Polícia prende 407 em SP durante ‘Operação Carnaval 2008’

PM divulgou balanço parcial do esquema, das 19h do dia 1º até as 7h desta segunda.
Também foram registrados 724 acidentes por Polícia Rodoviária.

Saiba mais
A Polícia Militar de São Paulo divulgou no início da noite desta segunda-feira (4) um balanço parcial da “Operação Carnaval 2008”, criada para combater a violência no estado entre os dias 1º e 5 de fevereiro.

Segundo a PM, das 19h da sexta-feira (1º) até as 7h desta segunda, foram registradas 21.136 ocorrências, todas elas atendidas por policiais militares; 407 pessoas foram presas em flagrante; 235 adolescentes foram detidos; 78 armas de fogo e 101 armas brancas foram apreendidas. A polícia informou ainda que 130.951 pessoas foram revistadas, 52.580 carros foram vistoriados, além de 28.973 motos.

No balanço também foram incluídas as ocorrências registradas pela Polícia Rodoviária. Foram verificados 724 acidentes nas rodovias estaduais até as 0h desta segunda-feira. Eles foram responsáveis por 485 vítimas, sendo 334 com ferimentos leves, 115 com ferimentos graves e 34 mortes. Foram ainda dadas 10.067 multas de trânsito.

Participam da “Operação Carnaval 2008” mais de 82 mil policiais, que contaram com o apoio de 4.681 carros. Somente no sambódromo do Anhembi, na Zona Norte da capital paulista, foram empregados 3.742 policiais, 125 homens do policiamento montado, 311 carros e cinco cães.

Polícia prende 407 em SP durante ‘Operação Carnaval 2008’

PM divulgou balanço parcial do esquema, das 19h do dia 1º até as 7h desta segunda.
Também foram registrados 724 acidentes por Polícia Rodoviária.

Saiba mais
A Polícia Militar de São Paulo divulgou no início da noite desta segunda-feira (4) um balanço parcial da “Operação Carnaval 2008”, criada para combater a violência no estado entre os dias 1º e 5 de fevereiro.

Segundo a PM, das 19h da sexta-feira (1º) até as 7h desta segunda, foram registradas 21.136 ocorrências, todas elas atendidas por policiais militares; 407 pessoas foram presas em flagrante; 235 adolescentes foram detidos; 78 armas de fogo e 101 armas brancas foram apreendidas. A polícia informou ainda que 130.951 pessoas foram revistadas, 52.580 carros foram vistoriados, além de 28.973 motos.

No balanço também foram incluídas as ocorrências registradas pela Polícia Rodoviária. Foram verificados 724 acidentes nas rodovias estaduais até as 0h desta segunda-feira. Eles foram responsáveis por 485 vítimas, sendo 334 com ferimentos leves, 115 com ferimentos graves e 34 mortes. Foram ainda dadas 10.067 multas de trânsito.

Participam da “Operação Carnaval 2008” mais de 82 mil policiais, que contaram com o apoio de 4.681 carros. Somente no sambódromo do Anhembi, na Zona Norte da capital paulista, foram empregados 3.742 policiais, 125 homens do policiamento montado, 311 carros e cinco cães.

Polícia prende 407 em SP durante ‘Operação Carnaval 2008’

PM divulgou balanço parcial do esquema, das 19h do dia 1º até as 7h desta segunda.
Também foram registrados 724 acidentes por Polícia Rodoviária.

Saiba mais
A Polícia Militar de São Paulo divulgou no início da noite desta segunda-feira (4) um balanço parcial da “Operação Carnaval 2008”, criada para combater a violência no estado entre os dias 1º e 5 de fevereiro.

Segundo a PM, das 19h da sexta-feira (1º) até as 7h desta segunda, foram registradas 21.136 ocorrências, todas elas atendidas por policiais militares; 407 pessoas foram presas em flagrante; 235 adolescentes foram detidos; 78 armas de fogo e 101 armas brancas foram apreendidas. A polícia informou ainda que 130.951 pessoas foram revistadas, 52.580 carros foram vistoriados, além de 28.973 motos.

No balanço também foram incluídas as ocorrências registradas pela Polícia Rodoviária. Foram verificados 724 acidentes nas rodovias estaduais até as 0h desta segunda-feira. Eles foram responsáveis por 485 vítimas, sendo 334 com ferimentos leves, 115 com ferimentos graves e 34 mortes. Foram ainda dadas 10.067 multas de trânsito.

Participam da “Operação Carnaval 2008” mais de 82 mil policiais, que contaram com o apoio de 4.681 carros. Somente no sambódromo do Anhembi, na Zona Norte da capital paulista, foram empregados 3.742 policiais, 125 homens do policiamento montado, 311 carros e cinco cães.

Polícia prende 407 em SP durante ‘Operação Carnaval 2008’

PM divulgou balanço parcial do esquema, das 19h do dia 1º até as 7h desta segunda.
Também foram registrados 724 acidentes por Polícia Rodoviária.

Saiba mais
A Polícia Militar de São Paulo divulgou no início da noite desta segunda-feira (4) um balanço parcial da “Operação Carnaval 2008”, criada para combater a violência no estado entre os dias 1º e 5 de fevereiro.

Segundo a PM, das 19h da sexta-feira (1º) até as 7h desta segunda, foram registradas 21.136 ocorrências, todas elas atendidas por policiais militares; 407 pessoas foram presas em flagrante; 235 adolescentes foram detidos; 78 armas de fogo e 101 armas brancas foram apreendidas. A polícia informou ainda que 130.951 pessoas foram revistadas, 52.580 carros foram vistoriados, além de 28.973 motos.

No balanço também foram incluídas as ocorrências registradas pela Polícia Rodoviária. Foram verificados 724 acidentes nas rodovias estaduais até as 0h desta segunda-feira. Eles foram responsáveis por 485 vítimas, sendo 334 com ferimentos leves, 115 com ferimentos graves e 34 mortes. Foram ainda dadas 10.067 multas de trânsito.

Participam da “Operação Carnaval 2008” mais de 82 mil policiais, que contaram com o apoio de 4.681 carros. Somente no sambódromo do Anhembi, na Zona Norte da capital paulista, foram empregados 3.742 policiais, 125 homens do policiamento montado, 311 carros e cinco cães.

O LAMBEDOR DO SINDICATO DE PELÚCIA 2

Os nossos pesares pela manifestação do presidente do Sindicato dos Policais Civis do Estado do Rio de Janeiro, verdadeiramente, parecendo ser um policial de pelúcia…
Do jeitinho que todo governo gosta…
Gosta de ser lambido.
Por conta do manifesto de apoio ao Governador e ao Secretário, policiais civis publicaram nota de repúdio na qual afirmaram a ilegitimidade do presidente para falar pela classe.
Assim, criarão um novo sindicato.

"O Sérgio Cabral, por sua vez, tem vergonha, acha que pai de família não deve confessar isso mas eu sei é bicha"…TARSO DE CASTRO

Se for verdade, será o primeiro caso de blogueiro preso no Brasil, Dr. E claro, tinha que ser policial.
GOVERNADOR SÉRGIO CABRAL ORDENA A PRISÃO DO TENENTE MELQUISEDEC

via MILITAR LEGAL by Melquisedec Nascimento on 02/02/08

Irritado com as postagens no Blog Militar Legal do Tenente Melquisedec Nascimento,Presidente da Associção dos Militares Auxiliares e Especialistas – Amae, no qual há fotos do Governador Fluminense com chapéu e nariz de Pinóquio, além de fotos de faixa de manifestação realizadas ontem pela Amae em Duque de Caxias, o Governador Sérgio cabral ordenou na tarde deste sábado que a Corregedoria Interna da PMERJ ouvisse e prendesse o Tenente Melquisedec,imediatamente.
A Corregedoria esteve nesta tarde na residência do Tenente Melquisedec, a fim de conduzi-lo para tomar depoimento e posterior ordem de prisão, porém ele não foi encontrado.
Segundo o Dr Armando Júnior, Advogado de Melquisedec e da Amae, “A ordem do Governador Sérgio Cabral é absurda, arbitrária e anti-democrática, pois se trata de um presidente de entidade de classe, que está se pronunciando em defesa de seus associados, cuja liberdade de expressão lhe é garantida pela Constituição, por que de que adiantaria a carta magna conceder o direito de livre associação, se o seu representante legal não pudesse falar em defesa de seus associados?”, afirmou o Dr Armando.
A grande irritação de Cabral se deve à fotomontagem e ao vídeo postados no blog, nos quais o governador é apresentado como pinóquio.
O Tenente Melquisedec afirmou que declarará à Corregedoria que, está utilizando de seu direito constitucional de livre associação e como presidente da Amae, vem cobrando e continuará cobrando, ainda que o Governador lhe mande dar Choque elétrico, o cumprimento de suas promessas de campanha, de que iria valorizar os profissionais de segurança pública, pagando-lhes um salário decente e dando-lhes os meios adequados de trabalho, como viatura em bom estado de conservação e coletes balísticos.
Melquisedec foi preso em 2005 por ter ido à Câmara dos Deputados, em Brasília, solicitar a abertura de uma CPI para apurar o porquê de no Rio de janeiro haver mais mortes de policiais do que na Colômbia.
Mães de policiais mortos, além de outros familiares e amigos de policiais, bem como entidade civis de direitos Humanos já estão sendo acionadas e começam a preparar manifestações contra Sérgio Cabral e em favor da liberdade do Tenente Melquisedec.
Uma das faixas a ser confeccionada para as manifestações diz; ” Liberdade para o Tenente Melquisedec – Fora viajante Sérgio Cabral, governador Pinóquio e agora ditador”.
ASSOCIAÇÃO DOS MILITARES AUXILIARES E ESPECIALISTAS – AMAE
PS.
ECOS DE HITLER NO RIO DE JANEIRO

AGREGANDO: GOVERNADOR DONO DE MANSÃO DE DOIS MILHÕES DE DÓLARES…com salário de R$ 6.000,00(seis mil) – deve ser herança do pai(ainda vivo).

BETO CARRERO…O FABRICANTE DE ALEGRIAS FARÁ FALTA A HUMANIDADE…UM FABRICANTE DE ARMAS A QUASE NINGUÉM

Toda vida é preciosa, especialmente a vida daqueles que dedicaram a vida fazendo nossas vidas mais alegres.

Fabricar sorrisos é um empreendimento engrandecedor; muito mais quando se faz sorrir às crianças.

Esta a grande diferença entre um verdadeiro empreendedor e um empresário.

O empresário faz dinheiro fabricando e vendendo qualquer coisa, enquanto o empreendedor faz dinheiro entregando, com seu serviço ou produto, alegrias.

Um fabricante de armas, quando muito, fará muita falta para os seus entes queridos e amigos.

O construtor de sonhos fará falta à humanidade.

Descanse em paz Senhor “BETO CARRERO”; que a sua grandiosa obra seja acrescida pelos seus sucessores.

E que todas as fábricas de armas sejam transformadas em fábricas de brinquedos.
BETOOOOOOOOO CARREROOOOOOOOOOOOOO…

YouTube – Elis Regina – Agora Ta

YouTube – Elis Regina – Agora Ta

AGORA TÁ – ELIS REGINA
Composição: Tunai/ Sérgio Natureza

“Já que tá aí,
Pela metade, mas tá
Melhor cuidar
Pra peteca não cair
Pra não deixar escapulir
Como água no ralo
Aquilo que já fez calo
Doeu feito joanete
Castigou nosso cavalo
Cortou como canivete
Feriu, mexeu, mixou
Nunca comeu melado
Vai lambuzar
Se vacilar pode cantar pra subir
Porque não dá pra começar todo rolo denovo
Se o bolo ficar sem ovo
Se a massa não tem fermento
Se não cozinha por dentro
Vai tudo por água abaixo
Acho, acho acho que agora tá
Quase no ponto tá
No ponto de provar
Acho que agora tá
No ponto de solar
Acho que agora tá
Pra lá de pronto já
Acho que agora tá
Acho que agora tá…

ARENA – ALIANÇA RENOVADORA NACIONAL E POLICIAL 5

QUAL O MERECIMENTO PARA PROMOÇÃO OU INDICAÇÃO PARA CARGO OU FUNÇÃO DE CLASSE SUPERIOR?

Simples:

Não há maior merecimento do que ser filho de um político da ARENA – O PARTIDO DA ALIANÇA RENOVADORA NACIONAL, também conhecido como o Partido do AI-5.

Se você preenche tal requisito pode sair atropelando todas as regras e todos os pares da Carreira que encontrar pela frente.

Uns 388, no mínimo.

ARENA – o maior partido de esquerda do Brasil, já que, atualmente, em torno de 50% dos mesmbros do PSDB, PSB, PTB e PT, iniciaram as suas carreiras no antigo partido formado pelos grupos de apoio ao governo militar.

À esquerda do Direito, da Ética e da Moral Administrativa…
Digo de muitos daqueles que outrora postados com o governo militar, posteriormente se colocaram como liberais ou de esquerda; apenas por interesses pessoais.

O Delegado de Polícia só poderá chefiar unidade ou serviço de categoria correspondente à sua classe

Artigo 31 – Nenhum policial civil poderá ter exercício em serviço ou unidade diversa daquela para o qual foi designado, salvo autorização do Delegado Geral de Polícia.

Artigo 32O Delegado de Polícia só poderá chefiar unidade ou serviço de categoria correspondente à sua classe, ou em caso excepcional, à classe imediatamente superior.

Artigo 33 – Quando em exercício em unidade ou serviço de categoria superior, nos termos deste artigo, terá o Delegado de Polícia direito à percepção da diferença entre os vencimentos do seu cargo e os do cargo de classe imediatamente superior.

Parágrafo único – Na hipótese deste artigo aplicam-se as disposições do artigo 195 da Lei Complementar nº 180, de 12 de maio de 1978

A CLASSIFICAÇÃO DAS DELEGACIAS DE TRÂNSITO 1

Decreto Nº 40.587, de 28 de dezembro de 1995

Dispõe sobre a classificação das Circunscrições Regionais de Trânsito do Estado de São Paulo

MÁRIO COVAS, Governador do Estado de São Paulo, no uso de suas atribuições legais,

Decreta:

Artigo 1º – As Circunscrições Regionais de Trânsito, da Divisão de Controle do Interior, do Departamento Estadual de Trânsito, da Secretaria da Segurança Pública, ficam classificadas na seguinte conformidade:

I – nos Municípios onde estão sediadas unidades policiais de base territorial, com nível de:

a) Classe Especial, em 1ª Classe; ( ex. Ciretran de Santos)

b) 1ª Classe, em 2ª Classe; ( ex. Ciretrans de São Vicente, Guarujá, Cubatão e Praia Grande )

c) 2ª Classe, em 3ª Classe;

d) 3ª Classe, em 4ª Classe;

II – nos Municípios onde estão sediadas as Delegacias de Polícia de 4ª Classe, o Delegado de Polícia respectivo responderá pela Circunscrição Regional de Trânsito.

Artigo 2º – Este decreto entrará em vigor na data de sua publicação, ficando revogadas as disposições em contrário.


Palácio dos Bandeirantes, 28 de dezembro de 1995

MÁRIO COVAS

Antônio Angarita, Secretário do Governo e Gestão Estratégica

Publicado na Secretaria de Estado do Governo e Gestão Estratégica, aos 28 de dezembro de 1995.

COMENTÁRIOS; em atenção aos princípios da legalidade e moralidade administrativa – nos termos do Decreto acima e da Lei Orgânica da Polícia Civil, apenas Delegados da 3a. ou 2a. classe , poderão chefiar as Ciretrans de municípios classificados como de 1a. classe . E os Delegados de Polícia de 3a. classe, pelo exercício nas Ciretrans de 2a. classe, deverão ser comissionados na classe imediatamente superior; recebendo vencimentos e vantagens como 2a. classe.

Pelos mesmos princípios e dispositivos legais, Delegado de 1a. classe ou comissionado em 1a. classe , não pode chefiar( ou acumular chefia) Ciretran de 2a. classe.

E em nenhuma hipótese um Delegado de 5a. ou 4a. classe, poderá ser titular de uma Ciretran de 2a. classe.

SÓ MOÇA DE BOA FAMÍLIA PODE NAMORAR FILHO DE CORONEL

Policiais do Denarc são acusados de extorsão
Fonte: O Estado de S.Paulo, por Marcelo Godoy, 1º/2/08.
Vítima era suspeito de achacar namorada de filho de policial militar.
A desconfiança de M. M. de que a nova namorada de seu filho não era “moça de boa família” terminou com policiais do Departamento Estadual de Investigações sobre Narcóticos (Denarc) como alvo de investigação requisitada pelo Ministério Público Estadual (MPE).
Agentes do departamento são mais uma vez acusados de achaque e espancamento.
O promotor Luiz Roberto Cicogna Faggione pediu abertura de inquérito, pois vislumbrou indícios de abuso de autoridade, quando eles invadiram, em 30 de outubro de 2007, na Vila Prudente, a casa do empresário José Roberto de Sá, que teve o irmão, o detetive particular Hamilton Reis de Sá, de 50 anos, preso pelo Denarc.
A história começou no segundo semestre de 2007, quando o filho da médica M.M. e de um coronel da PM anunciou o namoro com G. C. G.
A mãe, desconfiada, contratou o detetive particular Hamilton, que acompanhou o dia-a-dia de G.C.G.
Segundo a promotoria, Hamilton descobriu que “G. concedia favores sexuais em troca de dinheiro”.
Ele teria passado “a extorqui-la, solicitando dinheiro e favores sexuais para não revelar as atividades da moça”.
G. marcou encontro com Hamilton, mas no lugar apareceram policiais do Grupo de Apoio e Proteção à Escola (Gape), do Denarc.
“Estavam em três viaturas e pegaram meu irmão, que estava em uma moto”, disse José Roberto.
“Queriam R$ 30 mil para não prendê-lo.”
Eram 13 horas. Como Hamilton não tinha o dinheiro, apanhou.
Os investigadores exigiram que ele vendesse a moto e lhes desse R$ 15 mil.
O detetive disse que ela não era sua.
“A moto é minha. Então, eles foram até minha casa”, afirmou o empresário. Segundo ele, eram cinco policiais e um informante.
Os investigadores apontaram armas para sua mulher, seu filho e até para o neto de 2 anos.
Quebraram móveis, apanharam um computador e fotografaram a casa e automóveis.
“Saíram de lá correndo quando avisei a Corregedoria”, afirmou.
Foi então que os policiais do Denarc resolveram formalizar a prisão em flagrante de seu irmão.
“À noite, bateram mais nele.
Não se conformavam de não terem recebido o dinheiro.”
Acusado de extorquir G. em R$ 250, Hamilton foi parar na cadeia e lá permanece até hoje, pois responde a processo na 17ª Vara Criminal de São Paulo.
José Roberto e M. fizeram representação contra o delegado Flávio Eduardo Hengler Mirisola, que comandava a diligência, e a encaminharam ao juiz-corregedor Alex Tadeu Zilenovski, do Departamento de Inquéritos Policial (Dipo).
Este a encaminhou ao Grupo de Atuação Especial e Controle Externo da Atividade Policial (Gecep), cujos promotores requisitaram a abertura de inquérito policial na Corregedoria da Polícia Civil.
Também pediram que a Corregedoria da PM apure a conduta de José Roberto e requisitaram depoimentos de envolvidos.
O delegado disse que a ação na casa de José Roberto foi “um desdobramento natural da prisão (de Hamilton), uma vez que já tinha o flagrante de extorsão (contra G.C.G.)”.
Segundo Mirisola, Hamilton tem na ficha um caso de atentado violento ao pudor, dois outros de extorsão, um roubo e um furto.
A Secretaria da Segurança informou que “vai ser aberta apuração preliminar na Corregedoria para verificar se houve irregularidade”.
COLABOROU RODRIGO PEREIRA
Comentários:
A diligência se mostra irregular desde o início, pois ao conhecerem da notícia da extorsão – diga-se já consumada no momento das exigências de vantagens – os policiais do DENARC deveriam, pelas normas policiais, ter solicitado o imediato concurso da Delegacia da área do fato ou À DELEGACIA DE EXTORSÕES DO DEIC.
Agindo apenas no caso de inércia dos órgãos solicitados.
Tal “prorrogação ou prevenção de competência” pelos policiais do DENARC, por si, gera suspeita.
O atendimento pela equipe do Departamento de narcóticos pode ter sido legítimo e absolutamente honesto, mas – ROTINEIRAMENTE – o descumprimento de uma simples norma policial acarreta dúvida sobre a transparência e legalidade .
Aliás, muitos atropelos decorrem da exigência de “produção”, ou seja, da exigência, pelos superiores, de “prisões em flagrante”.

PAIXÃO NÃO ESCOLHE COR OU PROFISSÃO

POLICIAIS DO DENARC SÃO ACUSADOS DE EXTORSÃO

Policiais do Denarc foram acusados de agredir um suspeito de extorsão, invadir a casa e confisca bens da família sem autorização judicial. A história teve início quando Marilene Mendrone, de 51 anos, contratou o detetive Hamilton Reis de Sá para investigar a namorada de seu filho.

Hamilton teria descoberto que Gabriela Cristina Gomes é garota de programa. A jovem ela percebeu que estava sendo investigada e acionou policiais do Denarc. De acordo com os policiais civis, o detetive extorquiu a investigada para não denunciar suas atividades à sogra. Em encontro agendado por Gabriela com Hamilton, apareceram os policiais especializados em combater o tráfico de drogas. Comandados pelo delegado FLÁVIO EDUARDO HENGLER MIRISOLA, os investigadores prenderam o detetive sob a acusação de extorsão. Durante a ação, porém, os policiais teriam ido à residência de Hamilton, onde ele mora com a família do irmão.

Os familiares afirmam que os policiais do Denarc apreenderam dois telefones , um computador e a moto de José Roberto Sá, irmão do detetive. Hamilton de Sá está preso desde o dia 30 de outubro do ano passado e, nesta quinta-feira ocorreu a segunda audiência do processo.

O irmão do detetive contou como foi a invasão dos policiais a sua casa, na Vila Prudente. Uma testemunha que presenciou a ação da Polícia Civil contra o detetive, confirmou que eles usaram de violência na abordagem.

A mulher, e que não quer ser identificada, disse que está com medo dos policiais e que o delegado confessou ser amigo da suposta garota de programa. Familiares de Marilene Mendrone confirmam que o filho dela, de 27 anos, continua o relacionamento com Gabriela. A família do detetive diz que o trabalho durou apenas cinco dias porque a evidência de que a moça era garota de programa era clara.

O Ministério Público Estadual enviou as denúncias à Corregedoria da Polícia Civil, que, segundo a Secretaria de Segurança, ainda não abriu inquérito. O delegado Flavio Eduardo Hengler Mirisola, que comandava os policiais acusados não foi localizado para prestar esclarecimento.

Fonte Rádio Joven Pan