado de São Paulo anunciou que suspendeu uma licitação no valor de R$ 5,680 milhões uma hora após o UOL publicar reportagem revelando que já sabia o vencedor 12 dias antes do final do pregão.

A agência de viagens Armazém Turismo e Eventos foi declarada vencedora da licitação mesmo sem ter apresentado a proposta mais barata na concorrência. O certame foi encerrado nesta segunda-feira (6), mas o UOL sabia do resultado antes de ele sair – portanto antes da abertura e do término da licitação em modalidade de pregão eletrônico – e registrou em cartório quem seria o vencedor. O contrato não foi assinado.

Procurada pela reportagem, a secretaria da Educação afirmou em um primeiro momento que o termo de referência do pregão foi feito com orientação do MEC (Ministério da Educação e Cultura) e que iria apurar a denúncia e notificar o Ministério Público e a Corregedoria Geral do Estado de SP (leia mais abaixo). Depois, a secretaria enviou um email completando a sua resposta onde informava que o processo foi suspenso após a revelação do UOL.

A reportagem também procurou a empresa Armazém Turismo e Eventos, que afirma ter recebido o contato com perplexidade. A empresa diz que a denúncia é “absurda e infundada” (leia mais abaixo).

A empresa ganhadora foi a sétima colocada no pregão, que foi aberto no dia 31 de julho, suspenso duas vezes e encerrado nesta segunda-feira.  “(…) o vencedor da licitação de edital número 15/2018, modalidade pregão eletrônico, processo número 806350/2018, oferta de compra número 080102000012018OC00048, com data do início do prazo para envio da proposta eletrônica em 19/07/2018, data e hora da abertura da sessão pública em 31/07/2018 às 9h, promovida pela Secretaria da Educação do Estado de São Paulo (…), já está definido desde antes da abertura do certame”, registrou a reportagem no 39 Cartório de Registro Civil, na Vila Madalena, zona oeste de São Paulo, no dia 25 de julho.

“(…) a empresa Armazém Turismo e Eventos (…) , irá sagrar-se vencedora da concorrência acima indicada, que no momento deste registro encontra-se aberta, indefinida e com todos os participantes anônimos. A referida empresa teria obtido antecipadamente e de forma irregular informações sobre a licitação, condições, preço de referência e especificidades do edital que a levarão a vencer o certame, mesmo sem apresentar a proposta com menor valor”, conforme o mesmo registro.

De acordo com uma fonte (que pediu para não ser identificada com receio de represálias), a agência vencedora fora definida há cerca de três meses, desde antes do lançamento do edital e dos termos de referência da licitação para a contratação de uma empresa para organizar 17 eventos, 16 deles em cidades do interior e um na capital de SP, para o projeto BNCC (Base Nacional Curricular), entre os dias 19 de agosto e 7 de dezembro de 2018.

O BNCC consiste em uma série de encontros promovidos pela Secretaria Estadual de Educação nas macrorregiões das Diretorias de Ensino com os diretores das escolas estaduais da região. O objetivo é adequar a grade curricular estadual à nova Base Nacional Curricular, lançada pelo governo federal no ano passado.

No edital da licitação, a secretaria da Educação informa que contratará uma única empresa para realizar os 17 eventos, por preço global, cada um com duração de três dias, e que os serviços devem incluir a locação dos espaços para a realização de palestras e oficinas, reservas em hotéis para os participantes, transporte dos mesmos e alimentação.

“Não sei até onde chega isso e quem é o beneficiado pelo esquema, se tem político no meio…”, afirma a fonte que permanecerá anônima. “Mas que esse edital foi direcionado foi. Além disso, o preço que fecharam a contratação está exacerbado, está com sobrepreço ou superfaturado isso aí”, afirma. A fonte procurou a reportagem para fazer denúncia pela primeira vez no dia 29 de junho, portanto 20 dias antes do lançamento do edital em questão, publicado no dia 19 de julho.

Seis propostas foram desclassificadas

Antes de a agência ser declarada vencedora do pregão eletrônico nesta segunda-feira, outras seis empresas foram desclassificadas. Ao todo, 11 empresas participaram da licitação. Antes do resultado ser confirmado, não é possível saber oficialmente quais são os participantes, que só são revelados ao final do pregão, quando o vencedor é habilitado. A proposta mais barata oferecida foi de R$ 4 milhões e a mais cara, de R$ 40 milhões.

Após a abertura das propostas, passou-se à etapa de lances – espécie de leilão, onde os concorrentes baixam seus preços em lances consecutivos, para tentar levar o contrato em questão – onde chegou-se a uma proposta vencedora de R$ 3,9 milhões, mas a empresa foi desclassificada.

De acordo com o pregoeiro, a proposta não cumpria o item 6.1.4 do edital. “Tratando-se de agência, a mesma deverá indicar na proposta o nome do hotel e endereço onde será prestado o serviço, bem como apresentar declaração que o hotel está reservado e que preenche todas as exigências solicitadas no Termo de referência, para atender aos eventos e indicando. Os hotéis a serem contratados deverá, na ocasião da vistoria, apresentar licença de funcionamento e atestado de vistoria expedido pelo Centro de Vigilância Sanitária”, afirma o item em questão.

“É justamente aí que ocorre o direcionamento do edital”, afirma a fonte que fez a denúncia do caso ao UOL. Duas semanas antes de o pregão começar, a pessoa havia avisado que este seria o item decisivo. “Só a empresa vencedora tinha condição de cumprir este item, pois já sabia das condições da licitação muito antes que todo mundo e reservou os hotéis que se enquadravam primeiro. Quem chegou depois e tentou reservar, percebeu que os hotéis que comportavam o evento já estavam bloqueados.”

Após a desclassificação da primeira colocada, foi analisada a segunda proposta mais baixa, no valor de R$ 4 milhões. Desta vez, a empresa foi eliminada pois estava offline no pregão eletrônico.

Passou-se à análise da terceira proposta, no valor de R$ 4,16 milhões, que também foi desclassificada por que os hotéis ou espaços dos eventos estavam em desconformidade com o edital.

A quarta oferta, de R$ 4,175 milhões, foi descartada porque o licitante não se manifestou no bate-papo do pregão. Já a quinta colocada, que ofereceu um preço de R$ 4,924 milhões, tampouco conseguiu atender ao item do edital que se refere aos padrões e tamanho dos hotéis e/ou espaços dos eventos. A sexta oferta mais barata, de R$ 6,050 milhões, foi desclassificada por que a empresa interessada também não apareceu online para negociar.

Chegou-se à sétima colocada na licitação, a Armazém Turismo e Eventos, que se sagrou vencedora. Inicialmente, a oferta dela após a etapa de lances era de R$ 6,250 milhões. Após negociação com o pregoeiro, porém, aceitou baixar o preço do pacote de eventos para R$ 5,680 milhões.

Orçamento aponta preço mais baixo

Além da suspeita de direcionamento do edital da licitação demonstrada acima, existe uma possibilidade de sobrepreço ou superfaturamento na contratação por este valor.

A reportagem pediu ajuda de uma empresa do ramo para fazer um orçamento com base nas especificações da contratação descrita pela secretaria da Educação no edital. Na média, o custo da prestação do serviço, para os 17 eventos, ficaria em torno de R$ 3,5 milhões.

Com uma margem de lucro de 10%, considerada arriscada no mercado – por uma série de motivos como chance de atrasos nos pagamentos por parte do governo e necessidade de pagar parte dos serviços de forma adiantada, antes de receber – o valor chegaria a cerca de R$ 4 milhões. Com uma margem de 20%, considerada justa no mercado, o preço total subiria para algo em torno de R$ 4,3 milhões. Com uma margem de lucro de 30%, considerada excelente por quem contrata com o poder público, o valor chegaria a R$ 4,6 milhões, mais ou menos. De acordo com este orçamento, o valor acima de uma boa margem de lucro – o que seria o sobrepreço ou superfaturamento – chega a cerca de R$ 1 milhão.

Secretaria fará “apuração preliminar”

Em resposta aos questionamentos do UOL, a secretaria da Educação disse em nota que o pregão ainda não foi homologado. Leia a íntegra da nota:
A reportagem não leva em consideração que o pregão nem sequer foi homologado. Uma das empresas concorrentes manifestou a intenção de interpor recurso, o que ainda será avaliado. Portanto a empresa citada pela reportagem não foi contratada.

Sobre a construção do processo, concluído em abril, o termo de referência para o pregão foi feito com orientação do MEC, que aprovou o objeto final, que será executado com verba federal.

Ainda assim, a Secretaria da Educação determinou a abertura de uma apuração preliminar e noticiará o Ministério Público e a Corregedoria Geral da Administração sobre o caso.

“Fatos distorcidos”

Em resposta aos questionamentos do UOL, a empresa Armazém Turismo e Eventos diz que recebe com “perplexidade está absurda e infundada denuncia de fonte anônima que distorce fatos para induzir pessoas a erro e criar noticia falsa com o único objetivo de prejudicar a imagem de empresa concorrente”.

De acordo com a nota enviada à reportagem, a empresa afirma que atua no segmento de turismo e eventos desde 1992, e “jamais participou ou participaria de qualquer fraude em licitação ou em qualquer outra esfera, não fazendo parte dos princípios éticos e morais que norteiam nossas atividades”, diz a resposta ao UOL.

Leia abaixo a íntegra da nota enviada pela Armazém Turismo e Eventos ao UOL:

“Recebemos com perplexidade esta absurda e infundada denúncia de fonte anônima que distorce fatos para induzir pessoas a erro e criar notícia falsa com o único objetivo de prejudicar a imagem de empresa concorrente. Nossa empresa atua no segmento de turismo e eventos desde 1992 e jamais participou ou participaria de qualquer fraude em licitação ou em qualquer outra esfera, não fazendo parte dos princípios éticos e morais que norteiam nossas atividades.

No caso em questão, desde que publicado o edital no último dia 19 de Julho, iniciamos um grandioso trabalho de pesquisas e orçamentos com todos os possíveis hotéis onde se poderiam hospedar os participantes da licitação da Secretaria de Educação do Estado de São Paulo, visto que as exigências contidas em edital possuíam especificidades que precisaríamos deste minucioso trabalho e colocamos nossos colaboradores experientes em eventos de grande porte para que se levantasse e orçasse os custos para participarmos da licitação, de forma que praticamente todos os possíveis hotéis que qualquer concorrente entrasse em contato nas ultimas semanas, saberia que nossa empresa ARMAZÉM estava trabalhando séria e arduamente para ganhar a licitação e NUNCA, sob nenhuma hipótese, tratar-se de fraude ou qualquer semelhança neste sentido. Ficava muito fácil qualquer pessoa do ramo dizer que a empresa ARMAZÉM poderia sim ganhar a licitação, já que nós estávamos trabalhando incansavelmente para ter êxito neste processo licitatório e esta informação era pública e todo mercado conhecedor.

Esta denúncia em questão é totalmente fraudulenta, sem nenhuma base verdadeira, apenas trata-se de inconformismo de algum licitante que não teve capacidade técnica e experiência para atender as exigências do edital, simplesmente isso, de forma que a divulgação de matéria deve ser bastante cautelosa, e esperamos que a imagem totalmente límpida e transparente de nossa empresa construída em mais de 26 anos de trabalho, não seja ao mínimo arranhada por denúncia falsa, ao mínimo exigiremos alguma base legal e sólida para tão ABSURDA e DESCABIDA denúncia anônima, sob pena de termos todo direito de exigir a mínima informação da outra parte. Publicar nosso nome em respeitado portal de notícias, sob alegação anônima não nos parece coerente, ainda mais quando realizamos excelente trabalho de pesquisa e orçamentos, totalmente legais.

Se um concorrente não foi capaz de vencer a licitação, denúncias vazias não são o caminho, no mínimo ele deveria ter impugnado o edital se não concordasse com ele, agora, após a sessão do certame, dizer em fraude? Que fraude????? Participar e ganhar uma licitação não é fraude. É trabalho bem feito desde o dia que o edital foi publicado, somente isso.

Somos agência de turismo e eventos, operando legalmente no país, e estamos apenas cumprindo nosso objeto social, nossa razão de existir e gerar empregos, conforme nossa constituição federal.”

BOLSONARISMO FAZ MAIS UM ASSASSINATO DE MULHER – Jair Bolsonaro fala publicamente ser contra a Lei Maria da Penha e contra a qualificadora do feminicídio; tal qual muitos de seus prosélitos quer as mulheres na condição de saco de pancada e depósito de esperma 50

Fã de Bolsonaro e do MBL: o perfil do professor acusado de jogar a mulher do 4o. andar. Por Joaquim de Carvalho

Luiz Felipe Manvailer

O professor universitário de Biologia Luís Felipe Manvailer chocou o Brasil com as imagens do circuito interno do condomínio onde morava que o mostram agredindo a mulher, a advogada Tatiane Spitzner, de 29 anos, antes que ela aparecesse morta na calçada, depois de cair do apartamento no quarto andar.

São imagens fortes, que o mostram dando tapas e chutes nela e a arrastando pelos cabelos.

O crime aconteceu na madrugada de 22 de julho, em Guarapuava, no Paraná. A 340 quilômetros dali, perto da fronteira com o Paraguai, ele bateu o carro e foi preso. Interrogado, disse que bateu o carro porque a imagem da mulher caindo do apartamento não lhe saía da cabeça. Segundo Manvailer, ela se jogou.

Ao receber as imagens, a Polícia Civil reforçou a suspeita de que ele a jogou e o indiciou por feminicídio, o crime que prevê penas maiores para homens que matam a mulher em razão do gênero.

Um especialista em tecnologia da informação de São Paulo, que conhece muito de rede social, ao ver a violência com que agiu, começou a pesquisar o comportamento de Luís Felipe Manvailer na internet.

Como verificou em outros casos, como o do médico Denis Furtado, conhecido como Doutor Bumbum, apontado como responsável pela morte de uma paciente em que fez preenchimento nas nádegas, acreditava que Luís Felipe tivesse perfil conservador, fosse um ativista de direita na internet.

O especialista usou uma ferramenta que localiza as atividades públicas nas redes sociais. E não deu outra: Luís Felipe curtia postagens de Eduardo Bolsonaro, comentava em publicações de Kim Kataguiri e Mamãe Falei, e em páginas como Caneta Desesquerdizadora e em publicações que atacam os defensores dos direitos humanos. Vibrou muito quando Lula foi condenado.

É o perfil típico do “cidadão de bem”, que apoiou o impeachment de Dilma, bradou contra a corrupção e insultava as pessoas com pensamento progressista, diferente do dele. Veja algumas postagens e, mais abaixo, o vídeo em que ele aparece agredindo a mulher:

Curioso em que, ao mesmo tempo em que atacava o que lembrasse esquerda, postava mensagem de amor à esposa:

Veja o vídeo com as imagens da agressão:

Frutos da mesma árvore – Bolsonaro prefere ter um irmão peculatário e corrupto do que ter um irmão viado; essa mesma preferência deve nutrir em relação aos filhos 18

Bolsonaro diz que prefere ter irmão funcionário fantasma a ter um irmão homossexual

 

Renato Antônio Bolsonaro, irmão do deputado federal Jair Bolsonaro, foi denunciado por receber um salário de 17 mil reais como assessor na Assembleia de São Paulo sem trabalhar. Renato ocupava o cargo de assessor especial mas passava todos os dias a 129 km de distância da capital cuidando de suas quatro lojas de móveis no interior.

Seu irmão Jair Bolsonaro é reconhecido, pelo menos nas redes sociais, como um político conservador, militarista e que não se envolve escândalos de desvio de dinheiro público.

Sobre o irmão, Bolsonaro diz que prefere que ele seja funcionário fantasma a ser homossexual. “Ele que se exploda pelo que fez mas eu confesso que meu medo maior era se ele dissesse que era homossexual”, disse. “Imagina se ele conta as coisas das quais eu brincava quando era criança…”, completou, tocando os lábios com as pontas dos dedos e assumindo expressão de susto.

Perguntado se o método proposto por ele para curar gays – uma surra – teria servido para curar o irmão contraventor, Bolsonaro foi taxativo:

“Surra só serve para curar homossexual. Para funcionário fantasma que rouba 230 mil por ano dos cofres públicos, a melhor solução é a tolerância.”

M Zorzanelli

Do UOL

Jair Bolsonaro sai em defesa do irmão: “Ele não cometeu crime”

Renato Bolsonaro, irmão do deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ), afirmou que fazia assessoria parlamentar de dentro de loja após ser exonerado do cargo de assessor parlamentar do deputado estadual André do Prado (PR-SP) na Assembleia Legislativa de São Paulo nessa quinta (7). Apesar de receber mais de R$ 17 mil por mês do governo estadual, Bolsonaro trabalhava diariamente em uma de suas lojas no interior de SP.

Jair Bolsonaro defendeu o irmão: “Ele não cometeu crime. Isso foi só para atingir a minha pessoa”

________________________________________________

Hoje, dois anos depois dos fatos e declarações acima , se perguntado responderá:

Mentira dos jornalistas da esquerda…

Fake news!

Não sei de nada, não falei nada e nem conheço o meu irmão.

Esse é o estilo honesto de ser do mitômano. 

Mais um face do mitômano Bolsonaro: GORDOFÓBICO…Ele já tinha demonstrado seu desprezo por obesos quando falou do afrodescendente de 7 arrobas; agora investe contra o biotipo de José Gregori…(Prá ele todo obeso é vagabundo e frouxo…Entretanto valente de garganta é esse ex-militar especialista em caiação de quartel ) 10

Flávio Ferreira
São Paulo

O advogado ativista de direitos humanos e ex-ministro da Justiça José Gregori, 87 anos, afirmou que o candidato à Presidência da República e deputado federal Jair Bolsonaro (PSL-RJ) mostrou ser favorável à realização de “fuzilamentos seletivos” contra adversários políticos em sua participação no programa Roda Viva da TV Cultura na segunda-feira (30).

Ao responder a questionamento feito pelo advogado relativo a execuções no período da ditadura militar, Bolsonaro disse que à época Gregori “não merecia atenção” pois tinha “biotipo” de “guerrilheiro de garganta”.

De pé, o advogado ativista de direitos humanos e ex-ministro da Justiça José Gregori em evento em São Paulo
O advogado ativista de direitos humanos e ex-ministro da Justiça José Gregori em evento em São Paulo – Bruno Poletti – 4.out.2016/Folhapress

Em pergunta gravada exibida no programa, o advogado indagou a Bolsonaro se o deputado havia afirmado na tribuna da Câmara dos Deputados que um dos erros do regime militar teria sido não mandar fuzilar a ele e ao ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

A resposta de Bolsonaro, ao vivo no programa, foi: “Olha, quanto ao FHC eu falei. Quanto ao teu nome, você não merecia essa atenção toda não, até porque um guerrilheiro com o teu biotipo, acho que não procede, é um guerrilheiro de garganta. Então eu não me referi a você”.

E emendou: “Agora, na tribuna da Câmara eu tenho imunidade para falar o que eu bem entender, gostem ou não. Agora, não é justo que dos quase 30 processos ou representações que eu tive dentro da Câmara, metade foi por ter ocupado a tribuna. É esse tipo de gente que fala em democracia e fala em liberdade de expressão”.

Nesta terça-feira (31), Gregori disse à Folha que tinha a expectativa de que Bolsonaro fosse negar a fala no Congresso quanto à execução dele e de Fernando Henrique Cardoso.

“O fato de não ter feito mostra que ele é a favor do fuzilamento. Só que achou que eu não tenho a periculosidade, digamos assim, que não tenho condições para merecer o fuzilamento. Ele é a favor de um fuzilamento seletivo, é a favor de um estupro seletivo”.

A menção a estupro é uma alusão ao fato de o presidenciável já ter dito no Salão Verde da Câmara que não estupraria a deputada federal Maria do Rosário (PT-RS) porque ela não merecia.

A afirmação levou Bolsonaro a responder a um processo em trâmite no STF (Supremo Tribunal Federal) sob a acusação de incitação ao estupro e injúria contra a deputada federal.

Gregori disse ainda que Bolsonaro “não repudiou o fuzilamento que ele condena em tantos ditadores que ele chama de esquerda”.

“A partir de ontem, não se tem dúvida de que ele é a favor do fuzilamento como recurso contra o adversário político, quando ele acha que esse adversário político mereça”, completou o advogado.

____________________________________
Covarde, sim!
De regra, nega tudo o que fez e falou; quando não nega completamente presta justificativas estapafurdias. 

Piada da semana – A Polícia Civil tem novos chefes: o Dr. Vaiverde e o Dr. Queroverde…( Maldade da oposição ; só porque calunga gosta de uma garoupa ? ) 17

Resultado de imagem para nota de cem reais nova

 

 

Brincadeiras à parte, a piada consta de um arremedo de relatório denunciante, no qual são descritos supostos “acertamentos” de propinas pertinentes a cargos de titularidade e chefia na Capital e , também, na sede da Secretaria de Segurança Pública.

O autor , anônimo,  faz  subentender-se do texto que as acusações partem  de delegados de classe especial preteridos pela Administração ( astronautas ) .

Nem sequer o Ministro Alexandre de Moraes é poupado.

Os interessados devem se precaver, pois até as eleições as denúncias anônimas propaladas pelas redes sociais serão rotineiras.

Governador pouco conhecido com uma vice PM totalmente desconhecida, eis a fórmula para apoiar Doria no 2º turno…( Não desejo mau agourar o Márcio França, mas o governo caminha para continuar com o PSDB ) 63

Com coronel vice, Márcio França defende a prevenção dos crimes

Coronel Eliane Nikoluk será vice; Maurren Maggi e vereador paulistano Mário Covas Neto tentarão vaga no Senado

Paula Reverbel, O Estado de S.Paulo

04 Agosto 2018 | 12h08
Atualizado 04 Agosto 2018 | 16h06

SÃO PAULO – Com coronel da PM como vice da chapa, o governador paulista Márcio França (PSB) defendeu, neste sábado, 4, na convenção que oficializou sua candidatura, o discurso de criação de oportunidades para jovens como forma de prevenir criminalidade. “São Paulo tem 230 mil presos. Metade cometeu o crime com 18 anos. A gente pega um menino, coloca lá (na prisão) e simplesmente a vida dele acabou, porque é muito mais difícil depois”, afirmou durante seu discurso.

“O menino custa para nós, para cada um de vocês, para o Estado, R$ 11 mil reais por mês”, afirmou. Em seguida, disse que faz mais sentido dar chance antes de os jovens chegarem “àquele ponto”.

psb
Convenção do PTB em São Paulo com Márcio França e a coronel Eliane Nikoluk Foto: Renier Grandé/PSB

Mais cedo, na convenção do PTB, ele havia anunciado a coronel Eliane Nikoluk (PTB), primeira mulher a comandar a PM no Vale do Paraíba, como sua vice. Em julho, Paulo Skaf, candidato do MDB ao governo de São Paulo, também anunciou uma tenente coronel da PM como vice.

França disse na convenção que pretende garantir Ensino Superior público a todos os egressos da educação secundarista no Estado. “Sabe qual é o nosso objetivo? Daqui a um ano, todo rapaz, toda moça que se matricular aqui no Ensino Público em São Paulo tem garantida a vaga sem vestibular na sua cidade”, disse.

‘Metade mulher’

O governador também disse que a sua chapa majoritária é a única no Estado com metade das vagas de candidatos ocupadas por mulheres. “Todo mundo fala: ‘metade da população é mulher e metade é homem, mas, quando chega na hora de votar, você vota na chapa.’ Nós vamos inverter. Se temos quatro vagas (governador, vice e duas cadeiras no Senado), duas vão ser de mulher e duas de homem”, disse o governador.

Os candidatos ao Senado são a atleta olímpica Maurren Maggi (PSB), ganhadora da medalha de ouro no salto em distância dos Jogos Olímpicos de Pequim, em 2008, e vereador paulistano Mario Covas Neto (Podemos), o Zuzinha. Antes de Nikoluk, o nome do criminalista Luiz Flávio Borges D’Urso, também chegou a ser cotado para a vaga, mas ele não quis se afastar da advocacia.

A convenção conjunta do PSB com PSC e PRB foi realizada neste sábado na sede da Força Sindical, criadora do partido Solidariedade, e contou com a presença do deputado federal Paulo Pereira da Silva (SD), o Paulinho da Força, além de vários deputados estaduais e prefeitos paulistas.

Com quinze partidos na coligação — PSB, PTB, PDT PPS, PR, PV, PROS, Patriota, Podemos, Solidariedade, PHS, PPL, PSC, PMB e PRP –, o atual governador de São Paulo terá o segundo maior tempos de TV e rádio na propaganda eleitoral do Estado, perdendo apenas para o tucano João Doria, ex-prefeito de São Paulo.

Bolsonaro promete que em vez da lei que instituiu o FEMINICÍDIO vai autorizar uma pistola na bolsa de cada mulher…( Brilhante ideia, os tipos “Coronel Ubiratan Guimarães” que se cuidem ! ) 76

Resultado de imagem para coronel morto pela advogadoDe acordo com pesquisa Ibope divulgada pela TV Bandeirantes nesta sexta, Bolsonaro aparece com 16% das intenções de voto no estado de São Paulo, num cenário sem Lula. De acordo com o instituto, ele está tecnicamente empatado com o tucano Geraldo Alckmin, que tem 19%.

No mesmo dia em que foram divulgados vídeos mostram a advogada Tatiane Spitzner sendo agredida  pelo marido, o professor Luís Felipe Manvailer, antes de cair do quarto andar do prédio onde morava, em Guarapuava (PR), no final de julho, Bolsonaro disse que mulheres não querem “lei do feminicídio no bolso”.

“Pergunto se elas preferem a lei do feminicídio no bolso ou a pistola na bolsa e elas são unanimes.
Para mim não tem que ter lei de feminicídio, se cometeu um crime tem que cumprir 30 anos de cadeia”, afirmou.

https://www1.folha.uol.com.br/poder/2018/08/bolsonaro-admite-possibilidade-de-privatizar-a-petrobras-apesar-de-se-dizer-pessoalmente-contra.shtml

Licença-prêmio retroativa há 20 anos – Juiz de Goias – por espírito de emulação e retaliação – prevarica negando-se a julgar processo em que o presidente da OAB advoga…( Por conta de juízes assim há quem prefira viver sob ditadura militar a ditadura jurídica ) 1

IMPEDIMENTO ANTIÉTICO

Juiz se diz suspeito porque advogado reclamou de licença-prêmio e OAB recorre

Por Mariana Oliveira

O presidente da OAB de Goiás, Lúcio Flávio Siqueira de Paiva, pediu que o juiz Reinaldo de Oliveira Dutra, da Comarca de Acreúna, reconsidere sua decisão de suspeição em um processo em que ele é o advogado.

Lúcio Paiva, presidente da OAB-GO, pede que juiz reveja decisão de se declarar suspeito para julgar caso por posição da Ordem contra projeto de licença-prêmio.
Reprodução

Dutra se declarou suspeito para julgar a ação porque a seção da entidade assinou uma nota pública contrária ao projeto de lei para a criação da licença-prêmio aos magistrados com pagamento retroativo a 20 anos do benefício.

Lúcio Paiva afirma que o juiz confundiu os papeis de cidadão com o de advogado, assim como suas atuações privadas com aquelas tomadas como presidente do órgão em Goiás.

“O forte incômodo que o senhor sentiu em razão da atuação da OAB/GO não pode ser motivo para comprometer a sua imparcialidade”, escreveu o advogado. “O juiz tem que ser imparcial o suficiente para condenar quem ele ama e absolver quem ele despreza”, continuou.

No pedido de reconsideração o advogado também ressalta que a manifestação da OAB-GO a respeito do projeto de lei não acatou nem difamou a magistratura, apenas fez um questionamento público e democrático. Para o presidente da seção, ao se declarar suspeito o juiz feriu “de morte” a ética da magistratura e o torna indigno ao cargo que oculpa.

Clique aqui para ler o pedido de reconsideração.
Processo 201603562529

 é repórter da revista Consultor Jurídico.

Revista Consultor Jurídico, 3 de agosto de 2018, 20h57

Bolsonaro é uma Dilma com coturno, pistola, cercado por filhos tão incompetentes quanto ele 36

Resultado de imagem para bolsonaro e os filhos

 

Por JClaudio 02/08/2018 às 08:03

Meu querido ( em resposta ao leitor Cidadão Qualquer ) , se os meus argumentos se assemelham aos dos “repórteres” do Roda Viva, trata-se de mera coincidência, rs. Nem assisti a sabatina do Bolsonaro no Roda Viva. Não tenho nada pessoal contra o Bolsonaro ou contra militares, apenas sou crítico das propostas e argumentos eleitoreiros do Bolsonaro.
.
Não sei se o senhor é policial, mas se for, o senhor sabe que toda restrição que as polícias têm em relação a armamentos são impostas pelo Exército que não permite que as polícias ou os policiais com o próprio dinheiro comprem uma simples pistola que não seja Taurus ou Imbel.
.
Aí vemos o Bolsonaro falando em “rifar” fuzis, é muita hipocrisia. Militares não são piores ou melhores que civis, nem mais honestos nem mais corruptos, têm um certo glamour porque vivem encastelados em seus quartéis e não se envolvem com os problemas do cotidiano, apesar, de terem solução para tudo. Todos são “engenheiros de obra pronta”. Veja o fiasco que estar sendo a intervenção na segurança pública do Rio de Janeiro. Mas quando terminar eles apresentarão milhares de planilhas e dirão que não fizeram mais devido aos governantes civis e as leis que não permitiram.
.
A imprensa brasileira como um todo não é imparcial e tem lado, basta ler os dois principais jornais paulistas, Folha e Estadão e você percebe claramente. Da mesma forma as revistas Veja e Isto é.
.
Alguns acreditam que as manifestações para golpear a Dilma foram espontâneas, quanta inocência. Outros que o processo do Lula foi julgado da mesma forma que os demais.
.
Como disse, eu votaria tranquilamente no General Heleno, porque é um cara ponderado e não um bufão e “soldado da fortuna” como o Bolsonaro e o Mourão.
.
Se o Jean Willis e determinados políticos deixassem o Brasil, independente da eventual vitória do Bolsonaro, o país ganharia muito.
.
Alguns acham que sou petista, militante ou qualquer outra coisa. Não sou nada disso, apenas observo as coisas a atribuo a elas o peso que acredito terem.
.
É inegável que os oito anos de governo Lula fizeram o país avançar muito e tornaram o País protagonista na política externa. Também é inegável que houve muita corrupção no governo Lula, mais inegável ainda é que sempre houve a mesma corrupção, desde o primeiro governador geral do Brasil, Tomé de Souza, porém, os únicos punidos e execrados foram os petistas.
.
O governo Fernando Henrique por exemplo comprou descaradamente a emenda da reeleição, para que o FHC ficasse mais quatro anos no poder e fraudou a licitação bilionária do SIVAM (sistema de vigilância da Amazônia) e o que aconteceu? Nada! O FHC disse e ficou comprovado que mandava dinheiro de forma ilícita através de uma revista para pagar uma repórter na França que na verdade era sua amante e tinha um filho. Seria a corrupção do PT pior do que a corrupção do PSDB, PMDB e DEM?
.
Espero do fundo do coração que vocês que defendem o Bolsonaro estejam certos e eu errado, porque para mim, o Bolsonaro é uma Dilma com coturno, pistola, cercado por filhos tão incompetentes quanto ele.
.
Abraço

JClaudio – Delegado de Polícia ( vindo da PM )

PM teve falsa sensação de segurança ao entrar em Paraisópolis, diz major…( Não entendi o que ele quis dizer…) 37

Juliane Santos Duarte está desaparecida desde a manhã de quinta-feira, 2, quando estava em um bar na comunidade

Da BandNews FM – 3/08/2018 – 11:48 Atualizado em 3/08/2018 – 12:02

O major da Polícia Militar Emerson Massera, responsável pela comunicação social da corporação, afirmou que a PM Juliane Santos Duarte teve uma falsa sensação de segurança, ao entrar em Paraisópolis, no Morumbi, zona sul de São Paulo.

A soldado de 27 anos está desaparecida desde a manhã de quinta-feira, 2, quando estava em um bar na comunidade.

Em entrevista à BandNews FM, Massera disse que ela está na PM há 2 anos e que talvez tenha faltado malícia para perceber que ela estava em um local perigoso, onde policiais são visados por criminosos.

“Talvez ela estivesse familiarizada e se sentiu relativamente tranquila por conhecer o ambiente”, contou.

O Major falou que, segundo informações iniciais que ainda precisam ser confirmadas, Juliane teria tido um desentendimento no bar e se identificou como policial.

Depois, criminosos teria entrado no local perguntando quem era a PM, quando a soldado teria sido baleada e levada pelo grupo.

O responsável pela comunicação social da Corporação confirma que foi encontrado o corpo de um homem em Paraisópolis, após uma denúncia anônima. A Secretaria de Segurança Pública ainda não tem mais informações sobre local exato, horário ou a identidade da pessoa.

Ele informa que a investigação e as buscas por Juliane são feitas pelo Comando de Operações Especiais, a Corregedoria, o 16º Batalhão e tropas do Comando de Policiamento de Choque.

Brasil Urgente: Polícia busca por PM desaparecida em comunidade

Sobrevivendo no país dos ladrões – Como será que um simples Procurador de Estado conseguiu construir um patrimônio multimilionário? …( Perguntem ao Joesley Batista ) 2

questões da República

O JOGO IMOBILIÁRIO DOS TEMER

Leia um breve resumo da reportagem de capa da piauí_143 que mostra como a família do presidente acumulou um patrimônio em imóveis de 33 milhões de reais

ALLAN DE ABREU

02ago2018_14h55

Opatrimônio imobiliário da família do presidente Michel Temer (MDB) soma atualmente 33 milhões de reais. São casas, apartamentos e salas comerciais distribuídos pela região mais valorizada da cidade: a avenida Brigadeiro Faria Lima, Zona Oeste de São Paulo. Quase tudo foi adquirido nas duas últimas décadas, período que coincide com a ascensão política de Temer, de deputado suplente a presidente da República, e à sua crescente influência na gestão do porto de Santos e seus contratos milionários.

Curiosamente, quase nada desse patrimônio milionário está em nome de Temer, exceto alguns poucos terrenos e uma chácara em Tietê, sua terra natal no interior paulista. Ao mesmo tempo em que comprava imóveis, o político também os doava, primeiro à ex-mulher, em seguida às três filhas e por último à atual cônjuge e seu filho caçula. Assim, a partir da virada do século, o patriarca fica cada vez mais pobre em bens imóveis, ao contrário dos seus familiares.

Um personagem foi sempre muito presente nessas negociações: o advogado José Yunes, amigo de Temer desde os tempos da Faculdade de Direito da USP e profundo conhecedor do mercado imobiliário paulistano. O próprio Yunes vendeu imóveis para a família Temer.

Durante quatro meses, a reportagem da piauí se debruçou sobre o histórico dos bens imóveis dos Temer no estado de São Paulo desde a década de 60. O resultado é uma radiografia inédita sobre a evolução patrimonial do atual presidente da República, paralelamente à sua carreira política e ao avanço das investigações da Polícia Federal sobre supostos atos de corrupção no porto de Santos envolvendo o presidente e seu núcleo político mais próximo.

Acesse a página especial com a investigação completa neste link.

ALLAN DE ABREU (siga @allandeabreu1 no Twitter)

Repórter da piauí, é autor dos livros O Delator e Cocaína: a Rota Caipira, ambos publicados pela Record

https://piaui.folha.uol.com.br/materia/minhas-casas-minha-vida/?doing_wp_cron=1533243959.2273359298706054687500

Eleição experimental para DGP – Procuram-se candidatos que não tenham medo de passar o ridículo 20

LISTA TRÍPLICE

Entidades querem escolher delegado-geral da Polícia Civil de São Paulo

Alegando necessidade de autonomia administrativa, duas entidades de policiais de São Paulo resolveram se unir para criar, por meio de votação, uma lista tríplice para o cargo de delegado-geral da Polícia Civil.

O objetivo é mudar o modo como a escolha é feita. No lugar da livre nomeação pelo governador, as entidades querem que o escolhido seja um dos nomes da lista. A iniciativa é do Sindicato dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo (Sindpesp) e da Associação dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo (Adpesp).

A ideia segue o que vem sendo adotado em outros órgãos, como o Ministério Público Federal. Desde 2003, o procurador-geral da República tem sido escolhido dentre os integrantes de lista tríplice formada pela Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR), mesmo não havendo obrigação legal do presidente da República escolher um dos integrantes da lista.

Eleição em SP
O edital criado pelas entidades para eleger a lista tríplice para delegado-geral da Polícia Civil de São Paulo foi publicado nesta quarta-feira (1º/8) no Diário Oficial. Segundo o documento, podem se candidatar os delegados integrantes da Classe Especial e que estejam em atividade.

De acordo com a presidente do Sindpesp, Raquel Kobashi Gallinati, há em São Paulo 136 delegados que se enquadram nesse critério. Os que não tiverem interesse em participar do processo, podem pedir sua exclusão. Já os que tiverem interesse, devem apresentar suas ideias, projetos e propostas.

A votação dos candidatos ao cargo acontecerá pela internet entre os dias 19 e 29 de setembro. Já a votação presencial será nos dias 28 e 29 de setembro. Os três mais votados formarão a lista tríplice, que deverá ser entregue ao candidato a governador que for eleito em outubro.

Clique aqui para ler o edital.

Revista Consultor Jurídico, 1 de agosto de 2018, 12h08