AOS MEUS AMIGOS POLICIAIS CIVIS E MILITARES Resposta

SOMENTE UNIDOS VENCEREMOS E SEREMOS VALORIZADOS PELO GOVERNO E POR TODA A SOCIEDADE.

POLÍCIA SE FAZ NAS RUAS E NOS PLANTÕES DAS DELEGACIAS.

NOS GABINETES NOS DESPREZAM, DESPREZAM A CORAGEM E ALTIVEZ DOS VERDADEIROS POLICIAIS.

MERECEMOS E EXIGIREMOS BONS SALÁRIOS, SAÚDE, EDUCAÇÃO, MORADIA E FELICIDADE PARA AS NOSSAS FAMÍLIAS.

A ADMINSTRAÇÃO MENTE…O GOVERNO NOS IGNORA…A POLITICALHA NOS ROUBA…ENQUANTO COVARDES SUPERIORES ENRIQUECEM A CUSTA DO NOSSO SANGUE E SACRIFÍCIO.

NÃO ADMITEM GREVE, PROTESTOS E, TAMPOUCO, O DESMANCHE DOS PODEROSOS ESQUEMAS DE CORRUPÇÃO.

FRENTE PARLAMENTAR EM DEFESA DA SEGURANÇA PÚBLICA. Resposta

Frente parlamentar aponta descaso com a segurança pública

Da assessoria do deputado Major Olímpio

Sob a coordenação do deputado Major Olímpio (PV), foi lançada nesta quinta-feira, 21/6, a Frente Parlamentar em Defesa da Segurança Pública, na Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo.
O objetivo da frente é fazer do Parlamento paulista um local para debater o descaso do governo com a segurança pública e receber sugestões para fortalecer os órgãos policiais e penitenciários do Estado, a fim de contribuir com o combate ao crime organizado.
Diversas entidades classistas participaram do evento em apoio à Frente Parlamentar e à atuação do Major Olímpio, como a Associação dos Oficiais da Polícia Militar, a Associação dos Oficiais da Reserva, o Sindicato dos Delegados de Polícia, o Sindicato dos Peritos Criminais, a Associação dos Bombeiros, a Associação dos Agentes Penitenciários, a Associação Paulista de Imprensa e organismos representativos do funcionalismo público.
De acordo com o Major Olímpio, a Frente Parlamentar em Defesa da Segurança Pública, que conta com a adesão de outros 17 deputados, é um instrumento suprapartidário, que vai representar os anseios e as reivindicações da população de São Paulo.
“Vamos discutir a falta de segurança e o aumento da criminalidade, que são as maiores preocupações da sociedade. Eu só lamento que o secretário de Segurança Pública e os altos escalões da polícia não tenham comparecido a este evento para ouvir as associações representativas e a sociedade civil, que muito têm a contribuir na busca de soluções para o grave problema da segurança pública e do sistema prisional do Estado de São Paulo”, afirmou o deputado.
O Major Olímpio também garantiu que a frente parlamentar não se intimidará com pressões por parte do governo estadual e vai ser combativa diante da ação das organizações criminosas e dos escândalos em função de atos ilícitos praticados por agentes públicos.

AS PROPINAS DO DIA 15 E DO DIA 30. Resposta

FORUM ADPESP

por *robertocguerra* em 11/03/2007 às 17:48Os policiais do DF e da PF,
não contam com a folha de pagamento paralela tal qual neste Estado,
aquela do 15º e 30º dia útil. Só não vê quem não quer. Nós seremos
valorizados se e quando eliminarmos tal prática. A corrupção é que nos
mantém subvalorizados, o resto é papo furado. Se é para sofrer enquanto
gente inescrupulosa enriquece ilicitamente, melhor que o MP presida
inquéritos, que Oficial PM lavre flagrantes , soldados elaborem TCs.
Colegas Diretores e Seccionais são muito valentes quando se trata de
prejudicar um subalterno, alguns beirando a grosseria , violência moral
e, por pouco física. Todavia, diante de um Juiz de um Promotor, até
mesmo de um político, se revelam efeminados, tal as mesuras e
delicadezas com as quais os distinguem.

por *robertocguerra* em 11/03/2007 às 17:56E tal fraqueza diante de
autoridades externas é fruto da falta de compromisso com a Carreira,
apenas com a cadeira que lhe confere os benefícios ilícitos. Pelos
vencimentos seriam todos plantonistas, não se matariam pelos cargos
elevados. O Governo sabe e os agradece.

MANDADO DE INTIMIDAÇÃO! Resposta

MANDADO DE NOTIFICAÇÃO

O Doutor WALDOMIRO BUENO FILHO, Delegado de Polícia Diretor do Departamento de Polícia Judiciária de São Paulo Interior DEINTER 6 – SANTOS, no uso de suas atribuições e no poder correcional inerente ao seu múnus, reitera ao Senhor Dr. Roberto Conde Guerra, RG e CPF, Delegado de Polícia classificado neste Departamento em exercício na sede da Delegacia Seccional de Polícia de Santos, que se encontra desde o dia 31/05/2007 à sua disposição o Ofício n. 407/2007 que o colocou à disposição da Delegacia Geral de Polícia à vista de sua remoção para o Deinter-9- Piracicaba, Município de Hortolândia?SP. Faz saber ainda ao Delegado notificado QUE APESAR DE SEU ABANDONO DE CARGO( grifo nosso), objeto de comunicação de faltas injustificadas até o presente, o mesmo terá 48(quarenta e oito) horas de prazo (vencimento até às 16:00 horas de 22 do corrente) para que retire junto a Seção de Pessoal o indigitado Ofício n. 407/2007, sob pena de suspensão de seu pagamento até satisfação desta determinação nos precisos termos do artigo 82 da Lei Complementar n. 207/79, parcialmente modificada pela Lei Complementar nº. 922/2003. A presente notificação deverá ser cumprida pessoalmente por Investigadores de Polícia do Corpo de Segurança deste Departamento. HAVENDO RECUSA OU ESCONDENDO-SE O NOTIFICADO, COMO VEM OCORRENDO, PARA EXIMIR-SE DE SUAS OBRIGAÇÕES, DEVERÃO OS EXECUTORES FORNECER CIRCUNSTANCIADO RELATÓRIO A RESPEITO, SERVINDO ESSE COMO PROVA MATERIALIZADA DE CONTUMAZ RECALCITRÂNCIA E DESOBEDIÊNCIA DO DR. ROBERTO CONDE GUERRA(grifo nosso). Dada e passada nesta cidade de Santos/SP, às 15:))(quinze) horas do dia 19(dezenove) de junho do ano de dois mil e sete(2007). Eu, Silvia Luzia Cesarino, Escrivâ do cargo do Senhor Diretor, que o digitei e com ele assino. Cumpra-se.

Sr. DIRETOR eu não imputei ao Sr. recebimento de vantagens ilícitas, ou quaisquer outros crimes. Se o Senhor não teve tempo necessário para verificar as irregularidades nesta região culpa não me cabe. Também, culpa não me cabe se o Sr. Seccional é politicamente mais forte que Vossa Senhoria. As irregularides que dei conta são antecedentes a sua gestão. Se o Senhor tem laços de amizade e se melindrou por outrem, nada posso fazer a respeito. Agora, a sua notificação é intimidativa e não retrata a verdade. Não sei se foi elaboração intelectual de Vossa Senhoria, mas o Senhor subscreveu calúnia, difamação e grosserias a meu respeito.Me dando o direito de retrucar. Eu não abandonei o cargo, tampouco faltei. O Senhor, ou outrem ,me afastou das funções desde o dia 23 de maio. No dia 31 foi publicada a minha remoção. O Senhor deveria conhecer a Lei e a contagem dos prazos. Também, deveria fazer com que a Administração efetivasse a entrega da ajuda de custo que me é devida. Eu não fui removido para a esquina da minha casa. O Senhor conhece a legislação? O Senhor tem estudado Direito Administrativo e Direito Constitucional ? Saiba que de 1988 para cá – quase duas décadas – muita coisa mudou. Não vivemos no seu áureo tempo da Ditadura Militar, quando pessoas como o Senhor ditavam regras conforme melhor lhe aproveitasse. Já foi o tempo em que militar cagava regra; e Delegado corrupto e torturador baixava a cabeça e as calças para não perder os despojos. E o Sr. é notório admirador do “Fleury”, ponha uma foto dele na entrada do Palácio e lhe renda homenagens. Não tem coragem? Se eu o admirasse teria. EU NÃO ESTOU ME ESCONDENDO PARA ME EXIMIR DE OBRIGAÇÕES. Ordens manifestamente ilegais, como a sua notificação, não devem ser cumpridas.

O Senhor é mesmo muito mal informado, eu fui procurado, apenas, no dia 13 pelo Sr. Alan, e no dia 14 falei com a Sra. Lílian, sendo que eu mesmo telefonei para eles. O Senhor não está reiterando coisa alguma, está formulando enredo, após receber no dia 18 p.p., a petição endereçada ao Exmº Delegado-Geral, para me causar maiores prejuízos. O Senhor confirma aquilo que há anos é conhecido por todos…Conselheiros deveriam ser eleitos pela classe, se assim fosse autoridades despreparadas não determinariam o nosso triste destino. Teríamos o respeito de todos…Seriamos bem remunerados…Não necessitaríamos de quinzenas de bicheiros e caterva. CUMPRA AS SUAS FUNÇÕES E ACABE COM A CORRUPÇÃO NO SEU DEPARTAMENTO….NÃO FAÇA COAÇÃO AOS DIRIGENTES SINDICAIS…greve é assunto que não lhe diz respeito, pois o Senhor é muito bem remunerado. Em tempo: como a sua notificação foi passada por várias mãos e deixada na portaria do edifício em que resido, me dou o direito de publicá-la, fazendo os necessários comentários. É ato administrativo, portanto público , além de pertinente a minha pessoa. Também, há o interesse público de saber aquilo que se passa intestinamente. A Polícia pertence aos cidadãos, não nos pertence. A eles devemos contas. Também, os demais funcionários e autoridades devem saber como é que se atropela o Direito neste nosso órgão. O Senhor trabalhou no DOPS? O Senhor já eliminou pessoas? O Senhor já torturou? O Senhor já perseguiu colegas de classes inferiores, por mera vaidade? Eu nunca. E Doutor o seu Departamento está desmoralizado e corrompido, cumpra o seu dever: conserte. E Doutor não esqueça, a fortuna é caprichosa, o Senhor pode perder o cargo antes de mim. Há dezenas cobiçando a sua cadeira…Eu não tenho cadeira…Eu já não tenho mais Carreira.

A DEMOCRÁTICA E LEGALISTA POLÍCIA CIVIL DE SANTOS. Resposta

O teor da petição anteriormente postada, devidamente protocolada no Departamento, visto que o i. titular do 7º DP e da Seccional, entenderem não poder dar-lhe encaminhamento, não possui quaisquer valores. Especialmente pelo fato de ter sido redigida em aramaico – sim aramaico – o Direito é indecifrável para determinadas autoridades policiais. Especialmente aqueles que dominam, apenas, a linha do varal. Lei aqui é o “péssimo” costume administrativo. O costume de se desrespeitar, sistematicamente, a Lei. E, depois, perseguir aqueles que, decorrentemente dos abusos, acabam se colocando contrariamente aos desmandos. A retaliação, mais uma vez, não demorou. Hoje, há poucos minutos, tive a comprovação da falta de compromisso com o Direito.
Recebi uma notificação do ínclito Dr. Waldomiro Bueno Filho, Diretor do Deinter-6, demonstrando desconhecimento legal para o exercício das funções como gestor de recursos humanos e materiais de um grande Departamento Policial. É um “polícia”, apenas “polícia”. Atropela a lei, distorce os fatos e falta com a verdade em documento oficial de cunho intimidativo. Também, não se poderia esperar melhor de um homem que ,internamente, faz elogios rasgados ao Delegado Sérgio Fleury, reputando-lhe como o “maior delegado da polícia civil Paulista” . Que, em preleções durante reuniões de trabalho, afirma “sorrir para os policiais militares”, mas pelas costas “lhes enfia punhal”. Prepotência…Arrogância…Ignorância. Me afastou das funções, promoveu a minha remoção disfarçadamente “no interesse do serviço policial”, não providenciou a devida ajuda de custo, e, agora, afirma que eu venho me escondendo para me eximir das obrigações e pretendendo fazer prova “de contumaz recalcitrância e desobediência do “Dr. Roberto Conde Guerra”. Ainda, ameaça “a pena de suspensão de seu pagamento até satisfação desta determinação”. Viu o meu saldo bancário, pelo que sabe da minha dificuldade e necessidade dos vencimentos. . Todavia, não consignou que, no dia 18/06/2007(2ª feira, por volta das 18h30), eu, pessoalmente, protocolei a petição endereçada ao Exmo Delegado-Geral requerendo a invalidação da remoção. Como não é preparado para o debate jurídico de alto nível, vez que foi formado com as técnicas expeditas de outrora, ou seja, arbitrariedade, leu a petição e se ofendeu.E, claro, ficou com receio fazendo expedir tal notificação com a pretensão de me intimidar e fazer fogo de encontro. E tem receio, talvez, por ter concorrido para a ilegalidade.Doutor Waldomiro eu não estou me escondendo; apenas não estou a sua disposição, não sou seu empregado. Primeiramente, cumpra a Lei, não distorça os fatos. Senhor Diretor os termos do seu mandado de notificação ilustra os motivos de o Delegado não possuir mais o “status” de operador do Direito.Com efeito, aquilo que escrevi, acerca do fisiologismo e nepotismo em Santos, é verdadeiro; veio de fonte fidedigna e estimada por todos deste Departamento. Apenas, por conta própria, eu deveria ter acrescentado que aqui impera, da mesma forma, o despotismo. Eu não sou “adivinho” e não faria ilações. Ouvi de um superior; ouvi muito mais acerca de negociatas envolvendo chefias. Portanto, ainda nascerá gente capaz de me intimidar; e terá que ser muito mais correto que eu. E o Senhor não é; e nunca será mais correto que eu, quando muito igual. Não sou bandido, não tenho o rabo preso e nunca fui parceiro da criminalidade organizada. E não recebo R$ 40.000,00( quarenta mil reais), por mês. Por fim, me lancei em águas revoltas, mas quem me revelou os informes não deveria ter me atirado “uma âncora”. Obrigado, meu anjo.